Trabalhemos todos, pela Unificação do movimento espírita!!

O Espiritismo é uma questão de fundo; prender-se à forma seria puerilidade indigna da grandeza do assunto. Daí vem que os centros que se acharem penetrados do verdadeiro espírito do Espiritismo deverão estender as mãos uns aos outros, fraternalmente, e unir-se para combater os inimigos comuns: a incredulidade e o fanatismo.”

“Dez homens unidos por um pensamento comum são mais fortes do que cem que não se entendam.”
Allan Kardec (Obras Póstumas – Constituição do Espiritismo – Item VI).



sábado, 30 de dezembro de 2017

BRASIL

Brasil, o Mundo a escutar-te,
Pergunta hoje: “O que é?”
Ah! Terra de minha vida,
Responde às Nações de pé!
Das montanhas altaneiras,
Dentro das próprias fronteiras,
Alonga os braços - Sansão!
Sem prepotência ou vangloria,
Grava no livro da História,
Novo rumo à evolução!

Contempla a sombra da guerra,
Dragão do lodo a rugir,
Envenenando a Cultura,
Ameaçando o Porvir!...
Fala - assembléia de bravos -
Aos milhões de homens escravos
Sábios loucos prometheus...
Do píncaro a que te elevas
Dissolve os grilhões das trevas
Na fé que te induz a Deus!

Brada - gigante das gentes -
Proclama com destemor
Que o Cristo aguarda na Terra
Um novo mundo de Amor!
Ante a grandeza que estampas,
Os mortos voltam das campas,
Sublimando-te a visão!
Ao progresso Fernão Dias!...
O Dever mostra Caxias,
Deodoro a renovação!...

Dos sonhos do Tiradentes,
Que se alteiam sempre mais,
Fizeste Apóstolos, Gênios,
Estadistas, Generais...
De todos os teus recantos
Despontam palmas de santos,
Augusto pendões de heróis!...
Astros de brilhos tamanhos
Andrada, Feijó, Paranhos,
Em teus céus brilham por soes!...

Desde o dia em que nasceste,
Ao fórceps de Cabral
O tempo se iluminou,
Na Bahia maternal!...
Hoje, que o mundo te espera
Para as leis da Nova Era,
Por Brasília envolta em luz,
Que em ti a vida se integre,
De Manaus a Porto Alegre,
No Espírito de Jesus!...

Ao resguardar o Direito,
Mantendo a Justiça e o Bem,
Luta e rasga o próprio peito,
Mas não desprezes ninguém!...
Levanta o grande futuro,
Ergue tranqüilo e seguro,
A paz nobre e varonil!...
À humanidade que chora,
Clamando: “Senhor... e agora?!”
O Cristo aponta: Brasil!...

Livro: Castro Alves Fala  Terra
Médium : Frâncico Cândido Xavier
Poema psicografado em 15/abril/1976 em Brasília. 

Francisco Rebuças

FELIZ 2018 !!

Ano novo, vida nova! 

Essa frase é bem antiga e conhecida de todos.

O que é desconhecido de todos, é o conhecimento de quem renovou a vida com novas atitudes.

A esmagadora maioria dos que a pronunciam, só o fazem da boca para fora, disposição para a mudança, para a transformação no pensar, falar e agir, isso não acontece.

Dessa forma, precisamos levar a sério essa proposta de uma vida nova, numa busca sincera dos valores reais do Espírito Imortal à caminho da felicidade e da paz que não acontecerá sem a auto iluminação de cada indivíduo.

Jesus é o modelo a ser seguido, e só Ele é o caminho, da verdade e da vida que almejamos defrutar.

Encontramos em seu Evangelho todas as verdades para o encontro com a paz e a felicidade no prazer propiciado pelo dever retamente cumprido.

Um excelente ano novo com novas proposições de uma vida vivenciada com nobreza e em companhia de Jesus e dos Espíritos Superiores.
Muita Paz!

Francisco Rebouças

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

ESTUDANDO A PAZ

Emmanuel
Muita gente escuta referência à paz, acalentando a volúpia da grande preguiça.

E semelhantes ouvintes, desavisados e inconsequentes, mentalizando alegria e consolação, imaginam fortunas fáceis e aposentadorias rendosas, heranças polpudas e gratificações vitalícias.

Aspirando, porém, ao conforto da lesma, esquecem-se de que toda ociosidade quase sempre é calmaria da podridão.

Lembrando a palavra do Senhor nos ensinamentos do monte, assinalamos que todos os corações pacíficos, associados ao seu ministério de redenção, em verdade, não conheceram a imobilidade na Terra.

Os companheiros diretos da Boa Nova, após testemunhos dilacerantes de fé, expiraram em postes de martírio ou lapidados na praça pública entre zombaria e sarcasmo da multidão. E muitos daqueles mesmos que ouviram do Mestre a promessa de felicidade para o fim do trabalho rude partiram da Terra, sob escabrosas perseguições, sem contar que Ele próprio, o Cristo de Deus, depois de sacrifícios ingentes a benefício de todos, foi içado no madeiro, sem qualquer nota de tranquilidade exterior a asserenar-lhe a morte.

Não te esqueças, desse modo, de que a paz verdadeira verte da ação constante no Bem Eterno, sem reclamação e sem amargura, porque à feição do grande equilíbrio que mora no imo da esfera em movimento a sustentar o trabalho ou a vida, a paz brilhará no recesso de nossas almas sempre que nós consagremos a exaltar e servir à Benção do Amor de Deus.

Livro: Fé, Paz e Amor.
Chico Xavier/Emmanuel


Francisco Rebouças

quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

Precisamos saber a verdadeira finalidade da nossa existência!

Muitas vezes buscávamos em nosso mundo íntimo respostas para perguntas que nos intrigavam, tais como: Qual a finalidade da vida? A final, para que fomos criados por Deus? E para que não ficássemos sem a exata noção da nobreza que determina nossa criação, Jesus nos fez chegar ao conhecimento as nobres finalidades de nossa existência, através do Espiritismo.
“A força do Espiritismo tem duas causas preponderantes: a primeira é a que torna felizes os que o conhecem, o compreendem e o praticam; ora, como há muita gente infeliz, ele recruta um exército inumerável entre os que sofrem. Querem tirar-lhe esse elemento de propagação? Que tornem os homens de tal modo felizes, moral e materialmente, que estes nada mais tenham a desejar, nem neste, nem no outro mundo. Não pedimos mais, pois o objetivo terá sido atingido. A segunda é que ele não repousa na cabeça de nenhum homem que possa ser derrubado; que ele não tem um foco único que possa ser extinto; que seu foco está em toda parte, porque em toda parte há médiuns que podem comunicar-se com os Espíritos; que não há família que não possa tê-los em seu seio, e se cumpram estas palavras do Cristo: Vossos filhos e vossas filhas profetizarão e terão visões; porque, enfim, o Espiritismo é uma ideia, e não há barreiras impenetráveis à ideia, nem bastante altas para que estas não possam transpô-las. Mataram o Cristo; mataram seus apóstolos e discípulos, mas o Cristo tinha lançado no mundo a ideia cristã, e essa ideia triunfou da perseguição dos Césares onipotentes”. (1)
Foi através do Consolador por Ele mesmo prometido, que hoje conhecemos como Espiritismo, que pudemos conhecer a finalidade maior de nossa existência, que é o desenvolvimento das potencialidades psíquicas, das quais somos portadores, que nos ajudarão a construir a felicidade, a paz e a pureza de Espíritos Puros, para desfrutar da honra da convivência ao lado do Nosso Pai e criador.
Isso significa que nossa existência terrena tem por objetivo a sublimidade, do Ser imortal que somos através da superação paulatina das nossas limitações, pelos desafios que a vida nos propõe superar diariamente em termos materiais, morais e espirituais, que começam quando do nosso nascimento e se estende por toda a encarnação.
A criança recém-nascida enfrenta o desafio do crescimento e o desenvolvimento do seu organismo físico. Com o passar do tempo, aprende a comunicar-se com os outros, através da fala, do raciocínio e passa dessa forma a agir para conseguir o que quer, vencendo pouco a pouco a condição de seu nascimento, superando as fases naturais do período infantil, passando depois pelas experiências da adolescência e seguindo pela mocidade, madureza até alcançar o desafio final proposto pelo período da velhice.
Durante esse trajeto, o Ser desenvolve suas forças orgânicas e psíquicas, sua afetividade, sua capacidade de discernir através do aprimoramento do seu livre arbítrio, para compreender o que precisa fazer para se beneficiar com o que acontece ao seu redor, para triunfar diante das circunstâncias nem sempre positivas, e que lhe que exigirão prudência e ação.
 “No esforço científico e na perquirição filosófica, o homem pode gastar indefinido tempo à procura das causas profundas do destino e do ser.
No Evangelho, porém, o coração e o cérebro despertam para o caminho da própria sublimação.
Dentro dele, não há lugar para ilações provisórias.
Resplandece a luz em todos os seus ângulos divinos, compelindo a criatura a humanizar-se para a união com o Pai Supremo.”  (2)
Urge entender com o Espiritismo que a vida humana na Terra não é simplesmente produto da imaginação. É, antes, realidade fundamentada nas descobertas científicas. E, ao contrário daqueles que divulgam o Espiritismo como doutrina supersticiosa que se deixam identificar apenas pelo tamanho da ignorância sobre o assunto ela tem nos estudos acadêmicos a confirmação das verdades que apregoa.
A própria Doutrina Espírita sustenta o lema “Fé inabalável só é a que pode encarar de frente a razão, em todas as épocas da Humanidade”, e está nos dias de hoje, comprovada nas mais avançadas pesquisas científicas, nos fazendo perceber que não há mais lugar para a concepção materialista absoluta na cultura filosófica ou científica da atualidade. (3)
Referências:(1) Kardec, Allan. Revista Espírita novembro 1861 – Reunião geral dos Espíritas bordeleses.
(2) Xavier, Francisco, Candido, pelo Espírito Emmanuel – livro: Sínteses Doutrinárias. Cap. XIV.
(3) Kardec, Allan. O Evangelho Segundo o Espiritismo, FEB. 112ª edição, cap. XIX, item 7.
Francisco Rebouças.

domingo, 24 de dezembro de 2017

Feliz Natal!!!

UM NATAL FELIZ NA COMPANHIA DE JESUS!
Aos meus queridos familiares e amigos, desejo do fundo do coração que neste Natal, o aniversariante do dia Jesus de Nazaré esteja em cada lar envolvendo a todos com com suas doces vibrações de amor, luz e paz que só Ele pode nos proporcionar.
Rogo ao Mestre e Guia de todos nós que em todos os dias do ano que se avizinha, possamos fazer dos ensinos e exemplos que ele nos deixou o incentivo maior a ser considerado pelos seus fies seguidores, na certeza de que só ELE é o caminho a verdade e a vida que desejamos alcançar.
UM FELIZ NATAL E ANO NOVO DE MUITAS REALIZAÇÕES PARA TODOS!

Francisco Rebouças

sábado, 23 de dezembro de 2017

VIDA FELIZ

LIX
Conserva acoragem naluta, seja qual for a situação.
Há caminhos menos difíceis de ser percorridos, no entanto, todos exigem que se os vençam.
Pensa-se que, pelo fato de estar-se trabalhando pelo bem do próximo, não se enfrentam dificuldades e obstáculos.
É puro engano. Em toda parte e posição a criatura humana é a mesma.
SãoVicente de Paulo, que tanto se dedicou aos pobres, afirmava que estes"eram muito exigentes e ingratos".
Tem, pois, bom ânimo sempre.

Livro: Vida Feliz
Divaldo Franco/Joanna de Ângelis
Francisco Rebouças

O DESEJO DO MESTRE

João de Deus
“— Minha mãe, que hei de fazer
Para me unir com Jesus?...”
Dizia uma pequenina
Num halo doce de luz.
“— Filhinha, — dizia a voz
Do carinho maternal —
Jesus estará contigo
Se evitares todo o mal.”
“— Mamãe, — insistia ainda
A pequena a perguntar —
Que quer o Mestre de mim
P’ra que eu possa lhe agradar?”
“— Jesus quer de todos nós —
Disse a materna afeição —
O amor, a humildade e o bem
No livro do coração!...”

Livro: Tempo e Amor
Francisco Cândido Xavier e Clovis Tavares
Autores Diversos.

Francisco Rebouças

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

Doutrina Espírita

“Dedica-te com atenção e afinco ao estuda das lições com as quais a Doutrina Espírita te ilumina a mente sobre as oportunidades de crescimento e progresso que a reencarnação te concede, e enfrenta os desafios e as realidades dos teus caminhos evolutivos, confiando sempre na misericórdia da Sabedoria Divina que nos rege a existência em todos os recantos deste imensurável Universo, porque tua destinação já é do teu conhecimento, a felicidade e a pureza espiritual”.
Francisco Rebouças

Problemas do mundo

Cap. VI – Item 5
O mundo está repleto de ouro. Ouro no solo. Ouro no mar.
Ouro nos cofres.
Mas o ouro não resolve o problema da miséria.
O mundo está repleto de espaço.
Espaço nos continentes.
Espaço nas cidades.
Espaço nos campos. Mas o espaço não resolve o problema da cobiça.
O mundo está repleto de cultura.
Cultura no ensino.
Cultura na técnica. Cultura na opinião.
Mas a cultura da inteligência não resolve o problema do egoísmo.
O mundo está repleto de teorias.
Teorias na ciência.
Teorias nas escolas filosóficas.
Teorias nas religiões.
Mas as teorias não resolvem o problema do desespero.
O mundo está repleto de organizações.
Organizações administrativas. Organizações econômicas.
Organizações sociais.
Mas as organizações não resolvem o problema do crime.
Para extinguir a chaga da ignorância, que acalenta a miséria; para dissipar a sombra da cobiça, que gera a ilusão; para exterminar o monstro do egoísmo, que promove a guerra; para anular o verme do desespero, que promove a loucura, e para remover o charco do crime, que carreia o infortúnio, o único remédio eficiente é o Evangelho de Jesus no coração humano.
Sejamos, assim, valorosos, estendendo a Doutrina Espírita que o desentranha da letra, na construção da Humanidade Nova, irradiando a influência e a inspiração do Divino Mestre, pela emoção e pela ideia, pela diretriz e pela conduta, pela palavra e pelo exemplo e, parafraseando o conceito inolvidável de Allan Kardec, em torno da caridade, proclamemos aos problemas do mundo: “Fora do Cristo não há solução.” 
 Bezerra de Menezes
Livro: O Espírito Da Verdade
Chico Xavier e Waldo Vieira/Espíritos Diversos.
Francisco Rebouças


segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

Na difusão do Espiritismo

Emmanuel 
"E eu rogarei ao pai e ele vos dará outro consolador para que fique convosco para sempre". - Jesus (João, 14:16)

Na condição daquele consolador prometido por Jesus a Humanidade o Espiritismo, sem dúvida, atingirá todas as consciências. 

Entretanto, à frente das múltiplas interpretações que se lhe imprimem-nos mais variados núcleos humanos, de que modo esperar o cumprimento da promessa do Cristo? 

Nesse sentido recordemos os primórdios da Codificação Kardequiana. Preocupado com o mesmo assunto Allan Kardec formulou a Questão nº. 789, de "O Livro dos Espíritos", à qual os seus Instrutores Espirituais, solícitos, responderam: 

"Certamente que o Espiritismo se tornará crença geral e marcará nova era na história da Humanidade, porque está na natureza e chegou o tempo em que ocupará lugar entre os conhecimentos humanos. Terá, no entanto, que sustentar grandes lutas, mais contra o interesse do que contra a convicção, porquanto não há como dissimular a existência de pessoas interessadas em combatê-lo, umas por amor-próprio, outras por causas inteiramente materiais. Porém, como virão a ficar insulados, seus contraditores se sentirão forçados a pensar como os demais, sob pena de se tornarem ridículos".

Certifiquemo-nos, pois, de que, na difusão dos princípios espíritas, estamos todos em luta do bem para a extinção do mal e de que ninguém alcançará a suspirada vitória sem a vontade de aprender e a disposição de trabalhar. 

(Londres, Inglaterra, 10 de Agosto de 1965)

Livro: Entre Irmãos de Outras Terras
Chico Xavier/Waldo Vieira/Espíritos Diversos.

Francisco Rebouças

domingo, 17 de dezembro de 2017

EM NOME DE JESUS

A  viúva  havia  perdido  o  filho  que  se  lhe  fizera  arrimo, assassinado por um amigo que o tóxico desequilibrara e que fugira a o pronunciamento da justiça. 

Depois de alguns meses, estava ela distribuindo refeições a pessoas necessitadas, numa instituição cristã de beneficência, quando alguém lhe apontou um rapaz à mesa e lhe segredou: 

- Aquele é o matador do seu filho. 

A  senhora,  com  grande  terrina  às  mãos,  estremeceu,  mas voltando-se  para  uma  parede  lateral,  como  quem  desejava ausentar-se daquela situação, esbarrou com a efígie de Cristo Crucificado. 

Imediatamente, recordou que o Divino Mestre também fora exterminado sem culpa. 

Estranha força lhe surgiu no coração e prosseguiu adiante. 

Chegando ao prato do rapaz indicado, passou a servi-lo com gentileza. 

O moço surpreendido, perguntou-lhe: 

-  A  senhora  sabe  que  matei  seu  filho  e  que  sou  um assassino... 

Como pode me servir com tanta bondade? 

- Ela, porém, sorriu levemente e apontado-lhe, com o olhar, a face do Senhor, na tela à frente, respondeu com brandura: 

- O Senhor não é o assassino de meu filho. 

Em nome de Jesus , o senhor é nosso irmão. 

Livro: Momentos de Paz
Chico Xavier/Emmanuel

Francisco Rebouças

sábado, 16 de dezembro de 2017

Estudando o Espiritismo - L.E.

564. Haverá Espíritos que se conservem ociosos, que em coisa alguma útil se ocupem?

“Há, mas esse estado é temporário e dependendo do desenvolvimento de suas inteligências. Há, certamente, como há homens que só para si mesmos vivem. Pesa-lhes, porém, essa ociosidade e, cedo ou tarde, o desejo de progredir lhes faz necessária a atividade e felizes se sentirão por poderem tornar-se úteis. Referimo-nos aos Espíritos que hão chegado ao ponto de terem consciência de si mesmos e do seu livre-arbítrio; porquanto, em sua origem, todos são quais crianças que acabam de nascer e que obram mais por instinto que por vontade expressa.”

565. Atentam os Espíritos em nossos trabalhos de arte e por eles se interessam?

“Atentam no que prove a elevação dos Espíritos e seus progressos.”

566. Um Espírito, que haja cultivado na Terra uma especialidade artística, que tenha sido, por exemplo, pintor, ou arquiteto, se interessa de preferência pelos trabalhos que constituíram objeto de sua predileção durante a vida?

“Tudo se confunde num objetivo geral, Se for um Espírito bom, esses trabalhos o interessarão na medida do ensejo que lhe proporcionem de auxiliar as almas a se elevarem para Deus. Demais, esqueceis que um Espírito que cultivou certa arte, na existência em que o conhecestes, pode ter cultivado outra em anterior existência, pois que lhe cumpre saber tudo para ser perfeito. Assim, conforme o grau do seu adiantamento, pode suceder que nada seja para ele uma especialidade. Foi o que eu quis significar, dizendo que tudo se confunde num objetivo geral. Notai ainda o seguinte: o que, no vosso mundo atrasado, considerais sublime, não passa de infantilidade, comparado ao que há em mundos mais adiantados. Como pretenderíeis que os Espíritos que habitam esses mundos, onde existem artes que desconheceis, admirem o que, aos seus olhos, corresponde a trabalhos de colegiais? Por isso disse eu: atentam no que demonstre progresso.”

a) - Concebemos que seja assim, em se tratando de Espíritos muito adiantados.

Referimo-nos, porém, a Espíritos mais vulgares, que ainda se não elevaram acima das idéias terrenas.
“Com relação a esses, o caso é diferente. Mais restrito é o ponto de vista donde observam as coisas. Podem, portanto, admirar o que vos cause admiração.”

Fonte: O Livro dos Espíritos - F.E.B. 76ª edição.

Francisco Rebouças


ÂNGULOS DA FÉ EM DEUS

Emmanuel
Na justiça – misericórdia.
No progresso – proveito.
Na chefia – eqüidade.
No trabalho – alegria.
Na subalternidade – dever cumprido.
No sofrimento – aceitação.
Nas dificuldades – paciência.
Nas crises – coragem.
Na profissão – honestidade.
Nas tribulações – esperança.
No relacionamento – respeito.
Na tristeza – bom ânimo.
Na enfermidade – calma.
No poder – moderação.
Nas incompreensões – servir mais.
No afeto – equilíbrio.
Na caridade – silêncio.
No lar – sempre amor.
É  preciso  aprender  a  suportar  os  revezes  do  mundo,  sem  perder  a  própria segurança.

Livro: PAZ
Chico Xavier/Emmanuel

Francisco Rebouças

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

A razão é inseparável da fé!

“Servindo de boa-vontade, como sendo ao Senhor, e não aos homens.” – Paulo.
(Efésios, 6:7.)
Ouvimos de alguns amigos “religiosos”, frases prontas nas quais se apegam com tamanha “fé”, até quando descobrem que aquilo em que tanto acreditavam sem passarem antes pelo crivo da razão, não funciona da forma como sempre creram acontecessem, causando nos incautos uma decepção que os deixam completamente descrentes de tudo em termos de religião.
Preciso se faz entender que a fé cega sem base na ciência não pode se manter de pé, pois a ciência a cada dia se aprimora e apresenta resultados muito diferentes do que antes se entendia como sendo o melhor procedimento nos mais diversos campos do conhecimento humano.
Não podemos omitir uma categoria a que chamaremos incrédulos por decepções. Abrange os que passaram de uma confiança exagerada à incredulidade, porque sofreram desenganos. Então, desanimados, tudo abandonaram, tudo rejeitaram. Estão no caso de um que negasse a boa-fé, por haver sido ludibriado.
Ainda aí o que há é o resultado de incompleto estudo do Espiritismo e de falta de experiência. Aquele a quem os Espíritos mistificam, geralmente é mistificado por lhes perguntar o que eles não devem ou não podem dizer, ou porque não se acha bastante instruído sobre o assunto, para distinguir da impostura a verdade.
Muitos, aos demais, só vêm no Espiritismo um novo meio de adivinhação e imaginam que os Espíritos existem para predizer a sorte de cada um. Ora, os Espíritos levianos e zombeteiros não perdem ocasião de se divertirem à custa dos que pensam desse modo. E assim que anunciarão maridos às moças; ao ambicioso, honras, heranças, tesouros ocultos, etc. Daí, muitas vezes, desagradáveis decepções, das quais, entretanto, o homem sério e prudente sempre sabe preservar-se.” (1)
Entre tantas outras, uma chama a nossa atenção, “Se podes?” “Tudo é possível àquele que crê”. (2)
Ora, levando ao pé da letra essa afirmativa do Evangelho de Marcos, muitos desses nossos irmãos sem parar sequer para uma análise superficial do que está proposto por Jesus e registrado pelo evangelista, passam a acreditar que tudo podem, precisando para tanto apenas crer nas palavras registradas no “Livro Sagrado” como entendem a Bíblia.
Se meditassem um pouco, levando em conta coisas tão simples e naturais em nossa vida de ser humano, facilmente chegariam à conclusão de que algo não está em conformidade com a realidade que enfrentamos na nossa vida diária, como por exemplo, não conseguir viver para sempre, não adoecer, não envelhecer nunca, etc…, por mais fé que alguém possa ter.
Em O Evangelho Segundo o Espiritismo, podemos encontrar explicações para nossa melhor compreensão do que nos é possível realizar efetivamente, conforme segue:
No sentido próprio, é certo que a confiança nas suas próprias forças toma o homem capaz de executar coisas materiais, que não consegue fazer quem duvida de si. Aqui, porém, unicamente no sentido moral se devem entender essas palavras. As montanhas que a fé desloca são as dificuldades, as resistências, a má vontade, em suma, com que se depara da parte dos homens, ainda quando se trate das melhores coisas. Os preconceitos da rotina, o interesse material, o egoísmo, a cegueira do fanatismo e as paixões orgulhosas são outras tantas montanhas que barram o caminho a quem trabalha pelo progresso da Humanidade.” (3)
A fé não prescinde da razão, para se crer em alguma coisa, é preciso levar em conta o bom senso, na realidade de nossas possibilidades de realização, como seres humanos de carne e osso, submetidos à Lei de destruição como tudo o que é material, e observar que a própria natureza nos dá exemplo de transformação e renovação diárias.
Quando aprendemos a crer, sem descuidar das descobertas científicas em todos os campos da atividade humana, assumindo nossas fragilidades, e nos conscientizando das nossas possibilidades de realização dentro dos ditames da Lei Maior, entenderemos que a pesar de estarmos submetidos a uma força superior, não somos simplesmente vítimas do destino, e sim seres com possibilidades infinitas de produzir as mais belas páginas em nosso processo de crescimento moral espiritual.
Urge investir no desenvolvimento das virtudes de Espíritos Imortais que somos procurando seguir com dedicação e boa vontade outro versículo constante do Evangelho de Mateus que nos alerta: “Buscai, pois, em primeiro lugar, o Reino de Deus e Sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas. (4) 
Quando aprendemos a crer, sem esquecer nossas fragilidades, nossas responsabilidades, nossos deveres para conosco e com a vida, muito maiores serão as nossas possibilidades de realizações profícuas no caminho do progresso evolutivo. Não podemos nos deixar envolver pelo abatimento do derrotismo, das incertezas, pois que Deus nosso Pai e Criador, não nos deixará faltar nada que nos possa retardar a caminhada em busca da felicidade e da pureza espiritual que nos está reservada. Para isso, precisamos simplesmente vivenciar as lições e exemplos deixados por Jesus para alcançarmos o objetivo maior de nossa existência.
Sendo Jesus o modelo, o guia, o caminho, a verdade e vida a para todos nós cristãos, precisamos ouvir com atenção sua doce advertência de que ninguém vai ao Pai senão por ELE, portanto torna-se imprescindível segui-lo com esmero o quanto antes possível.
Referências:(1) Kardec, Allan – O Livro dos Médiuns, FEB 76ª edição, Capítulo III – Do Método, item 25.
(2) O Evangelho de Marcos, Cap. 9: v. 23.
(3) Kardec, Allan, O Evangelho Segundo o Espiritismo, FEB 112ª edição – Cap. XIX, item 2.
(4) O Evangelho de Mateus, Cap. 6: v. 33.
Francisco Rebouças.

sábado, 9 de dezembro de 2017

Na luta vulgar

“Pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará.” – Paulo. (Gálatas, 6:7.) 

Não é preciso morrer na carne para conhecer a lei das compensações. 

Reparemos a luta vulgar. 

O  homem  que  vive  na  indiferença  pelas  dores  do próximo, recebe  dos  semelhantes  a  indiferença  pelas  dores  que  lhe  são próprias. 

Afastemo-nos do convívio social e a solidão deprimente será para nós a resposta do mundo. 

Se usamos severidade para com os outros, seremos julgados pelos outros com rigor e aspereza. 

Se praticamos em sociedade ou em família a hostilidade e a aversão, entre parentes e vizinhos encontraremos a  antipatia e a desconfiança. 

Se insultamos nossa tarefa com a preguiça, nossa tarefa relegar-nos-á à inaptidão. 

Um gesto de carinho para com o desconhecido na via pública granjear-nos-á o concurso fraterno dos grupos anônimos que nos cercam. 

Pequeninas sementeiras de bondade geram abençoadas fontes de alegria. 

O trabalho bem vivido produz o tesouro da competência. 

Atitudes  de  compreensão  e  gentileza  estabelecem  solidariedade e respeito, junto de nós. 

Otimismo  e  esperança,  nobreza  de  caráter  e  puras intenções atraem preciosas oportunidades de serviço, em nossofavor. 

Todo dia é tempo de semear. 

Todo dia é tempo de colher. 

Não é preciso atravessar a sombra do túmulo para encontrar a justiça, face a face. Nos princípios de causa e efeito, achamo-nos incessantemente sob a orientação dela, em todos os  instantes de nossa vida. 

Livro: Fonte Viva
Chico xavier/Emmanuel 

Francisco Rebouças

domingo, 3 de dezembro de 2017

Vida Feliz

LVIII
Compadece-te dos fracos.
Dá-lhes mão amiga em qualquer situação.
Além da fragilidade orgânica, são tímidos e dependentes, reconhecendo a deficiência de energias.
Ajuda-os com um sorriso afável de companheirismo, com uma promessa de silencioso apoio, mediante um gesto que lhes dê segurança.
Coloca-te no lugar deles, e faze, em seu favor, o que gostarias de receber, estando na sua situação.
Livro: Vida Feliz
Divaldo Franco/Joanna de Ângelis
Francisco Rebouças.

Quem deseja seguir os passos do Mestre, precisa estar bem determinado!

50 Mas os judeus incitaram algumas mulheres religiosas e honestas,
e os principais da cidade, e levantaram perseguição contra Paulo e Barnabé,
e os lançaram para fora dos seus termos.
51 Sacudindo, porém, contra eles o pó dos seus pés, partiram para Icônio.
Atos, 13: 50,51.
Desde os longínquos dias em que o Apóstolo Paulo de Tarso, dava início a seus primeiros labores apostólicos, como divulgador escolhido por Jesus para levar adiante a mensagem da Boa Nova, quando enfrentou todo tipo de obstáculo e seguiu resoluto enfrentando todos os tipos de contratempos até os dias da atualidade, os desafios de quem se decidiu por vivenciar em sua vida as lições do Evangelho de Jesus permanecem idênticos.
O incomparável mensageiro da palavra sublime do seu Mestre, não conseguiu lograr êxito em sua tarefa de levar os ensinamentos cristãos aos irmãos de Antioquia, de onde Paulo e Barnabé foram expulsos, mas, não se deram por vencidos e seguiram em frente sem esmorecimentos dirigindo-se para Icônio.
Sua estreia na sinagoga em Icônio provocou calorosas discussões, em virtude de que a força politica da cidade, se constituir de judeus ricos e instruídos na Lei de Moisés; mas sabe-se que os gentios representavam uma grande parte da classe média, que receberam o apóstolo e suas palavras com grande interesse, despertando a ira e a revolta dos poderosos, o que resultou em conflitos e tumultos por toda a cidade.
Os Judeus não poderiam em nenhuma hipótese aceitar um “Salvador” que se deixara crucificar sem qualquer resistência, o que para eles não passava de um ato de covardia, pois o salvador que esperavam tinha como mérito maior o instinto guerreiro, de conquistador invencível, justamente do que Jesus não tinha dado nenhuma demonstração.
Entretanto a palavra do Apóstolo sobre a figura meiga, amorosa e pacífica de Jesus, alcançara tão grande aceitação que os gentios de Icônio ofereceram-lhe um vasto salão para que lhes fosse ministrado os ensinamentos evangélicos, em todas as tardes, pois, estavam ansiosos pelas notícias e novidades contidos nos ensinamentos do Messias.
Embora diante da administração da cidade sob o domínio dos Judeus que não tardaram para reagir impondo-lhe enormes dificuldades na tentativa de intimidá-lo na missão de dedicado Discípulo do Mestre de Nazaré, ele seguiu firme sua pregação de forma resoluta e corajosa, até onde lhe foi possível…
Assim é até os dias da atualidade, os sinceros e valorosos seguidores de Jesus, que se decidirem por segui-lo com fidelidade, também não encontrarão facilidades, os adversários da Luz nos dois planos da vida estarão à espreita para influenciá-los negativamente opondo-lhes os maiores óbices, o próprio Mestre nos alertou para esse fato, quando nos asseverou “Vigiai e orai para não cairdes em tentação”. (1)
“Na epístola aos romanos, Paulo afirma que o justo viverá pela fé.
Não poucos aprendizes interpretaram erradamente a assertiva.
Supuseram que viver pela fé seria executar rigorosamente as cerimônias exteriores dos cultos religiosos.
Frequentar os templos, harmonizar-se com os sacerdotes, respeitar
a simbologia sectária, indicariam a presença do homem justo. Mas nem sempre vemos o bom ritualista aliado ao bom homem. E, antes de tudo, é necessário ser criatura de Deus, em todas as circunstâncias da existência.
Paulo de Tarso queria dizer que o justo será sempre fiel, viverá de modo invariável, na verdadeira fidelidade ao Pai que está nos céus.
Os dias são ridentes e tranquilos? tenhamos boa memória e não desdenhemos a moderação.
São escuros e tristes? confiemos em Deus, sem cuja permissão a tempestade não desabaria.
Veio o abandono do mundo? o Pai jamais nos abandona.
Chegaram as enfermidades, os desenganos, a ingratidão e a morte? eles são todos bons amigos, por trazerem até nós a oportunidade de sermos justos, de vivermos pela fé, segundo as disposições sagradas do Cristianismo”(2).
Urge dedicarmos todos os esforços no sentido de fazer a parte que nos cabe na obra da criação, independentemente das dificuldades que certamente nos estarão dificultando a caminhada, seguindo o exemplo deixado por esse ícone do Cristianismo que foi Paulo de Tarso, aprendendo com seus exemplos que o seguidor do Cristo não pode desanimar diante dos obstáculos que representam simplesmente experiências a serem adquiridas a peso de muito esforço e boa vontade.
Jesus nos sustentará nos momentos mais decisivos de nossa caminhada, em busca do encontro com Ele que nos aguarda para a justa recompensa que nos prometeu.
Referências:(1) Jesus (Mateus, 26:41).
(2) Xavier, Francisco Cândico, pelo Espírito Emmanuel. Livro Caminho, Verdade e Vida. FEB, Cap. 23.
Francisco Rebouças

Brasil coração do mundo...

https://youtu.be/_a9tpJnGcbw

Homenagem a Chico Xavier

Haroldo Dias Dutra - As cartas de Paulo

Haroldo Dutra - Jesus o Médico da Almas

https://youtu.be/Uk7OUvyGCZU



Divaldo Franco

https://youtu.be/OVbstbRFs9M

Entrevista sobre Emmanuel, Joanna de Ângelis...

Reencarnação é uma realidade

Palestra O trabalho no Bem - Cristiane Parmiter

Palestra: As Leis Divinas e nós - Cristiane Parmiter

Palestra: Benevolência - Cristiane Parmiter

Palestra: Jesus e o Mundo - Cristiane Parmiter

Palestra: A Dinâmica do Perdão - Cristiane Parmiter

Palestra: Perante Jesus - Cristiane Parmiter

Palestra AVAREZA - Cristiane Parmiter

Palestra Obediência Construtiva - Cristiane Parmiter

Palestra Tribulações - Cristiane Parmiter

Palestra Conquistando a Fé - Cristiane Parmiter

Palestra Humildade e Jesus - Cristiane Parmiiter

Palestra Renúncia - Cristiane Parmiter

Rádios Brasil

Simplesmente Espetacular!!!

Professora Amanda Gurgel

Andrea Bocelli & Sarah Brightman - Time To Say Goodbye

De Kardec aos dias de hoje

Madre Teresa

As Mães de Chico Xavier

Reencarnação - Menino Piloto

http://www.youtube.com/embed/cQ2ZqUCKDow" frameborder="0" allowfullscreen>

Muitas Vidas

Espiritismo: família de Andrea Maltarolli mantém contato com a autora - Mais Você - GLOBO

Divaldo Franco

ESPIRITISMO - CHICO XAVIER - REPORTAGEM DO FANTASTICO - OS SEGREDOS DE CHICO

Entrevista com Divaldo Franco

Sobre Emmanuel, Joanna de Ângelis, e muito mais, confira. 1ª Parte 2ª Parte

Oração de Gratidão - Divaldo Franco

Chico Xavier

Chico Xavier no Fantástico

Chico Xavier (2010) trailer oficial

Página de Mensagens

Nesta página estarei lançando variadas páginas de conteúdo edificante para nosso aprendizado.

Francisco Rebouças.

1-ANTE A LIÇÃO

"Considera o que te digo, porque o Senhor te dará entendimento em tudo".- Paulo. II TIMÓTEO. 2:7.

Ante a exposição da verdade, não te esquives à meditação sobre as luzes que recebes.

Quem fita o céu, de relance, sem contemplá-lo, não enxerga as
estrelas; e quem ouve uma sinfonia, sem abrir-lhe a acústica da alma, não lhe percebe as notas divinas.

Debalde escutarás a palavra inspirada de pregadores ardentes, se não descerrares o coração para que o teu sentimento mergulhe na claridade bendita daquela.

Inúmeros seguidores do Evangelho se queixam da incapacidade de retenção dos ensinos da Boa Nova, afirmando-se ineptos à frente das novas revelações, e isto porque não dispensam maior trato à lição ouvida, demorando-se longo tempo na província da distração e da leviandade.

Quando a câmara permanece sombria, somos nós quem desata o ferrolho à janela para que o sol nos visite.

Dediquemos algum esforço à graça da lição e a lição nos responderá com as suas graças.

O apóstolo dos gentios é claro na observação. "Considera o que te digo, porque, então, o Senhor te dará entendimento em tudo."

Considerar significa examinar, atender, refletir e apreciar.

Estejamos, pois, convencidos de que, prestando atenção aos
apontamentos do Código da Vida Eterna, o Senhor, em retribuição à nossa boa-vontade, dar-nos-á entendimento em tudo.

Livro: Fonte Viva
Chico Xavier/Emmanuel

NO CAMPO FÍSICO

"Semeia-se corpo animal, ressuscitará corpo espiritual." - Paulo. (I CORÍNTIOS, 15:44.)

Ninguém menospreze a expressão animal da vida humana, a pretexto de preservar-se na santidade.

A imersão da mente nos fluidos terrestres é uma oportunidade de sublimação que o espírito operoso e desperto transforma em estruturação de valores eternos.

A sementeira comum é símbolo perfeito.

O gérmen lançado à cova escura sofre a ação dos detritos da terra, afronta a lama, o frio, a resistência do chão, mas em breve se converte em verdura e utilidade na folhagem, em perfume e cor nas flores e em alimento e riqueza nos frutos.

Compreendamos, pois, que a semente não estacionou. Rompeu todos os obstáculos e, sobretudo, obedeceu à influência da luz que a orientava para cima, na direção do Sol.

A cova do corpo é também preciosa para a lavoura espiritual, quando nos submetemos à lei que nos induz para o Alto.

Toda criatura provisoriamente algemada à matéria pode aproveitar o tempo na criação de espiritualidade divina.

O apóstolo, todavia, é muito claro quando emprega o termo "semeia-se". Quem nada planta, quem não trabalha na elevação da própria vida, coagula a atividade mental e rola no tempo à maneira do seixo que avança quase inalterável, a golpes inesperados da natureza.

Quem cultiva espinhos, naturalmente alcançará espinheiros.

Mas, o coração prevenido que semeia o bem e a luz, no solo de si mesmo, espere, feliz, a colheita da glória espiritual.

E N T R E I R M Ã O S
Olympia Belém (Espírito)[1]

Estes são tempos desafiadores para todos os que buscam um mundo melhor, onde reine o amor, onde pontifique a fraternidade, onde possam florir os mais formosos sentimentos nos corações.
Anelamos por dias em que a esperança, há tanto tempo acariciada, possa converter-se em colheita de progressos e de paz.
Sonhamos com esse alvorecer de uma nova era em que o Espiritismo, transformado em religião do povo, apresentando Jesus às multidões, descrucificado e vivo, possa modificar as almas, para que assumam seu pujante papel de filhas de Deus no seio do mundo.
Entrementes, não podemos supor que esses ansiados dias estejam tão próximos, quando verificamos que há, ainda, tanta confusão nos relacionamentos, tanta ignorância nos entendimentos, tanta indiferença e ansiedade nos indivíduos, como se vendavais, tufões, tormentas variadas teimassem em sacudir o íntimo das criaturas, fazendo-as infelizes.
A fim de que os ideais do Cristo Jesus alcancem a Terra, torna-se indispensável o esforço daqueles que, tendo ouvido o cântico doloroso do Calvário, disponham-se a converter suas vidas na madrugada luminosa do Tabor.
O mundo terreno, sob ameaças de guerras e sob os rufares da violência, em vários tons, tem urgência do Mestre de Nazaré, ainda que O ignore em sua marcha atordoada, eivada do materialismo que o fascina, que o domina e que o faz grandemente desfigurado, por faltar sentido positivo e digno no uso das coisas da própria matéria.
Na atualidade, porém, com as advertências da Doutrina dos Espíritos, com essa luculenta expressão da misericórdia de Deus para com Seus filhos terrenos, tudo se torna menos áspero, tudo se mostra mais coerente, oferecendo-nos a certeza de que, no planeta, tudo está de conformidade com a lei dos merecimentos, com as obras dos caminheiros, ora reencarnados, na estrada da suspirada libertação espiritual.
"A cada um segundo as suas obras" aparece como canto de justiça e esperança, na voz do Celeste Pastor.
Hoje, reunidos entre irmãos, unimo-nos aos Emissários destacados do movimento de disseminação da luz sobre as brumas terráqueas, e queremos conclamar os queridos companheiros, aqui congregados, a que não se permitam atormentar pelos trovões que se fazem ouvir sobre as cabeças humanas, ameaçadores, tampouco esfriar o bom ânimo, considerando que o Cristo vela sempre. Que não se deixem abater em razão de ainda não terem, porventura, alcançado as excelentes condições para o ministério espírita, certos de que o tempo é a magna oportunidade que nos concede o Senhor. Que ponham mãos à obra, confiantes e vibrantes, certos de que os verdadeiros amigos de Jesus caminham felizes, apesar das lutas e das lágrimas, típicas ocorrências das experiências, das expiações e das provas.
Marchemos devotados, oferecendo, na salva da nossa dedicação, o melhor que o Espiritismo nos ensina, o melhor do que nos apresenta para os que se perdem nas alamedas do medo, da desesperança e da ignorância a nossa volta.
Hoje, entre os amigos espíritas, encontramos maior ânimo para a superação dos nossos próprios limites, o que configurará, ao longo do tempo a superação dos limites do nosso honroso Movimento Espírita.
Sejamos pregadores ou médiuns, evangelizadores, escritores ou servidores da assistência social, não importa. Importa que nos engajemos, todos, nos labores do Codificador, plenificando-nos da grande honra de cooperar com os excelsos interesses do Insuperado Nazareno.
O tempo é hoje, queridos irmãos. O melhor é o agora, quando nos entrelaçamos para estudar, confraternizar e louvar a Jesus com os corações em clima festivo.
Certos de que o Espiritismo é roteiro de felicidade e bandeira de luz, que devemos içar bem alto sobre o dorso do planeta, abracemo-nos e cantemos, comovidos: Louvado seja Deus! Louvado seja Jesus!
Com extremado carinho e votos de crescente progres­so para todos, em suas lidas espiritistas, quero despedir-me sempre devotada e servidora pequenina.
Olympia Belém.

[1]
- Mensagem psicografada pelo médium J. Raul Teixeira no dia 03.09.95, no encerramento da X Confraternização Espírita do Estado do Rio de Janeiro.

O TEMPO

“Aquele que faz caso do dia, patrão Senhor o faz.” — Paulo. (ROMANOS, capítulo 14, versículo 6.)

A maioria dos homens não percebe ainda os valores infinitos do tempo.
Existem efetivamente os que abusam dessa concessão divina. Julgam que a riqueza dos benefícios lhes é devida por Deus.
Seria justo, entretanto, interrogá-los quanto ao motivo de semelhante presunção.
Constituindo a Criação Universal patrimônio comum, é razoável que todos gozem as possibilidades da vida; contudo, de modo geral, a criatura não medita na harmonia das circunstâncias que se ajustam na Terra, em favor de seu aperfeiçoamento espiritual.
É lógico que todo homem conte com o tempo, mas, se esse tempo estiver sem luz, sem equilíbrio, sem saúde, sem trabalho?
Não obstante a oportunidade da indagação, importa considerar que muito raros são aqueles que valorizam o dia, multiplicando-se em toda parte as fileiras dos que procuram aniquilá-lo de qualquer forma.
A velha expressão popular “matar o tempo” reflete a inconsciência vulgar, nesse sentido.
Nos mais obscuros recantos da Terra, há criaturas exterminando possibilidades sagradas. No entanto, um dia de paz, harmonia e iluminação, é muito importante para o concurso humano, na execução das leis divinas.
Os interesses imediatistas do mundo clamam que o “tempo é dinheiro”, para, em seguida, recomeçarem todas as obras incompletas na esteira das reencarnações... Os homens, por isso mesmo, fazem e desfazem, constroem e destroem, aprendem levianamente e recapitulam com dificuldade, na conquista da experiência.
Em quase todos os setores de evolução terrestre, vemos o abuso da oportunidade complicando os caminhos da vida; entretanto, desde muitos séculos, o apóstolo nos afirma que o tempo deve ser do Senhor.

Livro: Caminho Verdade e Vida.
Chico Xavier/Emmanuel.

NISTO CONHECEREMOS

"Nisto conhecemos o espírito da verdade e o espírito do erro." (I JOÃO, 4:6.)

Quando sabemos conservar a ligação com a Paz Divina, apesar de todas as perturbações humanas, perdoando quantas vezes forem necessárias ao companheiro que nos magoa; esquecendo o mal para construir o bem; amparando com sinceridade aos que nos aborrecem; cooperando espiritualmente, através da ação e da oração, a benefício dos que nos perseguem e caluniam; olvidando nossos desejos particulares para servirmos em favor de todos; guardando a fé no Supremo Poder como luz inapagável no coração; perseverando na bondade construtiva, embora mil golpes da maldade nos assediem; negando a nós mesmos para que a bênção divina resplandeça em torno de nossos passos; carregando nossas dificuldades como dádivas celestes; recebendo adversários por instrutores; bendizendo as lutas que nos aperfeiçoam a alma, à frente da Esfera Maior; convertendo a experiência terrena em celeiros de alegrias para a Eternidade; descortinando ensejos de servir em toda parte; compreendendo e auxiliando sempre, sem a preocupação de sermos entendidos e ajudados; amando os nossos semelhantes qual temos sido amados pelo Senhor, sem expectativa de recompensa; então, conheceremos o espírito da verdade em nós, iluminando-nos a estrada para a redenção divina.

DOUTRINAÇÕES

"Mas não vos alegreis porque se vos sujeitem os espíritos; alegrai-vos, antes, por estarem os vossos nomes escritos nos céus." — Jesus. (LUCAS, capítulo 10, versículo 20.)

Freqüentemente encontramos novos discípulos do Evangelho exultando de contentamento, porque os Espíritos perturbados se lhes sujeitam.

Narram, com alegria, os resultados de sessões empolgantes, nas quais doutrinaram, com êxito, entidades muita vez ignorantes e perversas.

Perdem-se muitos no emaranhado desses deslumbramentos e tocam a multiplicar os chamados "trabalhos práticos", sequiosos por orientar, em con-tactos mais diretos, os amigos inconscientes ou infelizes dos planos imediatos à esfera carnal.

Recomendou Jesus o remédio adequado a situações semelhantes, em que os aprendizes, quase sempre interessados em ensinar os outros, esquecem, pouco a pouco, de aprender em proveito próprio.

Que os doutrinadores sinceros se rejubilem, não por submeterem criaturas desencarnadas, em desespero, convictos de que em tais circunstâncias o bem é ministrado, não propriamente por eles, em sua feição humana, mas por
emissários de Jesus, caridosos e solícitos, que os utilizam à maneira de canais para a Misericórdia Divina; que esse regozijo nasça da oportunidade de servir ao bem, de consciência sintonizada com o Mestre Divino, entre as certezas
doces da fé, solidamente guardada no coração.

A palavra do Mestre aos companheiros é muito expressiva e pode beneficiar amplamente os discípulos inquietos de hoje.

Livro: Caminho Verdade e Vida.

Chico Xavier/Emmanuel.

FILHOS DA LUZ

FILHOS DA LUZ"Andai como filhos da luz." - Paulo.

(EFÉSIOS, 5:8.)Cada criatura dá sempre notícias da própria origem espiritual.

Os atos, palavras e pensamentos constituem informações vivas da zona mental de que procedemos.

Os filhos da inquietude costumam abafar quem os ouve, em mantos escuros de aflição.

Os rebentos da tristeza espalham o nevoeiro do desânimo.

Os cultivadores da irritação fulminam o espírito da gentileza com os raios da cólera.

Os portadores de interesses mesquinhos ensombram a estrada em que transitam, estabelecendo escuro clima nas mentes alheias.

Os corações endurecidos geram nuvens de desconfiança, por onde passam.

Os afeiçoados à calúnia e à maledicência distribuem venenosos quinhões de trevas com que se improvisam grandes males e grandes crimes.

Os cristãos, todavia, são filhos da luz.E a missão da luz é uniforme e insofismável.Beneficia a todos sem distinção.

Não formula exigências para dar.Afasta as sombras sem alarde.

Espalha alegria e revelação crescentes.Semeia renovadas esperanças.Esclarece, ensina, ampara e irradia-se.

Vinha de Luz

Chico Xavier/André Luiz


QUEM LÊ, ATENDA

"Quem lê, atenda." - Jesus. (MATEUS, 24:15.)

Assim como as criaturas, em geral, converteram as produções sagradas da Terra em objeto de perversão dos sentidos, movimento análogo se verifica no mundo, com referência aos frutos do pensamento.

Freqüentemente as mais santas leituras são tomadas à conta de tempero emotivo, destinado às sensações renovadas que condigam com o recreio pernicioso ou com a indiferença pelas obrigações mais justas.

Raríssimos são os leitores que buscam a realidade da vida.

O próprio Evangelho tem sido para os imprevidentes e levianos vasto campo de observações pouco dignas.

Quantos olhos passam por ele, apressados e inquietos, anotando deficiências da letra ou catalogando possíveis equívocos, a fim de espalharem sensacionalismo e perturbação? Alinham, com avidez, as contradições aparentes e tocam a malbaratar, com enorme desprezo pelo trabalho alheio, as plantas tenras e dadivosas da fé renovadora.

A recomendação de Jesus, no entanto, é infinitamente expressiva.

É razoável que a leitura do homem ignorante e animalizado represente conjunto de ignominiosas brincadeiras, mas o espírito de religiosidade precisa penetrar a leitura séria, com real atitude de elevação.

O problema do discípulo do Evangelho não é o de ler para alcançar novidades emotivas ou conhecer a Escritura para transformá-la em arena de esgrima intelectual, mas, o de ler para atender a Deus, cumprindo-lhe a Divina Vontade.

Livro; Vinha de Luz
Chico Xavier/Emmanuel