Trabalhemos todos, pela Unificação do movimento espírita!!

O Espiritismo é uma questão de fundo; prender-se à forma seria puerilidade indigna da grandeza do assunto. Daí vem que os centros que se acharem penetrados do verdadeiro espírito do Espiritismo deverão estender as mãos uns aos outros, fraternalmente, e unir-se para combater os inimigos comuns: a incredulidade e o fanatismo.”

“Dez homens unidos por um pensamento comum são mais fortes do que cem que não se entendam.”
Allan Kardec (Obras Póstumas – Constituição do Espiritismo – Item VI).



domingo, 13 de janeiro de 2019

O Universo segue em harmonia com as Leis Divinas!

Constatamos, diariamente, observando a natureza, que a Sabedoria Divina a tudo coordena de forma equilibrada e harmônica, enriquecendo e vitalizando todos os organismos que o recebem, renovando as energias desequilibradas, para uma vida saudável, em busca da felicidade e da pureza à qual estamos destinados.
“Ora, assim como só há uma substância simples, primitiva, geradora de todos os corpos, mas diversificada em suas combinações, também todas essas forças dependem de uma lei universal diversificada em seus efeitos e que, pelos desígnios eternos, foi soberanamente imposta à criação, para lhe imprimir harmonia e estabilidade.” (1)
Em relação ao ser humano quando alguém se afasta dessa harmonia universal, rumo às perniciosas áreas da perturbação, das discussões inúteis, das competições do ego, do aviltamento da vaidade, é sinal que o indivíduo deixou de receber seu tônus, passando assim a produzir toxinas venenosas que desarmonizam os delicados equipamentos da extraordinária máquina orgânica com que Deus o equipou para seu aprimoramento e crescimento intelecto moral, por ser uma criação da Inteligência Suprema.
Jamais nos faltarão motivos para disputas acirradas, discussões homéricas, discordâncias estéreis, de consequências funestas, caso não soubermos nos esquivar com humildade e sabedoria, para não nos deixar envolver nos tumultos das gritarias e na confusão dos ânimos exaltados.
A calma, a prudência e a reflexão a serviço das boas resoluções nos ajudam a usar os recursos da inteligência com a sabedoria dos que conseguem se elevar acima das mesquinharias e da presunção, evitando que nos contaminemos pelas puerilidades que intoxicam e matam.
Envolver-se em querelas de baixo nível, para justificar-se, explicar-se, impor-se, ou responder críticas negativas, constitui perda de tempo, que logo se constituirá em desconcerto interior, levando o indivíduo ao desenvolvimento de patologias diversas.
A paz da consciência tranquila é produto da ação correta do indivíduo em relação às Leis Divinas, perfeitas e imutáveis que ninguém ousa infringir sem o ônus dos dissabores que daí se originarem, porque todos estamos submetidos aos seus justos mecanismos, e Deus nos provê e capacita-nos do que precisamos para crescer e evoluir conforme segue na mensagem abaixo:
Perante Deus
“Deus nos assegura a compreensão para que compreendamos os outros, amparando, tanto quanto possível, aos irmãos incompreendidos. 
Deus nos concede possibilidades, um tanto maiores do que aquelas de que tenhamos necessidade, a fim de que possamos socorrer aos companheiros sem recursos. 
Deus nos concede o privilégio de trabalhar, a fim de agir por nós mesmos e para que tenhamos a bênção de substituir aqueles que ainda não entendem a felicidade de trabalhar. 
Deus nos sustenta de pé, aguardando a nossa cooperação destinada a reerguer os irmãos caídos. 
Deus nos releva as faltas, na certeza de que aprenderemos igualmente a perdoar as ofensas e os erros alheios. 
E Deus não sai do silêncio para se promover, esperando que cada um de nós, frente uns aos outros, possa também fazer isso. 
Confia em Deus e segue para diante.” (2)
Paulo de Tarso em sua sabedoria esclarece-nos: “E ao servo do Senhor não convém contender, mas, sim, ser manso para com todos, apto para ensinar…” (3), mostrando a cada irmão do caminho a necessidade de buscar todas as possibilidades possíveis para evitar as contendas injustificáveis, visando sempre agir com serenidade, para poder pacificar os oponentes com a bênção da compreensão, da ternura, e da mansuetude, respondendo as agressividades descabidas e desproporcional com a calma haurida na sublime sintonia com as forças renovadoras e vitalizadoras do Bem, únicas capazes de proporcionar equilíbrio, saúde e paz.
Jesus nos guie no caminho reto e largo que nos conduz ao Reino de Deus.
Referências Bibliográficas:
(1) KARDEC, ALLAN. A Gênese. F.E.B. 20ª edição. Cap. VI, item 10;
(2) XAVIER, FRANCISCO CÂNDIDO, pelo Espírito Emmanuel. Livro: Paciência, cap. 19;
(3) Paulo de Tarso – Timóteo, 2:24.
Francisco Rebouças

terça-feira, 8 de janeiro de 2019

QUANDO O TÉDIO APAREÇA

Quando o desalento te ameace o caminho, pensa nos outros, naqueles que não dispõem de tempo para qualquer entrevista com o tédio.
Se te acreditar amargurando lições demasiado severas no educandário da vida, frequenta, de quando em quando, a escola das grandes provações, onde os aprendizes se acomodam na carteira das lágrimas. Muitos jazem na rua, estendendo mãos fatigadas aos que passam com pressa... Em maioria, são doentes que a onda renovadora do grupo social atirou à praia da assistência pública ou mães aflitas a quem as exigências de filhos pequeninos ainda não permitem a liberalidade de uma profissão...
Provavelmente, alguém dirá que entre eles se encontram oportunistas e malfeitores que se fantasiam de enfermos para te assaltarem a bolsa em nome da piedade. Compreendemos semelhante alegação e justificamo-la, porque o mal existe sempre onde lhe queiramos destacar a presença e, conquanto te roguemos o benefício da prece, em favor dos que agem assim, mais por ignorância que por maldade, apelamos para que consultes ainda aquelas outras salas de aula que se enfileiram no recinto dos hospitais e nos albergues esquecidos. Acompanha os estudos daqueles cujo corpo se carrega de feridas dolorosas para agradeceres a pele sadia que te veste a figura ou segue a cartilha de agoniadas emoções dos que se recolhem nos manicômios, sorvendo angústia e desespero nos resvaladouros da loucura ou da obsessão, a fim de valorizares o cérebro tranquilo que te coroa a existência... Visita os asilos que resguardam a sucata do sofrimento humano e observa as disciplinas dos que foram entregues às meditações da penúria, para quem um simples sanduíche é um brinde raro e partilha os exercícios de saudade e de dor dos que foram abandonados pelos entes que mais amam, a fim de abençoares o pão de tua casa e os afetos que te enriquecem os dias.
Quando o tédio te procure, vai à escola da caridade... Ela te acordará para as alegrias puras do bem e te fará luz no coração, livrando-te das trevas que costumam descer sobre as horas vazias.

Emmanuel
Livro: Coragem
Psicografia de Chico Xavier.

quinta-feira, 3 de janeiro de 2019

Estudando o Espiritismo - R.E.


Testamento em favor do Espiritismo

Ao Senhor Allan Kardec, presidente da Sociedade Espírita de Paris.

Meu caro senhor e muito honrado chefe espírita.
Eu vos envio, aqui incluso, meu testamento manuscrito, em envelope lacrado com lacre verde, com menção, sobre esse envelope lacrado, do que deverá ser feito depois de minha morte. Desde o momento em que conheci e compreendi o Espiritismo, seu objeto, seu objetivo final, tive o pensamento e tomei a resolução de fazer o meu testamento. Tinha adiado, em meu retorno ao campo, neste inverno, esta obra de minhas últimas vontades.
No lazer e na solidão dos campos, pude me recolher, e à luz desse divino brilho do Espiritismo, coloquei em proveito todos os ensinamentos que recebi, em todos os pontos de vista dos Espíritos do Senhor, para me guiar no cumprimento desta obra da maneira mais útil aos meus irmãos da Terra, seja sentado em minha lareira doméstica, seja ao redor de mim e longe de mim, conhecidos e desconhecidos, amigos ou inimigos, e da maneira mais agradável a Deus. Lembrei-me do que o respeitável Sr. Jobard, de Bruxelas, de quem anunciastes a morte súbita, vos escrevia em sua linguagem ao mesmo tempo profunda, engraçada e espirituosa, relativamente a uma sucessão de vinte milhões, da qual dizia ter o espólio: que essa soma colossal teria sido uma alavanca poderosa para ativar de um século a era nova que começa. O dinheiro, como se disse frequentemente, do ponto de vista terrestre, ser o nervo das batalhas, com efeito, é um instrumento mais temível, poderoso para o bem e para o mal neste mundo, e me disse: "Eu posso e devo consagrar para a ajuda dessa nova era uma porção importante do modesto patrimônio que adquiri, para o cumprimento das minhas provas, com o suor de minha fronte, às expensas de minha saúde, através da pobreza, da fadiga, do estudo e do trabalho, e por trinta anos de vida militante na advocacia, um dos mais ocupados na audiência e no escritório.
Reli a carta que escreveu, em 1º de novembro de 1832, depois de sua viagem a Roma, Lamennais, à condessa de Senfft, e na qual, com a expressão de suas decepções depois de tantos esforços e lutas consagradas à procura da verdade, se encontravam essas palavras,
senão proféticas pelos menos inspiradas, anunciando essa nova era.
(Seguem-se diversas citações que a falta de espaço não nos permite reproduzir.) O envelope contém a subscrição seguinte:
"Neste envelope, lacrado com lacre verde, está meu testamento manuscrito. Este envelope será aberto, e o lacre quebrado, somente depois de minha morte, em sessão geral da Sociedade Espírita de Paris, e nessa sessão, será, pelo presidente dessa Sociedade que estiver em exercício à época de minha morte, dada a leitura inteira de meu testamento; o dito envelope será aberto e o dito lacre quebrado por esse presidente. O presente envelope lacrado, contendo meu testamento e que vai ser enviado e entregue ao Sr. Allan Kardec, presidente atual de dita Sociedade, será depositado por ele nos arquivos dessa Sociedade.
Um original desse mesmo testamento será achado, na época de minha morte, depositado no escritório de Me***; um outro original, será, na mesma época, achado em minha casa.
O depósito ao Sr. Allan Kardec está mencionado sobre os outros originais." Tendo esta carta sido comunicada à Sociedade Espírita de Paris na sessão de 20 de dezembro de 1861, aquela encarregou seu presidente, Sr. Allan Kardec, de agradecer em seu nome ao testador
por suas generosas intenções em favor do Espiritismo, e felicitá-lo da maneira pela qual ele lhe compreende o objetivo e a importância.
Embora o autor da carta não haja recomendado calar seu nome no caso em que fosse julgado o propósito publicá-la, concebe-se que, em semelhante circunstância, e por um ato dessa natureza, a reserva mais absoluta é uma obrigação rigorosa.

Fonte: Revista Espírita, janeiro de 1862

Francisco Rebouças.


Discípulos de Jesus!


"Bem aventurados os seus discípulos sinceros, que se transformam em servidores do mundo por amor ao seu amor!
Valiosa é a experiência do homem, bela é a ciência da Terra, nobre é a filosofia religiosa que ilumina os conhecimentos terrestres, admiráveis é a indústria das nações, vigorosa é a inteligência das criaturas; maravilhosos são os sistemas políticos dos povos mais cultos, entretanto, sem Cristo, a grandeza humana pode não passar de relâmpago dentro da noite espessa.
Brilhe a vossa luz”, disse o Mestre Inesquecível."

Livro: Apostilas da Vida – Cap. 1
Chico Xavier/André Luiz
Francisco Rebouças

quarta-feira, 2 de janeiro de 2019

Participemos com prazer!


Diante da prestação de serviço que nos solicita o momento de transição que vivenciamos, entreguemo-nos com sinceridade e de boa vontade na execução com respeito e responsabilidade dos desafios que nos estão sendo propostos pela Soberania Sabedoria do Universo, para que efetivamente participemos de forma positiva da transformação que está se realizando diante de todo aquele que tem “olhos de ver, ouvidos de ouvir”.

Se te interessas realmente pela verdadeira renovação, à luz do Evangelho de Jesus, aproveita o tempo que voa e não menosprezes o ensejo sublime de ser mais útil a ti mesmo ao teu próximo e à vida.

Não esquece que a ociosidade deve ser tratada como uma serpente sedutora, portadora de perigoso e mortífero veneno pondo a tua vida em perigo. Trabalha, serve e segue adiante em fidelidade ao ideal de progresso e perfeição que Jesus, nosso Mestre e guia nos veio ensinar a conquistar.

Francisco Rebouças

O Universo segue em harmonia com as Leis Divinas!

Constatamos, diariamente, observando a natureza, que a Sabedoria Divina a tudo coordena de forma equilibrada e harmônica, enriquecendo e vitalizando todos os organismos que o recebem, renovando as energias desequilibradas, para uma vida saudável, em busca da felicidade e da pureza à qual estamos destinados.
“Ora, assim como só há uma substância simples, primitiva, geradora de todos os corpos, mas diversificada em suas combinações, também todas essas forças dependem de uma lei universal diversificada em seus efeitos e que, pelos desígnios eternos, foi soberanamente imposta à criação, para lhe imprimir harmonia e estabilidade.” (1)
Em relação ao ser humano quando alguém se afasta dessa harmonia universal, rumo às perniciosas áreas da perturbação, das discussões inúteis, das competições do ego, do aviltamento da vaidade, é sinal que o indivíduo deixou de receber seu tônus, passando assim a produzir toxinas venenosas que desarmonizam os delicados equipamentos da extraordinária máquina orgânica com que Deus o equipou para seu aprimoramento e crescimento intelecto moral, por ser uma criação da Inteligência Suprema.
Jamais nos faltarão motivos para disputas acirradas, discussões homéricas, discordâncias estéreis, de consequências funestas, caso não soubermos nos esquivar com humildade e sabedoria, para não nos deixar envolver nos tumultos das gritarias e na confusão dos ânimos exaltados.
A calma, a prudência e a reflexão a serviço das boas resoluções nos ajudam a usar os recursos da inteligência com a sabedoria dos que conseguem se elevar acima das mesquinharias e da presunção, evitando que nos contaminemos pelas puerilidades que intoxicam e matam.
Envolver-se em querelas de baixo nível, para justificar-se, explicar-se, impor-se, ou responder críticas negativas, constitui perda de tempo, que logo se constituirá em desconcerto interior, levando o indivíduo ao desenvolvimento de patologias diversas.
A paz da consciência tranquila é produto da ação correta do indivíduo em relação às Leis Divinas, perfeitas e imutáveis que ninguém ousa infringir sem o ônus dos dissabores que daí se originarem, porque todos estamos submetidos aos seus justos mecanismos, e Deus nos provê e capacita-nos do que precisamos para crescer e evoluir conforme segue na mensagem abaixo:
Perante Deus
“Deus nos assegura a compreensão para que compreendamos os outros, amparando, tanto quanto possível, aos irmãos incompreendidos. 
Deus nos concede possibilidades, um tanto maiores do que aquelas de que tenhamos necessidade, a fim de que possamos socorrer aos companheiros sem recursos. 
Deus nos concede o privilégio de trabalhar, a fim de agir por nós mesmos e para que tenhamos a bênção de substituir aqueles que ainda não entendem a felicidade de trabalhar. 
Deus nos sustenta de pé, aguardando a nossa cooperação destinada a reerguer os irmãos caídos. 
Deus nos releva as faltas, na certeza de que aprenderemos igualmente a perdoar as ofensas e os erros alheios. 
E Deus não sai do silêncio para se promover, esperando que cada um de nós, frente uns aos outros, possa também fazer isso. 
Confia em Deus e segue para diante.” (2)
Paulo de Tarso em sua sabedoria esclarece-nos: “E ao servo do Senhor não convém contender, mas, sim, ser manso para com todos, apto para ensinar…” (3), mostrando a cada irmão do caminho a necessidade de buscar todas as possibilidades possíveis para evitar as contendas injustificáveis, visando sempre agir com serenidade, para poder pacificar os oponentes com a bênção da compreensão, da ternura, e da mansuetude, respondendo as agressividades descabidas e desproporcional com a calma haurida na sublime sintonia com as forças renovadoras e vitalizadoras do Bem, únicas capazes de proporcionar equilíbrio, saúde e paz.
Jesus nos guie no caminho reto e largo que nos conduz ao Reino de Deus.
Referências Bibliográficas:
(1) KARDEC, ALLAN. A Gênese. F.E.B. 20ª edição. Cap. VI, item 10;
(2) XAVIER, FRANCISCO CÂNDIDO, pelo Espírito Emmanuel. Livro: Paciência, cap. 19;
(3) Paulo de Tarso – Timóteo, 2:24.
Francisco Rebouças

segunda-feira, 31 de dezembro de 2018

FELIZ 2019!!


Jamais deixe de acreditar em seus sonhos, enfrente seus medos, resista a seus receios, não permita que eles sejam maiores e mais fortes que sua vontade de realiza-los, acredite mais em você.

Mantenha sua confiança em Deus, e siga resoluto em busca da conquista de seus objetivos superiores.

Francisco Rebouças

sexta-feira, 28 de dezembro de 2018

Estudando a Mediunidade


Títulos de fé não constituem meras palavras, acobertando-nos deficiências e fraquezas. Expressam deveres de melhoria a que não nos será lícito fugir, sem agravo de obrigações.
Em nossos círculos de trabalho, desse modo, não nos bastará o ato de crer e convencer.
Ninguém é realmente espírita à altura desse nome, tão-só porque haja conseguido a cura de uma escabiose renitente, com o amparo de entidades amigas, e se decida, por isso, a aceitar a intervenção do Além-Túmulo na sua existência; e ninguém é médium, na elevada conceituação de termo, somente porque se faça órgão de comunicação entre criaturas visíveis e invisíveis.
Para conquistar a posição de trabalho a que nos destinamos, de conformidade com os princípios superiores que nos enaltecem o roteiro, é necessário concretizar-lhes a essência em nossa estrada, por intermédio do testemunho de nossa conversão ao amor santificante.
Não bastará, portanto, meditar a grandeza de nosso idealismo superior. É preciso substancializar-lhe a excelsitude em nossas manifestações de cada dia.

Livro: Nos Domínios da Mediunidade – Cap. XIII
Chico Xavier/André Luiz


Francisco Rebouças

quarta-feira, 26 de dezembro de 2018

ACONSELHAR

“Ao homem herege, depois de uma e outra admoestação, evita-o.” - Paulo – Tito: - 3-10

O ato de aconselhar tem a sua época própria, à maneira de todas as cousas.

Muitos aprendizes costumam esquecer que se encontram no mundo em serviço de retificação do pretérito e de auto-iluminação,  estacionando em falsos caminhos.

Insistentemente consultados, não percebem a trama sutil que lhes detém os passos e, quando não regressam à vigilância, vão olvidando inconscientemente a si mesmos.

A preguiça sempre se orgulhou de encontrar uma advogada na complacência fácil.

E conferindo-lhe posição de superioridade, nela se apóia para a dilatação de todos os erros.

A primeira deseja uma companhia para os maus caminhos; a segunda aprova, em vista da falsa situação de destaque em que foi colocada.

Daí o veneno sutil da ociosidade que sempre busca os conselhos de sua mentora, para fazer, em seguida, às ocultas, que bem entende, voltando sempre a se aconselhar novamente.

Reportando-nos ao ensinamento de Paulo, não queremos fizer que a rebeldia ou a ignorância devam ser sumariamente condenadas, quando a própria heresia, tem, por vezes, a sua tarefa.

Elas merecem uma ou outra admoestação, devem ser credoras de nossa atividade fraternal, mas passado o tempo em que nosso concurso era suscetível de lhes restaurar as estradas, não será justo dar-lhes força para a irreflexão.

Temos, igualmente, o nosso roteiro e as nossas experiências.
Estacionar com elas na falsa atitude de conselheiros seria desempenhar o papel da complacência frente à ociosidade criminosa.

Livro: Levantar e Seguir
Chico Xavier/Emmanuel

Francisco Rebouças

segunda-feira, 24 de dezembro de 2018

Feliz Natal !!!


UM NATAL FELIZ NA COMPANHIA DE JESUS!


Aos meus queridos familiares e amigos, desejo do fundo do coração que neste Natal, o aniversariante do dia Jesus de Nazaré esteja em cada lar envolvendo-os com suas doces vibrações de amor, luz e paz que só Ele pode nos proporcionar.


Aproveito para rogo ao Mestre e Guia de todos nós que em todos os dias do ano que se avizinha, possamos fazer dos ensinos e exemplos que ele nos deixou o incentivo maior a ser considerado pelos seus fies seguidores, na certeza de que só ELE é o caminho a verdade e a vida que desejamos alcançar.
UM FELIZ NATAL E UM ANO NOVO DE MUITAS REALIZAÇÕES PARA TODOS!

Francisco Rebouças

sexta-feira, 21 de dezembro de 2018

Humildade sempre!



“O Indivíduo que se acha mais inteligente e mais esperto que os outros, ainda não tem bom senso para perceber o quanto é escravizado com requintes de perversidade, insensatez e loucura, justamente por desconhecer o tamanho de sua ignorância.”

Francisco Rebouças

Sigamos com Jesus!


A partir de hoje, não hesitemos mais em seguir o sublime convite de JESUS e segui-lo como verdadeiros discípulos seus.

Comecemos desde já a vivenciar em nossas ações do cotidiano as diretrizes de suas mensagens de benevolência, indulgência e perdão contidas em seu Evangelho libertador.

Aproveitemos a época propícia do Natal que se avizinha. Iniciemos nossa vivencia mais íntima com o Divino Amigo aniversariante, para que aprendamos aos poucos a estar cada vez mais em sua companhia, porque Ele está em nossa vida desde sempre sustentando-nos e conduzindo-nos na busca da felicidade que tanto sonhamos em desfrutar, e que só através dele será possível alcançar, porque ninguém vai ao Pai senão por Ele.

Francisco Rebouças

quinta-feira, 20 de dezembro de 2018

SER CRISTÃO

Espírito: OLAVO BILAC.

O Evangelho no mundo é o Livro da Alegria, 
revelando em Jesus o Coração da História. 
Sob a estrela fulgente e em cânticos de glória, 
a Manjedoura surge e a Graça principia. 

Nas Bodas de Cana, o Senhor faz-se o guia 
da festa de noivado, em milagre e vitória,
e em toda a Galiléia é a beleza incorpórea, 
trazendo amor e sol à Terra escura e fria. 

Converte a própria cruz, que o flagelo e domina, 
em mensagem da vida imortal e divina, 
doando à fé sublime augusta sementeira.

Em júbilo sem par, alcançando o Infinito, 
ser cristão é ser luz ao mundo amargo e aflito, 
pelo dom de servir à Humanidade inteira. 

Livro:  Antologia Mediúnica do Natal
Chico Xavier/Emmanuel.

Francisco Rebouças

quarta-feira, 19 de dezembro de 2018

NA NOITE DE NATAL.

Espírito: JOÃO DE DEUS. 

 “Minha mãe, porque Jesus, 
Cheio de amor e grandeza 
Preferiu nascer no mundo 
Nos caminhos da pobreza “?”. 

Porque não veio até nós 
Entre flores e alegrias, 
Num berço todo enfeitado 
De sedas e pedrarias?

 - “Acredito, meu filhinho, 
Que o Mestre da Caridade 
Mostrou, em tudo e por tudo, 
 A luminosa humildade “!...”. 

Às vezes, penso também, 
Nos trabalhos deste mundo, 
Que a Manjedoura revela 
 Ensino bem mais profundo “!”. 

E a pobre mãe de olhos fixos 
Na luz do céu que sorria 
Concluiu com sentimento 
Em terna melancolia: 

- “Por certo, Jesus ficou 
Nas palhas, sem proteção, 
Por não lhe abrirmos na 
Terra As portas do coração".

Livro: Antologia Mediúnica do Natal
Chico Xavier/Espíritos diversos.

Francisco Rebouças

segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

Estudando o Espiritismo. - L.E.

562. Já não tendo o que adquirir, os Espíritos da ordem mais elevada se acham em repouso absoluto, ou também lhes tocam ocupações?
“Que quererias que fizessem na eternidade? A ociosidade eterna seria um eterno suplício.”

a) - De que natureza são as suas ocupações?
“Receber diretamente as ordens de Deus, transmiti-las ao universo inteiro e velar porque sejam cumpridas.”

563. São incessantes as ocupações dos Espíritos?
“Incessantes, sim, atendendo-se a que sempre ativos são os seus pensamentos, porquanto vivem pelo pensamento. Importa, porém, não identifiqueis as ocupações dos Espíritos com as ocupações materiais dos homens. Essa mesma atividade lhes constitui um gozo, pela consciência que têm de ser úteis.”

a) - Concebe-se isto com relação aos bons Espíritos. Dar-se-á, entretanto, o mesmo com os Espíritos inferiores?
“A estes cabem ocupações apropriadas à sua natureza. Confiais, porventura, ao obreiro manual e ao ignorante trabalhos que só o homem instruído pode executar?”

Fonte: O Livro dos Espíritos - FEB. 76ª edição.

Francisco Rebouças

Filosofando!



“Inteligente é o indivíduo que assumindo seu atual estado de imperfeição, sabe reconhecer seus erros e equívocos, aproveitando para tirar lições e experiências com as quais constrói os alicerces seguros de suas novas ações!”

Francisco Rebouças  


sábado, 15 de dezembro de 2018

Estudando a mediunidade

Doutrina espírita, a fé raciocinada!


4. Que outras características podem ser identificadas no afloramento mediúnico?

A princípio, surge como sensações estranhas de presenças  psíquicas  ou  físicas algo perturbadoras, gerando medo ou ansiedade, inquietação ou incerteza.
Em alguns momentos, turba-se a lucidez, para,  noutros,  abrirem-se  brechas luminosas na mente, apercebendo-se de um outro tipo mais sutil de realidade.

(MOMENTOS DE CONSCIÊNCIA, Cap. 19, Joanna de Angelis/Divaldo P. Franco - LEAL)

COM DEUS VENCEREMOS

É possível que a provação te visite algumas vezes.
Quando isso ocorra, não te aconselhes com o desânimo.
Encoraja-te na fé e caminha para a frente com as tarefas que a vida te confiou.

Recorda que as dificuldades que te alcançaram o caminho terão atingido outros
companheiros.
É razoável reflitas que não és a única criatura atravessando as sombras que te parecem
excessivamente pesadas nos ombros.
Outros choram e sofrem.

Não percas tempo com o frio do desalento ou com a febre do desespero.
Ao invés disso, conquanto as provações que te assinalem a marcha, estende mãos
socorredoras aos que talvez estejam suportando problemas muito mais difíceis do que os
teus.

Não te marginalizes.
Confiando na Divina Providência, segue adiante e não temas.

Sabemos todos que a Infinita Bondade de Deus que nos sustentou ontem, nos sustentará
igualmente hoje e, dentro de semelhante convicção, manteremos a certeza de que com
Deus venceremos.

Livro: Convivência
Chico Xavier/Emmanuel

Francisco Rebouças

quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

Em nosso próprio benefício!



Que aproveitemos o espírito de fraternidade da época do Natal, para nos aprimorar com o nobre objetivo de participarmos ativamente da equipe dos colaboradores de Jesus, investindo na prática e no estabelecimento do bem e da paz em nossos caminhos!

Francisco Rebouças 

segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

Estudando a Mediunidade!


“Há grupos de Espíritos, ou consciências, evoluindo simultaneamente. Alimentam-se reciprocamente. Nutrem-se mutuamente. Fortalecem-se uns aos outros, em verdadeira «compensação vibratória». As vezes, tais Espíritos se vêm privados da indescritível felicidade de prosseguirem, juntos, a mesma marcha, por desídia de alguns. É que os preguiçosos vão ficando para trás, à maneira de alunos pouco aplicados, que perdem de vista, por culpa própria, os estudiosos. Não podem acompanhar aqueles que, em virtude de notas distintas e merecidas, nos exames finais, são naturalmente transferidos para cursos mais adiantados."

Palavras do esclarecido instrutor Albério
Livro: ESTUDANDO A MEDIUNIDADE – Cap. 4
MARTINS PERALVA


Francisco Rebouças

Estudando a Mediunidade!


398 –É natural que, em plenas reuniões de estudo, os médiuns se deixem influenciar por entidades perturbadoras que costumam quebrar o ritmo de proveitosos e sinceros trabalhos de educação?

-Tal interferência não é natural e deve ser muito estranhável para todos os estudiosos de boa-vontade.
Se o médium que se entregou à atuação noviça é insciente dos seus deveres à luz dos ensinamentos doutrinários, trata-se de um obsidiado que requer o máximo de contribuição fraterna; mas, se o acontecimento se verifica através de companheiro portador do conhecimento exato de suas obrigações, no círculo de atividades da Doutrina, é justo responsabiliza-lo pela perturbação, porque o fato, então, será oriundo da sua invigilância e imprevidência, em relação aos deveres sagrados que competem a cada um de nós, no esforço do bem e da verdade.
Livro: O Consolador
Chico Xavier/Emmanuel


Francisco Rebouças

domingo, 9 de dezembro de 2018

PROMESSA E MUDANÇA

- “Enfim” – clamou Nico Alceu
ante o Grupo e o Dirigente –
“Conforme a nota dos Guias
Serei médium claramente.”

E acrescentou, exaltado,
- “Servir em quaisquer recantos!...
Esse é o meu grande ideal,
Mas não serei como tantos...

Já conheci vários médiuns,
Atuando em nossa estrada,
Começaram em promessas
E muita fanfarronada.

Planejaram grandes obras,
Assumindo compromisso,
Mas fugiram, de repente,
De todo e qualquer serviço...

Trocaram ação e luz por prazer;
Foram eles desertores
Que nunca pude entender...
Eu, porém, quero trabalho,

Em favor dos desvalidos,
Sem cansar-me de atendê-los
Nos mais estranhos pedidos...
Terei o meu lar aberto,

No amor à mediunidade
A todos os que precisem
De paz e de caridade.”
No outro dia, ei-lo em tarefa,

Verbo calmo e gesto brando...
Falava por ele um Guia
E o pessoal foi chegando...

Inspirava compaixão
Ver tantas provas e crises!...
O médium modificou-se,
Diante dos infelizes.

Estava desencantado,
Falava com rispidez,
Sofredores que chorassem
Com ele não tinham vez.

Passadas quatro semanas,
O Diretor descontente,
Recebeu dele uma carta,
Dizia achar-se doente.

Em vão, buscaram amigos
Visitar o irmão Alceu...
Mudara o médium de Vila,
Nunca mais apareceu.

Livro:Agência de Notícias
Chico Xavier/Jair Presente

Francisco Rebouças

quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

São infinitas as oportunidades de trabalhar a humildade

O Ser humano continua abrigando em seu mundo íntimo, há milênios, uma quantidade imensa de ideias egoístas de superioridade, que o torna arrogante, acha-se muitas das vezes o máximo, o insubstituível, o tal neste ou naquele assunto.
Chega mesmo ao cúmulo de pensar que sem sua presença nada poderá ser resolvido, não levando em conta que desde o surgimento do mundo, os Seres criados por Deus se revezam nas idas e vindas do processo reencarnatório, e que quando ele aqui não está as coisas são resolvidas sem a sua “preciosa presença”, e que só por esse fato, sua pretensão não tem qualquer fundamento, visto que as funções que hoje exerce, terão que ser executadas por outro indivíduo em sua ausência.
Esquece ele que as obras de construção no universo são elaboradas e realizadas sob a supervisão de Espíritos Sábios, que cumprem com esmero os desígnios de Deus, e por isso mesmo, os mínimos detalhes são devidamente observados de forma a garantir o sucesso do empreendimento no cumprimento da Lei do Progresso, porque também os mundos além dos homens precisam avançar moral e espiritualmente.
Embora os Espíritos Superiores nos garantam ser importante e necessária a nossa participação nesse grandioso trabalho de elevação moral e intelectual do planeta, não nos dá o direito de nos julgarmos mais importantes do que na verdade somos. Devemos ao contrário nos dedicar a realizar a parte que nos cabe na obra de transformação e engrandecimento da Terra, com toda simplicidade e humildade, pois sabemos que estaremos sempre subordinados a uma Inteligência Superior que a todos supera e coordena.
O Próprio Allan Kardec, codificador da mensagem consoladora e esclarecedora da doutrina espírita recebeu a informação de que, se ele por algum motivo desistisse da missão que lhe havia sido proposta, mesmo assim o Consolador Prometido por Jesus nos chegaria da mesma forma como foi por ele trazido, conforme segue.
MEU SUCESSOR
“Tendo uma conversação com os Espíritos levado a falar do meu sucessor na direção do Espiritismo, formulei a questão seguinte:
Pergunta — Entre os adeptos, muitos há que se preocupam com o que virá a ser do Espiritismo depois de mim e perguntam quem me substituirá quando eu partir, uma vez que não se vê aparecer ninguém, de modo notório, para lhe tomar as rédeas.
Respondo que não nutro a pretensão de ser indispensável; que Deus é extremamente sábio para não fazer que uma doutrina destinada a regenerar o mundo assente sobre a vida de um homem; que, ao demais, sempre me avisaram que a minha tarefa é a de constituir a Doutrina e que para isso tempo necessário me será concedido. A do meu sucessor será, pois, mais fácil, porquanto já achará traçado o caminho, bastando que o siga. Entretanto, se os Espíritos julgassem oportuno dizer-me a respeito alguma coisa de mais positivo, eu muito grato lhes ficaria.
Resposta — Tudo isso é rigorosamente exato — eis o que se nos permite dizer-te a mais.
Tens razão em afirmar que não és indispensável; só o és ao ver dos homens, porque era necessário que o trabalho de organização se concentrasse nas mãos de um só, para que houvesse unidade; não o és, porém, aos olhos de Deus. Foste escolhido e por isso é que te vês só; mas, não és, como, aliás, bem o sabes, a única entidade capaz de desempenhar essa missão. Se o seu desempenho se interrompesse por uma causa qualquer, não faltariam a Deus outros que te substituíssem. Assim, aconteça o que acontecer, o Espiritismo não periclitará.
Enquanto o trabalho de elaboração não estiver concluído, é, pois, necessário sejas o único em evidência: fazia-se mister uma bandeira em torno da qual pudessem as gentes agrupar-se. Era preciso que te considerassem indispensável, para que a obra que te sair das mãos tenha mais autoridade no presente e no futuro; era preciso mesmo que temessem pelas conseqüências da tua partida.
Se aquele que te há de substituir fosse designado de antemão, a obra, ainda não acabada, poderia sofrer entraves; formar-se-iam contra ti oposições suscitadas pelo ciúme; discuti-lo-iam, antes que ele desse provas de si; os inimigos da Doutrina procurariam barrar-lhe o caminho, resultando daí cismas e separações. Ele, portanto, se revelará, quando chegar o momento.
Sua tarefa será assim facilitada, porque, como dizes, o caminho estará todo traçado; se ele daí se afastasse, perder-se-ia a si próprio, como já se perderam os que hão querido atravessar-se na estrada. A referida tarefa, porém, será mais penosa noutro sentido, visto que ele terá de sustentar lutas mais rudes. A ti te incumbe o encargo da concepção, a ele o da execução, pelo que terá de ser homem de energia e de ação. Admira aqui a sabedoria de Deus na escolha de seus mandatários: tu possuis as qualidades que eram necessárias ao trabalho que tens de realizar, porém não possuis as que serão necessárias ao teu sucessor. Tu precisas da calma, da tranqüilidade do escritor que amadurece as idéias no silêncio da meditação; ele precisará da força do capitão que comanda um navio segundo as regras da Ciência. Exonerado do trabalho de criação da obra sob cujo peso teu corpo sucumbirá, ele terá mais liberdade para aplicar todas as suas faculdades ao desenvolvimento e à consolidação do edifício.
 P.— Poderás dizer-me se a escolha do meu sucessor já está feita?
 R.— Está, sem o estar, dado que o homem, dispondo do livre-arbítrio, pode no último momento recuar diante da tarefa que ele próprio elegeu. É também indispensável que dê provas de si, de capacidade, de devotamento, de desinteresse e de abnegação. Se se deixasse levar apenas pela ambição e pelo desejo de primar, seria certamente posto de lado.
 P.— Frequentemente se há dito que muitos Espíritos encarnariam para ajudar o movimento.
 R — Sem dúvida, muitos Espíritos terão essa missão, mas cada um na sua especialidade, para agir, pela sua posição, sobre tal ou tal parte na sociedade. Todos se revelarão por suas obras e nenhum por qualquer pretensão à supremacia”.
Ségur, 9 de agosto de 1863(Médium: Sr. d’A…)
Observamos nas respostas a ele endereçadas pelos Espíritos Superiores, que tudo estava absolutamente planejado, e não sofreria solução de continuidade, visto que como lhe foi esclarecido no texto acima, mas, não és, como, aliás, bem o sabes, a única entidade capaz de desempenhar essa missão”. Assim também cada um de nós precisa fazer uma profunda reflexão sobre nossas reais possibilidades de desempenhar com esmero e dedicação as abençoadas oportunidades de servir que nos estão confiadas pela Providência Divina, certos de que não seremos os únicos a desempenhar as grandes ou pequenas missões sob nossa responsabilidade.
Urge entendermos que quanto mais nos empenharmos na execução digna e correta das nossas tarefas como Espíritos em processo de crescimento no trabalho imprescindível de burilamento, na estrada evolutiva a caminho da angelitude mais nos credenciaremos a novas maiores e melhores oportunidades de servir aos soberanos desígnios da Divindade.
Referência:Kardec, Allan – Obras Póstumas, FEB, 13ª Edição – Segunda parte – Meu Sucessor.
Nota do autor:
Grifos Nossos.
Francisco Rebouças

Brasil coração do mundo...

https://youtu.be/_a9tpJnGcbw

Homenagem a Chico Xavier

Haroldo Dias Dutra - As cartas de Paulo

Haroldo Dutra - Jesus o Médico da Almas

https://youtu.be/Uk7OUvyGCZU



Divaldo Franco

https://youtu.be/OVbstbRFs9M

Entrevista sobre Emmanuel, Joanna de Ângelis...

Reencarnação é uma realidade

Palestra O trabalho no Bem - Cristiane Parmiter

Palestra: As Leis Divinas e nós - Cristiane Parmiter

Palestra: Benevolência - Cristiane Parmiter

Palestra: Jesus e o Mundo - Cristiane Parmiter

Palestra: A Dinâmica do Perdão - Cristiane Parmiter

Palestra: Perante Jesus - Cristiane Parmiter

Palestra AVAREZA - Cristiane Parmiter

Palestra Obediência Construtiva - Cristiane Parmiter

Palestra Tribulações - Cristiane Parmiter

Palestra Conquistando a Fé - Cristiane Parmiter

Palestra Humildade e Jesus - Cristiane Parmiiter

Palestra Renúncia - Cristiane Parmiter

Rádios Brasil

Simplesmente Espetacular!!!

Professora Amanda Gurgel

Andrea Bocelli & Sarah Brightman - Time To Say Goodbye

De Kardec aos dias de hoje

Madre Teresa

As Mães de Chico Xavier

Reencarnação - Menino Piloto

http://www.youtube.com/embed/cQ2ZqUCKDow" frameborder="0" allowfullscreen>

Muitas Vidas

Espiritismo: família de Andrea Maltarolli mantém contato com a autora - Mais Você - GLOBO

Divaldo Franco

ESPIRITISMO - CHICO XAVIER - REPORTAGEM DO FANTASTICO - OS SEGREDOS DE CHICO

Entrevista com Divaldo Franco

Sobre Emmanuel, Joanna de Ângelis, e muito mais, confira. 1ª Parte 2ª Parte

Oração de Gratidão - Divaldo Franco

Chico Xavier

Chico Xavier no Fantástico

Chico Xavier (2010) trailer oficial

Página de Mensagens

Nesta página estarei lançando variadas páginas de conteúdo edificante para nosso aprendizado.

Francisco Rebouças.

1-ANTE A LIÇÃO

"Considera o que te digo, porque o Senhor te dará entendimento em tudo".- Paulo. II TIMÓTEO. 2:7.

Ante a exposição da verdade, não te esquives à meditação sobre as luzes que recebes.

Quem fita o céu, de relance, sem contemplá-lo, não enxerga as
estrelas; e quem ouve uma sinfonia, sem abrir-lhe a acústica da alma, não lhe percebe as notas divinas.

Debalde escutarás a palavra inspirada de pregadores ardentes, se não descerrares o coração para que o teu sentimento mergulhe na claridade bendita daquela.

Inúmeros seguidores do Evangelho se queixam da incapacidade de retenção dos ensinos da Boa Nova, afirmando-se ineptos à frente das novas revelações, e isto porque não dispensam maior trato à lição ouvida, demorando-se longo tempo na província da distração e da leviandade.

Quando a câmara permanece sombria, somos nós quem desata o ferrolho à janela para que o sol nos visite.

Dediquemos algum esforço à graça da lição e a lição nos responderá com as suas graças.

O apóstolo dos gentios é claro na observação. "Considera o que te digo, porque, então, o Senhor te dará entendimento em tudo."

Considerar significa examinar, atender, refletir e apreciar.

Estejamos, pois, convencidos de que, prestando atenção aos
apontamentos do Código da Vida Eterna, o Senhor, em retribuição à nossa boa-vontade, dar-nos-á entendimento em tudo.

Livro: Fonte Viva
Chico Xavier/Emmanuel

NO CAMPO FÍSICO

"Semeia-se corpo animal, ressuscitará corpo espiritual." - Paulo. (I CORÍNTIOS, 15:44.)

Ninguém menospreze a expressão animal da vida humana, a pretexto de preservar-se na santidade.

A imersão da mente nos fluidos terrestres é uma oportunidade de sublimação que o espírito operoso e desperto transforma em estruturação de valores eternos.

A sementeira comum é símbolo perfeito.

O gérmen lançado à cova escura sofre a ação dos detritos da terra, afronta a lama, o frio, a resistência do chão, mas em breve se converte em verdura e utilidade na folhagem, em perfume e cor nas flores e em alimento e riqueza nos frutos.

Compreendamos, pois, que a semente não estacionou. Rompeu todos os obstáculos e, sobretudo, obedeceu à influência da luz que a orientava para cima, na direção do Sol.

A cova do corpo é também preciosa para a lavoura espiritual, quando nos submetemos à lei que nos induz para o Alto.

Toda criatura provisoriamente algemada à matéria pode aproveitar o tempo na criação de espiritualidade divina.

O apóstolo, todavia, é muito claro quando emprega o termo "semeia-se". Quem nada planta, quem não trabalha na elevação da própria vida, coagula a atividade mental e rola no tempo à maneira do seixo que avança quase inalterável, a golpes inesperados da natureza.

Quem cultiva espinhos, naturalmente alcançará espinheiros.

Mas, o coração prevenido que semeia o bem e a luz, no solo de si mesmo, espere, feliz, a colheita da glória espiritual.

E N T R E I R M Ã O S
Olympia Belém (Espírito)[1]

Estes são tempos desafiadores para todos os que buscam um mundo melhor, onde reine o amor, onde pontifique a fraternidade, onde possam florir os mais formosos sentimentos nos corações.
Anelamos por dias em que a esperança, há tanto tempo acariciada, possa converter-se em colheita de progressos e de paz.
Sonhamos com esse alvorecer de uma nova era em que o Espiritismo, transformado em religião do povo, apresentando Jesus às multidões, descrucificado e vivo, possa modificar as almas, para que assumam seu pujante papel de filhas de Deus no seio do mundo.
Entrementes, não podemos supor que esses ansiados dias estejam tão próximos, quando verificamos que há, ainda, tanta confusão nos relacionamentos, tanta ignorância nos entendimentos, tanta indiferença e ansiedade nos indivíduos, como se vendavais, tufões, tormentas variadas teimassem em sacudir o íntimo das criaturas, fazendo-as infelizes.
A fim de que os ideais do Cristo Jesus alcancem a Terra, torna-se indispensável o esforço daqueles que, tendo ouvido o cântico doloroso do Calvário, disponham-se a converter suas vidas na madrugada luminosa do Tabor.
O mundo terreno, sob ameaças de guerras e sob os rufares da violência, em vários tons, tem urgência do Mestre de Nazaré, ainda que O ignore em sua marcha atordoada, eivada do materialismo que o fascina, que o domina e que o faz grandemente desfigurado, por faltar sentido positivo e digno no uso das coisas da própria matéria.
Na atualidade, porém, com as advertências da Doutrina dos Espíritos, com essa luculenta expressão da misericórdia de Deus para com Seus filhos terrenos, tudo se torna menos áspero, tudo se mostra mais coerente, oferecendo-nos a certeza de que, no planeta, tudo está de conformidade com a lei dos merecimentos, com as obras dos caminheiros, ora reencarnados, na estrada da suspirada libertação espiritual.
"A cada um segundo as suas obras" aparece como canto de justiça e esperança, na voz do Celeste Pastor.
Hoje, reunidos entre irmãos, unimo-nos aos Emissários destacados do movimento de disseminação da luz sobre as brumas terráqueas, e queremos conclamar os queridos companheiros, aqui congregados, a que não se permitam atormentar pelos trovões que se fazem ouvir sobre as cabeças humanas, ameaçadores, tampouco esfriar o bom ânimo, considerando que o Cristo vela sempre. Que não se deixem abater em razão de ainda não terem, porventura, alcançado as excelentes condições para o ministério espírita, certos de que o tempo é a magna oportunidade que nos concede o Senhor. Que ponham mãos à obra, confiantes e vibrantes, certos de que os verdadeiros amigos de Jesus caminham felizes, apesar das lutas e das lágrimas, típicas ocorrências das experiências, das expiações e das provas.
Marchemos devotados, oferecendo, na salva da nossa dedicação, o melhor que o Espiritismo nos ensina, o melhor do que nos apresenta para os que se perdem nas alamedas do medo, da desesperança e da ignorância a nossa volta.
Hoje, entre os amigos espíritas, encontramos maior ânimo para a superação dos nossos próprios limites, o que configurará, ao longo do tempo a superação dos limites do nosso honroso Movimento Espírita.
Sejamos pregadores ou médiuns, evangelizadores, escritores ou servidores da assistência social, não importa. Importa que nos engajemos, todos, nos labores do Codificador, plenificando-nos da grande honra de cooperar com os excelsos interesses do Insuperado Nazareno.
O tempo é hoje, queridos irmãos. O melhor é o agora, quando nos entrelaçamos para estudar, confraternizar e louvar a Jesus com os corações em clima festivo.
Certos de que o Espiritismo é roteiro de felicidade e bandeira de luz, que devemos içar bem alto sobre o dorso do planeta, abracemo-nos e cantemos, comovidos: Louvado seja Deus! Louvado seja Jesus!
Com extremado carinho e votos de crescente progres­so para todos, em suas lidas espiritistas, quero despedir-me sempre devotada e servidora pequenina.
Olympia Belém.

[1]
- Mensagem psicografada pelo médium J. Raul Teixeira no dia 03.09.95, no encerramento da X Confraternização Espírita do Estado do Rio de Janeiro.

O TEMPO

“Aquele que faz caso do dia, patrão Senhor o faz.” — Paulo. (ROMANOS, capítulo 14, versículo 6.)

A maioria dos homens não percebe ainda os valores infinitos do tempo.
Existem efetivamente os que abusam dessa concessão divina. Julgam que a riqueza dos benefícios lhes é devida por Deus.
Seria justo, entretanto, interrogá-los quanto ao motivo de semelhante presunção.
Constituindo a Criação Universal patrimônio comum, é razoável que todos gozem as possibilidades da vida; contudo, de modo geral, a criatura não medita na harmonia das circunstâncias que se ajustam na Terra, em favor de seu aperfeiçoamento espiritual.
É lógico que todo homem conte com o tempo, mas, se esse tempo estiver sem luz, sem equilíbrio, sem saúde, sem trabalho?
Não obstante a oportunidade da indagação, importa considerar que muito raros são aqueles que valorizam o dia, multiplicando-se em toda parte as fileiras dos que procuram aniquilá-lo de qualquer forma.
A velha expressão popular “matar o tempo” reflete a inconsciência vulgar, nesse sentido.
Nos mais obscuros recantos da Terra, há criaturas exterminando possibilidades sagradas. No entanto, um dia de paz, harmonia e iluminação, é muito importante para o concurso humano, na execução das leis divinas.
Os interesses imediatistas do mundo clamam que o “tempo é dinheiro”, para, em seguida, recomeçarem todas as obras incompletas na esteira das reencarnações... Os homens, por isso mesmo, fazem e desfazem, constroem e destroem, aprendem levianamente e recapitulam com dificuldade, na conquista da experiência.
Em quase todos os setores de evolução terrestre, vemos o abuso da oportunidade complicando os caminhos da vida; entretanto, desde muitos séculos, o apóstolo nos afirma que o tempo deve ser do Senhor.

Livro: Caminho Verdade e Vida.
Chico Xavier/Emmanuel.

NISTO CONHECEREMOS

"Nisto conhecemos o espírito da verdade e o espírito do erro." (I JOÃO, 4:6.)

Quando sabemos conservar a ligação com a Paz Divina, apesar de todas as perturbações humanas, perdoando quantas vezes forem necessárias ao companheiro que nos magoa; esquecendo o mal para construir o bem; amparando com sinceridade aos que nos aborrecem; cooperando espiritualmente, através da ação e da oração, a benefício dos que nos perseguem e caluniam; olvidando nossos desejos particulares para servirmos em favor de todos; guardando a fé no Supremo Poder como luz inapagável no coração; perseverando na bondade construtiva, embora mil golpes da maldade nos assediem; negando a nós mesmos para que a bênção divina resplandeça em torno de nossos passos; carregando nossas dificuldades como dádivas celestes; recebendo adversários por instrutores; bendizendo as lutas que nos aperfeiçoam a alma, à frente da Esfera Maior; convertendo a experiência terrena em celeiros de alegrias para a Eternidade; descortinando ensejos de servir em toda parte; compreendendo e auxiliando sempre, sem a preocupação de sermos entendidos e ajudados; amando os nossos semelhantes qual temos sido amados pelo Senhor, sem expectativa de recompensa; então, conheceremos o espírito da verdade em nós, iluminando-nos a estrada para a redenção divina.

DOUTRINAÇÕES

"Mas não vos alegreis porque se vos sujeitem os espíritos; alegrai-vos, antes, por estarem os vossos nomes escritos nos céus." — Jesus. (LUCAS, capítulo 10, versículo 20.)

Freqüentemente encontramos novos discípulos do Evangelho exultando de contentamento, porque os Espíritos perturbados se lhes sujeitam.

Narram, com alegria, os resultados de sessões empolgantes, nas quais doutrinaram, com êxito, entidades muita vez ignorantes e perversas.

Perdem-se muitos no emaranhado desses deslumbramentos e tocam a multiplicar os chamados "trabalhos práticos", sequiosos por orientar, em con-tactos mais diretos, os amigos inconscientes ou infelizes dos planos imediatos à esfera carnal.

Recomendou Jesus o remédio adequado a situações semelhantes, em que os aprendizes, quase sempre interessados em ensinar os outros, esquecem, pouco a pouco, de aprender em proveito próprio.

Que os doutrinadores sinceros se rejubilem, não por submeterem criaturas desencarnadas, em desespero, convictos de que em tais circunstâncias o bem é ministrado, não propriamente por eles, em sua feição humana, mas por
emissários de Jesus, caridosos e solícitos, que os utilizam à maneira de canais para a Misericórdia Divina; que esse regozijo nasça da oportunidade de servir ao bem, de consciência sintonizada com o Mestre Divino, entre as certezas
doces da fé, solidamente guardada no coração.

A palavra do Mestre aos companheiros é muito expressiva e pode beneficiar amplamente os discípulos inquietos de hoje.

Livro: Caminho Verdade e Vida.

Chico Xavier/Emmanuel.

FILHOS DA LUZ

FILHOS DA LUZ"Andai como filhos da luz." - Paulo.

(EFÉSIOS, 5:8.)Cada criatura dá sempre notícias da própria origem espiritual.

Os atos, palavras e pensamentos constituem informações vivas da zona mental de que procedemos.

Os filhos da inquietude costumam abafar quem os ouve, em mantos escuros de aflição.

Os rebentos da tristeza espalham o nevoeiro do desânimo.

Os cultivadores da irritação fulminam o espírito da gentileza com os raios da cólera.

Os portadores de interesses mesquinhos ensombram a estrada em que transitam, estabelecendo escuro clima nas mentes alheias.

Os corações endurecidos geram nuvens de desconfiança, por onde passam.

Os afeiçoados à calúnia e à maledicência distribuem venenosos quinhões de trevas com que se improvisam grandes males e grandes crimes.

Os cristãos, todavia, são filhos da luz.E a missão da luz é uniforme e insofismável.Beneficia a todos sem distinção.

Não formula exigências para dar.Afasta as sombras sem alarde.

Espalha alegria e revelação crescentes.Semeia renovadas esperanças.Esclarece, ensina, ampara e irradia-se.

Vinha de Luz

Chico Xavier/André Luiz


QUEM LÊ, ATENDA

"Quem lê, atenda." - Jesus. (MATEUS, 24:15.)

Assim como as criaturas, em geral, converteram as produções sagradas da Terra em objeto de perversão dos sentidos, movimento análogo se verifica no mundo, com referência aos frutos do pensamento.

Freqüentemente as mais santas leituras são tomadas à conta de tempero emotivo, destinado às sensações renovadas que condigam com o recreio pernicioso ou com a indiferença pelas obrigações mais justas.

Raríssimos são os leitores que buscam a realidade da vida.

O próprio Evangelho tem sido para os imprevidentes e levianos vasto campo de observações pouco dignas.

Quantos olhos passam por ele, apressados e inquietos, anotando deficiências da letra ou catalogando possíveis equívocos, a fim de espalharem sensacionalismo e perturbação? Alinham, com avidez, as contradições aparentes e tocam a malbaratar, com enorme desprezo pelo trabalho alheio, as plantas tenras e dadivosas da fé renovadora.

A recomendação de Jesus, no entanto, é infinitamente expressiva.

É razoável que a leitura do homem ignorante e animalizado represente conjunto de ignominiosas brincadeiras, mas o espírito de religiosidade precisa penetrar a leitura séria, com real atitude de elevação.

O problema do discípulo do Evangelho não é o de ler para alcançar novidades emotivas ou conhecer a Escritura para transformá-la em arena de esgrima intelectual, mas, o de ler para atender a Deus, cumprindo-lhe a Divina Vontade.

Livro; Vinha de Luz
Chico Xavier/Emmanuel