Trabalhemos todos, pela Unificação do movimento espírita!!

O Espiritismo é uma questão de fundo; prender-se à forma seria puerilidade indigna da grandeza do assunto. Daí vem que os centros que se acharem penetrados do verdadeiro espírito do Espiritismo deverão estender as mãos uns aos outros, fraternalmente, e unir-se para combater os inimigos comuns: a incredulidade e o fanatismo.”

“Dez homens unidos por um pensamento comum são mais fortes do que cem que não se entendam.”
Allan Kardec (Obras Póstumas – Constituição do Espiritismo – Item VI).



segunda-feira, 25 de março de 2019

Aquisição da Consciência


No momento da conscientização, isto é, no instante a partir do qual consegues discernir com acerto, usando como parâmetro o equilíbrio, alcanças o ponto elevado na condição de ser humano.
Efeito natural do processo evolutivo, essa conquista te permitirá avaliar fatores profundos como bem e o mal, o certo e o errado, o dever e a irresponsabilidade, a honra e o desar, o nobre e o vulgar, o lícito e o irregular, a liberdade e a libertinagem.
Trabalhando dados não palpáveis, saberás selecionar os fenômenos existenciais e as ocorrências, tornando tuas diretrizes de segurança aquelas que proporcionam bem-estar, harmonia, progresso moral, tranquilidade.
Essa consciência não é de natureza intelectual, atividade dos mecanismos cerebrais. É a força que os propele, porque nascidas nas experiências evolutivas, a exteriorizar-se em forma de ações.
Encontramo-la em pessoas incultas intelectualmente, e ausente em outras, portadoras de conhecimentos acadêmicos.
Se analisarmos a conduta de um especialista em problemas respiratórios, que conhece intelectualmente os danos provocados pelo tabagismo, pelo alcoolismo e por outras drogas aditivas, e que, apesar disso, usa, ele próprio, qualquer um desses flagelos, eis que ainda não logrou a conquista da consciência. Os seus dados culturais são frágeis de tal forma, que não dispõem de valor para fomentar uma conduta saudável.
Por extensão, a pessoa que se permite o crime do aborto, sob falsos argumentos legais ou de direitos que se faculta, assim como todos aqueles que o estimulam ou o executam, incidem na mesma ausência de consciência, comportando-se sob a ação do instinto e, às vezes, da astúcia, da acomodação, mascaradas de inteligência.
Outros indivíduos, não obstante sem conhecimento intelectual, possuem lucidez para agir diante dos desafios da existência, elegendo o comportamento não agressivo e digno, mesmo que a contributo de sacrifício.
A consciência pode ser treinada mediante o exercício dos valores morais elevados, que objetivam o bem do próximo, por consequência, o próprio bem.
O esforço para adquirir hábitos saudáveis conduz à conscientização dos deveres e às responsabilidades pertinentes à vida.
Herdeiro de si mesmo, das experiências transatas, o ser evolui por etapas, adquirindo novos recursos, corrigindo erros anteriores, somando conquistas.
Jamais retrocede nesse processo, mesmo quando, aparentemente, reencarna dentro das paredes de enfermidades limitadoras, que bloqueiam o corpo, a mente ou a emoção, gerando tormentos.
Os logros evolutivos permanecem adormecidos para futuros cometimentos, quando assomarão, lúcidos.
A aquisição da consciência é desafio da vida, que merece exame, consideração e trabalho.
A tua existência terrena pode ser considerada uma empresa que deves dirigir de forma segura, a mais cuidadosa possível.
Terás que trabalhar dados concretos e outros mais abstratos, na área da programação das atividades, a fim de conseguires êxito. Todo empenho e devotamento se transformarão em mecanismos de lucro, a que sempre poderás recorrer durante as situações difíceis.
Algumas breves regras ajudar-te-ão no desempenho do empreendimento,
tais: - administra os teus conflitos. O conflito psicológico é inerente à natureza humana e todos o sofrem;
- evita eleger homens-modelos para seguires. Eles também são vulneráveis às injunções que experimentas e, às vezes, comprometem-se, o que, de maneira alguma deve constituir desestímulo;
- concede-te maior dose de confiança nos teus valores, honrando- te com o esforço para melhorar sempre e sem desânimo.
Se erras, repete a ação, e se acertas, segue adiante;
- não te evadas ao enfrentamento de problemas usando expedientes falsos, comprometedores, que te surpreenderão mais tarde com dependências infelizes;
- reage à depressão, trabalhando sem auto piedade nem acomodação preguiçosa;
- tem em mente que os teus não são os piores problemas, eles pesam o volume que lhes emprestas;
- libera-te da queixa pessimista e medita mais nas fórmulas para perseverar e produzir;
- nunca cedas espaço à hora vazia, que se preenche de tédio, mal-estar ou perturbação;
- o que faças, faze-o bem, com dedicação; lembra-te que és humano e o processo de conscientização é lento, que adquirirás segurança e lucidez através da ação contínua.
Interessado em decifrar os enigmas do comportamento humano, Allan Kardec indagou aos benfeitores e guias da Humanidade, conforme se lê em “O Livro dos Espíritos”, na questão número 621:
– Onde está escrita a lei de Deus ?
– Na consciência. - Responderam com sabedoria.
A consciência é o estágio elevado que deves adquirir, a fim de seguires no rumo da angelitude.

Livro: Momentos de Consciência
Divaldo Franco/Joanna de Ângelis

Francisco Rebouças

sexta-feira, 22 de março de 2019

Trabalhar e Servir


Em favor de todos, Jesus Cristo, o Supremo Comandante das Hostes do Bem, promove e promoverá sempre o socorro adequado, nas condições precisas; entretanto, a fim de compreendermos nossas próprias dificuldades, recordemos que, no grupo constituído por ele mesmo, Jesus, nos primeiros dias do Evangelho, conquanto a equipe se erigisse tão somente com doze companheiros, não faltaram problemas e desarmonias, negações e deserções.
Reflitamos nisso e, aceitando as nossas responsabilidades de trabalhar e servir, estejamos com o Divino Mestre, nas provas e aflições da frente, seguindo para a frente.
Livro: Mãos Unidas
Chico Xavcier/Emmanuel

ASPIRAÇÕES E TRABALHO

Todos nós aspiramos conseguir determinada realização em determinados ideais, mas todos necessitamos complementar qualidades para as aquisições de demandados.

Querias um casamento perfeito e a Divina Providência te concedeu um matrimônio em que te aperfeiçoes.
Considerando que não somos seres angélicos e sim criaturas humanas, recebeste uma esposa ou vice-versa para um encontro feliz, entendendo-se, porém, que esse encontro não exclui o aprendizado da abnegação, através da solidariedade recíproca.

Desejavas filhos queridos que te concretizassem os sonhos e a vida te entregou filhos amados que te ofertam os mais altos testemunhos de ternura, entretanto, ei-los que exigem de ti sacrifício e renúncia a fim de que se façam educados e felizes.

Sonhavas com certos empreendimentos, em matéria de arte e cultura, indústria e administração e atraíste semelhantes encargos, no entanto, qualquer deles te angaria o êxito com vantagens compensadoras, se te entregares, sinceramente, à disciplina e à responsabilidade.

Esperavas amigos, em cujos ombros te apoiasses para viver e esses amigos apareceram, porém, a fim de conservá-los, será preciso aceitá-los tais quais são, com o dever de compreendê-los e auxiliá-los tanto quanto aguardas de cada um deles entendimento e cooperação, nas áreas do apoio mútuo.

Efetivamente queremos essa ou aquela premiação da vida, mas não nos esqueçamos de que a vida nos pede a retribuição de todos os valores que venhamos a conquistar com o trabalho na edificação do bem, de vez que também no campo da alma para receber é preciso dar, porquanto, em qualquer setor da existência, daquilo que se planta é que será justo colher.

Livro: Convivência
Chico Xavier/Emmanuel

Francisco Rebouças

terça-feira, 19 de março de 2019

O divino instrumento de progresso!

Nem sempre nos damos conta da importância do corpo carnal, como sendo o mais extraordinário equipamento de ação que Deus, a Sabedoria Suprema do Universo, concedeu a todos os seus filhos para a conquista das sublimes virtudes que são as recompensas do desenvolvimento e da correta utilização dos dons que trazemos ínsitos em nosso mundo íntimo.
Como peregrino na estrada infinita do progresso, cabe ao indivíduo utilizá-lo com equilíbrio, cuidando de seu veículo físico com a atenção que lhe permita tirar todo o proveito possível para as pequenas, mas importantes missões que assumimos conscientemente, quando ainda estávamos no mundo espiritual, com as quais nos comprometemos consoante a necessidade de harmonização com as Leis Divinas, o que nos eleva ou complica o estado de consciência.
“Dois sistemas se defrontam: o dos ascetas, que tem por base o aniquilamento do corpo, e o dos materialistas, que se baseia no rebaixamento da alma. Duas violências quase tão insensatas uma quanto a outra. Ao lado desses dois grandes partidos, formiga a numerosa tribo dos indiferentes que, sem convicção e sem paixão, são mornos no amar e econômicos no gozar. Onde, então, a sabedoria? Onde, então, a ciência de viver? Em parte alguma; e o grande problema ficaria sem solução, se o Espiritismo não viesse em auxílio dos pesquisadores, demonstrando-lhes as relações que existem entre o corpo e a alma e dizendo-lhes que, por se acharem em dependência mútua, importa cuidar de ambos. Amai, pois, a vossa alma, porém, cuidai igualmente do vosso corpo, instrumento daquela. Desatender as necessidades que a própria Natureza indica, é desatender a lei de Deus. Não castigueis o corpo pelas faltas que o vosso livre-arbítrio o induziu a cometer e pelas quais é ele tão responsável quanto o cavalo mal dirigido, pelos acidentes que causa.
Sereis, porventura, mais perfeitos se, martirizando o corpo, não vos tornardes menos egoístas, nem menos orgulhosos e mais caritativos para com o vosso próximo? Não, a perfeição não está nisso: está toda nas reformas por que fizerdes passar o vosso Espírito. Dobrai-o, submetei-o, humilhai-o, mortificai-o: esse o meio de o tornardes dócil à vontade de Deus e o único de alcançardes a perfeição.” (Jorge, Espírito Protetor, Paris, 1863) (1)
Assim como em nossa sociedade, para nosso crescimento e elevação precisamos de boa vontade, preparo e dedicação para a conquista dos valores materiais que nos facultem tranquilidade e bem estar na vida, cada espírito reencarnado na Terra precisará do veículo carnal que lhe seja, particularmente, adequado à luta imprescindível de crescer e progredir intelectual, moral e espiritualmente.
Se entre os homens não se confiará determinadas tarefas ao indivíduo incapacitado ou irresponsável, nem se colocará nada valioso da coletividade sob a responsabilidade do delinquente, nem se concederá a tarefa de redação ao analfabeto, assim também acontece com todo indivíduo reencarnado, cada Alma contará na reencarnação com o veículo físico apropriado e portador dos recursos que lhe serão imprescindíveis às lutas que precisará empreender.
Urge a cada indivíduo conservar o corpo físico, como sendo o uniforme de trabalho, a vestimenta mais apropriada para as mais diversas experiências que a vida lhe oferecerá, para consertar os erros e refazer os equívocos do passado equivocado na construção de um luminoso porvir.
Embora muitas vezes portador de graves anomalias, deformações, ou enfermidades, o corpo é uma bênção de Deus a nosso favor, no serviço de burilamento imprescindível para todos nós Espíritos Imortais, cabendo-nos aprender utilizá-lo dignamente, “vivendo no mundo sem ser do mundo”, conforme ensinamento do Cristo.
Referências Bibliográficas:
(1) KARDEC, ALLAN. O Evangelho Segundo o Espiritismo. FEB, 112ª edição, cap. XVII, item 11.
Francisco Rebouças

ESPERANÇA CONSTANTE

Emmanuel
O pessimismo é uma espécie de taxa pesada e desnecessária sobre o zelo que a responsabilidade 
nos impõe, induzindo-nos à aflição inútil.
Atenção, sim.
Derrotismo, não.
Para que nos livremos de semelhante flagelo, no campo íntimo, é aconselhável desfixar o pensamento, muitas vezes, colado a detalhes ainda sombrios da estrada evolutiva.
Para que sustente desperto o entendimento, quanto à essa verdade, recordemos as bênçãos que excedem largamente às nossas pequenas e transitórias dificuldades.
É inegável que o materialismo passou a dominar muita gente, perante o avanço tecnológico da atualidade terrestre: contudo existem admiráveis multidões de criaturas, em cujos corações a fé se irradia por facho resplendente, iluminando a construção do mundo novo.
As enfermidades ainda apresentam quadros tristes nos agrupamentos humanos; no entanto, é justo considerar que a ciência já liquidou várias moléstias, dantes julgadas irreversíveis, anulando-lhes o perigo com a imunização e com as providências adequadas.
Destacam-se muitos empreiteiros da guerra, tumultuando coletividades; todavia, os obreiros da paz se movimentam em todas as direções.
Muitos lares se desorganizam; mas outros muitos se sustentam consolidados no equilíbrio e na educação, mantendo a segurança entre os homens.
Grande número de mulheres se ausentam da maternidade; entretanto, legiões de irmãs abnegadas se revelam fiéis ao mais elevado trabalho feminino no Planeta, guardando-se na condição de mães admiráveis no devotamento ao grupo doméstico.
Os processos de violência aumentam, quase que em toda parte; ampliam-se, porém, as frentes de amor ao próximo que os extinguem.
Anotando as tribulações que se desdobram no Plano Fiasco, não digas que o mundo está perdido.
Enumera as bênçãos de Deus que enxameiam, em torno de ti.
E se atravessas regiões de trevas, que se te afiguram túneis de sofrimento e desolação, nos quais centenas ou milhares de pessoas perderam a noção da luz, é natural que não consigas transformar-te num sol que flameje no caminho para todos, mas podes claramente acender um fósforo de esperança.

Livro: Atenção
Chico Xavier/Diversos Espíritos

Francisco Rebouças

domingo, 17 de março de 2019

NOIVO INESQUECÍVE

Narcisa Amália
Bernardone tomara o traje que o vestia...
E Francisco a seguir em roupa de estamenha,
Roga, de casa em casa, o amparo que o mantenha,
Nas ruínas do templo em que se refugia!...

Um punhado de trigo, uns pedaços de lenha,
Restos de queijo e pão de uma pastelaria...
Aproxima-se a noite... A chuva é rala e fria...
De longe, vê o pai que o evita e desdenha...

Mais tarde, extenuado, atinge a estreita furna
Dorme na pedra lisa, ouvindo a voz soturna
De lobos a ganir, trinchando alguma presa!...

No outro dia, da estrada indagam jovens belas:
- Quem é aquele moço? E responde uma delas:
- É Francisco de Assis, o Noivo da Pobreza!...

Livro: Moradias de Luz
Chico Xavier/Espíritos Diversos

Francisco Rebouças

sábado, 16 de março de 2019

Na tarefa da Mediunidade


“Importante lembrar aos dirigentes de grupos mediúnicos, que eles devem combater sem tréguas o “vedetismo, o estrelismo” e todos os ismos, de qualquer médium que assim se comportar, na defesa do bom andamento das tarefas da mediunidade.
Notamos ser muito frequente em grupos mediúnicos, o destaque inconveniente a determinado indivíduo, em razão de alguma orientação recebida pela equipe, trazida ao conhecimento do grupo através de sua mediunidade pelo orientador espiritual do grupo, representadas por mensagens de esclarecimento e diretrizes gerais na realização de um melhor trabalho mediúnico com Jesus.
Urge entender que, o bom senso, a simplicidade e da modéstia não podem ser superadas em tarefas dessa amplitude.

Francisco Rebouças

sexta-feira, 15 de março de 2019

Doutrina Espírita

— Nascemos, vivemos no corpo e perdemos a indu­mentária, retornando ao palco das mesmas lutas, vezes inúmeras, sem conseguirmos melhorar as condições es­pirituais, repetindo a «roda das paixões» escravizantes em que nos comprazemos. Muitos, em incontável nú­mero, entramos na carne e dela saímos sem nos aper­cebermos do fenômeno, aferrados às vibrações mais pri­márias da vida. Todos sonhamos com os Céus, sim. Ra­ros, todavia, estamos construindo as asas da evolução com os materiais da iluminação íntima, nas linhas severas do trabalho fraterno, da renúncia, da caridade e do perdão. Semeamos pouca luz e colhemos aflições da­nosas; por essa razão, nossa arca de esperança perma­nece vazia de alento.

Livro: Nos bastidores da Obsessão
Divaldo Franco/Manoel Philomeno de Miranda – Cap. 5


quinta-feira, 14 de março de 2019

Perispírito


“O perispírito faz, portanto, parte integrante do Espírito, como o corpo o faz do homem. Porém, o perispírito, só por só, não é o Espírito, do mesmo modo que só o corpo não constitui o homem, porquanto o perispírito não pensa. Ele é para o Espírito o que o corpo é para o homem: o agente ou instrumento de sua ação.”
Livro dos Médiuns – 2ª parte, Cap. I


Francisco Rebouças

terça-feira, 12 de março de 2019

Amar é a fórmula da felicidade!


Filhos, repitamos: Auxiliar aos outros é a forma de auxiliar-nos; desculpar é exonerarnos do desequilíbrio que porventura ainda nos assinala o coração; suportando com paciência, seremos tolerados com a grandeza daqueles que nos supervisionam a jornada; amar e esquecer-nos é o processo de sermos lembrados nos suprimentos da Vida Superior e sempre mais amados para sermos, um dia, o Amor de Cristo que nos convidou à felicidade suprema, asseverando convincente: “Amai-vos uns aos outros como eu vos amei”.
Livro: Benção de Amor
Chico Xavier/Bezerra de Menezes

Francisco Rebouças

segunda-feira, 11 de março de 2019

Trabalhar e servir...


Se te interessas realmente pelo própria renovação, à luz do Evangelho, anota o momento que voa e não menosprezes o ensejo sublime de ser mais útil.
Recorda que a ociosidade mental é antiga serpente sedutora, asfixiando-nos a vida e somente em lhe olvidando o veneno suave e mortífero, trabalhando e servindo sempre, é que conseguiremos assimilar o ideal da perfeição com Jesus, nosso Mestre e Senhor.
Livro: Construção do Amor – Cap. 07
Chico Xavier/Emmanuel


Francisco Rebouças

sábado, 9 de março de 2019

Os nossos compromissos de aperfeiçoamento

Indispensável saber aproveitar as oportunidades que chegam ao caminho da redenção que estamos percorrendo, seguindo os ditames das Sagradas Leis Universais. Não devemos negligenciar os compromissos assumidos quando da elaboração das propostas para a nossa atual reencarnação, que tem por objetivo, justamente, oferecer oportunidades para o nosso progresso e aperfeiçoamento conforme segue abaixo:
132. Qual o objetivo da encarnação dos Espíritos?
“Deus lhes impõe a encarnação com o fim de fazê-los chegar a perfeição. Para uns, é expiação; para outros, missão. Mas, para alcançarem essa perfeição, têm que sofrer todas as vicissitudes da existência corporal: nisso é que está a expiação. Visa ainda outro fim a encarnação: o de pôr o Espírito em condições de suportar a parte que lhe toca na obra da criação. Para executá-la é que, em cada mundo, toma o Espírito um instrumento, de harmonia com a matéria essencial desse mundo, a fim de aí cumprir, daquele ponto de vista, as ordens de Deus. É assim que, concorrendo para a obra geral, ele próprio se adianta.
A ação dos seres corpóreos é necessária à marcha do Universo. Deus, porém, na Sua sabedoria, quis que nessa mesma ação eles encontrassem um meio de progredir e de se aproximar Dele. Deste modo, por uma admirável lei da Providência, tudo se encadeia, tudo é solidário na Natureza.” (1)
Torna-se imprescindível entender que os nossos compromissos são de nossa inteira responsabilidade e não é justo jogar nos ombros dos outros o trabalho que cabe a nós realizar, em nosso próprio benefício, embora saibamos que a Providência Divina nos concederá todo o apoio e recursos que precisarmos para construir nossa própria ascensão intelectual, moral e espiritual.
“O processo de transferência de responsabilidade vigentes entre os encarnados, lentamente, está sendo aplicado na Seara Espírita pela invigilância dos companheiros residentes na organização física. 
Considerando os Instrutores Espirituais amigos devotados e incondicionais como realmente o são, para estes pretendem relegar, por ignorância doutrinária, as tarefas e realizações que lhes dizem respeito, justificando tal conduta com as referências de amor. 
Amor para aqueles que assim pensam e agem significa servidão; e justiça, para eles, passa a ser conivência com os seus erros. 
Convidados à fidelidade aos postulados de fé que afirmam abraçar, mediante o testemunho pelo sofrimento gritam pelos Amigos Espirituais, rogando libertação das dores. 
Diante de problemas que a serenidade e o discernimento podem solucionar, exoram aos Benfeitores Desencarnados, a fim de que afastem o fardo. 
Incompreendidos nas atividades a que se dizem afervorados e fiéis, clamam pelos Espíritos Amorosos exigindo seja comprovada sua inocência. 
Enfrentando dificuldades no lar, solicitam aos Inspiradores Espirituais que atendam a família, amenizando-os das provas domésticas. 
Empreguismo, melhoria de “sorte”, afetos, posições de destaque são partes essenciais dos seus requerimentos aos Espíritos Superiores, no sentido de receberem no Mundo Maior tais concessões, sem qualquer esforço apreciável. 
E quando enfrentam o portal da vida verdadeira, após a desencarnação, exigem a presença dos Espíritos Felizes para os conduzirem às Excelsas Mercês…” (2)
Usemos de inteligência seguindo o sábio ensinamento do Mestre dos Mestres quando nos alerta para que vigiemos e oremos para que as tentações que ainda se escondem em nosso mundo íntimo não encontrem atrativos que nos levem a cometer excessos de qualquer natureza, pois, o equilíbrio de nossas ações deve ser a meta a que devemos dedicar todas as forças de nossa Alma.
Importante observar quantas vezes podemos ser úteis a nós mesmos e ao nosso irmão de caminhada, e, como um Bom Trabalhador, realizemos com boa vontade e responsabilidade as pequenas lições de amor e caridade que o dia nos ofertar.
Precisamos construir desde já, em nosso caminho, as benfeitorias com as quais nosso Espírito Imortal se beneficiará quando formos convocados a regressar desta viagem de aprimoramento em que ora nos encontramos.
Urge caminhamos com equilíbrio e segurança, para que nossa chegada de volta seja realizada com tranquilidade, paz e alegria de quem tem a certeza do dever bem realizado.
Referências Bibliográficas:
(1) KARDEC, ALLAN. O Livro dos Espíritos, FEB 76ª edição;
(2) FRANCO, DIVALDO PEREIRA. Espírito Joanna de Ângelis. Livro: Espírito e Vida – Cap. 6.
Francisco Rebouças

quinta-feira, 7 de março de 2019

AFIRMAÇÕES

Afirmação que interessa
Tanto ao fraco quanto ao forte:
Quem açambarca a fortuna,
Desconhece a lei da morte.

A bica do maldizente
Que vive de reprovar;
É igual à boca da noite,
Que ninguém pode fechar.

03 de outubro de 1995.

Livro: Alma do ovo
Chico Xavier/Cornélio Pires

Francisco Rebouças

domingo, 3 de março de 2019

É bom pensar nisso

Achamo-nos magneticamente associados uns aos outros.

Ações e reações caracterizam-nos a marcha.

É preciso saber, portanto, que espécie de forças projetamos naqueles que nos cercam. 

Nossa conduta é um livro aberto.

Livro: Momento
Chico Xavier/Emmanuel

Francisco Rebouças

sábado, 2 de março de 2019

ESPERANÇA SEMPRE

Ninguém sem esperança. Ninguém sem Deus.
Contempla o Céu, nos dias em que a sombra te invada o coração, e pensa na inalterabilidade do Amor Infinito que verte do Criador para todas as criaturas.

O mesmo Sol que te aquece e nutre é aquele mesmo Sol que nutriu e aqueceu bilhões de criaturas, na Terra, no curso dos séculos incessantes..
Quase todas as estrelas que hoje se te descerram aos olhos são as mesmas que acompanharam os homens, na queda e no levantamento de civilizações numerosas.
Reflete nisso e não te deixes arrasar pelas aflições transitórias que te visitam com fins regenerativos ou edificantes.

É provável que tribulações diversas te sigam no encalço.
Aguentas incompreensões e dificuldades em conta própria; toleras lutas e problemas que não criaste; carregas compromissos e constrangimentos, a fim de auxiliar aos entes queridos; ou erraste, talvez, e sofres as conseqüências das próprias culpas.
Não importa, entretanto, o problema, embora sempre nos pesem as responsabilidades assumidas, quaisquer que sejam. Desliga-te, porém, de pessimismo e desânimo, recordando que a vida, ¾ mesmo na vida que desfrutas, ¾ em suas origens profundas, não é obra de tuas mãos.
O poder que te dotou de movimento, que te desenvolveu as percepções, que te induziu ao impulso irresistível do amor e que te acendeu no pensamento à luz do raciocínio, guarda recursos suficientes para retificar-te, suplementar-te as energias, amparar-te na solução de quaisquer empresas difíceis ou reaver-te de qualquer precipício, onde hajas caído, em desfavor de ti mesmo. Esse mesmo poder da vida que regenera o verme contundido e reajusta as árvores podadas nunca te relegaria à sombra da indiferença. Entretanto, para que lhe assimiles o apoio plenamente, é imperioso te integres no sistema do trabalho no bem de todos, sem te renderes à inutilidade ou à deserção.

Livro: Mãos Unidas
Chico Xavier/Emmanuel

Francisco Rebouças

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019

É preciso iluminar o pensamento!

Pouca importância temos dedicado ao cultivo dos bons pensamentos, ainda nos dias de hoje, mesmo sabedores que somos da necessidade da vigilância que precisamos empregar no dia a dia de nossas vidas, em prol da saúde física e espiritual, para nos mantermos em adequado equilíbrio.
Os Espíritos Superiores nos esclarecem a cerca do poder do pensamento em conexão direta com as emoções e o sentimento sem que seja possível dissociá-los, pois são os próprios Espíritos senhores de suas criações, responsáveis pela construção de sua realidade perante a vida. Falam-nos das nossas ligações com as mentes sãs ou desequilibradas que escolhemos a todo instante, segundo os pensamentos e tendências que cultivamos em nosso mundo mais íntimo.
“O cérebro é o dínamo que produz a energia mental, segundo a capacidade de reflexão que lhe é própria; no entanto, na Vontade temos o controle que a dirige nesse ou naquele rumo, estabelecendo causas que comandam os problemas do destino. 
Sem ela, o Desejo pode comprar ao engano aflitivos séculos de reparação e sofrimento, a Inteligência pode aprisionar-se na enxovia da criminalidade, a Imaginação pode gerar perigosos monstros na sombra, e a memória, não obstante, fiel a sua função de registradora, conforme a destinação que a Natureza lhe assinala, pode cair em deplorável relaxamento. 
Só a Vontade é suficientemente forte para sustentar a harmonia do Espírito. 
Em verdade, ela não consegue impedir a reflexão mental, quando se trate da conexão entre os semelhantes, porque a sintonia constitui lei inderrogável, mas pode impor o jugo da disciplina sobre os elementos que administra, de modo a mantê-los coesos na corrente do bem”. (1)
Alentam-nos para que nos esforcemos por renovar as matrizes mentais, tantas vezes repetidas pelo reflexo de nosso passado espiritual, solidificado nos milênios da caminhada no equívoco do desamor, e que hoje nos exige modificação no modo de pensar e agir, que define a verdadeira atitude dos seguidores daquele que deve ser o nosso Mestre, Guia e modelo.
O amor não pode ser entendido apenas como um símbolo religioso, porque se trata de uma verdade comprovada pela ciência contemporânea. A Doutrina Espírita nesse particular abre-nos um impressionante leque de possibilidades mostrando-nos os caminhos mais seguros para o encontro com a paz e a felicidade, pela construção e solidificação do Reino de Deus em nós e em volta dos nossos passos.
“No que diz respeito à vida humana em si mesma, detectamos sua gênese no Psiquismo Divino, que a concebeu e a inspira, proporcionando-lhe a energia de que se nutre, que a impulsiona ao crescimento através das multifárias reencarnações do Espírito imortal, também denominado princípio inteligente do Universo. 
Simples na sua constituição, liberta as complexidades que se lhe fazem necessárias para o crescimento, qual semente que se intumesce no seio generoso do solo, a fim de alcançar o vegetal que é a sua fatalidade, ora dormindo no seu íntimo”. (2)
Urge não esquecermos que o nosso pensamento é força criativa, que exteriorizamos gerando através de ondas sutis, ações e reações no tempo. Podemos afirmar que nossa mente é um espelho capaz de refletir luz ou treva, paz ou guerra.
Referências Bibliográficas:
(1) XAVIER, FRANCISCO CÂNDIDO. Espírito Emmanuel. Pensamento e vida;
(2) FRANCO, DIVALDO PEREIRA. Espírito Joanna de Ângelis. Desafios e Soluções. Capítulo 5.
Francisco Rebouças

terça-feira, 26 de fevereiro de 2019

Pequenos lembretes


“Os nossos maiores inimigos na caminhada evolutiva que empreendemos, não são os desafios que a vida nos propõe para nosso aprimoramento e sim, as decisões impensadas e quase sempre irresponsáveis que tomamos diante deles.”

Francisco Rebouças

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2019

Raul Teixeira

Venha conhecer o novo livro do Raul Teixeira em noite de lançamento e autógrafos.
Será na SEF, às 20 h do dia 27/02.





















Um homem religioso, no cerne do espírito, talvez possamos afirmar, é aquele que valoriza seu tempo para libertar-se de seu egoísmo, com afinco. O modo de agir desse homem é uma coragem decisiva para construir um tempo de suma importância para o espírito, e firme convicção de que o coração e o cérebro estão a serviço da vida espiritual.
Esses movimentos do espírito são de tal modo que marcam o tempo da evolução da alma e de clara consciência de seu papel na criação de Deus.


No tempo de Deus, há sabedoria;
No tempo de Deus, há felicidade;
No tempo de Deus, há amizade;
No tempo de Deus, há amor.

Rua Passo da Pátria, 38 - São Domingos - Niterói/RJ.
CEP: 24210-240
Telefone: +55 21 2717-8235
E-mail: sef@sef.org.br

Francisco Rebouças

Vida Feliz

XII
Nunca retribuas maldade com vingança ou desforço.
O homem mau se encontra doente e ainda não sabe.
Dê-lhe o remédio que minorará o seu aturdimento, não usando para com ele dos recursos infelizes de que ele se utiliza para contigo.
Se alguém te ofende, o problema é dele.
Quando és tu quem ofende, a questão muda de configuração e o problema passa a ser teu.
O ofensor é sempre o mais infeliz.
Conscientiza-te disso e segue tranquilo.

Livro: Vida Feliz
Divaldo Franco/Joanna de Ângelis

Francisco Rebouças

terça-feira, 19 de fevereiro de 2019

Concentração e comprometimento

Toda e qualquer atividade que desempenhemos em nosso dia a dia, exige-nos responsabilidade, empenho e atenção. E sabido é, que não conseguiremos executá-las com acerto sem que coloquemos o foco de nossa atenção no resultado que desejamos obter.
Também sabemos que não nos é fácil manter a concentração em determinadas situações que exijam atenção, cuidado e vigília de nossa parte, isto porque não temos ainda desenvolvido o hábito salutar de policiar os nossos pensamentos, e, quando menos esperamos, já estamos distraídos, desatentos, desligados de muitas de nossas responsabilidades cotidianas.
Nos trabalhos espirituais não é diferente, e não são todos que têm a capacidade em se manterem concentrados em uma reunião espírita, seja na palestra doutrinária, seja nas reuniões mediúnicas ou até mesmo nas reuniões de estudos. A lembrança dos fatos ocorridos no dia a dia de nossas vidas exerce grande influência em nossa atuação, dificultando em muito o nosso entendimento e absorção dos benefícios oriundos dessas tarefas de cunho moral e espiritual.
Algumas vezes somos veículos de desequilíbrio e desarmonização desses ambientes fluídicos, que se ressentem da nossa invigilância, pois, saturamos, negativamente, tais ambientes com as vibrações deletérias com as quais estamos envolvidos sem nos darmos conta, quando o nosso dever é, justamente, contribuir com os elevados sentimentos e as sinceras e sentidas preces para o sucesso das atividades em que participamos.
Precisamos, urgentemente, desenvolver o hábito salutar de fixar nossa atenção nos assuntos de conteúdo edificantes, porque estamos encharcados de lixo mental que insistem em desviar nossa atenção, trazendo-nos à tela mental, a todo instante, as manchetes infelizes dos noticiários televisivos ou dos jornais sensacionalistas que se esmeram em despejar sujeiras da sociedade nas manchetes que estampam.
São veículos especializados em notícias de crimes, corrupção, pornografia, dentre outros assuntos que, facilmente, são repetidas em conversas que ouvimos em qualquer parte em que estejamos, onde o palavrão, a falta de educação, o desrespeito e a futilidade são, amplamente, utilizados como se fossem, absolutamente, normais, onde quem assim não procede é considerado cafona, ou “está por fora”.
Pouco ou quase nada sobra de aproveitável em tudo que vemos ou lemos e, por isso mesmo, deveríamos desde há muito, precaver-nos e providenciar uma saída alternativa, como por exemplo, carregar sempre um livro de conteúdo moral elevado, para nos ocuparmos com saudável leitura, o que, com certeza, faria uma grande diferença, e nos ajudaria a desenvolver o hábito da buscar as coisas belas e nobres que um bom livro nos proporciona, facilitando, em muito, a nossa concentração quando da participação nos labores da casa espírita dos quais tomamos parte.
São incontáveis as páginas trazidas ao nosso conhecimento pela rica literatura espírita, que nos alertam para a necessidade de uma urgente melhora em nossa concentração, a fim de que possamos absorver, sem interferências negativas, as mensagens dos Espíritos Esclarecidos que estão sempre trabalhando para contribuir com nosso crescimento moral e espiritual.
A benfeitora Joanna de Angelis diz-nos, taxativamente:
“ (…) Meditar é uma necessidade imperiosa que se impõe antes de qualquer realização. Com esta atitude acalma-se a emoção e aclara-se o discernimento, harmonizando-se os sentimentos (…);
(…) Começa o teu treinamento, meditando, diariamente, num pensamento do Cristo, fixando-o pela repetição e aplicando-o na conduta através da ação. Aumenta a pouco e pouco, o tempo que lhe dediques, treinando o inquieto corcel mental e aquietando o corpo desacostumado. Sensações e continuados comichões que surgem, atende-os com calma, a mente ligada à ideia central, até conseguires superá-los (…); 
(…) Envida esforços para vencer os desejos inferiores e as más inclinações (…);
(…) Não lutes contra os pensamentos. Conquiste-os.” (1)
Urge reconhecer que a concentração somente é conseguida através do exercício diário e constante da meditação, através da qual, o indivíduo disciplina a vontade, exercita a paciência e o controle da mente, a fim de vencer, paulatinamente, as tendências menos felizes que o mantém escravo do homem velho há milênios.
Referências Bibliográficas:
(1) PEREIRA FRANCO, DIVALDO. Espírito Joanna de Angelis. Momentos de Meditação. Capítulo 01, com o título “Recorre à meditação”.
Francisco Rebouças

Brasil coração do mundo...

https://youtu.be/_a9tpJnGcbw

Homenagem a Chico Xavier

Haroldo Dias Dutra - As cartas de Paulo

Haroldo Dutra - Jesus o Médico da Almas

https://youtu.be/Uk7OUvyGCZU



Divaldo Franco

https://youtu.be/OVbstbRFs9M

Entrevista sobre Emmanuel, Joanna de Ângelis...

Reencarnação é uma realidade

Palestra O trabalho no Bem - Cristiane Parmiter

Palestra: As Leis Divinas e nós - Cristiane Parmiter

Palestra: Benevolência - Cristiane Parmiter

Palestra: Jesus e o Mundo - Cristiane Parmiter

Palestra: A Dinâmica do Perdão - Cristiane Parmiter

Palestra: Perante Jesus - Cristiane Parmiter

Palestra AVAREZA - Cristiane Parmiter

Palestra Obediência Construtiva - Cristiane Parmiter

Palestra Tribulações - Cristiane Parmiter

Palestra Conquistando a Fé - Cristiane Parmiter

Palestra Humildade e Jesus - Cristiane Parmiiter

Palestra Renúncia - Cristiane Parmiter

Rádios Brasil

Simplesmente Espetacular!!!

Professora Amanda Gurgel

Andrea Bocelli & Sarah Brightman - Time To Say Goodbye

De Kardec aos dias de hoje

Madre Teresa

As Mães de Chico Xavier

Reencarnação - Menino Piloto

http://www.youtube.com/embed/cQ2ZqUCKDow" frameborder="0" allowfullscreen>

Muitas Vidas

Espiritismo: família de Andrea Maltarolli mantém contato com a autora - Mais Você - GLOBO

Divaldo Franco

ESPIRITISMO - CHICO XAVIER - REPORTAGEM DO FANTASTICO - OS SEGREDOS DE CHICO

Entrevista com Divaldo Franco

Sobre Emmanuel, Joanna de Ângelis, e muito mais, confira. 1ª Parte 2ª Parte

Oração de Gratidão - Divaldo Franco

Chico Xavier

Chico Xavier no Fantástico

Chico Xavier (2010) trailer oficial

Página de Mensagens

Nesta página estarei lançando variadas páginas de conteúdo edificante para nosso aprendizado.

Francisco Rebouças.

1-ANTE A LIÇÃO

"Considera o que te digo, porque o Senhor te dará entendimento em tudo".- Paulo. II TIMÓTEO. 2:7.

Ante a exposição da verdade, não te esquives à meditação sobre as luzes que recebes.

Quem fita o céu, de relance, sem contemplá-lo, não enxerga as
estrelas; e quem ouve uma sinfonia, sem abrir-lhe a acústica da alma, não lhe percebe as notas divinas.

Debalde escutarás a palavra inspirada de pregadores ardentes, se não descerrares o coração para que o teu sentimento mergulhe na claridade bendita daquela.

Inúmeros seguidores do Evangelho se queixam da incapacidade de retenção dos ensinos da Boa Nova, afirmando-se ineptos à frente das novas revelações, e isto porque não dispensam maior trato à lição ouvida, demorando-se longo tempo na província da distração e da leviandade.

Quando a câmara permanece sombria, somos nós quem desata o ferrolho à janela para que o sol nos visite.

Dediquemos algum esforço à graça da lição e a lição nos responderá com as suas graças.

O apóstolo dos gentios é claro na observação. "Considera o que te digo, porque, então, o Senhor te dará entendimento em tudo."

Considerar significa examinar, atender, refletir e apreciar.

Estejamos, pois, convencidos de que, prestando atenção aos
apontamentos do Código da Vida Eterna, o Senhor, em retribuição à nossa boa-vontade, dar-nos-á entendimento em tudo.

Livro: Fonte Viva
Chico Xavier/Emmanuel

NO CAMPO FÍSICO

"Semeia-se corpo animal, ressuscitará corpo espiritual." - Paulo. (I CORÍNTIOS, 15:44.)

Ninguém menospreze a expressão animal da vida humana, a pretexto de preservar-se na santidade.

A imersão da mente nos fluidos terrestres é uma oportunidade de sublimação que o espírito operoso e desperto transforma em estruturação de valores eternos.

A sementeira comum é símbolo perfeito.

O gérmen lançado à cova escura sofre a ação dos detritos da terra, afronta a lama, o frio, a resistência do chão, mas em breve se converte em verdura e utilidade na folhagem, em perfume e cor nas flores e em alimento e riqueza nos frutos.

Compreendamos, pois, que a semente não estacionou. Rompeu todos os obstáculos e, sobretudo, obedeceu à influência da luz que a orientava para cima, na direção do Sol.

A cova do corpo é também preciosa para a lavoura espiritual, quando nos submetemos à lei que nos induz para o Alto.

Toda criatura provisoriamente algemada à matéria pode aproveitar o tempo na criação de espiritualidade divina.

O apóstolo, todavia, é muito claro quando emprega o termo "semeia-se". Quem nada planta, quem não trabalha na elevação da própria vida, coagula a atividade mental e rola no tempo à maneira do seixo que avança quase inalterável, a golpes inesperados da natureza.

Quem cultiva espinhos, naturalmente alcançará espinheiros.

Mas, o coração prevenido que semeia o bem e a luz, no solo de si mesmo, espere, feliz, a colheita da glória espiritual.

E N T R E I R M Ã O S
Olympia Belém (Espírito)[1]

Estes são tempos desafiadores para todos os que buscam um mundo melhor, onde reine o amor, onde pontifique a fraternidade, onde possam florir os mais formosos sentimentos nos corações.
Anelamos por dias em que a esperança, há tanto tempo acariciada, possa converter-se em colheita de progressos e de paz.
Sonhamos com esse alvorecer de uma nova era em que o Espiritismo, transformado em religião do povo, apresentando Jesus às multidões, descrucificado e vivo, possa modificar as almas, para que assumam seu pujante papel de filhas de Deus no seio do mundo.
Entrementes, não podemos supor que esses ansiados dias estejam tão próximos, quando verificamos que há, ainda, tanta confusão nos relacionamentos, tanta ignorância nos entendimentos, tanta indiferença e ansiedade nos indivíduos, como se vendavais, tufões, tormentas variadas teimassem em sacudir o íntimo das criaturas, fazendo-as infelizes.
A fim de que os ideais do Cristo Jesus alcancem a Terra, torna-se indispensável o esforço daqueles que, tendo ouvido o cântico doloroso do Calvário, disponham-se a converter suas vidas na madrugada luminosa do Tabor.
O mundo terreno, sob ameaças de guerras e sob os rufares da violência, em vários tons, tem urgência do Mestre de Nazaré, ainda que O ignore em sua marcha atordoada, eivada do materialismo que o fascina, que o domina e que o faz grandemente desfigurado, por faltar sentido positivo e digno no uso das coisas da própria matéria.
Na atualidade, porém, com as advertências da Doutrina dos Espíritos, com essa luculenta expressão da misericórdia de Deus para com Seus filhos terrenos, tudo se torna menos áspero, tudo se mostra mais coerente, oferecendo-nos a certeza de que, no planeta, tudo está de conformidade com a lei dos merecimentos, com as obras dos caminheiros, ora reencarnados, na estrada da suspirada libertação espiritual.
"A cada um segundo as suas obras" aparece como canto de justiça e esperança, na voz do Celeste Pastor.
Hoje, reunidos entre irmãos, unimo-nos aos Emissários destacados do movimento de disseminação da luz sobre as brumas terráqueas, e queremos conclamar os queridos companheiros, aqui congregados, a que não se permitam atormentar pelos trovões que se fazem ouvir sobre as cabeças humanas, ameaçadores, tampouco esfriar o bom ânimo, considerando que o Cristo vela sempre. Que não se deixem abater em razão de ainda não terem, porventura, alcançado as excelentes condições para o ministério espírita, certos de que o tempo é a magna oportunidade que nos concede o Senhor. Que ponham mãos à obra, confiantes e vibrantes, certos de que os verdadeiros amigos de Jesus caminham felizes, apesar das lutas e das lágrimas, típicas ocorrências das experiências, das expiações e das provas.
Marchemos devotados, oferecendo, na salva da nossa dedicação, o melhor que o Espiritismo nos ensina, o melhor do que nos apresenta para os que se perdem nas alamedas do medo, da desesperança e da ignorância a nossa volta.
Hoje, entre os amigos espíritas, encontramos maior ânimo para a superação dos nossos próprios limites, o que configurará, ao longo do tempo a superação dos limites do nosso honroso Movimento Espírita.
Sejamos pregadores ou médiuns, evangelizadores, escritores ou servidores da assistência social, não importa. Importa que nos engajemos, todos, nos labores do Codificador, plenificando-nos da grande honra de cooperar com os excelsos interesses do Insuperado Nazareno.
O tempo é hoje, queridos irmãos. O melhor é o agora, quando nos entrelaçamos para estudar, confraternizar e louvar a Jesus com os corações em clima festivo.
Certos de que o Espiritismo é roteiro de felicidade e bandeira de luz, que devemos içar bem alto sobre o dorso do planeta, abracemo-nos e cantemos, comovidos: Louvado seja Deus! Louvado seja Jesus!
Com extremado carinho e votos de crescente progres­so para todos, em suas lidas espiritistas, quero despedir-me sempre devotada e servidora pequenina.
Olympia Belém.

[1]
- Mensagem psicografada pelo médium J. Raul Teixeira no dia 03.09.95, no encerramento da X Confraternização Espírita do Estado do Rio de Janeiro.

O TEMPO

“Aquele que faz caso do dia, patrão Senhor o faz.” — Paulo. (ROMANOS, capítulo 14, versículo 6.)

A maioria dos homens não percebe ainda os valores infinitos do tempo.
Existem efetivamente os que abusam dessa concessão divina. Julgam que a riqueza dos benefícios lhes é devida por Deus.
Seria justo, entretanto, interrogá-los quanto ao motivo de semelhante presunção.
Constituindo a Criação Universal patrimônio comum, é razoável que todos gozem as possibilidades da vida; contudo, de modo geral, a criatura não medita na harmonia das circunstâncias que se ajustam na Terra, em favor de seu aperfeiçoamento espiritual.
É lógico que todo homem conte com o tempo, mas, se esse tempo estiver sem luz, sem equilíbrio, sem saúde, sem trabalho?
Não obstante a oportunidade da indagação, importa considerar que muito raros são aqueles que valorizam o dia, multiplicando-se em toda parte as fileiras dos que procuram aniquilá-lo de qualquer forma.
A velha expressão popular “matar o tempo” reflete a inconsciência vulgar, nesse sentido.
Nos mais obscuros recantos da Terra, há criaturas exterminando possibilidades sagradas. No entanto, um dia de paz, harmonia e iluminação, é muito importante para o concurso humano, na execução das leis divinas.
Os interesses imediatistas do mundo clamam que o “tempo é dinheiro”, para, em seguida, recomeçarem todas as obras incompletas na esteira das reencarnações... Os homens, por isso mesmo, fazem e desfazem, constroem e destroem, aprendem levianamente e recapitulam com dificuldade, na conquista da experiência.
Em quase todos os setores de evolução terrestre, vemos o abuso da oportunidade complicando os caminhos da vida; entretanto, desde muitos séculos, o apóstolo nos afirma que o tempo deve ser do Senhor.

Livro: Caminho Verdade e Vida.
Chico Xavier/Emmanuel.

NISTO CONHECEREMOS

"Nisto conhecemos o espírito da verdade e o espírito do erro." (I JOÃO, 4:6.)

Quando sabemos conservar a ligação com a Paz Divina, apesar de todas as perturbações humanas, perdoando quantas vezes forem necessárias ao companheiro que nos magoa; esquecendo o mal para construir o bem; amparando com sinceridade aos que nos aborrecem; cooperando espiritualmente, através da ação e da oração, a benefício dos que nos perseguem e caluniam; olvidando nossos desejos particulares para servirmos em favor de todos; guardando a fé no Supremo Poder como luz inapagável no coração; perseverando na bondade construtiva, embora mil golpes da maldade nos assediem; negando a nós mesmos para que a bênção divina resplandeça em torno de nossos passos; carregando nossas dificuldades como dádivas celestes; recebendo adversários por instrutores; bendizendo as lutas que nos aperfeiçoam a alma, à frente da Esfera Maior; convertendo a experiência terrena em celeiros de alegrias para a Eternidade; descortinando ensejos de servir em toda parte; compreendendo e auxiliando sempre, sem a preocupação de sermos entendidos e ajudados; amando os nossos semelhantes qual temos sido amados pelo Senhor, sem expectativa de recompensa; então, conheceremos o espírito da verdade em nós, iluminando-nos a estrada para a redenção divina.

DOUTRINAÇÕES

"Mas não vos alegreis porque se vos sujeitem os espíritos; alegrai-vos, antes, por estarem os vossos nomes escritos nos céus." — Jesus. (LUCAS, capítulo 10, versículo 20.)

Freqüentemente encontramos novos discípulos do Evangelho exultando de contentamento, porque os Espíritos perturbados se lhes sujeitam.

Narram, com alegria, os resultados de sessões empolgantes, nas quais doutrinaram, com êxito, entidades muita vez ignorantes e perversas.

Perdem-se muitos no emaranhado desses deslumbramentos e tocam a multiplicar os chamados "trabalhos práticos", sequiosos por orientar, em con-tactos mais diretos, os amigos inconscientes ou infelizes dos planos imediatos à esfera carnal.

Recomendou Jesus o remédio adequado a situações semelhantes, em que os aprendizes, quase sempre interessados em ensinar os outros, esquecem, pouco a pouco, de aprender em proveito próprio.

Que os doutrinadores sinceros se rejubilem, não por submeterem criaturas desencarnadas, em desespero, convictos de que em tais circunstâncias o bem é ministrado, não propriamente por eles, em sua feição humana, mas por
emissários de Jesus, caridosos e solícitos, que os utilizam à maneira de canais para a Misericórdia Divina; que esse regozijo nasça da oportunidade de servir ao bem, de consciência sintonizada com o Mestre Divino, entre as certezas
doces da fé, solidamente guardada no coração.

A palavra do Mestre aos companheiros é muito expressiva e pode beneficiar amplamente os discípulos inquietos de hoje.

Livro: Caminho Verdade e Vida.

Chico Xavier/Emmanuel.

FILHOS DA LUZ

FILHOS DA LUZ"Andai como filhos da luz." - Paulo.

(EFÉSIOS, 5:8.)Cada criatura dá sempre notícias da própria origem espiritual.

Os atos, palavras e pensamentos constituem informações vivas da zona mental de que procedemos.

Os filhos da inquietude costumam abafar quem os ouve, em mantos escuros de aflição.

Os rebentos da tristeza espalham o nevoeiro do desânimo.

Os cultivadores da irritação fulminam o espírito da gentileza com os raios da cólera.

Os portadores de interesses mesquinhos ensombram a estrada em que transitam, estabelecendo escuro clima nas mentes alheias.

Os corações endurecidos geram nuvens de desconfiança, por onde passam.

Os afeiçoados à calúnia e à maledicência distribuem venenosos quinhões de trevas com que se improvisam grandes males e grandes crimes.

Os cristãos, todavia, são filhos da luz.E a missão da luz é uniforme e insofismável.Beneficia a todos sem distinção.

Não formula exigências para dar.Afasta as sombras sem alarde.

Espalha alegria e revelação crescentes.Semeia renovadas esperanças.Esclarece, ensina, ampara e irradia-se.

Vinha de Luz

Chico Xavier/André Luiz


QUEM LÊ, ATENDA

"Quem lê, atenda." - Jesus. (MATEUS, 24:15.)

Assim como as criaturas, em geral, converteram as produções sagradas da Terra em objeto de perversão dos sentidos, movimento análogo se verifica no mundo, com referência aos frutos do pensamento.

Freqüentemente as mais santas leituras são tomadas à conta de tempero emotivo, destinado às sensações renovadas que condigam com o recreio pernicioso ou com a indiferença pelas obrigações mais justas.

Raríssimos são os leitores que buscam a realidade da vida.

O próprio Evangelho tem sido para os imprevidentes e levianos vasto campo de observações pouco dignas.

Quantos olhos passam por ele, apressados e inquietos, anotando deficiências da letra ou catalogando possíveis equívocos, a fim de espalharem sensacionalismo e perturbação? Alinham, com avidez, as contradições aparentes e tocam a malbaratar, com enorme desprezo pelo trabalho alheio, as plantas tenras e dadivosas da fé renovadora.

A recomendação de Jesus, no entanto, é infinitamente expressiva.

É razoável que a leitura do homem ignorante e animalizado represente conjunto de ignominiosas brincadeiras, mas o espírito de religiosidade precisa penetrar a leitura séria, com real atitude de elevação.

O problema do discípulo do Evangelho não é o de ler para alcançar novidades emotivas ou conhecer a Escritura para transformá-la em arena de esgrima intelectual, mas, o de ler para atender a Deus, cumprindo-lhe a Divina Vontade.

Livro; Vinha de Luz
Chico Xavier/Emmanuel