Trabalhemos todos, pela Unificação do movimento espírita!!

O Espiritismo é uma questão de fundo; prender-se à forma seria puerilidade indigna da grandeza do assunto. Daí vem que os centros que se acharem penetrados do verdadeiro espírito do Espiritismo deverão estender as mãos uns aos outros, fraternalmente, e unir-se para combater os inimigos comuns: a incredulidade e o fanatismo.”

“Dez homens unidos por um pensamento comum são mais fortes do que cem que não se entendam.”
Allan Kardec (Obras Póstumas – Constituição do Espiritismo – Item VI).



sábado, 30 de abril de 2016

Vida Feliz

VIII

Vive sempre em paz.
Uma consciência tranquila, que não traz remorsos de atos passados, nem teme ações futuras, gera harmonia.
Nada de fora perturba um coração tranquilo, que pulsa ao compasso do dever retamente cumprido.
A paz merece todo o teu esforço para consegui-la.
Livro: Fonte Viva
Joanna de Ângelis

Francisco Rebouças

SEMANA DA FAMÍLIA - UMEN

Convidamos a todos os amigos para a Semana da Família que se realizará na UMEN - União da Mocidade Espírita de Niterói, entre os dia 09 e 15 de maio, em nossa sede, na Rua Princesa Isabel, nº 45 Bairro de Fátima, Niterói/RJ.



































http://umen.org.br/

Francisco Rebouças

quarta-feira, 27 de abril de 2016

Almoço no CEPAT

CEPAT - Centro Espírita Paulo de Tarso
CONVITE
 VENHA DESFRUTAR, COM SUA FAMÍLIA E AMIGOS, DE UM DELICIOSO ALMOÇO E MUITA MÚSICA. 



CARDÁPIO: FEIJOADA
 PREÇO: R$30,00
 LOCAL: CEPAT
 HORÁRIO: 13 HORAS
 DATA: 01/05/16


INFORMAÇÕES: 98139-4350

Rua Martins Torres, 46 – Santa Rosa – Niterói – RJ – CEP 24.240-705.
CNPJ 03.426.815/0001-25 – cepat@click21.com.br

Francisco Rebouças

13º Encontro de Espiritismo em Jacareí/SP.

Caros amigos, recebi para divulgação os cartazes do 13º Encontro de Espiritismo que se dará em Jacareí/SP, no período de 10 a 12 de junho de 2016

Francisco Rebouças

terça-feira, 26 de abril de 2016

4ª Marcha pela Vida

Domingo dia 1/05/2016, mais um movimento contra o ABORTO.
Compareçam, divulguem!!























Francisco Rebouças

Palavra aos espíritas

Reunião pública de 17/4/59
Questão nº 798

Espiritismo revivendo o Cristianismo – eis a nossa responsabilidade.
Como outrora Jesus revelou a Verdade em amor, no seio das religiões bárbaras de há dois mil anos, usando a própria vida como espelho do ensinamento de que se fizera veículo, cabe agora ao Espiritismo confirmar-lhe o ministério divino, transfigurando-lhe as lições em serviço de aprimoramento da Humanidade.
Espíritas!
Lembremo-nos de que templos numerosos, há muitos séculos, falam dEle, efetuando porfiosa corrida ao poder humano, olvidando-lhe a abnegação e a humildade.
E porque não puderam acomodar-se aos imperativos do Evangelho, fascinados que se achavam pela posse da autoridade e do ouro, erigiram pedestais de intolerância para si mesmos.
Todavia, a intolerância é a matriz do fratricídio, e o fratricídio é a guerra de conquista em ação. E a lei da guerra de conquista é o império da rapina e do assalto, da insolência e do ódio, da violência e da crueldade, proscrevendo a honra e aniquilando a cultura, remunerando a astúcia e laureando o crime, acendendo fogueiras e semeando ruínas em rajadas de sangue e destruição.
Somos, assim, chamados à tarefa da restauração e da paz, sem que essa restauração signifique retorno aos mesmos erros e sem que essa paz traduza a inércia dos pântanos.
É imprescindível estudar educando e trabalhar construindo.
Não vos afasteis do Cristo de Deus, sob pena de converterdes o fenômeno em fator de vossa própria servidão às cidadelas da sombra, nem algemeis os punhos mentais ao cientificismo pretensioso.
Mantende o cérebro e o coração em sincronia de movimentos, mas não vos esqueçais de que o Divino Mestre superou a aridez do raciocínio com a água viva do sentimento, a fim de que o mundo moral do homem não se transforme em pavoroso deserto.
Aprendamos do Cristo a mansidão vigilante.
Herdemos do Cristo a esperança operosa.
Imitemos do Cristo a caridade intemerata.
Tenhamos do Cristo o exemplo resoluto.
Saibamos preservar e defender a pureza e a simplicidade de nossos princípios.
Não basta a fé para vencer. É preciso que a fidelidade aos compromissos assumidos se nos instale por chama inextinguível na própria alma.
Nem conflitos estéreis.
Nem fanatismo dogmático.
Nem tronos de ouro.
Nem exotismos.
Nem perturbação fantasiada de grandeza intelectual.
Nem bajulação às conveniências do mundo.
Nem mensagens de terror.
Nem vaticínios mirabolantes.
Acima de tudo, cultuemos as bases codificadas por Allan Kardec, sob a chancela do Senhor, assinalando-nos as vidas renovadas, no rumo do Bem Eterno.
O Espiritismo, desdobrando o Cristianismo, é claro como o Sol.
Não nos percamos em labirintos desnecessários, porquanto ao espírita não se permite a expectação da miopia mental.

Sigamos, pois, à frente, destemerosos e otimistas, seguros no dever e leais à própria consciência, na certeza de que o nome de Nosso Senhor Jesus-Cristo está empenhado em nossas mãos.

Livro: Religião dos Espíritos
Chico Xavier/Emmanuel
Francisco Rebouças

32º Aniversário da Casa Espírita Suave Caminho

Dias 14 e 15/05/2016, Estaremos celebrando 32 anos da Casa Espírita Suave Caminho.
Venha comemorar conosco!
https://www.facebook.com/casaespirita.suavecaminho






















Francisco Rebouças

segunda-feira, 25 de abril de 2016

Vida Feliz

VII

Não ambiciones demasiadamente.

"Quem muito abarca, pouco aperta" — afirma o refrão popular.

A ambição desmedida enlouquece, quando já não infelicita antes.

Cuida de lutar pelo necessário, repartindo o que te exceda, certamente, fazendo falta a outros.

Livro: Vida Feliz
Divaldo Franco/Joanna de Ângelis

Francisco Rebouças

sábado, 23 de abril de 2016

Humanidade real

“... Eis o Homem!” – Pilatos. (João, 19:5.) 

Apresentando o Cristo à multidão, Pilatos não designava um triunfador terrestre. 
Nem banquete, nem púrpura. 
Nem aplauso, nem flores. 
Jesus achava-se diante da morte. 
Terminava uma semana de terríveis flagelações. 
Traído, não se rebelara. 
Preso, exercera a paciência. 
Humilhado, não se entregou a revides. 
Esquecido, não se confiou à revolta. 
Escarnecido, desculpara. 
Açoitado, olvidou a ofensa. 
Injustiçado, não se defendeu. 
Sentenciado ao martírio, soube perdoar. 
Crucificado, voltaria à convivência dos mesmos discípulos e beneficiários  que  o  haviam  abandonado,  para  soerguer-lhes a esperança. 
Mas, exibindo-o, diante do povo, Pilatos não afirma: – Eis o condenado, eis a vítima! 
Diz simplesmente: – “Eis o Homem!” 
Aparentemente  vencido,  o  Mestre  surgia  em  plena grandeza espiritual, revelando o mais alto padrão de dignidade humana. 
Rememorando,  pois,  semelhante  passagem,  recordemos que somente nas linhas morais do Cristo é que atingiremos a Humanidade Real. 

Livro: Fonte Viva
Chico Xavier/Emmanuel
Francisco Rebouças

A Mediunidade com Cristo!

As defesas das Casas Espíritas sérias, que trabalham exclusivamente na obra do bem, jamais estão esquecidas e recebem da equipe espiritual, toda atenção e cuidado na providência desse importante item que é a proteção de que necessitam os grupamentos mediúnicos, para que tenham total tranquilidade para que possam se dedicar às tarefas reservadas a elas na obra da caridade nas suas dependências com toda calma e todo amor possível.
Mesmo assim, as Instituições Espíritas, constantemente são alvo de ataques dos espíritos desequilibrados, que trabalham a serviço das trevas, na tentativa de espalharem temor e desequilíbrio por onde se movimentam, com a finalidade de amedrontar e causar desarmonia nas equipes do plano físico, que, se não estiverem bem preparadas para as tarefas poderão ser afetadas, sofrendo a interferência perniciosa dessas entidades perturbadoras.
Contudo, se os tarefeiros da equipe do plano físico forem portadores de uma conduta digna de um verdadeiro tarefeiro espírita, isto é, se procuram manter elevado padrão de moralidade em suas vidas particulares, se são zelosos em seus afazeres, respeitosos para com as Leis de Deus e dos homens, se cumprem com dignidade e honestidade, seus compromissos, e, ainda, confiam na equipe do plano espiritual, certamente nada precisarão temer em relação às ameaças que recebem dos espíritos que lá se manifestam com promessas de forra.
Essas entidades, perturbadas e perturbadoras, são levadas às reuniões mediúnicas, com o aval da equipe de proteção das tarefas de cunho espiritual das casas espíritas, e estão submetidos à rigorosa vigilância dos emissários da paz, pois, são irmãos em profundo estado de ignorância, e, por essa razão, precisam ter o merecido esclarecimento a respeito das Divinas e sábias Leis de amor que regem o destino das criaturas e que devem viger na relação de contato entre elas.
(…) Porem, aqueles que estiverem com o Cristo estarão fortalecidos para suportar qualquer problema. Onde há fé, a discórdia não domina, onde há esperança, a solidão não maltrata, onde há amor, o mal jamais vencerá, e onde houver o Cristo, certa é a proteção e a vitória no porvir. Estes são os verdadeiros antídotos para vencer o mal feito e afastar os adversários do bem!” ¹
A equipe espiritual, que cuida da segurança das tarefas levadas a efeito nas Instituições espíritas, particularmente na tarefa da desobsessão, é composta por verdadeiros “guerreiros”, devidamente instruídos para manter a tranquilidade com vigor, mas, de maneira respeitosa, dando ênfase à ordem que não pode ser negligenciada de forma alguma, pois, a caridade não dispensa a disciplina e o bom senso.
Nesse aspecto, os encarregados pela segurança do ambiente não permitem o ingresso de entidades perturbadoras ou malfeitoras sem o devido aval dos dirigentes do Mais Alto, para que o trabalho não sofra danos prejudiciais ao seu bom andamento; pois, são prestimosos e dedicados tarefeiros da Seara do Mestre de Nazaré, empenhados na plantação da semente do bem no solo dos corações necessitados.
É, por essa razão, que os participantes das equipes do plano físico, destinadas ao socorro dos irmãos necessitados nas reuniões mediúnicas, não precisam estar ansiosos ou preocupados com outra coisa, senão a concentração e o empenho em desenvolver da melhor maneira possível das funções reservadas a cada indivíduo na obra da caridade atendendo aos anseios da equipe espiritual que com eles contam para o bom êxito da empreitada.
Mesmo aquelas entidades que chegam às reuniões mediúnicas dizendo que invadiram o recinto dos trabalhos, contrariando a ordem de não entrar, mal sabem que seu ingresso foi permitido com severa vigilância e controle dos responsáveis pela harmonia e ordem no ambiente.
Assim sendo, tenhamos absoluta certeza de que, tudo que se passa nos ambientes das reuniões mediúnicas que trabalham alicerçadas pelo conhecimento contido nas obras do espiritismo, particularmente em O Livro dos Médiuns, e levado a efeito com amor e disciplina, por todos os tarefeiros da equipe encarnada estarão sob a direção e proteção de qualificadas equipes do plano espiritual, e supervisionada pelo Mestre da Vinha, que espera de nós outros, apenas a participação de forma digna e o sincero desejo de nos tornar instrumentos úteis sob o amparo amigo dos Emissários da Luz.
Bibliografia:1) Cristiano, Emanuel – Livro: Bastidores da Mediunidade, pelo Espírito Nora, Editora Allan Kardec – 2ª edição, página 113.
Francisco Rebouças.

quarta-feira, 20 de abril de 2016

Palestras na UMEN

quinta-feira, 21 de abril -20:15h
PALESTRA - EM TORNO DA PAZ (Livro: CARTAS E CRÔNICAS - Cap.19 )
Expositor: TITO VERSIANI (UMEN)

domingo, 24 de abril 17:15h
PALESTRA - Tema livre
Expositor: Jano Alves de Souza  (UMEN)

segunda-feira, 25 de abril -08:45h
PALESTRA - A Bíblia e o Espiritismo
Expositora: Carla Antunes (UMEN)

terça-feira, 26 de abril -14:15h
O VALOR DO SACRIFÍCIO (L.E. QUESTÕES 669 a 673)
Sílvia Silva (GESJ)

quinta-feira, 28 de abril -20:15h
PALESTRA - O ESPIRITISMO NA ATUALIDADE (Livro: ROTEIRO - Cap.22 )
Expositor: FRANCISCO REBOUÇAS (UMEN)

Compareçam, divulguem!

Endereço: Rua Princesa Isabel, nº 45.
Bairro de Fátima - Niterói/RJ.
www.umen.org.br/
Francisco Rebouças

Ajudamos sempre

“E quem é o meu próximo?” – (Lucas, 10:29.) 

O próximo a quem precisamos prestar imediata assistência é sempre a pessoa que se encontra mais perto de nós. 
Em suma, é, por todos os modos, a criatura que se avizinha de nossos passos. E como a Lei Divina recomenda amemos o próximo como a nós mesmos, preparemo-nos para ajudar, infinitamente... 
Se  temos  pela  frente  um  familiar,  auxiliemo-lo  com  a nossa cooperação ativa. 
Se somos defrontados por um superior hierárquico, exercitemos o respeito e a boa-vontade. 
Se  um  subordinado  nos  procura,  ajudemo-lo  com  atenção e carinho. 
Se  um  malfeitor  nos  visita,  pratiquemos  a  fraternidade, tentando, sem afetação, abrir-lhe rumos novos na direção do bem. 
Se o doente nos pede socorro, compadeçamo-nos de sua posição, qualquer que ela seja. 
Se o bom se socorre de nossa palavra, estimulemo-loa que se faça melhor. 
Se  o  mau  nos  busca  a  influência,  amparemo-lo,  sem alarde, para que se corrija. 
Se há Cristianismo em nossa consciência, o cultivo sistemático  da compreensão  e  da  bondade  tem  força  de  lei  em nossos destinos. 
Um cristão sem atividade no bem é um doente de mau aspecto, pesando na economia da coletividade. 
No Evangelho, a posição neutra significa menor esforço. 
Com  Jesus,  de  perto,  agindo  intensivamente  junto  dele; ou com Jesus, de longe, retardando o avanço da luz. E  sabemos que o Divino Mestre amou e amparou, lutou em favor da luz e resistiu à sombra, até à cruz. 
Diante, pois, do próximo, que se acerca do teu coração, cada 
dia, lembra-te sempre de que estás situado na Terra para aprender e auxiliar. 

Livro: Fonte Viva
Chico Xavier/Emmanuel

Francisco Rebouças

domingo, 17 de abril de 2016

OS TEMPOS DO PORVIR


Marchamos, pois, para uma época de crença firme e consoladora, que derramará o bálsamo da fé pura e iluminada sobre as almas que adorarão o Criador, sem qualquer véu de formalidades inadequadas e obsoletas. Semelhantes transformações serão efetuadas após muitas lutas, que encherão de receios e de espantos os espíritos encarnados. Lembremo-nos, porém, de que “Deus está no leme”. É esse o porvir do orbe em que viveis. Contudo, quanto tempo decorrerá, até que essa nova era brilhe nos horizontes do entendimento humano? Ignoramos.
 Conjuguemos, todavia, os nossos esforços a fim de alcançarmos esse desiderato. Demonstrai, com o vosso exemplo, que a luz permanece em vossos corações e cooperareis conosco, em favor dessas mutações precisas. Toda reforma terá de nascer no interior. Da iluminação do coração vem a verdadeira cristianização do lar, e do aperfeiçoamento das coletividades surgirá o novo e glorioso dia da Humanidade.
Livro: Emmanuel
Chico Xavier/Emmanuel
Francisco Rebouças

“Se teus olhos forem bons…”

 “A candeia do corpo são os olhos; de sorte que, se os teus olhos forem bons, todo teu corpo será luminoso; porém, se os teus olhos forem maus, o teu corpo será tenebroso.  (Mateus, 6-22/23).” ¹
Quanto percebermos qualquer tipo de ocorrência menos feliz, onde o mal aparentemente esteja no comando da situação, procuremos ver o bem que permanece imperceptível, mas vivo por trás do referido episódio, esperando para também ser consolidado.
Todos os vultos daqueles que já ouvimos falar, através da história, que escreveram suas páginas de dominação, hipocrisia, violência etc., nada mais eram que infelizes criaturas trazidas ao campo das provas com o objetivo de renovação, crescimento e progresso interior, mas que por invigilância se precipitaram nos despenhadeiros do egoísmo e do orgulho, esquecidos de seus compromissos anteriormente assumidos perante a Espiritualidade Amiga, de ajudarem seus irmãos em caminhada evolutiva, e dessa forma quitarem ou pelo menos diminuírem suas dívidas contraídas perante a Lei Maior.
Fracassaram em seus propósitos, pelo mau hábito de se fixarem nas trevas do egocentrismo, com o esquecimento dos deveres para com a reforma íntima que assumiram de por em prática de forma disciplinada tudo o que aprenderam nos cursos que frequentaram nas benditas escolas do plano espiritual no intuito de percorrerem seus caminhos refazendo o que outrora desfizeram, construindo o que outrora destruíram.
Por isso, antes de opinar sobre esse ou aquele acontecimento, pensa que a sabedoria Divina está atenta a tudo e nada ocorre sem a permissão de Deus com o fito único de aperfeiçoamento dos envolvidos em tais situações passageiras. Que dizer daquele que, a pretexto de apagar um incêndio, atirasse combustível à fogueira?
Sempre, que as circunstâncias te colocarem no tribunal da observação, de algum quadro de sofrimento ou desequilíbrio, deixa que a pureza da fé positiva te ventile a cabeça e te surpreenderás com o novo aspecto que te surgirá, propiciando-te ensejo de visualizar uma melhor maneira para participar de forma a ajudar positivamente, como te for possível.
Se uma notícia inquietante te chega aos ouvidos, descerra as portas da alma à inspiração Divina do otimismo, e encontrarás logo a chave destinada à solução dos casos mais aflitivos, pois teus auxiliares do plano Divino estarão junto de ti para socorre-te; se um amigo te impõe decepções e pesares, recorda que o doente é quem precisa de médico, como nos asseverou Jesus e, procura ser útil a ele, ajudando-o a reduzir sua enfermidade ou até suprimi-la e não lhes piores as angústias que o atormentam com frases sombrias ou agressivas.
Lembra-te que pessimismo e azedume só sevem para transformar pequeninos contratempos em grandes tragédias. Não progrediremos nem nos aperfeiçoaremos sem o contato social, que nos impõe o convívio com nossos semelhantes tão necessitados de compreensão quanto nós próprios, entende que não só precisamos saber viver, mas também saber conviver.
No mecanismo das relações humanas, todos nós necessitamos do óleo da paciência e do auxílio, pois o aprendizado evolutivo não dispensa o aprendiz do trabalho da análise cuidadosa e honesta dos acontecimentos à sua volta.
“Muita gente acredita que o “homem caído” é alguém que deve ser aniquilado. Jesus, no entanto, não adotou essa diretriz. Dirigindo-se, amorosamente, ao pecador, sabia-se, antes de tudo, defrontado por enfermo infeliz, a quem não se poderia subtrair as características de eternidade.
Lute-se contra o crime, mas ampare-se a criatura que se lhe enredou nas malhas tenebrosas.
O Mestre indicou o combate constante contra o mal, contudo, aguarda a fraternidade legítima entre os homens por marco sublime do Reino Celeste”. ²
As Leis de Deus são perfeitas e Deus, é todo amor e justiça e não haverá criatura alguma que não terá inúmeras outras oportunidades de progresso moral e espiritual conforme nos esclarecem os Espíritos Superiores em O Livro dos Espíritos, conforme segue:
166. Como pode a alma, que não alcançou a perfeição durante a vida corpórea, acabar de depurar-se?“Sofrendo a prova de uma nova existência.”
1.a) – Como realiza essa nova existência? Será pela sua transformação como Espírito?“Depurando-se, a alma indubitavelmente experimenta uma transformação, mas para isso necessária lhe é a prova da vida corporal.”
1.b) – A alma passa então por muitas existências corporais?“Sim, todos contamos muitas existências. Os que dizem o contrário pretendem manter-vos na ignorância em que eles próprios se encontram. Esse o desejo deles.”
1.c) – Parece resultar desse princípio que a alma, depois de haver deixado um corpo, toma outro, ou, então, que reencarna em novo corpo. E assim que se deve entender?“Evidentemente.”
167. Qual o fim objetivado com a reencarnação?“Expiação, melhoramento progressivo da Humanidade. Sem isto, onde a justiça?”
168. É limitado o número das existências corporais, ou o Espírito reencarna perpetuamente?“A cada nova existência, o Espírito dá um passo para diante na senda do progresso. Desde que se ache limpo de todas as impurezas, não tem mais necessidade das provas da vida corporal.”
169. É invariável o número das encarnações para todos os Espíritos?“Não; aquele que caminha depressa, a muitas provas se forra. Todavia, as encarnações sucessivas são sempre muito numerosas, porquanto o progresso é quase infinito.”
170. O que fica sendo o Espírito depois da sua última encarnação?“Espírito bem-aventurado; puro Espírito.” ³
Todos, porém, que já despertaram para as responsabilidades de construir e elevar, são chamados a ver, e raciocinar na construção do bem comum, e o Senhor nos permite identificar o mal, não para que analisemos sob a ótica do pessimismo ou da revolta usando as mesmas armas do homem velho, e sim para que colaboremos com ele na eliminação das sombras, em benefício da luz.
Referências:(1) Evangelho de Mateus, 6-22/23;
(2) Xavier, Francisco Cândico, pelo Espírito Emmanuel – Livro Pão Nosso-FEB, cap.122; e
(3) Kardec, Allan. O Livro dos Espíritos, FEB. 76ª edição.
Francisco Rebouças

sábado, 16 de abril de 2016

Ante falsos profetas

Reunião pública de 30/3/59
Questão nº 624
Acautela-te em atribuir aos falsos profetas o fracasso de teus empreendimentos morais.
Recorda que todos somos tentados, segundo a espécie de nossas imperfeições.
Não despertarás a fome do peixe com uma isca de ouro, nem atrairás a atenção do cavalo com um prato de pérolas, mas, sim, ofertando-lhes à percepção leve bocado sangrento ou alguma concha de milho.
Desse modo, igualmente, todos somos induzidos ao erro, na pauta de nossa própria estultícia.
Dominados de orgulho, cremos naqueles que nos incitam à vaidade e, sedentos de posse, assimilamos as sugestões infelizes de quantos se proponham explorar-nos a insensatez e a cobiça.
É preciso lembrar que todos somos, no traje físico ou dele desenfaixados, espíritos a caminho, buscando na luta e na experiência os fatores da evolução que nos é necessária, e que, por isso mesmo, se já somos aprendizes do Cristo, temos a obrigação de buscar-lhe o exemplo para metro ideal de nossa conduta.
Não vale, assim, alegar confiança na palavra de quantos nos sustentem a fantasia, com respeito a fictícios valores de que sejamos depositários, no pressuposto de que venham até nós, na condição de desencarnados; pois que a morte do corpo é, no fundo, simples mudança de vestimenta, sem afetar, na maioria das circunstâncias, a nossa formação espiritual.
“Não creias, desse modo, em todo Espírito” – diz-nos o Apóstolo –, porquanto semelhante atitude envolveria a crença cega em nossos próprios enganos, com a exaltação de reiterados caprichos.
O ouvido que escuta é irmão da boca que fala.
Ilusão admitida é nossa própria ilusão.
Apetite insuflado é apetite que acalentamos.
Mentira acreditada é a própria mentira em nós.
Crueldade aceita é crueldade que nos pertence.
De alguma sorte, somos também a força com a qual entramos em sintonia.
Procuremos, pois, o Mestre dos mestres como sendo a luz de nosso caminho. E cotejando, com as lições dEle, avisos e informes, mensagens e advertências que nos sejam endereçados, desse ou daquele setor de esclarecimento, aprenderemos, sem sombra, que a humildade e o serviço são nossos deveres de cada hora, para que a verdade nos ilumine e para que o amor puro nos regenere, preservando-nos, por fim, contra o assédio de todo mal.
 
Livro: Religião dos Espíritos
Chico Xavier/Emmanuel
Francisco Rebouças

Tarde Musical

Acontecerá no próximo dia 21 de abril no CEAP - Centro Espírita Antônio de Pádua.
Compareçam, divulguem!!!

Compareçam, divulguem!!!

Francisco Rebouças

quarta-feira, 13 de abril de 2016

Vida Feliz

                                                VI
Quando estiveres em dúvida, resolve pela atitude menos prejudicial ao próximo e ati próprio.

Evita arriscar-te e arruinar outras pessoas.

Age em serenidade, certo de que o teu gesto repercutirá nas demais pessoas, de acordo com a emoção e o conteúdo de que se revista.

Livro: Vida Feliz
Divaldo Franco/Joanna de Ângelis

Francisco Rebouças

segunda-feira, 11 de abril de 2016

PRECEITOS DE SAÚDE

André Luiz

1   -   Guarde   o   coração   em   paz,   à   frente   de   todas   as situações   e   de   todas   as coisas. Todos os patrimônios da vida pertencem a Deus.
2   -   Apóie-se   no   dever   rigorosamente   cumprido.   Não   há equilíbrio   físico   sem harmonia espiritual.
3 - Cultive o hábito da oração. A prece é Luz na defesa do corpo e da alma.
4  -  Ocupe  o  seu  tempo   disponível  com  o  trabalho proveitoso,   sem  esquecer  o descanso imprescindível ao justo refazimento. A sugestão das trevas chega até nos pela hora vazia.
5   -   Estude   sempre.   A   renovação   das   ideias   favorece   a sábia   renovação   das células orgânicas.
6  -  Evite   a  cólera.  Enraivecer-se   é  animalizar-se   caindo nas sombras  de  baixo nível.
7 - Fuja a maledicência. O lodo agitado atinge a quem o revolve.
8 - Sempre que possível, respire a longos haustos e não olvide o banho diário,
ainda que ligeiro. O ar puro é precioso alimento e a limpeza é simples obrigação.
9   -   Coma   pouco.   A   criatura   sensata   come   para   viver, enquanto   a   criatura imprudente vive para comer .
10   -   Use   a   paciência   e   o   perdão   infatigavelmente. Todos nós   temos   sido caridosamente tolerados pela Bondade Divina milhões de vezes e conservar o coração no vinagre da intolerância é provocar a própria queda na morte inútil.
 
Livro: Aulas da Vida
Chico Xavier/Espíritos Diversos
 
Francisco Rebouças

sábado, 9 de abril de 2016

Ricamente

“A palavra do Cristo habite em vós, ricamente.” – Paulo. (Colossenses, 3:16.)
Dizes confiar no poder do Cristo, mas, se o dia aparece em cores contrárias à tua expectativa, demonstras deplorável indigência de fé na inconformação.
Afirmas cultivar o amor que o Mestre nos legou, entretanto, se o companheiro exterioriza pontos de vista diferentes dos teus, mostras enorme pobreza de compreensão, confiando-te ao desa-grado e à censura.
Declaras aceitar o Evangelho em sua simplicidade e pureza, contudo, se o Senhor te pede algum sacrifício perfeitamente compatível com as tuas possibilidades, exibes incontestável carência de cooperação, lançando reptos e solicitando reparações.
Asseveras procurar a Vontade do Celeste Benfeitor, no entanto, se os teus caprichos não se encontram satisfeitos, mostras lastimável miséria de paciência e esperança, arrojando teus me-lhores pensamentos ao lamaçal do desencanto.
Acenderemos, porém, a luz, permanecendo nas trevas?
Daremos testemunho de obediência, exaltando a revolta?
Ensinaremos a serenidade, inclinando-nos à desesperação?
Proclamaremos a glória do amor, cultivando o ódio?
A palavra do Cristo não nos convida a marchar na fraqueza ou na lamentação, como se fôssemos tutelados da ignorância.
Segundo a conceituação iluminada de Paulo, a Boa Nova deve irradiar-se de nossa vida, habitando a nossa alma, ricamente.
Livro: Fonte Viva
Chico Xavier/Emmanuel
Francisco Rebouças

quinta-feira, 7 de abril de 2016

PRECEITOS DE SAÚDE

André Luiz

1   -   Guarde   o   coração   em   paz,   à   frente   de   todas   as situações   e   de   todas   as coisas.T odos os patrimônios da vida pertencem a Deus. 
2   -   Apóie-se   no   dever   rigorosamente   cumprido.   Não   há equilíbrio   físico   sem harmonia espiritual.
3 - Cultive o hábito da oração. A prece é Luz na defesa do corpo e da alma. 
4  -  Ocupe  o  seu  tempo   disponível  com  o  trabalho  proveitoso, sem  esquecer  o descanso imprescindível ao justo refazimento. A sugestão das trevas chega até nos pela hora vazia. 
5   -   Estude   sempre.   A   renovação   das   idéias   favorece   a sábia   renovação   das células orgânicas. 
6  -  Evite   a  cólera.  Enraivecer-se   é  animalizar-se   caindo  nas sombras  de  baixo nível.
7 - Fuja a maledicência. O lodo agitado atinge a quem o revolve.
8 - Sempre que possível, respire a longos haustos e não olvide o banho diário, ainda que ligeiro. O ar puro é precioso alimento e a limpeza é simples obrigação.
9   -   Coma   pouco.   A   criatura   sensata   come   para   viver, enquanto   a   criatura imprudente vive paracomer . 
10   -   Use   a   paciência   e   o   perdão   infatigavelmente. Todos nós   temos   sido caridosamente tolerados pela Bondade Divina milhões de vezes e conservar o coração no vinagre da intolerância é provocar a própria queda na morte inútil.

Livro: Aulas da Vida
Chico Xavier/Espíritos Diversos
Francisco Rebouças

quarta-feira, 6 de abril de 2016

Raul Teixeira em Cabo Frio

Meus prezados amigos, neste domingo dia 03/04/2016, aconteceu o encontro de Raul Teixeira com os amigos da Região dos Lagos no C.E.T.J. Centro Espírita Trabalhadores de Jesus em Cabo Frio, que completava 93 anos de excelentes serviços prestados na Seara do Mestre de Nazaré.
Foi um encontro realmente inesquecível para todos que lá estiveram desde a excelente organização, recepção e demais providências dos amigos daquela casa tão querida por todos que a conhecemos, justamente por essa particularidade.
Diversas instituições de outras cidades estavam presentes, prestigiando o acontecimento, e posso garantir aos que não foram que perderam uma rara oportunidade de desfrutar de uma indescritível alegria que tomou conta do ambiente contagiando o coração de todos os presentes.
 A partir da chegada do Convidado Especial, o querido Raul Teixeira, a emoção tomou conta do recinto, a prece inicial da abertura do encontro foi algo emocionante que levou a grande maioria dos presentes às lágrimas.
A pós as apresentações da Biografia de Raul Teixeira e do coordenador do seminário Pedro Paulo Legey, iniciou-se as atividades doutrinárias que teve como tema: “Todos Precisam de paz na Alma”, fundamentado no livro do mesmo nome da lavra de Raul Teixeira, ditado por sua mãe Benedita Maria.
Foi um seminário espetacular, onde o orador bastante inspirado trouxe-nos as reflexões sobre o assunto de forma simples e ao mesmo tempo profunda.
Terminado o seminário Raul Teixeira emocionou a todos com a prece final. Em seguida passou a autografar com muito carinho os livros para quantos adquiriram suas obras.
Logo depois foi servido um delicioso almoço, de excelente qualidade, feito com o coração pelos trabalhadores daquela Instituição amiga.
Raul Teixeira, conversou, abraçou e tirou muitas fotos com todos que há muito tempo não o viam.
Toda a arrecadação do evento foi doada para as obras do Remanso Fraterno.
Foi uma festa em todos os sentidos e nós agradecemos a Deus pela oportunidade de lá estarmos para testemunhar algo tão lindo!
Aproveito a oportunidade para agradecer ao Presidente Marcio, a toda Diretoria, e os abnegados trabalhadores dessa grandiosa Instituição Espírita. 
Parabéns CETJ, e recebam todos o nosso sincero e reconhecido Muito Obrigado!
Deus os abençoe abundantemente!!!
Francisco Rebouças

Vida Feliz

                                                       V
Concede ao teu próximo os mesmos direitos e favores que esperas dele receber.

O egoísmo é doença que envenena a alma.

O amigo ao teu lado anela pelo s espaços para viver, conforme ocorre contigo.

Lembra-te de não lhe interditar a oportunidade.

O que te está reservado, aprende a repartir.

Livro: Vida Feliz
Divaldo Franco/Joanna de Ângelis

Francisco Rebouças

Brasil coração do mundo...

https://youtu.be/_a9tpJnGcbw

Homenagem a Chico Xavier

Haroldo Dias Dutra - As cartas de Paulo

Haroldo Dutra - Jesus o Médico da Almas

https://youtu.be/Uk7OUvyGCZU



Divaldo Franco

https://youtu.be/OVbstbRFs9M

Entrevista sobre Emmanuel, Joanna de Ângelis...

Reencarnação é uma realidade

Palestra O trabalho no Bem - Cristiane Parmiter

Palestra: As Leis Divinas e nós - Cristiane Parmiter

Palestra: Benevolência - Cristiane Parmiter

Palestra: Jesus e o Mundo - Cristiane Parmiter

Palestra: A Dinâmica do Perdão - Cristiane Parmiter

Palestra: Perante Jesus - Cristiane Parmiter

Palestra AVAREZA - Cristiane Parmiter

Palestra Obediência Construtiva - Cristiane Parmiter

Palestra Tribulações - Cristiane Parmiter

Palestra Conquistando a Fé - Cristiane Parmiter

Palestra Humildade e Jesus - Cristiane Parmiiter

Palestra Renúncia - Cristiane Parmiter

Rádios Brasil

Simplesmente Espetacular!!!

Professora Amanda Gurgel

Andrea Bocelli & Sarah Brightman - Time To Say Goodbye

De Kardec aos dias de hoje

Madre Teresa

As Mães de Chico Xavier

Reencarnação - Menino Piloto

http://www.youtube.com/embed/cQ2ZqUCKDow" frameborder="0" allowfullscreen>

Muitas Vidas

Espiritismo: família de Andrea Maltarolli mantém contato com a autora - Mais Você - GLOBO

Divaldo Franco

ESPIRITISMO - CHICO XAVIER - REPORTAGEM DO FANTASTICO - OS SEGREDOS DE CHICO

Entrevista com Divaldo Franco

Sobre Emmanuel, Joanna de Ângelis, e muito mais, confira. 1ª Parte 2ª Parte

Oração de Gratidão - Divaldo Franco

Chico Xavier

Chico Xavier no Fantástico

Chico Xavier (2010) trailer oficial

Página de Mensagens

Nesta página estarei lançando variadas páginas de conteúdo edificante para nosso aprendizado.

Francisco Rebouças.

1-ANTE A LIÇÃO

"Considera o que te digo, porque o Senhor te dará entendimento em tudo".- Paulo. II TIMÓTEO. 2:7.

Ante a exposição da verdade, não te esquives à meditação sobre as luzes que recebes.

Quem fita o céu, de relance, sem contemplá-lo, não enxerga as
estrelas; e quem ouve uma sinfonia, sem abrir-lhe a acústica da alma, não lhe percebe as notas divinas.

Debalde escutarás a palavra inspirada de pregadores ardentes, se não descerrares o coração para que o teu sentimento mergulhe na claridade bendita daquela.

Inúmeros seguidores do Evangelho se queixam da incapacidade de retenção dos ensinos da Boa Nova, afirmando-se ineptos à frente das novas revelações, e isto porque não dispensam maior trato à lição ouvida, demorando-se longo tempo na província da distração e da leviandade.

Quando a câmara permanece sombria, somos nós quem desata o ferrolho à janela para que o sol nos visite.

Dediquemos algum esforço à graça da lição e a lição nos responderá com as suas graças.

O apóstolo dos gentios é claro na observação. "Considera o que te digo, porque, então, o Senhor te dará entendimento em tudo."

Considerar significa examinar, atender, refletir e apreciar.

Estejamos, pois, convencidos de que, prestando atenção aos
apontamentos do Código da Vida Eterna, o Senhor, em retribuição à nossa boa-vontade, dar-nos-á entendimento em tudo.

Livro: Fonte Viva
Chico Xavier/Emmanuel

NO CAMPO FÍSICO

"Semeia-se corpo animal, ressuscitará corpo espiritual." - Paulo. (I CORÍNTIOS, 15:44.)

Ninguém menospreze a expressão animal da vida humana, a pretexto de preservar-se na santidade.

A imersão da mente nos fluidos terrestres é uma oportunidade de sublimação que o espírito operoso e desperto transforma em estruturação de valores eternos.

A sementeira comum é símbolo perfeito.

O gérmen lançado à cova escura sofre a ação dos detritos da terra, afronta a lama, o frio, a resistência do chão, mas em breve se converte em verdura e utilidade na folhagem, em perfume e cor nas flores e em alimento e riqueza nos frutos.

Compreendamos, pois, que a semente não estacionou. Rompeu todos os obstáculos e, sobretudo, obedeceu à influência da luz que a orientava para cima, na direção do Sol.

A cova do corpo é também preciosa para a lavoura espiritual, quando nos submetemos à lei que nos induz para o Alto.

Toda criatura provisoriamente algemada à matéria pode aproveitar o tempo na criação de espiritualidade divina.

O apóstolo, todavia, é muito claro quando emprega o termo "semeia-se". Quem nada planta, quem não trabalha na elevação da própria vida, coagula a atividade mental e rola no tempo à maneira do seixo que avança quase inalterável, a golpes inesperados da natureza.

Quem cultiva espinhos, naturalmente alcançará espinheiros.

Mas, o coração prevenido que semeia o bem e a luz, no solo de si mesmo, espere, feliz, a colheita da glória espiritual.

E N T R E I R M Ã O S
Olympia Belém (Espírito)[1]

Estes são tempos desafiadores para todos os que buscam um mundo melhor, onde reine o amor, onde pontifique a fraternidade, onde possam florir os mais formosos sentimentos nos corações.
Anelamos por dias em que a esperança, há tanto tempo acariciada, possa converter-se em colheita de progressos e de paz.
Sonhamos com esse alvorecer de uma nova era em que o Espiritismo, transformado em religião do povo, apresentando Jesus às multidões, descrucificado e vivo, possa modificar as almas, para que assumam seu pujante papel de filhas de Deus no seio do mundo.
Entrementes, não podemos supor que esses ansiados dias estejam tão próximos, quando verificamos que há, ainda, tanta confusão nos relacionamentos, tanta ignorância nos entendimentos, tanta indiferença e ansiedade nos indivíduos, como se vendavais, tufões, tormentas variadas teimassem em sacudir o íntimo das criaturas, fazendo-as infelizes.
A fim de que os ideais do Cristo Jesus alcancem a Terra, torna-se indispensável o esforço daqueles que, tendo ouvido o cântico doloroso do Calvário, disponham-se a converter suas vidas na madrugada luminosa do Tabor.
O mundo terreno, sob ameaças de guerras e sob os rufares da violência, em vários tons, tem urgência do Mestre de Nazaré, ainda que O ignore em sua marcha atordoada, eivada do materialismo que o fascina, que o domina e que o faz grandemente desfigurado, por faltar sentido positivo e digno no uso das coisas da própria matéria.
Na atualidade, porém, com as advertências da Doutrina dos Espíritos, com essa luculenta expressão da misericórdia de Deus para com Seus filhos terrenos, tudo se torna menos áspero, tudo se mostra mais coerente, oferecendo-nos a certeza de que, no planeta, tudo está de conformidade com a lei dos merecimentos, com as obras dos caminheiros, ora reencarnados, na estrada da suspirada libertação espiritual.
"A cada um segundo as suas obras" aparece como canto de justiça e esperança, na voz do Celeste Pastor.
Hoje, reunidos entre irmãos, unimo-nos aos Emissários destacados do movimento de disseminação da luz sobre as brumas terráqueas, e queremos conclamar os queridos companheiros, aqui congregados, a que não se permitam atormentar pelos trovões que se fazem ouvir sobre as cabeças humanas, ameaçadores, tampouco esfriar o bom ânimo, considerando que o Cristo vela sempre. Que não se deixem abater em razão de ainda não terem, porventura, alcançado as excelentes condições para o ministério espírita, certos de que o tempo é a magna oportunidade que nos concede o Senhor. Que ponham mãos à obra, confiantes e vibrantes, certos de que os verdadeiros amigos de Jesus caminham felizes, apesar das lutas e das lágrimas, típicas ocorrências das experiências, das expiações e das provas.
Marchemos devotados, oferecendo, na salva da nossa dedicação, o melhor que o Espiritismo nos ensina, o melhor do que nos apresenta para os que se perdem nas alamedas do medo, da desesperança e da ignorância a nossa volta.
Hoje, entre os amigos espíritas, encontramos maior ânimo para a superação dos nossos próprios limites, o que configurará, ao longo do tempo a superação dos limites do nosso honroso Movimento Espírita.
Sejamos pregadores ou médiuns, evangelizadores, escritores ou servidores da assistência social, não importa. Importa que nos engajemos, todos, nos labores do Codificador, plenificando-nos da grande honra de cooperar com os excelsos interesses do Insuperado Nazareno.
O tempo é hoje, queridos irmãos. O melhor é o agora, quando nos entrelaçamos para estudar, confraternizar e louvar a Jesus com os corações em clima festivo.
Certos de que o Espiritismo é roteiro de felicidade e bandeira de luz, que devemos içar bem alto sobre o dorso do planeta, abracemo-nos e cantemos, comovidos: Louvado seja Deus! Louvado seja Jesus!
Com extremado carinho e votos de crescente progres­so para todos, em suas lidas espiritistas, quero despedir-me sempre devotada e servidora pequenina.
Olympia Belém.

[1]
- Mensagem psicografada pelo médium J. Raul Teixeira no dia 03.09.95, no encerramento da X Confraternização Espírita do Estado do Rio de Janeiro.

O TEMPO

“Aquele que faz caso do dia, patrão Senhor o faz.” — Paulo. (ROMANOS, capítulo 14, versículo 6.)

A maioria dos homens não percebe ainda os valores infinitos do tempo.
Existem efetivamente os que abusam dessa concessão divina. Julgam que a riqueza dos benefícios lhes é devida por Deus.
Seria justo, entretanto, interrogá-los quanto ao motivo de semelhante presunção.
Constituindo a Criação Universal patrimônio comum, é razoável que todos gozem as possibilidades da vida; contudo, de modo geral, a criatura não medita na harmonia das circunstâncias que se ajustam na Terra, em favor de seu aperfeiçoamento espiritual.
É lógico que todo homem conte com o tempo, mas, se esse tempo estiver sem luz, sem equilíbrio, sem saúde, sem trabalho?
Não obstante a oportunidade da indagação, importa considerar que muito raros são aqueles que valorizam o dia, multiplicando-se em toda parte as fileiras dos que procuram aniquilá-lo de qualquer forma.
A velha expressão popular “matar o tempo” reflete a inconsciência vulgar, nesse sentido.
Nos mais obscuros recantos da Terra, há criaturas exterminando possibilidades sagradas. No entanto, um dia de paz, harmonia e iluminação, é muito importante para o concurso humano, na execução das leis divinas.
Os interesses imediatistas do mundo clamam que o “tempo é dinheiro”, para, em seguida, recomeçarem todas as obras incompletas na esteira das reencarnações... Os homens, por isso mesmo, fazem e desfazem, constroem e destroem, aprendem levianamente e recapitulam com dificuldade, na conquista da experiência.
Em quase todos os setores de evolução terrestre, vemos o abuso da oportunidade complicando os caminhos da vida; entretanto, desde muitos séculos, o apóstolo nos afirma que o tempo deve ser do Senhor.

Livro: Caminho Verdade e Vida.
Chico Xavier/Emmanuel.

NISTO CONHECEREMOS

"Nisto conhecemos o espírito da verdade e o espírito do erro." (I JOÃO, 4:6.)

Quando sabemos conservar a ligação com a Paz Divina, apesar de todas as perturbações humanas, perdoando quantas vezes forem necessárias ao companheiro que nos magoa; esquecendo o mal para construir o bem; amparando com sinceridade aos que nos aborrecem; cooperando espiritualmente, através da ação e da oração, a benefício dos que nos perseguem e caluniam; olvidando nossos desejos particulares para servirmos em favor de todos; guardando a fé no Supremo Poder como luz inapagável no coração; perseverando na bondade construtiva, embora mil golpes da maldade nos assediem; negando a nós mesmos para que a bênção divina resplandeça em torno de nossos passos; carregando nossas dificuldades como dádivas celestes; recebendo adversários por instrutores; bendizendo as lutas que nos aperfeiçoam a alma, à frente da Esfera Maior; convertendo a experiência terrena em celeiros de alegrias para a Eternidade; descortinando ensejos de servir em toda parte; compreendendo e auxiliando sempre, sem a preocupação de sermos entendidos e ajudados; amando os nossos semelhantes qual temos sido amados pelo Senhor, sem expectativa de recompensa; então, conheceremos o espírito da verdade em nós, iluminando-nos a estrada para a redenção divina.

DOUTRINAÇÕES

"Mas não vos alegreis porque se vos sujeitem os espíritos; alegrai-vos, antes, por estarem os vossos nomes escritos nos céus." — Jesus. (LUCAS, capítulo 10, versículo 20.)

Freqüentemente encontramos novos discípulos do Evangelho exultando de contentamento, porque os Espíritos perturbados se lhes sujeitam.

Narram, com alegria, os resultados de sessões empolgantes, nas quais doutrinaram, com êxito, entidades muita vez ignorantes e perversas.

Perdem-se muitos no emaranhado desses deslumbramentos e tocam a multiplicar os chamados "trabalhos práticos", sequiosos por orientar, em con-tactos mais diretos, os amigos inconscientes ou infelizes dos planos imediatos à esfera carnal.

Recomendou Jesus o remédio adequado a situações semelhantes, em que os aprendizes, quase sempre interessados em ensinar os outros, esquecem, pouco a pouco, de aprender em proveito próprio.

Que os doutrinadores sinceros se rejubilem, não por submeterem criaturas desencarnadas, em desespero, convictos de que em tais circunstâncias o bem é ministrado, não propriamente por eles, em sua feição humana, mas por
emissários de Jesus, caridosos e solícitos, que os utilizam à maneira de canais para a Misericórdia Divina; que esse regozijo nasça da oportunidade de servir ao bem, de consciência sintonizada com o Mestre Divino, entre as certezas
doces da fé, solidamente guardada no coração.

A palavra do Mestre aos companheiros é muito expressiva e pode beneficiar amplamente os discípulos inquietos de hoje.

Livro: Caminho Verdade e Vida.

Chico Xavier/Emmanuel.

FILHOS DA LUZ

FILHOS DA LUZ"Andai como filhos da luz." - Paulo.

(EFÉSIOS, 5:8.)Cada criatura dá sempre notícias da própria origem espiritual.

Os atos, palavras e pensamentos constituem informações vivas da zona mental de que procedemos.

Os filhos da inquietude costumam abafar quem os ouve, em mantos escuros de aflição.

Os rebentos da tristeza espalham o nevoeiro do desânimo.

Os cultivadores da irritação fulminam o espírito da gentileza com os raios da cólera.

Os portadores de interesses mesquinhos ensombram a estrada em que transitam, estabelecendo escuro clima nas mentes alheias.

Os corações endurecidos geram nuvens de desconfiança, por onde passam.

Os afeiçoados à calúnia e à maledicência distribuem venenosos quinhões de trevas com que se improvisam grandes males e grandes crimes.

Os cristãos, todavia, são filhos da luz.E a missão da luz é uniforme e insofismável.Beneficia a todos sem distinção.

Não formula exigências para dar.Afasta as sombras sem alarde.

Espalha alegria e revelação crescentes.Semeia renovadas esperanças.Esclarece, ensina, ampara e irradia-se.

Vinha de Luz

Chico Xavier/André Luiz


QUEM LÊ, ATENDA

"Quem lê, atenda." - Jesus. (MATEUS, 24:15.)

Assim como as criaturas, em geral, converteram as produções sagradas da Terra em objeto de perversão dos sentidos, movimento análogo se verifica no mundo, com referência aos frutos do pensamento.

Freqüentemente as mais santas leituras são tomadas à conta de tempero emotivo, destinado às sensações renovadas que condigam com o recreio pernicioso ou com a indiferença pelas obrigações mais justas.

Raríssimos são os leitores que buscam a realidade da vida.

O próprio Evangelho tem sido para os imprevidentes e levianos vasto campo de observações pouco dignas.

Quantos olhos passam por ele, apressados e inquietos, anotando deficiências da letra ou catalogando possíveis equívocos, a fim de espalharem sensacionalismo e perturbação? Alinham, com avidez, as contradições aparentes e tocam a malbaratar, com enorme desprezo pelo trabalho alheio, as plantas tenras e dadivosas da fé renovadora.

A recomendação de Jesus, no entanto, é infinitamente expressiva.

É razoável que a leitura do homem ignorante e animalizado represente conjunto de ignominiosas brincadeiras, mas o espírito de religiosidade precisa penetrar a leitura séria, com real atitude de elevação.

O problema do discípulo do Evangelho não é o de ler para alcançar novidades emotivas ou conhecer a Escritura para transformá-la em arena de esgrima intelectual, mas, o de ler para atender a Deus, cumprindo-lhe a Divina Vontade.

Livro; Vinha de Luz
Chico Xavier/Emmanuel