Trabalhemos todos, pela Unificação do movimento espírita!!

O Espiritismo é uma questão de fundo; prender-se à forma seria puerilidade indigna da grandeza do assunto. Daí vem que os centros que se acharem penetrados do verdadeiro espírito do Espiritismo deverão estender as mãos uns aos outros, fraternalmente, e unir-se para combater os inimigos comuns: a incredulidade e o fanatismo.”

“Dez homens unidos por um pensamento comum são mais fortes do que cem que não se entendam.”
Allan Kardec (Obras Póstumas – Constituição do Espiritismo – Item VI).



sexta-feira, 30 de novembro de 2012

ALMOÇO DE CONFRATERNIZAÇÃO/ SUNDAY LUNCH

CONVIDAMOS PARA ESTAR CONOSCO,

WE INVITE YOU TO JOIN US

NO PROXIMO DOMINGO DIA 2 DE DEZEMBRO DE 2012 AS 13:00 HORAS

SUNDAY, DECEMBER 2ND, 2012 AT 1PM.

Para o nosso Almoco de Confraternizacao.

To our next Sunday Lunch

O CARDAPIO SERVIDO SERA:

THE MENU IS:

Arroz a Grega

Rice

Lentilha

Lentil

Salpicao

Chicken Salad

Frango Assado

Chicken

Pernil

Gammon
298131 salpic%C3%A3o de frango 2 Receita de salpicão simples

ACOMPANHA AINDA DELICIOSAS SOBREMESAS E REFRIGERANTES.

As usual, the menu includes soft drinks and delicious desserts.

Venha e traga seus amigos para estar conosco.

Come and bring your friends and join us for this gathering.

COMUNIDADE ESPIRITA CRISTA DE ATLANTA - www.atlantaespirita.org

NAO DESEJANDO RECEBER NOSSOS CONTATOS, NOS COMUNIQUE.

atlantae@atlantaespirita.org


Christian Spiritist Community of Atlanta - http://www.atlantaespirita.org/

Let us know if you prefer not to receive our messages in the future


Francisco Rebouças

Parentes mortos


Não olvides que além da morte continua vivendo e lutando o espírito amado que partiu...

Tuas lágrimas são gotas de fel em sua taça de esperança.

Tuas aflições são espinhos a se lhe implantarem no coração.

Tua mágoa destrutiva é como neve de angústia a congelar-lhe os sonhos.

Tua tristeza é sombra a escurecer-lhe a nova senda.

Por mais que a separação te lacere a alma sensível, levantate e segue para a frente, honrando-lhe a confiança com a fiel execução das tarefas que o mundo te reservou.

Não vale a deserção do sofrimento, porque a fuga é sempre a dilatação do labirinto que nos arroja à invigilância, compelindo-nos a despender longo tempo na recuperação do rumo certo.

Recorda que a lei de renovação atinge a todos e auxilia quem te antecedeu na grande viagem com o valor de tua renúncia e com a fortaleza de tua fé, sem esmorecer no trabalho - nosso invariável caminho para o triunfo.

Converte a dor em lição e a saudade em consolo porque, de outros domínios vibratórios, as afeições inesquecíveis te acompanham os passos, regozijando-se com as outras tuas vitórias solitárias, portas adentro de teu mundo interior.

Todas as provas objetivam o aperfeiçoamento do aprendiz e, por enquanto, não passamos de meros aprendizes na terra, amealhando o conhecimento e a virtude, em gradativa e laboriosa ascensão para a vida eterna.

Deus, a suprema sabedoria e a suprema bondade, não criaria a inteligência e o amor, a beleza e a vida, para arremessá-la às trevas.

Repara em torno dos teus próprios passos. A cada noite no mundo, segue-se o esplendor do alvorecer.

O inverno áspero é sucedido pela primavera estuante de renascimento e floração.

A lagarta, que hoje se arrasta no solo, amanhã librará em pleno espaço com asas multicores de borboleta.

Nada perece.

Tudo se transforma na direção do infinito bem.

Compreendendo, desta forma, a verdade, entesourando-lhe as bênçãos, aprendamos a encontrar na morte o grande portal da vida e estaremos incorporando, em nosso próprio espírito, a luz inextinguível da gloriosa imortalidade. 

Emmanuel
 
Livro: Paz e Libertação
Chico Xavier/Espíritos Diversos


Francisco Rebouças

AFIRMAÇÕES

                                                                                         
                                                                                                              Cornélio Pires 
Afirmação que interessa
Tanto ao fraco quanto ao forte:
Quem açambarca a fortuna,
Desconhece a lei da morte.

A bica do maldizente
Que vive de reprovar;
É igual à boca da noite,
Que ninguém pode fechar. 

03 de outubro de 1995. 
Livro:ALMA DO POVO"
Chico Xavier/CORNÉLIO PIRES.
 
 
Francisco Rebouças

A ESPERANÇA


CAPÍTULO 3

"Como o obreiro preguiçoso,diz: Eu perdi minha jornada, ele também se diz: Eu perdi minha vida; mas da mesma forma que para o obreiro o sol se ergue no dia seguinte, e uma nova jornada começa, permitindo-lhe reparar o tempo perdido, para ele também, depois da noite do túmulo, brilhará o sol de uma nova vida, na qual poderá aproveitar a experiência do passado e suas boas resoluções para o futuro".
(O Evangelho Segundo o Espiritismo, Allan Kardec, Edição IDE, Cap. V, item 5).
Com tudo isso, vamos entendendo, melhor, a existência da Vida Futura.

Com o clarear de nossas ideias, com o estudo da Doutrina Espírita e o aumento de nossa fé raciocinada,mudamos o nosso ponto de vista sobre as leis que regem a existência humana.

Entendemos que esta vida não é a única passagem no Planeta Terra e deduzimos, logicamente, a existência da imensidão e nobreza da Vida Espiritual.

E, por isso, não podemos perder a esperança de que algo, mais promissor, nos aguarda em uma outra existência. E é por essa confiança, essa esperança na Outra Vida, que procuramos melhorar-nos, começando pela nossa própria reforma interior, tendo certeza de que permanecemos aqui por um espaço de tempo limitado, onde almejamos para lá voltar num estado evolutivo melhor do que aquele em que estávamos quando para aqui viemos. E, já sabemos que somente nos será possível chegar a esse estado através dos bons atos, e, com a consciência tranquila de termos trabalhado em prol de nossos semelhantes.

Não vamos viver de uma Esperança vazia, mas sim, de certeza da existência da verdadeira vida, cuja veracidade vem sendo provada, cada vez mais, pela ciência, pela filosofia e pela religião. Elevemos, então, nosso pensamento acima dos horizontes da vida, onde, pairando por alguns segundos de reflexão, entreveremos os infinitos mistérios da Divindade.

As cartas de nosso amado Laurinho, nos incentivam para o trabalho e nesse trabalho eu encontro o meu equilíbrio.

Tenhamos fé no Criador e usemos a nossa razão no estudo das vidas sucessivas, para podermos entender os fatos da nossa existência, donde tiraremos o real proveito de um dos maiores recursos que Deus nos dotou: a Esperança.

Infelizmente, existem seres humanos que se esquecem de tudo o que aprenderam em sua caminhada, quando deveriam, diante de toda a grandeza do Criador, agradecer: “obrigado,meu Deus, porque existo!”.

Quem somos? De onde viemos? Para onde iremos? Essas são as indagações que devemos fazer, a nós mesmos, com os pés no chão e a cabeça no lugar.

Mesmo com o amor cego à matéria, ainda agora nos tempos atuais, nos surge nítida e clara, a todo instante, a idéia do Além. Meditando nisso, podemos afirmar que só a Doutrina das Reencarnações nos fornece explicações suficientes e lógicas para o equilíbrio moral e físico, entrelaçando-os numa unidade perfeita.

Em todas as suas cartas, Laurinho grifa, especialmente, a “esperança”, que nos traz profundos ensinamentos relacionados com o trabalho, o amor e a caridade. E, por tão bela afirmativa, solicito, a todos os corações partidos, que notem estas palavras: “ retirou a Esperança da Gaveta de nossas necessidades e ei-las convertidas em páginas de fé”.

Começando pela esperança, chegaremos à fé que nos ilumina os passos, nos leva bem para perto de Cristo, e que nos é indispensável nas ocasiões mais desesperadoras. Feliz daquele que crê, procura, enxerga e caminha seguro com sua fé inabalável e profunda, estando sempre pronto a superar os maiores obstáculos, no conhecimento de que a fé remove montanhas. O homem que possui a esperança baseada na fé, é impassível diante das provações e perigos do dia-a-dia.

Eu mesma confesso que, após ter adquirido os conhecimentos, a esperança e a fé, através de tudo que a Doutrina Espírita me concedeu em ensinamentos, respostas e provas, sinto-me tranquila, equilibrada e forte diante dos imensos problemas e novas provas que vão surgindo em minha vida. A minha maneira de encarar a realidade é tão diferente e tão clara, que ao ver-me rodeada de tantos “cegos” no conhecimento da Verdade, sinto uma vontade voraz de gritar a todos, onde encontrar a paz, o amor, a compreensão e a felicidade que existe dentro de nós mesmos.

E, aquele que quiser revestir-se da verdadeira fé, facilmente conseguirá encontra-la no estudo da doutrina Espírita, que se baseia no raciocínio lógico das simples leis naturais da vida.

Portanto, vamos tentar clarear corações, sem desprezarmos ninguém, e sem nos envaidecermos com enganos privilégios passageiros, pois que nenhum de nós sabe o que nos está reservado para o futuro, onde as prestações de contas nos esperam.

Segue a mensagem da esperança, psicografada por Chico Xavier.

Livro: Antenas de Luz
Chico Xavier- Priscilla Pereira da Silva Basile


Francisco Rebouças

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Na Construção do Bem

    
      Não te deixes vencer pelo mal, mas vence o mau com o bem.  Paulo: Romanos 12;21.
Queridos irmãos, que a paz de Jesus nos mantenha alegre os corações; 

Se, pretendemos ser legítimos representantes, e bons intérpretes do bem, não basta apenas desculpar o mal, é imprescindível nos afastemos dele, em sentido absoluto, relegando-o à condição de mero acessório de punição dos que ainda não compreenderam o mecanismo das sábias Leis que nos regem o destino dos homens na Terra.

Procurando evitar os comentários complexos, em favor do nosso culto à simplicidade, analisemos as lições que nos oferta a mãe natureza:

Vejamos, por exemplo, o trabalho vivo da fonte: quantas vezes, não terá suportado injúrias para nos oferecer a água potável que nos chega à mesa?

Desde o seu nascedouro até ao vaso limpo com que nos servimos para matar nossa sede, difícil trajetória terá ela enfrentado, entre vicissitudes e provações, desleixos e desrespeitos.

Venceu inicialmente o leito duro de pedra e areia; o duro proceder dos animais de grande porte; a enxurrada provocada pelos temporais; os detritos que lhe foram arrojados ao seio, pelos deseducados, incautos e ignorantes...

A fonte, entretanto, caminhou despretensiosa e resoluta, sem demorar-se em reclamações das desconsiderações de que foi vítima, sem retroceder ante aos sarcasmos da senda, até surpreender-nos, diligente e pura, submetendo-se ainda ao filtro que lhe apura as condições, a fim de que nos assegure saciedade e conforto.

Analisando, adequadamente a lição, aparentemente infantil, que nos fornece a fonte durante a trajetória que empreende, no transcurso da nascente ao vaso com que nos servimos, podemos observar que ela não somente olvidou as ofensas que lhe foram precipitadas à face, sem que nada fizesse por merecer tal procedimento, de quem quer que seja, para seguir sua senda e, prestativa movimentou-se, avançou, humilhou-se para auxiliar e perdoou infinitamente, sem imobilizar-se um minuto, porque a imobilidade para ela constituiria adesão ao charco, no qual, ao invés de servir, converter-se-ia tão só em veículo de doença e desgraça.

Por isso mesmo, os espíritos superiores nos dão o preciso ensinamento cristão de caridade, que, envolve o completo esquecimento de todo mal e a coragem para prosseguir com disposição e vontade na realização do bem.

O aprendiz sincero não ignora que Jesus exerce o seu ministério de amor sem exaurir-se, desde o princípio da organização planetária. Relativamente aos nossos casos pessoais, muita vez terá o Mestre sentido o espinho de nossa ingratidão, identifican­do-nos o recuo aos trabalhos da nossa própria ilu­minação; todavia, nem mesmo verificando-nos os des­vios voluntários e criminosos, jamais se esgotou a paciência do Cristo que nos corrige, amando, e tole­ra, edificando, abrindo-nos misericordiosos braços para a atividade renovadora”.¹

“Que a vossa mão esquerda não saiba o que está sendo praticado pela direita.”

Essa assertiva do senhor Jesus, incentiva-nos a viver na Terra, exaltando o bem, por todos os meios ao nosso alcance, com integral despreocupação de tudo o que represente vaidade nossa ou incompreensão dos outros, de vez que em qualquer boa dádiva somente a Deus se pode atribuir a procedência, pois de nós mesmos nada podemos.  

Busquemos incessantemente a nossa posição de servidores fiéis da regeneração do mundo, a começar de nós mesmos, pela renovação dos nossos hábitos e impulsos, desatando-nos dos laços que nos prendem à sombra e buscando desenvolver em volta de nossos passos a luz, cada dia, conscientes de que qualquer pausa mais longa na apreciação dos quadros menos dignos que ainda nos cercam em nossa presente jornada terrestre, será nossa provável indução ao estacionamento indeterminado no cárcere do desequilíbrio e do sofrimento, que desde há muito tem sido nossa escolha impensada, pela utilização do nosso livre arbítrio de maneira equivocada.
 
Bibliografia:
      1) Livro Pão Nosso – Chico Xavier/Emmanuel 

Francisco Rebouças

UMA VISITA DE CRUZ E SOUZA


O confrade Izaltino Silveira Filho, digno companheiro nosso em Juiz de Fora, achava-se em prece com o Chico, em Pedro Leopoldo, na noite de 11 de setembro de 1948, quando ele e o Médium registraram a presença de alguns amigos espirituais.
Concentraram-se e, dentre as Mensagens recebidas, veio o seguinte soneto de Cruz e Souza pelas mãos do Médium, dedicado ao irmão acima referido:
SEGUE
Segue gemendo no caminho estreito,
De pé sangrando em chagas dolorosas,
Sustentando alegrias que não gozas,
À renúncia rendendo excelso preito.
Na cruz pesada que te oprime o peito,
Encontrarás estrelas milagrosas,
Sob chuvas de bênçãos e de rosas,
Que dimanam do amor santo e perfeito.
Se o temporal de lágrimas te encharca,
Seja a esperança a luminosa marca
Que te assinale as súplicas sinceras!
Somente a dor na terra estranha e escura
Apaga na corrente da amargura
Os erros que trazemos de outras eras...
CRUZ E SOUZA
Assinalamos aqui esse soneto, não só por sua beleza, mas também pela exatidão do estilo que caracteriza o grande e inesquecível poeta.
Livro: Lindos Casos de Chico Xavier
Ramiro Gama
 
Francisco Rebouças

Ultrapassamos a marca das 89.000 visitas!


É isso mesmo gente, 89.000!
Alegria pura!!! Meus amigos, é muito bom e ao mesmo tempo  gratificante contar com a perceria de vocês neste trabalho,  no apoio e na participação de todos para atingirmos juntos essa impressionante marca de 89.000 visitas ao nosso Blog Espírita. Lembramos que o contador de visitas só foi instalado em 31/10/2009.

Repartimos esse momento de alegria com todos vocês nossos queridos amigos.
 
Aproveitamos para agradecer a Deus nosso Pai e criador, a Jesus nosso mestre e Guia os Amigos Espirituais, e a vocês queridos amigos, pelo êxito obtido até aqui com este modesto trabalho de divulgação da doutrina espírita, que fazemos com todo respeito e fidelidade aos princípios de nossa doutrina, e sabemos que é justamente por isso que temos a honra da companhia de vocês nossos amigos diariamente.
Prosseguiremos com todo prazer e alegria, honrando o compromisso assumido quando da criação deste trabalho, de realizá-lo sempre alicerçado pela codificação espírita sem achismos ou modismos desnecessários e condenáveis sob todos os aspectos.
São vocês amigos queridos, o nosso maior patrimônio, e a companhia de vocês representa o combustível que nos motiva a trabalhar com a felicidade e a certeza de quem não está sozinho!!!

Que Jesus nosso Mestre e Guia nos mantenha unidos e operosos, sob sua divina inspiração, hoje e sempre!
Nosso coração feliz agradece a todos vocês!!!
Muita PAZ!
Francisco Rebouças

Círculos Cooperadores

"E rogo-vos irmãos, por Nosso Senhor Jesus Cristo e pelo amor do Espírito, que combatais comigo nas vossas orações por mim a Deus." Paulo - Romanos, 15:30.
Que será do mundo se o tenebroso movimento do mal, que atualmente o envolve, terminar em comédia diplomática, dilatando mentiras e encorajando agressões novas? * Que será dos povos trabalhadores se a luta paralisar em mistificação que reforce a tirania e restaure o cativeiro? 
Escrevendo aos romanos, relativamente aos seus esforços no serviço áspero, Paulo de Tarso oferece uma fórmula sagrada aos tempos atuais... 
O apóstolo não recomenda rogativas pela cessação da luta, não reclama o término dos testemunhos, não alude à parte final de trabalhos e sacrifícios... 
Pede, simplesmente, aos irmãos que combatam em orações, na sua companhia. 
O grande trabalhador conhecia a força do pensamento e não ignorava que toda luta se processa através de linhas e círculos. 
Jesus fazia excursões nas localidades palestinenses, mas voltava ao círculo de Cafarnaum em casa de Pedro. 
Os apóstolos dilatavam cruzeiros de pregação, mas não dispensavam o círculo das igrejas. O homem vai às frentes do trabalho, diariamente, todavia, não prescinde do círculo do lar. 
Não há linhas de serviço sem os círculos de preparação eficiente. 
Neste momento difícil dos povos, quando se recorre à organização de vanguardas valorosas, é justo não esquecer as fortalezas morais da retaguarda. 
Os discípulos do Evangelho, em todo o mundo, passam por experimentação necessária. 
Cultivar a fé, não significa adorar somente. 
Seguir o Mestre não é incensar-Lhe o nome apenas.  
É tomar a cruz deste testemunho, sem desdenhar sacrifícios.  
Não esqueçamos que Paulo se refere a combater.
Em horas tão graves quanto estas, quando o direito e o bem, a paz e a verdade reclamam linhas de defesa, organizemos também os círculos espirituais de cooperação. 
Ninguém deve esquecer que o esforço cristão há de ser total para a vitória total do Evangelho. 
Mensagem psicografada na época da II Guerra Mundial. 
Livro: Alma e Luz
Chico Xavier/Emmanuel  
Francisco Rebouças


quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Refreia os impulsos

                                                                                                                                                                  Refreia os impulsos, que procedem dos instintos desgovernados, e age sob o comando da razão.   
É verdade que o sentimento bom deve derreter o gelo da lógica racional, no entanto, muitas vezes, a frieza da emoção ou a sua loucura agressiva necessitam da vigilância do raciocínio.
Cérebro e coração devem atuar juntos, proporcionando as vantagens do equilíbrio e do comedimento, em favor de uma vida sadia.
 
Ouve com o sentimento e age com a razão, dosando bem a participação de cada um.
 
Livro: Vida Feliz
Divaldo Franco/Joanna de Ângelis
 
 
Francisco Rebouças

Confraternização de Natal na Bélgica

Olá,

Logo Dezembro chega com o seu Natal e todas as coisas boas que traz essa data, especialmente as reuniões familiares ou de amigos.

E outro evento que também chega com dezembro, é a confraternização de Natal CESAK que reuni os espíritas Bélgica e de Luxemburgo.

Portanto, este ano vai, ser ainda mais numeroso do que o ano passado, é ainda mais agradável.
Você também pode trazer suas especialidades, teremos o maior prazer de partilhar e desfrutar não apenas a comida, mas a ternura, o amor, a amizade, ...

Quando: domingo, 9 de dezembro, 2012
 
Bonjour,
Bientot le mois de décembre arrive, avec lui Noël et toutes les bonnes choses que cette date nous apporte, surtout les réunions familiales ou entre amis.
Et un autre événement ce passe aussi au mois de décembre, la fraternisation de Noël au CESAK, qui réuni les spirites de la Belgique et Luxembourg.

Donc, cette année ci, soyons encore plus nombreux que l’année passé, pour que ça soit encore plus agréable.
Vous pouvez aussi apporter vos spécialités culinaires, on sera ravi de déguster et partager, pas seulement la nourriture mais la tendresse, l’amour, l’amitié, …..

Quand: le dimanche 9 décembre 2012 
 
Francisco Rebouças

P A L E S T R A e A L M O Ç O - Valença


DA  UMEV- UNIÃO  MUNICIPAL  ESPÍRITA VALENCIANA 


 ÀS CASAS COIRMÃS

 
                    P A L E S T R A  e A L M O Ç O
                                                                                                                                    
                CONVITE 

DATA: 9  DE DEZEMBRO- ÀS 11h

LOCAL - CEV
TEMA: BONDADE E HUMILDADE
EXPOSITORA: Denise Correa de Macedo
Após a palestra, haverá ALMOÇO  Com renda destinada à distribuição natalina realizada todos os anos pela UMEV. Cartões podem ser adquiridos nas casas coirmãs ao preço de R$ 6,00.
CONTAMOS COM SUA PRESENÇA AMIGA !!
 Recepção às 10h30/ Palestra às 11h/ Almoço de 12h às 14h.
RECEBIDO POR E-MAIL
 
FRANCISCO REBOUÇAS

Estudando o Espiritismo E.S.E

 
Missão dos profetas
 
Atribui-se comumente aos profetas o dom de adivinhar o futuro, de sorte que as palavras profecia e predição se tornaram sinônimas. No sentido evangélico, o vocábulo profeta tem mais extensa significação. Diz-se de todo enviado de Deus com a missão de instruir os homens e de lhes revelar as coisas ocultas e os mistérios da vida espiritual. Pode, pois, um homem ser profeta, sem fazer predições. Aquela era a idéia dos judeus, ao tempo de Jesus. Daí vem que, quando o levaram à presença do sumo-sacerdote Caifás, os escribas e os anciães, reunidos, lhe cuspiram no rosto, lhe deram socos e bofetadas, dizendo: “Cristo, profetiza para nós e dize quem foi que te bateu.” Entretanto, deu-se o caso de haver profetas que tiveram a presciência do futura, quer por intuição, quer por providencial revelação, a fim de transmitirem avisos aos homens. Tendo-se realizado os acontecimentos preditos, o dom de predizer o futuro foi considerado como um dos atributos da qualidade de profeta.
Fonte: O Evangelho Segundo o Espiritismo, Cap. XXI, item 4.
 
Francisco Rebouças

A CAMINHO DE UBERABA


Após o seu primeiro contato com o médium Chico Xavier, D. Maria sentiu-se um pouco mais confortada com a promessa de receber futuramente, do Além, informações de seu inolvidável filho Walter. 
Entendemos que, naquele encontro, quando fenômenos mediúnicos irrefutáveis se manifestaram, ela e seus filhos receberam a semente vigorosa da crença na sobrevivência da alma após a morte do corpo e na possibilidade de comunicação entre os vivos mergulhados na carne e os vivos do Mundo Espiritual.
Mas, a amorosa mamãe estava exausta.
O grande stress decorrente da “perda” inesperada de seu querido filho havia-lhe esgotado importantes energias psicofísicas. Um tratamento médico intensivo fazia-se necessário. E, D. Maria, sob orientação de seus facultativos amigos, recolheu-se no Hospital Santa Helena.
O tempo – nosso inestimável aliado – quando estamos enleados a problemas aparentemente insolúveis, não transcorreu em vão. D. Maria obteve grandes melhoras e regressou ao lar.
Com a aproximação da missa de 6º mês de falecimento, a profunda saudade de seu filho foi-se acentuando num crescente incontrolável, refletindo perigosamente em sua saúde.
A esperada solenidade litúrgica deu-se na noite de 14 de agosto de 1974, na Igreja Cristo Rei, celebrada por um sacerdote irlandês.
Nos dias que se seguiram ao acontecimento, o estado de saúde de D. Maria piorou sensivelmente, entrando em forte crise depressiva. Só melhorou quando recebeu, na tarde de 22 de agosto, a visita de um sobrinho que era muito amigo de Walter. Ele contou-lhe um sonho, bem nítido, que seu irmão Toninho, também conhecido entre os familiares por Tuna, tivera com seu filho desencarnado:
- Tia, o Toninho via-se em seu ambiente de trabalho, quando Walter lhe surgiu à frente e lhe disse: - “Tuna, eu vim visitá-lo, mas preciso ir logo, pois tenho de visitar a minha velhinha; ela está muito triste.”
D.Maria interpretou que o filho amado desejava comunicar-se com ela. Mas, de que forma? Lembrou-se, então, de Chico Xavier. As revelações recebidas no Lago Azul não foram levadas pelo vento. Pelo contrário, agora, estavam mais avivadas do que nunca. O pressentimento de que receberia, finalmente, uma comunicação do filho pelo médium de Uberaba surgiu instantaneamente.
- Quando terminei de ouvir a narrativa de meu sobrinho, firmei o pensamento e disse: “Vou a Uberaba encontrar o meu filho.”
São estas as palavras textuais de seu Diário íntimo.
Expôs sua aspiração aos familiares, mas não encontrou o menor apoio. Essa falta de receptividade é compreensível, pois a sua saúde estava seriamente abalada, o que muito preocupava a todos.
Mas, nessas alturas dos acontecimentos, ninguém bloquearia o seu desejo ardente.
Falaria mais alto ante qualquer argumento a impulsividade de um coração materno que, por uma forte razão íntima, partiria em direção ao seu filho idolatrado.
Entretanto, nunca havia estado em Uberaba.
Quem a levaria lá? A comadre D. Célia de Carvalho foi lembrada, pois, alem de amiga sincera, professava o Espiritismo.
Apesar de não conhecer pessoalmente Chico Xavier, nem a cidade mineira, a amiga aceitou, de pronto, o convite. E, já no dia seguinte, seguiram com destino a Uberaba.
A própria D.Célia, residente em São Paulo, a quem agradecemos os depoimentos solicitados por nós, assim relata tais acontecimentos:
“A minha amizade com a Maria e sua família é antiga. Conhecemo-nos quando o Waltinho tinha 5 anos. Nossos filhos sempre foram muito amigos.
Quando aconteceu o inevitável, e Waltinho foi chamado pelo Senhor, sentimos muito a sua ausência. Era muito amoroso para com todos. Quando me via, mesmo na rua, parava para beijar-me.
Ao receber o convite da comadre para acompanhá-la a Uberaba, não pensei duas vezes, porque sempre acreditei no Espiritismo e tenho fé nos Amigos do Além. Apenas, antes de seguirmos viagem, tive o cuidado de anotar o telefone dela, com receio de que algo lhe pudesse acontecer, em virtude de seu precário estado de saúde. Apesar de seu desespero, ela ia com muita esperança e no ônibus dizia: “Coração de mãe não se engana, o Walter está me esperando.”
À tardinha chegamos a Uberaba e tomamos, de imediato, um táxi, pedindo ao motorista que nos levasse ao “Centro Espírita do Chico Xavier”, pois não sabíamos onde o médium atendia. Pensamos que, lá chegando, fossemos entrar em contato com facilidade, mas a fila na “Comunhão Espírita Cristã” (o nome verdadeiro da instituição) era enorme, e antes que chegássemos ate ele, venceu o tempo em que o povo era atendido antes do inicio da reunião, marcada para as 20 h. Pessoas prestativas informaram-nos que Chico nos atenderia após a reunião. Porém, a Maria poderia escrever o nome dela e do filho falecido num papel e colocá-lo sobre a mesa, que posteriormente seria encaminhado ao médium. Assim ela fez, redigindo: “Murillo Perrone e Maria Perrone pedem noticias de seu filho desencarnado em 14/2/1974.”
Enquanto os confrades, assentados em torno de uma grande mesa, faziam palestras doutrinárias, Chico Xavier permanecia numa saleta reservada. O que psicografava nesse recinto – atendendo ao apelo de dezenas de pessoas cujos nomes haviam sido colocados nas folhas de papel – ia sendo distribuído ao público. Permanecemos em expectativa. Após varias remessas de ditados mediúnicos entregues ao povo, o homem encarregado dessa função anunciou o nome de Maria. Emocionada, recebeu o seu papel que continha a mensagem:
- “Filhos, Jesus nos abençoe. O nosso caro jovem está cooperando espiritualmente em favor dos entes queridos que deixou na Terra. Confiemos nas bênçãos de Jesus, hoje e sempre.”
Aproximadamente, às 24 h., o médium reapareceu no salão e assentou-se à cabeceira da mesa. Pouco depois, começou a escrever em transe mediúnico. Ao seu lado, uma senhora ia virando as paginas soltas de papel, quando já preenchidas. Todos permaneciam em respeitoso e profundo silêncio.
Em seguida, o próprio Chico leu a mensagem que começava com a frase: - “Querida mamãe, querido papai, querida Suely, meus irmãos queridos, estou em prece, agradecendo a alegria de poder enviar esta carta.”
Sim. Era o Waltinho, que após 6 meses de separação conversava com os familiares através daquela bela e abençoada carta. Choramos muito, de emoção e saudades. A Maria voltou de Uberaba bem mais confortada, plenamente convencida da comunicação de seu idolatrado filho, agora domiciliado no Mundo Maior.”
Confirma-se, assim, a notável premonição da saudosa e amargurada progenitora, porque havia revelado a todos os seus, na véspera, a convicção íntima do reencontro com o filho amado. O próprio Espírito de Walter deve ter-lhe transmitido mentalmente tal informação, intuição facilitada pela profunda afinidade espiritual – reflexo de fecundo e imensurável amor entre mãe e filho.
O pressentimento é sempre um sublime e providencial recurso que verte do Mais Além aos corações humanos, em múltiplas situações, ora orientando os nossos passos pelos estreitos caminhos que devemos palmilhar, ora amortecendo o choque dos grandes e inesperados sofrimentos.
Os detalhes da narrativa de D.Célia, referentes à reunião pública de que o médium Xavier participou, são-nos inteiramente conhecidos, pois há 17 anos temos assistido a numerosas dessas reuniões em Uberaba. Em varias delas, com a presença de centenas de pessoas, presenciamos o impacto do reencontro de criaturas com os seus mortos queridos, identificados nas comunicações psicografadas.
Embora, habituado, por força de nossa profissão, com as emoções provocadas pelos dramas da enfermidade e da morte, confessamos ao leitor que, por algumas vezes, nos emocionamos profundamente, ao ver mães ou filhos em choro convulsivo, por reconhecerem, nas mensagens do Mundo Espiritual, os filhos ou pais amados.
Naturalmente, também nos sensibilizamos pelas palavras dos comunicantes, que, além de enternecedoras, abordam sempre problemas familiares graves. Uma destas mensagens, psicografada em noite inesquecível para nós e endereçada à D.Maria Perrone, integra esta obra.
Vejamos, a seguir, a Primeira Carta de Walter, recebida pelo médium Francisco Cândido Xavier, em reunião pública da “Comunhão Espírita Cristã”, na noite de 23 de agosto de 1974, em Uberaba, Minas Gerais.
 
Livro: Amor Sem Deus
Chico Xavier/Espíritos Diversos
 
Francisco Rebouças

Tarde Musical - Trio CEAP

 
Caros irmãos,
O Ceap - Centro Espírita Antônio de Pádua, convida para a Tarde Musical com o Trio Ceap, composto por José Venceslau (violão e voz), Aix Rizzo (bateria) e Klebenildo (saxofone), que se realizará em 1 de dezembro de 2012, às 17 horas, no salão de festas da Garagem São Cristóvão, na Rua Visconde de Sepetiba, 427, Centro, Niterói (em frente ao Ceap).
 
O convite, no valor de R$ 15,00, pode ser adquirido no Ceap, antecipadamente, ou no dia, na recepção.
Toda a arrecadação será em benefício de nossas obras assistenciais e agradecemos se você puder colaboarar com 1 kg de alimento não perecível.
Fraternos abraços, 
Diretoria de Comunicação Social
Centro Espírita Antonio de Pádua
Rua Visconde de Sepetiba, 426 - Centro
Niterói, RJ - CEP 24020-206
e-mail: ceapadua@gmail.com
(21) 2620.7303 - 3564.4385 - 8865.2093

“O maior benefício que podemos fazer à Doutrina Espírita é divulgá-la.”

CEAP na Internet:

terça-feira, 27 de novembro de 2012

PERDOA E SERVE


Maria Dolores
 A mágoa não te aborreça
Nem te conturbe a alma aflita,
A frase que seja dita
Destacando a sombra e o mal.
 A Terra é uma grande escola
De beleza indefinida,
Mas, por vezes, tem na vida
A importância do hospital.

Quantos amigos encontras
De cabeça erguida à frente,
Sem mostrar a alma doente
Sob a forma juvenil,
Esse transporta consigo
As trevas de ódio violento,
Outro guarda o sofrimento
Que vem de amarguras mil.

Aquela mulher vistosa
De porte belo e perfeito
Exibe uma cruz no peito
Por adorno de eleição;
Mas, embora vive em festa,
Carrega junto a quem ama
Uma cruz de pedra e lama
Por dentro do coração.

Alma querida, não deixes
Que a mágoa te busque ou vença,
Perdoa qualquer ofensa,
Seja essa ofensa qual for;
Na luta entre o bem e o mal
Na construção do porvir,
Triunfa quem sabe agir
Usando a bênção do amor.
 
Livro: Alma e VIda
Chico Xavier/Maria Dolores
 
Francisco Rebouças

Conferência Espírita em Caldas da Rainha


E A VIDA CONTINUA...
Na sexta-feira, dia 30 de Novembro de 2012, às 21H00, irá decorrer uma conferência espírita subordinada ao tema E A VIDA CONTINUA...
Existe vida após a morte? E como é essa vida? Como está organizada? Será apresentada a visão espírita sobre o tema.
Esta palestra terá lugar na sede do Centro de Cultura Espírita, no Bairro das Morenas, em
 
Caldas da Rainha, na Rua Francisco Ramos, nº 34, r/c.
As entradas são livres e gratuitas.
 
 
Francisco Rebouças

sábado, 24 de novembro de 2012

Estudando o Espiritismo - L.E.


Caros amigos, a finalidade maior deste nosso Blog Espírita, é justamente, o constante e sério estudo e divulgação da doutrina espírita, por essa razão, estamos dando continuidade ao estudo do Livro dos Espíritos, para uma melhor compreensão de nossa doutrina. Nesta oportunidade focalizamos as questões de nºs 413 a 418. CAPÍTULO VIII - DA EMANCIPAÇÃO DA ALMA.
Estudem conosco!!!
Visitas espíritas entre pessoas vivas
 
413. Do princípio da emancipação da alma parece decorrer que temos duas existências simultâneas: a do corpo, que nos permite a vida de relação ostensivas; e a da alma, que nos proporciona a vida de relação oculta. É assim?
 
“No estado e emancipação, prima a vida da alma. Contudo, não há, verdadeiramente, duas existências. São antes duas fases de uma só existência, porquanto o homem não vive duplamente.”

414. Podem duas pessoas que se conhecem visitar-se durante o sono?

“Certo e muitos que julgam não se conhecerem costumam reunir-se e falar-se. Podes ter, sem que o suspeites, amigos em outro país. É tão habitual o fato de irdes encontrar-vos, durante o sono, com amigos e parentes, com os que conheceis e que vos podem ser úteis, que quase todas as noites fazeis essas visitas.”

415.Que utilidade podem elas ter, se as olvidamos?

“De ordinário, ao despertardes, guardais a intuição desse fato, do qual se originam certas idéias que vos vêm espontaneamente, sem que possais explicar como vos acudiram. São idéias que adquiristes nessas confabulações.” 

416. Pode o homem, pela sua vontade, provocar as visitas espíritas? Pode, por exemplo, dizer, quando está para dormir: Quero esta noite encontrar-me em Espírito com Fulano, quero falar-lhe para dizer isto?
 
“O que se dá é o seguinte: Adormecendo o homem, seu Espírito desperta e, muitas vezes, nada disposto se mostra a fazer o que o homem resolvera, porque a vida deste pouco interessa ao seu Espírito, uma vez desprendido da matéria. Isto com relação a homens já bastante elevados espiritualmente. Os outros passam de modo muito diverso a fase espiritual de sua existência terrena. Entregam-se às paixões que os escravizaram, ou se mantêm inativos. Pode, pois, suceder, tais sejam os motivos que a isso o induzem, que o Espírito vá visitar aqueles com quem deseja encontrar-se. Mas, não constitui razão, para que semelhante coisa se verifique, o simples fato de ele o querer quando desperto.”
417. Podem Espíritos encarnados reunir-se em certo número e formar assembléias?
“Sem dúvida alguma. Os laços, antigos ou recentes, da amizade costumam reunir desse modo diversos Espíritos, que se sentem felizes de estar juntos.”

Pelo termo antigos se devem entender os laços de amizade contraída em existências anteriores. Ao despertar, guardamos intuição das idéias que haurimos nesses colóquios, mas ficamos na ignorância da fonte donde promanaram.

418. Uma pessoa que julgasse morto um de seus amigos, sem que tal fosse a realidade, poderá encontrar-se com ele, em Espírito, e verificar que continuava vivo? E dado o fato, poderia, ao despertar, ter dele a intuição?
 

“Como Espírito, a pessoa que figuras pode ver o seu amigo e conhecer-lhe a sorte. Se lhe não houver sido imposto, por prova, crer na morte desse amigo, poderá ter um pressentimento da sua existência, como poderá tê-lo de sua morte.”
 
Fonte: O Livro dos Espíritos
 
Francisco Rebouças

Brasil coração do mundo...

https://youtu.be/_a9tpJnGcbw

Homenagem a Chico Xavier

Haroldo Dias Dutra - As cartas de Paulo

Haroldo Dutra - Jesus o Médico da Almas

https://youtu.be/Uk7OUvyGCZU



Divaldo Franco

https://youtu.be/OVbstbRFs9M

Entrevista sobre Emmanuel, Joanna de Ângelis...

Reencarnação é uma realidade

Palestra O trabalho no Bem - Cristiane Parmiter

Palestra: As Leis Divinas e nós - Cristiane Parmiter

Palestra: Benevolência - Cristiane Parmiter

Palestra: Jesus e o Mundo - Cristiane Parmiter

Palestra: A Dinâmica do Perdão - Cristiane Parmiter

Palestra: Perante Jesus - Cristiane Parmiter

Palestra AVAREZA - Cristiane Parmiter

Palestra Obediência Construtiva - Cristiane Parmiter

Palestra Tribulações - Cristiane Parmiter

Palestra Conquistando a Fé - Cristiane Parmiter

Palestra Humildade e Jesus - Cristiane Parmiiter

Palestra Renúncia - Cristiane Parmiter

Rádios Brasil

Simplesmente Espetacular!!!

Professora Amanda Gurgel

Andrea Bocelli & Sarah Brightman - Time To Say Goodbye

De Kardec aos dias de hoje

Madre Teresa

As Mães de Chico Xavier

Reencarnação - Menino Piloto

http://www.youtube.com/embed/cQ2ZqUCKDow" frameborder="0" allowfullscreen>

Muitas Vidas

Espiritismo: família de Andrea Maltarolli mantém contato com a autora - Mais Você - GLOBO

Divaldo Franco

ESPIRITISMO - CHICO XAVIER - REPORTAGEM DO FANTASTICO - OS SEGREDOS DE CHICO

Entrevista com Divaldo Franco

Sobre Emmanuel, Joanna de Ângelis, e muito mais, confira. 1ª Parte 2ª Parte

Oração de Gratidão - Divaldo Franco

Chico Xavier

Chico Xavier no Fantástico

Chico Xavier (2010) trailer oficial

Página de Mensagens

Nesta página estarei lançando variadas páginas de conteúdo edificante para nosso aprendizado.

Francisco Rebouças.

1-ANTE A LIÇÃO

"Considera o que te digo, porque o Senhor te dará entendimento em tudo".- Paulo. II TIMÓTEO. 2:7.

Ante a exposição da verdade, não te esquives à meditação sobre as luzes que recebes.

Quem fita o céu, de relance, sem contemplá-lo, não enxerga as
estrelas; e quem ouve uma sinfonia, sem abrir-lhe a acústica da alma, não lhe percebe as notas divinas.

Debalde escutarás a palavra inspirada de pregadores ardentes, se não descerrares o coração para que o teu sentimento mergulhe na claridade bendita daquela.

Inúmeros seguidores do Evangelho se queixam da incapacidade de retenção dos ensinos da Boa Nova, afirmando-se ineptos à frente das novas revelações, e isto porque não dispensam maior trato à lição ouvida, demorando-se longo tempo na província da distração e da leviandade.

Quando a câmara permanece sombria, somos nós quem desata o ferrolho à janela para que o sol nos visite.

Dediquemos algum esforço à graça da lição e a lição nos responderá com as suas graças.

O apóstolo dos gentios é claro na observação. "Considera o que te digo, porque, então, o Senhor te dará entendimento em tudo."

Considerar significa examinar, atender, refletir e apreciar.

Estejamos, pois, convencidos de que, prestando atenção aos
apontamentos do Código da Vida Eterna, o Senhor, em retribuição à nossa boa-vontade, dar-nos-á entendimento em tudo.

Livro: Fonte Viva
Chico Xavier/Emmanuel

NO CAMPO FÍSICO

"Semeia-se corpo animal, ressuscitará corpo espiritual." - Paulo. (I CORÍNTIOS, 15:44.)

Ninguém menospreze a expressão animal da vida humana, a pretexto de preservar-se na santidade.

A imersão da mente nos fluidos terrestres é uma oportunidade de sublimação que o espírito operoso e desperto transforma em estruturação de valores eternos.

A sementeira comum é símbolo perfeito.

O gérmen lançado à cova escura sofre a ação dos detritos da terra, afronta a lama, o frio, a resistência do chão, mas em breve se converte em verdura e utilidade na folhagem, em perfume e cor nas flores e em alimento e riqueza nos frutos.

Compreendamos, pois, que a semente não estacionou. Rompeu todos os obstáculos e, sobretudo, obedeceu à influência da luz que a orientava para cima, na direção do Sol.

A cova do corpo é também preciosa para a lavoura espiritual, quando nos submetemos à lei que nos induz para o Alto.

Toda criatura provisoriamente algemada à matéria pode aproveitar o tempo na criação de espiritualidade divina.

O apóstolo, todavia, é muito claro quando emprega o termo "semeia-se". Quem nada planta, quem não trabalha na elevação da própria vida, coagula a atividade mental e rola no tempo à maneira do seixo que avança quase inalterável, a golpes inesperados da natureza.

Quem cultiva espinhos, naturalmente alcançará espinheiros.

Mas, o coração prevenido que semeia o bem e a luz, no solo de si mesmo, espere, feliz, a colheita da glória espiritual.

E N T R E I R M Ã O S
Olympia Belém (Espírito)[1]

Estes são tempos desafiadores para todos os que buscam um mundo melhor, onde reine o amor, onde pontifique a fraternidade, onde possam florir os mais formosos sentimentos nos corações.
Anelamos por dias em que a esperança, há tanto tempo acariciada, possa converter-se em colheita de progressos e de paz.
Sonhamos com esse alvorecer de uma nova era em que o Espiritismo, transformado em religião do povo, apresentando Jesus às multidões, descrucificado e vivo, possa modificar as almas, para que assumam seu pujante papel de filhas de Deus no seio do mundo.
Entrementes, não podemos supor que esses ansiados dias estejam tão próximos, quando verificamos que há, ainda, tanta confusão nos relacionamentos, tanta ignorância nos entendimentos, tanta indiferença e ansiedade nos indivíduos, como se vendavais, tufões, tormentas variadas teimassem em sacudir o íntimo das criaturas, fazendo-as infelizes.
A fim de que os ideais do Cristo Jesus alcancem a Terra, torna-se indispensável o esforço daqueles que, tendo ouvido o cântico doloroso do Calvário, disponham-se a converter suas vidas na madrugada luminosa do Tabor.
O mundo terreno, sob ameaças de guerras e sob os rufares da violência, em vários tons, tem urgência do Mestre de Nazaré, ainda que O ignore em sua marcha atordoada, eivada do materialismo que o fascina, que o domina e que o faz grandemente desfigurado, por faltar sentido positivo e digno no uso das coisas da própria matéria.
Na atualidade, porém, com as advertências da Doutrina dos Espíritos, com essa luculenta expressão da misericórdia de Deus para com Seus filhos terrenos, tudo se torna menos áspero, tudo se mostra mais coerente, oferecendo-nos a certeza de que, no planeta, tudo está de conformidade com a lei dos merecimentos, com as obras dos caminheiros, ora reencarnados, na estrada da suspirada libertação espiritual.
"A cada um segundo as suas obras" aparece como canto de justiça e esperança, na voz do Celeste Pastor.
Hoje, reunidos entre irmãos, unimo-nos aos Emissários destacados do movimento de disseminação da luz sobre as brumas terráqueas, e queremos conclamar os queridos companheiros, aqui congregados, a que não se permitam atormentar pelos trovões que se fazem ouvir sobre as cabeças humanas, ameaçadores, tampouco esfriar o bom ânimo, considerando que o Cristo vela sempre. Que não se deixem abater em razão de ainda não terem, porventura, alcançado as excelentes condições para o ministério espírita, certos de que o tempo é a magna oportunidade que nos concede o Senhor. Que ponham mãos à obra, confiantes e vibrantes, certos de que os verdadeiros amigos de Jesus caminham felizes, apesar das lutas e das lágrimas, típicas ocorrências das experiências, das expiações e das provas.
Marchemos devotados, oferecendo, na salva da nossa dedicação, o melhor que o Espiritismo nos ensina, o melhor do que nos apresenta para os que se perdem nas alamedas do medo, da desesperança e da ignorância a nossa volta.
Hoje, entre os amigos espíritas, encontramos maior ânimo para a superação dos nossos próprios limites, o que configurará, ao longo do tempo a superação dos limites do nosso honroso Movimento Espírita.
Sejamos pregadores ou médiuns, evangelizadores, escritores ou servidores da assistência social, não importa. Importa que nos engajemos, todos, nos labores do Codificador, plenificando-nos da grande honra de cooperar com os excelsos interesses do Insuperado Nazareno.
O tempo é hoje, queridos irmãos. O melhor é o agora, quando nos entrelaçamos para estudar, confraternizar e louvar a Jesus com os corações em clima festivo.
Certos de que o Espiritismo é roteiro de felicidade e bandeira de luz, que devemos içar bem alto sobre o dorso do planeta, abracemo-nos e cantemos, comovidos: Louvado seja Deus! Louvado seja Jesus!
Com extremado carinho e votos de crescente progres­so para todos, em suas lidas espiritistas, quero despedir-me sempre devotada e servidora pequenina.
Olympia Belém.

[1]
- Mensagem psicografada pelo médium J. Raul Teixeira no dia 03.09.95, no encerramento da X Confraternização Espírita do Estado do Rio de Janeiro.

O TEMPO

“Aquele que faz caso do dia, patrão Senhor o faz.” — Paulo. (ROMANOS, capítulo 14, versículo 6.)

A maioria dos homens não percebe ainda os valores infinitos do tempo.
Existem efetivamente os que abusam dessa concessão divina. Julgam que a riqueza dos benefícios lhes é devida por Deus.
Seria justo, entretanto, interrogá-los quanto ao motivo de semelhante presunção.
Constituindo a Criação Universal patrimônio comum, é razoável que todos gozem as possibilidades da vida; contudo, de modo geral, a criatura não medita na harmonia das circunstâncias que se ajustam na Terra, em favor de seu aperfeiçoamento espiritual.
É lógico que todo homem conte com o tempo, mas, se esse tempo estiver sem luz, sem equilíbrio, sem saúde, sem trabalho?
Não obstante a oportunidade da indagação, importa considerar que muito raros são aqueles que valorizam o dia, multiplicando-se em toda parte as fileiras dos que procuram aniquilá-lo de qualquer forma.
A velha expressão popular “matar o tempo” reflete a inconsciência vulgar, nesse sentido.
Nos mais obscuros recantos da Terra, há criaturas exterminando possibilidades sagradas. No entanto, um dia de paz, harmonia e iluminação, é muito importante para o concurso humano, na execução das leis divinas.
Os interesses imediatistas do mundo clamam que o “tempo é dinheiro”, para, em seguida, recomeçarem todas as obras incompletas na esteira das reencarnações... Os homens, por isso mesmo, fazem e desfazem, constroem e destroem, aprendem levianamente e recapitulam com dificuldade, na conquista da experiência.
Em quase todos os setores de evolução terrestre, vemos o abuso da oportunidade complicando os caminhos da vida; entretanto, desde muitos séculos, o apóstolo nos afirma que o tempo deve ser do Senhor.

Livro: Caminho Verdade e Vida.
Chico Xavier/Emmanuel.

NISTO CONHECEREMOS

"Nisto conhecemos o espírito da verdade e o espírito do erro." (I JOÃO, 4:6.)

Quando sabemos conservar a ligação com a Paz Divina, apesar de todas as perturbações humanas, perdoando quantas vezes forem necessárias ao companheiro que nos magoa; esquecendo o mal para construir o bem; amparando com sinceridade aos que nos aborrecem; cooperando espiritualmente, através da ação e da oração, a benefício dos que nos perseguem e caluniam; olvidando nossos desejos particulares para servirmos em favor de todos; guardando a fé no Supremo Poder como luz inapagável no coração; perseverando na bondade construtiva, embora mil golpes da maldade nos assediem; negando a nós mesmos para que a bênção divina resplandeça em torno de nossos passos; carregando nossas dificuldades como dádivas celestes; recebendo adversários por instrutores; bendizendo as lutas que nos aperfeiçoam a alma, à frente da Esfera Maior; convertendo a experiência terrena em celeiros de alegrias para a Eternidade; descortinando ensejos de servir em toda parte; compreendendo e auxiliando sempre, sem a preocupação de sermos entendidos e ajudados; amando os nossos semelhantes qual temos sido amados pelo Senhor, sem expectativa de recompensa; então, conheceremos o espírito da verdade em nós, iluminando-nos a estrada para a redenção divina.

DOUTRINAÇÕES

"Mas não vos alegreis porque se vos sujeitem os espíritos; alegrai-vos, antes, por estarem os vossos nomes escritos nos céus." — Jesus. (LUCAS, capítulo 10, versículo 20.)

Freqüentemente encontramos novos discípulos do Evangelho exultando de contentamento, porque os Espíritos perturbados se lhes sujeitam.

Narram, com alegria, os resultados de sessões empolgantes, nas quais doutrinaram, com êxito, entidades muita vez ignorantes e perversas.

Perdem-se muitos no emaranhado desses deslumbramentos e tocam a multiplicar os chamados "trabalhos práticos", sequiosos por orientar, em con-tactos mais diretos, os amigos inconscientes ou infelizes dos planos imediatos à esfera carnal.

Recomendou Jesus o remédio adequado a situações semelhantes, em que os aprendizes, quase sempre interessados em ensinar os outros, esquecem, pouco a pouco, de aprender em proveito próprio.

Que os doutrinadores sinceros se rejubilem, não por submeterem criaturas desencarnadas, em desespero, convictos de que em tais circunstâncias o bem é ministrado, não propriamente por eles, em sua feição humana, mas por
emissários de Jesus, caridosos e solícitos, que os utilizam à maneira de canais para a Misericórdia Divina; que esse regozijo nasça da oportunidade de servir ao bem, de consciência sintonizada com o Mestre Divino, entre as certezas
doces da fé, solidamente guardada no coração.

A palavra do Mestre aos companheiros é muito expressiva e pode beneficiar amplamente os discípulos inquietos de hoje.

Livro: Caminho Verdade e Vida.

Chico Xavier/Emmanuel.

FILHOS DA LUZ

FILHOS DA LUZ"Andai como filhos da luz." - Paulo.

(EFÉSIOS, 5:8.)Cada criatura dá sempre notícias da própria origem espiritual.

Os atos, palavras e pensamentos constituem informações vivas da zona mental de que procedemos.

Os filhos da inquietude costumam abafar quem os ouve, em mantos escuros de aflição.

Os rebentos da tristeza espalham o nevoeiro do desânimo.

Os cultivadores da irritação fulminam o espírito da gentileza com os raios da cólera.

Os portadores de interesses mesquinhos ensombram a estrada em que transitam, estabelecendo escuro clima nas mentes alheias.

Os corações endurecidos geram nuvens de desconfiança, por onde passam.

Os afeiçoados à calúnia e à maledicência distribuem venenosos quinhões de trevas com que se improvisam grandes males e grandes crimes.

Os cristãos, todavia, são filhos da luz.E a missão da luz é uniforme e insofismável.Beneficia a todos sem distinção.

Não formula exigências para dar.Afasta as sombras sem alarde.

Espalha alegria e revelação crescentes.Semeia renovadas esperanças.Esclarece, ensina, ampara e irradia-se.

Vinha de Luz

Chico Xavier/André Luiz


QUEM LÊ, ATENDA

"Quem lê, atenda." - Jesus. (MATEUS, 24:15.)

Assim como as criaturas, em geral, converteram as produções sagradas da Terra em objeto de perversão dos sentidos, movimento análogo se verifica no mundo, com referência aos frutos do pensamento.

Freqüentemente as mais santas leituras são tomadas à conta de tempero emotivo, destinado às sensações renovadas que condigam com o recreio pernicioso ou com a indiferença pelas obrigações mais justas.

Raríssimos são os leitores que buscam a realidade da vida.

O próprio Evangelho tem sido para os imprevidentes e levianos vasto campo de observações pouco dignas.

Quantos olhos passam por ele, apressados e inquietos, anotando deficiências da letra ou catalogando possíveis equívocos, a fim de espalharem sensacionalismo e perturbação? Alinham, com avidez, as contradições aparentes e tocam a malbaratar, com enorme desprezo pelo trabalho alheio, as plantas tenras e dadivosas da fé renovadora.

A recomendação de Jesus, no entanto, é infinitamente expressiva.

É razoável que a leitura do homem ignorante e animalizado represente conjunto de ignominiosas brincadeiras, mas o espírito de religiosidade precisa penetrar a leitura séria, com real atitude de elevação.

O problema do discípulo do Evangelho não é o de ler para alcançar novidades emotivas ou conhecer a Escritura para transformá-la em arena de esgrima intelectual, mas, o de ler para atender a Deus, cumprindo-lhe a Divina Vontade.

Livro; Vinha de Luz
Chico Xavier/Emmanuel