Trabalhemos todos, pela Unificação do movimento espírita!!

O Espiritismo é uma questão de fundo; prender-se à forma seria puerilidade indigna da grandeza do assunto. Daí vem que os centros que se acharem penetrados do verdadeiro espírito do Espiritismo deverão estender as mãos uns aos outros, fraternalmente, e unir-se para combater os inimigos comuns: a incredulidade e o fanatismo.”

“Dez homens unidos por um pensamento comum são mais fortes do que cem que não se entendam.”
Allan Kardec (Obras Póstumas – Constituição do Espiritismo – Item VI).



quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Culto do vangelho no Lar!


Não te disse que estaria aqui?
Pois, aqui estou...
Não costumo dizer que estou,
Onde não vou!!

Francisco Rebouças
Espírito - C.P. 

É PARA ISTO


“Não retribuindo mal por mal, nem injúria por injúria; antes, pelo contrário, bendizendo; sabendo que para isto fostes chamados.” — (1ª EPÍSTOLA A PEDRO, CAPÍTULO 3, VERSÍCULO 9.)

A fileira dos que reclamam foi sempre numerosa em todas as tarefas do bem.

No apostolado evangélico, reparamos, igualmente, essa regra geral.

Muitos aprendizes, em obediência ao pernicioso hábito, preferem o caminho dos atritos ou das dissidências escandalosas. No entanto, mais algum raciocínio despertaria a comunidade dos discípulos para a maior compreensão.

Convidar-nos-ia Jesus a conflitos estéreis, tão-só para repetir os quadros do capricho individual ou da força tiranizante? Se assim fora, o ministério do Reino estaria confiado aos teimosos, aos discutidores, aos gigantes da energia física.

É contra-senso desfazer-se o servidor da Boa Nova em lamentações que não encontram razão de ser.

Amarguras, perseguições, calúnias, brutalidade, desentendimento? São velhas figurações que atormentam as almas na Terra. A fim de contribuir na extinção delas é que o Senhor nos chamou às suas fileiras. Não as alimentes, emprestando-lhes excessivo apreço.

O cristão é um ponto vivo de resistência ao mal, onde se encontre.

Pensa nisto e busca entender a significação do verbo suportar.

Não olvides a obrigação de servir com Jesus. É para isto que fomos chamados.

Livro: Pão Nosso
Chico Xavier/Emmanuel
 
Francisco Rebouças

NA SEMENTEIRA DE CADA DIA


Emmanuel

Observa o mundo a redor de teus passos e perceberás, na desigualdade das situações, a Justiça Divina a expressar-se com a perfeição da sabedoria e do amor.

Lembra-te de que tudo nas horas de hoje decorre das criações do dia de ontem, tanto quanto a nossa conduta presente traçar-nos-á o amanhã infalível.

Tudo nasce e renasce, em função do aprimoramento que nos cabe atingir.

O usurário do pretérito, que subtraiu a bênção do ouro à circulação do progresso, agora é o mendigo esmolando a graça do pão.

O artista que ontem abusou da inteligência situando-a a serviço da imoralidade e do crime, passa hoje entre aqueles que lhe foram vítimas da insânia intelectual, na feição do demente necessitado de proteção e carinho.

A mulher que antigamente mobilizou a própria beleza, na exploração da crueldade e do vício, caminha na atualidade entre a angústia e a aflição da debilidade orgânica, em vigorosa luta contra o abatimento e a enfermidade.

O tirano das consciências que outrora movimentou a política e a autoridade na escravidão dos semelhantes para extorquir-lhes o sangue e o suor, transita agora na Terra, no corpo disforme dos mutilados que beijam o pó da terra, por muitos e muitos anos, a fim de compreender que só a humildade e o amor são bastante sábios para conferir-nos a luz da verdadeira felicidade.

Cada criatura constrói na própria mente e no próprio coração o paraíso que a erguerá ao nível sublime da perfeita alegria, ou o inferno que a rebaixará aos mais escuros antros do sofrimento.

Cultivemos na sementeira de cada dia a paciência e a bondade, a harmonia e a tolerância, enquanto a oportunidade de plantar brilha, hoje, em nossas mãos, porque amanhã será para nós novo tempo de colher e ressurgiremos diante da verdade com as flores da vitória espiritual, que será luminosa ascensão da morte para a vida ou com os espinhos de angustiosos compromissos com a sombra, representarão para nós outros a volta das eminências da vida para novo mergulho nas pesadas correntes da morte.

Cada criatura constrói na própria mente e no próprio coração o paraíso que a erguerá ao nível sublime da perfeita alegria, ou o inferno que a rebaixará aos mais escuros antros do sofrimento.

Livro: Alvorada do Reino
Chico Xavier/Emmanuel

Francisco Rebouças

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Desencarnação

Arnaldo
Meimei
Arnaldo Rocha (90 anos de idade) desencarnou às 18h40 do dia 29 de outubro (2a. feira), em sua residência, em Belo Horizonte.

Arnaldo Rocha foi marido de Meimei e amigo pessoal de Chico Xavier. Foi seu grande colaborador nos tempos de Pedro Leopoldo e um dos fundadores do Grupo Espírita Meimei.

Que Deus te abençoe Arnaldo e que estejas feliz ao Lado de sua querida Meimei.
Francisco Rebouças.

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

O Espiritismo Ensina na Mídia


Queridos amigos, não percam o nosso encontro semanal através do programa “O Espiritismo Ensina” que vai ao ar todas as terças-feiras das 17:00 às 18:30h., pela WEB Rádio UMEN no endereço http://www.umen.org.br

Produção, Coordenação e apresentação de Francisco Rebouças e Suzane Câmara.

Não deixe de ouvir o mais novo programa espírta, que tem por finalidade o estudo e a difusão da nossa doutrina.

Você pode participar do programa, enviando sua mensagem através do e-mail: participeumen@hotmail.com

Participe, divulgue!!!

Estamos esperando por você.
Francisco Rebouças

Palestra Espírita no Ceeak - Winterthur/Suiça


Temos o prazer de convidá-los para as palestras Espíritas que serão proferidas por:  REGINA ZANELLA (da Itália)

Tema: Força Espiritual

Data: Terça-feira, 13 de novembro, das 19:30 às 20:30h

E ainda  a  palestra de  CARLOS CAMPETTI

Tema: Auto-obsessão

Data: Domingo, 18 de novembro , das 10:30 às 11:30h


Compareça, divulgue!!

Francisco Rebouças

Ultrapassamos a marca das 85.000 visitas!


Sensacional!!! Queridos amigos, parece mentira mas é verdade, com a participação de todos vocês, já ultrapassamos a espetacular marca de 85.000 visitas ao nosso Blog Espírita. Lembramos que o contador de visitas só foi instalado em 31/10/2009.

Desfrutamos deste momento de alegria agradecendo a Deus nosso Pai amoroso e bom, aos Amigos Espirituais e a vocês nossos fraternos amigos, pelo êxito obtido até aqui com este modesto trabalho de divulgação da doutrina espírita, com toda fidelidade aos seus postulados.

Seguiremos com prazer e alegria, honrando o compromisso assumido quando da criação deste trabalho, de realizá-lo sempre alicerçado pela codificação espírita sem achismos ou modismos desnecessários e condenáveis sob todos os aspectos.

Nosso maior patrimônio continua sendo sua presença, sua paticipação, seu incentivo!

Que Jesus nosso Mestre e Guia nos mantenha unidos e operosos, sob sua divina inspiração, hoje e sempre!

Muito obrigado a todos!!!

Muita PAZ!


Francisco Rebouças

CONVERSA COM JESUS


Senhor ! Não lastimamos tanto
Contemplar no caminho a penúria sem nome,
Porque sabemos que socorrerás
Os famintos de pão e os sedentos de paz;
Dói encontrar na vida
Os que fazem a fome.

Ante aqueles que choram
Não lamentamos tanto,
Já que estendes o braço
Aos que gemem de angústia e cansaço;
Deploramos achar nas multidões do mundo
Os que abrem na Terra as comportas do pranto.

Não lastimamos tanto os que se esfalfam
Carregando a aflição de férrea cruz,
De vez que nós sabemos quanto assistes
Os humildes e os tristes;
Lastimamos os cérebros que brilham
E sonegam a luz

Não deploramos tanto os que suportam
Sarcasmo e solidão na carência de amor,
Porquanto tens as mãos, hora por hora,
No consolo e no apoio a todo ser que chora;
Lamentamos fitar os amigos felizes
Que alimentam a dor.

É por isso, Jesus, que nós te suplicamos:
Não nos deixes seguir-te o passo em vão,
Que o prazer do conforto não nos vença,
Livra-nos de tombar no pó da indiferença...
Inda que a provação nos seja amparo e guia,
Toma e guarda em serviço o nosso coração.

Maria Dolores

Livro: Mãos Marcadas
Chico Xavier/Espíritos Diversos
 
Francisco Rebouças

Conferência Espírita em Caldas da Rainha


AS CAUSAS DAS NOSSAS AFLIÇÕES

Na sexta-feira, dia 2 de Novembro de 2012, às 21H00, irá decorrer uma conferência espírita subordinada ao tema AS CAUSAS DAS NOSSAS AFLIÇÕES.

Quais são as causas das nossas aflições? É o destino? Somos nós a causa? Serão consequência de algo que fizemos neste vida? Ou noutras vidas? Será abordada a visão espírita sobre o tema.

Esta palestra terá lugar na sede do Centro de Cultura Espírita, no Bairro das Morenas, em Caldas da Rainha, na Rua Francisco Ramos, nº 34, r/c.
As entradas são livres e gratuitas.



Francisco Rebouças

domingo, 28 de outubro de 2012

ESTUDO COMO DEVER (II)


EMMANUEL

Compreendamos, assim, nas instituições do Espiritismo, que restauram o Evangelho para a atualidade, o culto do estudo edificante como simples dever.

Todos detemos conosco graves lições.

O estilete da angústia na própria alma...

A expiação em família...

A moléstia humilhante...

A inibição aflitiva...

A inadaptação social...

A trama da obsessão...

A esperança frustrada...

Buscar sistematicamente o alívio de uma hora, sem penetrar a essência da dor, é o mesmo que adquirir panacéias de ilusão e adotar a irresponsabilidade como norma de vida.

Por isso mesmo, é indispensável sacudir o marasmo do conformismo nos recessos do próprio ser, ficando a observação em linhas renovadoras da emotividade e do pensamento para que se elevem nossas percepções e concepções, no rumo do progresso.

Para isso, é imprescindível que o estudo nos favoreça, porquanto a existência é passo da evolução em que o conhecimento é pão do Espírito, quanto o pão material é sustento do corpo.

Estudo sem ostentação de saber.

Estudo sem paranóia intelectual.

Estudo para trabalho incessante.

Estudo com hábito nobre nos domínios da cooperação e do entendimento.

Livro “DOUTRINA-ESCOLA” ESPIRÍTOS DIVERSOS
Chico Xavier/Espíritos Diversos

Francisco Rebouças

PRECISAMOS SERVIR E SEGUIR


Desde o advento da Boa Nova, temos conhecimento das consoladoras e esclarecedoras mensagens de Jesus estimulando-nos às necessárias modificações de pensamentos e ações, tirando-nos do anestesiante estado de convencionalismo em que sempre nos movimentamos e nos impulsionando rumo às luminosas aquisições das virtudes divinas que trazemos ínsitas em nosso ser imortal, capazes de nos levar ao glorioso e supremo estado de pureza espiritual.

Desde a manjedoura, já nos dava exemplo de simplicidade; no Templo, mostra a gloriosa missão de que estava investido, desentorpecendo o ânimo dos doutores da Lei; nas Bodas de Caná, transforma água em vinho e faz aqueles que o observavam meditarem em seus ‘poderes’ desconhecidos; no Monte, multiplica pães e peixes e mata a fome da multidão, dando testemunho de que era diferente; no Poço de Jacob, pede água à mulher Samaritana, e lhe faz sentir a falta da água viva que satisfaz a sede do espírito; nas estradas por onde passa reergue paralíticos, loucos, leprosos, indicando-lhes novos rumos à jornada terrestre; em Betânia, ante o espanto de todos ressuscita Lázaro seu amigo “morto”, para que a ideia de imortalidade vibre no santuário familiar; no caminho de Emaús, refaz a coragem e a confiança de dois apóstolos conturbados pelo desalento; no Horto, acorda para as responsabilidades os discípulos adormecidos; e, no momento de seu testemunho maior, diante da crucificação, entrega-se de coração com fé e confiança no Pai Supremo, em dolorosa mas, sincera atitude de amor por seus irmãos, para que os seguidores de seu evangelho aprendam que é preciso o trabalho e o testemunho de cada um, na transformação individual e coletiva, para que o Reino de Deus se estabeleça no coração dos homens e consequentemente na sociedade.

E, mais tarde, ressurge materializado nas repetidas reuniões em Jerusalém entre os aprendizes, revelando nas chagas examinadas por Tomé, a comprovação do que lhes tinha falado sobre a continuidade de seu ministério de amor e trabalho, instigando-lhes o desejo do aperfeiçoamento através da renúncia e da ação no bem, amando e construindo um mundo melhor rumo à perfeição, relembrando um de seus muitos ensinamentos: “Meu Pai trabalha até hoje e eu trabalho também”

Assim, se procuramos verdadeiramente a companhia do Cristo, necessário se faz acordar para as verdades que ele nos exemplificou, na simplicidade do servir e seguir, por que só ele é o Caminho a Verdade e a Vida, e ninguém vai ao Pai senão por ele.

1 – João, 5:17.

Sufra

sábado, 27 de outubro de 2012

O Centro Espírita


O Centro Espírita é a maior e melhor oficina de burilamento para o verdadeiro seguidor do Espiritismo, pois, deve promover o conhecimento das verdades cristãs, ensinadas e exemplificadas por Jesus, quando de sua passagem por nosso planeta, e tão amiúde explicadas pela codificação elaborada por Allan Kardec dirigido por seu Guia Espiritual que se revelou a ele quando este lhe perguntou quem era, dizendo: “para ti, sou a Verdade”.

“Ora, deve começar daí, o cuidado que todos nós que nos dizemos espíritas, precisamos ter para não desvirtuar os ensinos de nossa doutrina”.

O Centro Espírita deve ter por objetivo, promover o estudo, a difusão e a prática da doutrina espírita, sem achismos ou modismos sempre desnecessários e inconvenientes.

A Casa Espírita precisa se tornar um elevado posto de serviço ao próximo, nos dois planos da vida, patrocinando o ensino evangélico puro nos grupos de estudos, nos seminários que realize, nas palestras públicas, nas preces pelos sofredores de toda ordem, nas atividades do passe, no atendimento fraterno, nas reuniões mediúnicas, na evangelização da infância e juventude, em toda e qualquer atividade que promova.

Deve trabalhar pela unificação do movimento espírita, do qual precisa fazer parte de forma ativa, contribuindo para a pacificação, a harmonização e o progresso de nossa doutrina.

Ter cuidado no preparo do seu corpo de tarefeiros para que todos se achem capacitados a levar adiante os propósitos nobres de uma instituição espírita, oferecendo-lhes adequadas e imprescindíveis instruções pautadas na codificação de Allan Kardec, e nas obras de reconhecido cunho doutrinário.

Incentivá-los a buscar a necessária capacitação nos grupos de estudos sérios, ininterruptos e bem elaborados, que a casa espírita deve oferecer a todos.

Fazê-los entender que:

- sua transformação moral é prioritária;

- precisa ter responsabilidade perante os compromissos assumidos na instituição;

- é necessário desenvolver a humildade, a fraternidade, a simplicidade em sua vida;

- que ninguém é dono da verdade e por isso mesmo, o diálogo é indispensável para melhor executarmos as tarefas das quais tomamos parte;

- que carecemos de ter fé em nós mesmos, acreditar em nossas possibilidades de fazer o bem;

- ter certeza da ajuda da espiritualidade amiga;

- que precisamos ter cuidado redobrado quando recebemos alguém que chega à instituição pela primeira vez;

- que não somos perfeitos, e por essa razão precisamos estar em permanente vigilância;

- que devemos ter respeito pelos seguidores de filosofia diferentes da nossa;

Enfim, a casa espírita precisa ser entendida, vivida e sentida por cada um de nós como a nossa segunda moradia, onde nos reabastecemos das boas energias, para os embates tão comuns do nosso dia a dia.

A Casa espírita é um espaço reservado para as mais sublimes realizações morais espirituais, onde os Espíritos Superiores convivem e auxiliam todo o trabalhador consciente de seus deveres, e ainda a bendita oficina em que Jesus nos admitiu na certeza de que somos capazes de adquirir conhecimentos para representá-lo diante do irmão necessitado que seu coração amoroso nos presentear com a oportunidade de abraçá-lo e esclarecê-lo em seu nome.

O Centro Espírita é a abençoada oficina de trabalhos espirituais, que nos honra e abençoa a vida com a convivência feliz ao lado de Jesus nosso Mestre e Guia.

O Centro Espírita é um dos maiores benefícios de que nós espíritas podemos desfrutar, para nossas mais sublimes, superiores e preciosas realizações no campo do Espírito Imortal. (Josepha!)¹.

1 - Obs.: Josepha, nossa amiga e benfeitora espiritual.


Francisco Rebouças

Palestra Espírita na Suiça



Caros amigos, neste domingo, 28.10.2012 no CEEAK - Centro de Estudos Espíritas Allan Kardec, acontecerá mais uma excelente palestra que terá por tema: A saúde do corpo depende da alma.

Não perca a oportunidade de saber como o espiritismo explica as doenças e deformidades hereditárias.

A pelestra será proferida pela querida e competente amiga: Gorete Newton.

Endereço: CEEAK - Centro de Estudos espíritas Allan Kardec
Industriestrasse 8
8004 - Winterthur
Suíça
E-Mail: ceeak@ceeak.ch

Compareça, divulgue!!!



Francisco Rebouças

SUICÍDIO


1 - Existe o carma do suicídio?

O problema do suicídio não é de carma. Decorre da falta de calma quando não aceitamos as provações humanas.

2 - E se a pessoa tem uma depressão tão forte que não consegue viver, enxergando no suicídio sua única saída?

Seria uma boa saída se a vida terminasse no túmulo. Como não termina, o suicídio apenas abre aporta para um mergulho cm sofrimentos maiores.

3 - Aqueles que enfrentam graves depressões parecem não se importar muito com essa perspectiva. Consideram que não pode existir situação pior do que a que estão enfrentando.

Enganam-se. Não há na Terra sofrimento que se compare ao do suicida. O Espírito Camilo Castelo Branco deixa isso bem claro no livro “Memórias de um Suicida”, psicografia de Yvonne

A. Pereira, onde descreve suas experiências no Vale dos Suicidas.

4 - É possível alguém ser induzido ao suicídio por um Espírito obsessor?

Sim. Mas é preciso lembrar que os obsessores apenas exploram nossas tendências. Dificilmente conseguirão induzir ao suicídio um coração confiante em Deus, habituado a cultivar otimismo e bom ânimo.

5 - Não há casos de subjuga ção em que o obsessor sobrepõe-se às reações do obsidíado, precipitando-o no auto-aniquilamento?

Aparentemente, sim. Tenho observado casos de suicídio que mais parecem assassinatos come¬tidos por Espíritos.

6 - Nesse caso o suicida estaria isento de responsabilidade?

É difícil ajuizar até que ponto ele estava impedido de reagir. De qualquer forma a responsabilidade é compatível com seu grau de maturidade e informação. Há circunstâncias atenuantes, como numa obsessão; ou agravantes, como o fato de estarmos perfeitamente conscientes do que fazemos e das conseqüências.

7 - Como confortar as pessoas que passam pela desdita de um suicídio na família?

É preciso ter sempre presente que o suicida não perde a condição de filho de Deus, nem é confinado em tormentos irremissíveis. Deus não desampara nenhum de seus filhos. O suicida aprende da forma mais dolorosa, mas segundo sua própria escolha, que a Vida deve ser respeitada.

8 - O que podemos fazer pelos suicidas?

Em princípio, cessar o questionamento, deixan¬do de cultivar reminiscências que repercutem dolorosamente neles. E, sobretudo, orar em seu beneficio. Dizem os suicidas que este é o seu refrigério.


Livro: Não Pise na Bola
Richard Simonetti

Francisco Rebouças

BENDITA SEJAS SEMPRE


Maria Dolores

Bendita sejas sempre, mão fraterna,
Que distribuis, caminho a fora,
A segurança, o teto, a proteção e a mesa
Para sanar a dor da penúria que chora.

Bendita sejas pelo pano amigo,
Que entreteces ou limpas, a contento,
Suprimindo a nudez de quem vai pela estrada,
Ante a injúria do pó, sob os golpes do vento.

Bendita sejas no desprendimento,
Com que dás a moeda, em sentido profundo.
No louvor ao trabalho e no apoio à bondade,
Reduzindo a aflição e a tristeza do mundo.

Bendita sejas na abnegação,
Sem que louros quaisquer busques ou vises,
Quando estendes a benção da esperança
Aos irmãos fatigados e infelizes.

Bendita se ias pelo reconforto
Na generosidade doce e franca,
Quando levas consolo e lenitivo
Àqueles que a doença humilha e espanca.

Bendita sejas na fidelidade
Com que te santificas no amor puro,
Em resguardando a infância desprezada,
Edificando as bases do futuro.

Bendita sejas pela idéia nobre,
Com que gravas o Bem, na frase que te encerra,
Iluminando o verbo, onde o verbo se inscreva
Para, a sublimação de toda a Terra !

Bendita sejas sempre, mão criadora,
Em ti, a caridade, atingindo apogeus,
Revela, em toda a parte, o Sol do Entendimento,
A Grandeza da Vida e a Presença de Deus.

Livro: Antologia da Espiritualidade
Chico Xavier/Maria Dolores

Francisco Rebouças

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

NOVOS RUMOS


Com grande alegria, apresentamos aos nossos leitores as perguntas e respostas da entrevista concedida pelo estimado companheiro e médium de Pedro Leopoldo, Francisco Cândido Xavier, aos dirigentes do programa radiofônico da Comunhão Espírita Cristã, "Ondas de Luz", na Rádio Difusora de Uberaba, domingo p.p., quando de sua recente visita à nossa cidade.

Inicialmente foi oferecido o microfone ao nosso confrade, que assim se expressou:

– Meus caros amigos, em Uberaba, de novo, saúdo a todos os companheiros de ideal com o meu afeto e reconhecimento, rogando a Jesus abençoe sempre a alma generosa da terra uberabense, sempre tão grande pelas suas virtudes da inteligência e do coração, não me referindo apenas ao nosso campo espírita, mas a todas as outras esferas do pensa-mento e trabalho, em que Uberaba sempre se destaca como elevado padrão de nosso progresso e de nossa cultura.

(*) Transcrita do jornal uberabense "A Flama Espírita", 20 de setembro de 1958, sob o título "Entrevista com Francisco Cândido Xavier".

1 – A FAMILIA ESPÍRITA UBERABENSE

P – Irmão Chico, agradecendo as suas bondosas expressões, desejaríamos aproveitar a oportunidade para lhe fazer uma série de perguntas, pedindo-lhe desculpas se acaso nos mostremos, talvez, indiscretos. Assim, como primeira interrogação desejaría-mos saber qual a sua impressão acerca da família espírita uberabense?

R – Estive em Uberaba, precisamente há dez anos, e observo que a família espírita cresceu muito, oferecendo-nos a todos grandes testemunhos de realização e de fé.

2 – PRIMEIROS TEMPOS EM UBERABA

P – E como você se sente em nosso ambiente?

R – Estimaria responder a todos não com a palavra articulada, mas sim, com a alegria que me transborda do coração.

P – Você teve oportunidade de visitar todos os Centros Espíritas de Uberaba?

R – Vim de Pedro Leopoldo com tempo muito reduzido e não pude visitar, agora, todas as nossas instituições espíritas, tão particularmente como eu desejaria. Ainda assim, pude partilhar de uma reunião íntima na “Casa do Cinza”, rejubilar-me, abraçando os companheiros espíritas em uma reunião pública de estudos no Centro Espírita Uberabense e visitar, de perto, o “Henrique Kruger”, o “Vicente de Paulo” e o “Batuíra”, grandes santuários de nossos princípios em que o conhecimento espírita aparece traduzido nas mais belas obras de compreensão humana e social. As casas espíritas uberabenses fortalecem a nossa fé no futuro e nos fazem pensar no mundo melhor do porvir em que os homens estarão unidos, segundo o ensinamento de Nosso Senhor Jesus Cristo.

3 – TRANSFERÊNCIA PARA UBERABA

P – Quando você pretende regressar ao nosso meio?

R – Se Deus permitir, será breve. Talvez no fim deste ano, se me for possível harmonizar os deveres profissionais com os anseias do coração.

P – Poderá nos dizer algo quanto à sua transferência para o nosso meio de trabalhos espíritas-cristãos?

R – Este é, realmente, antigo desejo meu. Desde os tempos passados em que trabalhei junto às exposição espírita, mas a todas as outras esferas do pensamento e trabalho, em que Uberaba sempre se destaca como elevado padrão de nosso progresso e de nossa cultura.

4 – PEDRO LEOPOLDO SEM CHICO XAVIER

P – E você, Chico, tem alguma idéia de como ficarão os trabalhos espíritas-cristãos, em Pedro Leopoldo, com a sua provável transferência para cá?

R – Como sabemos, no Espiritismo não temos tarefeiros especiais. Sou em Pedro Leopoldo um trabalhador muito pequenino de nossa Causa, reconhecendo que lá dispomos de nobres valores para a sustentação de nossas atividades.

5 – EMMANUEL E A MUDANÇA

P – Poderia você nos dizer a opinião de nosso Benfeitor Espiritual Emmanuel a respeito de sua transferência para Uberaba?

R – Nosso abnegado Emmanuel não me tolhe os movimentos. Quando pedi a ele opinião sobre minha vinda para cá, respondeu-me que tudo na vida é experiência e que meu propósito é lícito, considerando-se que estou na atividade mediúnica, em Pedro Leopoldo, desde 1927, há 31 anos, portanto, mas me advertiu que, seja onde for, devo estar atento no trabalho da mensagem psicografada. Desse modo, se me for possível dispor de oportunidade e tempo para semelhante tarefa, ele como Amigo Espiritual, não vê inconveniente na mudança projetada.

6 – CENTRO ESPIRÍTA DE PREFERÊNCIA

P – E você terá algum Centro Espírita de preferência para realizar sessões públicas ou privativas, em nossa cidade?

R – Creia, sinceramente, que não desejo vir para Uberaba como alguém capaz de ombrear com os grandes lidadores de nossa Doutrina que tanto vêm fazendo aqui pelo engrandecimento de nossos ideais.

Não tenho, por isso, qualquer programa antecipado, mesmo porque isso seria uma ousadia de minha parte. Se eu vier, serei uma gota d‘água a incorporar-se num grande rio. Nada mais.

7 – APOSENTADORIA E MUDANÇA

P – E quando você espera vir para Uberaba, definitivamente?

R – Bem, isso será medida para depois de minha aposentadoria, nos encargos profissionais.

8 – ESTADO DE SAÚDE

P – Irmão Chico, desejaríamos agora entrevistá-lo para os, nossos radiouvintes sobre você, pessoalmente, rogando-lhe recusar qualquer pergunta que julgue inoportuna. Assim, perguntaríamos como está o seu estado de saúde, atualmente?

R – Meu filho, você sabe que meu corpo físico se aproxima agora de meio século. As alterações do tempo marcam meu coração e meu rosto. Sempre mais doente dos olhos, reconheço que sou atualmente máquina gasta. Mas, mesmo assim, creio que poderei continuar trabalhando, embora de maneira deficitária, por mais algum tempo.

9 – FUNCIONARIO DO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA

P – E você, Chico, segundo algumas de suas palavras, ainda continua trabalhando como funcionário do Ministério da Agricultura?

R – Sim, prossigo exercendo as minhas humildes funções de auxiliar de escritório na Inspetoria Regional do Ministério da Agricultura em Pedro Leopoldo, há mais de vinte anos consecutivos.

10 – 30 ANOS DE SERVIÇO

P – E quando você se aposentará?

R – Espero que isso aconteça, se Deus permitir, em 1960, quando completarei trinta anos de trabalho funcional.
 
Livro: A Terra e o Semeador
Chico Xavier/Emmanuel
 
Francisco Rebouças

EM FAMÍLIA


“Aprendam primeiro a exercer piedade para com a sua própria família e a recompensar seus pais, porque isto é bom e agradável diante de Deus.” — Paulo. (1ª EPÍSTOLA A TIMÓTEO, CAPÍTULO 5, VERSÍCULO 4.)

A luta em família é problema fundamental da redenção do homem na Terra. Como seremos benfeitores de cem ou mil pessoas, se ainda não apren-demos a servir cinco ou dez criaturas? Esta é indagação lógica que se estende a todos os discípulos sinceros do Cristianismo.

Bom pregador e mau servidor são dois títulos que se não coadunam.

O apóstolo aconselha o exercício da piedade no centro das atividades domésticas, entretanto, não alude à piedade que chora sem coragem ante os enigmas aflitivos, mas àquela que conhece as zonas nevrálgicas da casa e se esforça por eliminá-las, aguardando a decisão divina a seu tempo.

Conhecemos numerosos irmãos que se sentem sozinhos, espiritualmente, entre os que se lhes agregaram ao círculo pessoal, através dos laços consangüíneos, entregando-se, por isso, a lamentável desânimo.

É imprescindível, contudo, examinar a transitoriedade das ligações corpóreas, ponderando que não existem uniões casuais no lar terreno. Preponderam aí, por enquanto, as provas salvadoras ou regenerativas. Ninguém despreze, portanto, esse campo sagrado de serviço por mais se sinta acabrunhado na incompreensão. Constituiria falta grave esquecer-lhe as infinitas possibilidades de trabalho iluminativo.

É impossível auxiliar o mundo, quando ainda não conseguimos ser úteis nem mesmo a uma casa pequena — aquela em que a Vontade do Pai nos situou, a título precário.

Antes da grande projeção pessoal na obra coletiva, aprenda o discípulo a cooperar, em favor dos familiares, no dia de hoje, convicto de que semelhante esforço representa realização essencial.

Livro: Pão Nosso
Chico Xavier/Emmanuel
 
Francisco Rebouças

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Estudando o Espiritismo - LM.


XV
Todos os médiuns são, incontestavelmente, chamados a servir à causa do Espiritismo, na medida de suas faculdades, mas bem poucos há que não se deixem prender nas armadilhas do amor-próprio. E uma pedra de toque, que raramente deixa de produzir efeito. Assim é que, sobre cem médiuns, um, se tanto, encontrareis que, por muito ínfimo que seja, não se tenha julgado, nos primeiros tempos da sua mediunidade, fadado a obter coisas superiores e predestinado a grandes missões. Os que sucumbem a essa vaidosa esperança, e grande é o número deles, se tornam inevitavelmente presas de Espíritos obsessores, que não tardam a subjugá-los, lisonjeando-lhes o orgulho e apanhando-os pelo seu fraco. Quanto mais pretenderem eles elevar-se, tanto mais ridícula lhes será a queda, quando não desastrosa.

As grandes missões só aos homens de escol são confiadas e Deus mesmo os coloca, sem que eles o procurem, no meio e na posição em que possam prestar concurso eficaz. Nunca será demais eu recomende aos médiuns inexperientes que desconfiem do que lhes podem certos Espíritos dizer, com relação ao suposto papel que eles são chamados a desempenhar, porquanto, se o tomarem a sério, só desapontamentos colherão nesse mundo, e, no outro, severo castigo.

Persuadam-se bem de que, na esfera modesta e obscura onde se acham colocados, podem prestar grandes serviços, auxiliando a conversão dos incrédulos, prodigalizando consolação aos aflitos. Se daí deverem sair, serão conduzidos por mão invisível, que lhes preparará os caminhos, e serão postos em evidência, por assim dizer, a seu mau grado.

Lembrem-se sempre destas palavras: "Aquele que se exalçar será humilhado e o que se humilhar será exalçado."

O Espírito de Verdade.   Fonte: O Livro dos Médiuns - FEB 60ª edição - Dissertações Espíritas.   Francisco Rebouças

Lindos Casos de Chico Xavier


UMA VISITA DE CRUZ E SOUZA

O confrade Izaltino Silveira Filho, digno companheiro nosso em Juiz de Fora, achava-se em prece com o Chico, em Pedro Leopoldo, na noite de 11 de setembro de 1948, quando ele e o Médium registraram a presença de alguns amigos espirituais.

Concentraram-se e, dentre as Mensagens recebidas, veio o seguinte soneto de Cruz e Souza pelas mãos do Médium, dedicado ao irmão acima referido:

SEGUE

Segue gemendo no caminho estreito,
De pé sangrando em chagas dolorosas,
Sustentando alegrias que não gozas,
À renúncia rendendo excelso preito.

Na cruz pesada que te oprime o peito,
Encontrarás estrelas milagrosas,
Sob chuvas de bênçãos e de rosas,
Que dimanam do amor santo e perfeito.

Se o temporal de lágrimas te encharca,
Seja a esperança a luminosa marca
Que te assinale as súplicas sinceras!

Somente a dor na terra estranha e escura
Apaga na corrente da amargura
Os erros que trazemos de outras eras...

CRUZ E SOUZA

Assinalamos aqui esse soneto, não só por sua beleza, mas também pela exatidão do estilo que caracteriza o grande e inesquecível poeta.

Livro: Lindos Casos de Chico Xavier
Ramiro Gama
 
Francisco Rebouças

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Lançamento de Livro


A SEF - Sociedade Espírita Fraternidade, convida a todos para o lançamento do livro "Que Bicho Ainda Existe em Você?", no próximo dia 31/10/2012.

Compareça, divulgue!!













Francisco Rebouças

ANTE O SOL ETERNO


“Vim trazer fogo à Terra” – disse-nos o Senhor.

Semelhantes palavras do Divino Mestre podem induzir o discípulo invigilante aos mais estranhos pensamentos.

É preciso, porém, exumar o espírito da letra, na alimentação de nossas almas, tanto quanto, no fruto, para o serviço da refeição, liberamos a polpa do envoltório que a constringe.

Jesus não se propunha ombrear com o petroleiro comum, intérprete da indisciplina e do desespero.

Cristo trazia-nos calor ao espírito enregelado na indiferença e no vício de séculos incessantes...

Chama viva para extinguir as trevas de nosso passado obscuro e delituoso, lume para clarear a senda que nos cabe trilhar nos sacrifícios do presente, a caminho do grande porvir que a vida nos reserva...

Flama de brio restaurador com que nos cabe atender aos compromissos esposados no esforço regenerativo e braseiro rubro de responsabilidade, que, situado no campo de nossa consciência, impeça a germinação ou o crescimento do joio venenoso da crueldade e do ódio...

Labareda de fé renovadora, suscetível de purificar-nos o sentimento e soerguê-lo à prática da caridade genuína, e pira ardente de amor que nos aprume a alma arrojada ao pó de velhas desilusões, a fim de que possamos penetrar, como filhos de Deus, o santuário de nossa sublimação para a divina imortalidade...

Se ouviste, pois, a palavra de Jesus, decerto conduzes contigo não mais o frio do desânimo ou a paralisia da ociosidade e da queixa, porque terás inflamado o próprio coração, ao sol glorioso da compreensão e do trabalho incessantes, única força capaz de levantar-nos, enfim, do antigo vale de negação e da morte.

C. Dossi, em “Note Azzurre 4.265”: El último peldaño de adversa fortuna es el primero de la próspera. O derradeiro degrau da escada da desgraça, pode ser o primeiro da felicidade.
 
Livro: Escrínio de Luz
Chico Xavier/Emmanuel
 
Francisco Rebouças

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Você é a única pessoa capaz de curar-se


OBSERVE o que se passa na vida: quando você necessita de alimento, é só você que pode comer.

Ninguém pode fazê-lo por você.

Assim, também, ninguém poderá curá-lo.

Você é a única pessoa capaz de curar-se, de fazer seu corpo revigorar-se e libertar-se das enfermidades.

Emita pensamentos positivos de saúde e expulse de seu organismo todas as moléstias.

Livro: Minutos de Sabedoria - 201
Carlos Torres Pastorino
 
Francisco Rebouças

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Ultrapassamos a marca das 84.000 visitas!


Que lindo! Queridos amigos, com a participação de todos vocês, alcançamos e ultrapassamos a espetacular marca de 84.000 visitas ao nosso Blog Espírita. Lembramos que o contador de visitas só foi instalado em 31/10/2009.

Aproveitamos o momento de alegria que sentimos nesse instante, para agradecer a Deus nosso Pai amoroso e bom, aos Amigos Espirituais e a vocês nossos fraternos amigos, pelo êxito obtido até aqui com este modesto trabalho de divulgação da doutrina espírita, com toda fidelidade aos seus postulados.

Continuaremos com prazer e alegria, honrando o compromisso assumido quando da criação deste trabalho, de realizá-lo sempre alicerçado pela codificação espírita sem achismos ou modismos desnecessários e condenáveis sob todos os aspectos.

Nosso maior patrimônio continua sendo sua presença, sua paticipação, seu incentivo!

Que Jesus nosso Mestre e Guia nos mantenha unidos e operosos, sob sua divina inspiração, hoje e sempre!

Muito obrigado a todos!!!

Muita PAZ!

Francisco Rebouças

"O Espiritismo Ensina" na Mídia


Queridos amigos, não percam o nosso encontro semanal através do programa “O Espiritismo Ensina” que vai ao ar todas as terças-feiras das 17:00 às 18:30h., pela WEB Rádio UMEN no endereço http://www.umen.org.br

Produção, Coordenação e apresentação de Francisco Rebouças e Suzane Câmara.

Não deixe de ouvir o mais novo programa espírta, que tem por finalidade o estudo e a difusão da nossa doutrina.

Você pode participar do programa, enviando sua mensagem através do e-mail: participeumen@hotmail.com

Participe, divulgue!!!

Estamos esperando por você.
Francisco Rebouças

Conferência Espírita em Caldas da Rainha


O PASSE ESPÍRITA CURA: PROVAS CIENTÍFICAS

Na sexta-feira, dia 26 de Outubro de 2012, às 21H00, irá decorrer uma conferência espírita subordinada ao tema O PASSE ESPÍRITA CURA: PROVAS CIENTÍFICAS.

Será apresentada a visão espírita sobre o egoísmo e o seu impacto nas nossas vidas.

Esta palestra terá lugar na sede do Centro de Cultura Espírita, no Bairro das Morenas, em Caldas da Rainha, na Rua Francisco Ramos, nº 34, r/c.

As entradas são livres e gratuitas.


Francisco Rebouças

ADVERSÁRIOS


Emmanuel

Quando o Mestre nos recomendou amor aos inimigos, não nos induziu à genuflexão improdutiva à frente dos nossos adversários.

Ninguém precisa oscular o lodo escuro do pântano a fim de auxilia-lo.

Ninguém necessita introduzir um espinho no próprio coração, a pretexto de aniquilar-lhe a expressão dilacerante.

O Senhor pede entendimento.

Imaginemo-nos na posição dos nossos inimigos, gratuitos ou não, e observemos como seria a nossa conduta se estivéssemos em lugar deles.

Permanecerá o nosso adversário em nossa posição de madureza espiritual quando conseguirmos examina-lo com segurança moral?

Terá tido as mesmas oportunidades de que já dispomos para conhecer a verdade e semear o bem?

Guardaríamos o coração sem fel se nos demorássemos na posição onde se encontram, muitas vezes, dominados pela ignorância ou pelo desespero:

Assumiríamos conduta diferente daquela que lhes assinala as atividades, se fôssemos constrangidos a atravessar a zona empedrada em que jornadeiam?

Dificilmente chegaríamos a conclusões afirmativas.

Jesus, por isso, pede, acima de tudo, esquecimento do mal e disposição sincera para o bem, com atitudes positivas de boa vontade, a fim de que os nossos adversários nos identifiquem, com mais clareza, as boas intenções.

Recebemos o inimigo como instrutor e auxiliá-lo-emos a dilatar a visão que lhe é própria.

A compreensão é a raiz da verdadeira fraternidade.

Aprendamos, assim, a perceber a luz onde a luz se encontra, a fim de que nos armemos contra o poderio das trevas em nosso coração.

A boa vontade realiza milagres em nossa vida, se estamos realmente dispostos a caminhar para os cimos da vida.

Lembremo-nos de que Jesus, até hoje, está trabalhando no auxílio aos inimigos e o único caminho por Ele escolhido para esse apostolado de amor, é o caminho do sentimento, porque só aquele que sabe conquistar o coração dos adversários pela cooperação e pela boa vontade pode, efetivamente, inflamar-se ao Sol do Amor Eterno, com a vitória sobre si mesmo, na subida espinhosa e santificante para a Glória Imortal.

Livro: A Verdade Responde
Chico Xavier/Emmanuel - André Luiz

Francisco Rebouças

COOPERAÇÃO ENCADEADA


O tema do aperfeiçoamento, imaginai a Terra na condição de grande pirâmide.

Os conhecimentos edificantes descem do ápice para a base, espalhando-se a benefício de todos.

Se já aceitastes a imortalidade da vida e se percebeis a Presença Divina, em todos os recantos da Natureza, propiciando-vos os ingredientes que se vos fazem necessários à evolução, sois chamados a disseminar os valores espirituais a que nos referimos.

Nomeados para auxiliar aos nossos companheiros que ainda se desorientam nas sombras da retaguarda, aceitai os vossos encargos com alegria.

Sendo nós, - amigos desencarnados, - os trabalhadores que recolhem do Mais Alto os ensinamentos que nos são confiados, sois naturalmente os intérpretes da nossa tarefa, com a obrigação de comunicar aos outros, especialmente aos irmãos que se demoram em cegueira espiritual, os conhecimentos que nos impulsionarão para os cimos da vida.

Somos filtros das idéias e lições dos missionários de revelações maiores, enquanto sois os filtros, ao nosso dispor, na obra do auxilio espiritual a milhões de criaturas.

Não vos surpreendais, nem vos assusteis, porque o servidor fiel será sempre digno da assistência que necessite receber.

Iniciai a vossa realização, alijando da própria alma os resquícios de quaisquer sentimentos que vos desunam, entendendo que a união ser-vos-á de harmonia e força.

Não se vos pede sacrifícios para os quais já se sabe que não sois capazes.

Sobretudo, compreendei e amai sempre, transmitindo os vossos recursos de amor a todos os seres da Criação.

Inútil esperar milagres que a lei de seqüência não sanciona.

Tantos quanto nós, os companheiros desencarnados que vos assistem, estamos encarregados de abrir caminho para a sublimação, todos estais convocados para o serviço de auxilio aos irmãos que nos acompanham a trajetória à busca do conhecimento libertador.

Convencei-vos, quanto a isso e trabalhai amando, quanto puderdes, sabendo sempre que os anjos não virão ao mundo para servirem nosso lugar.

Batuíra

Livro: Escultores de Almas
Chico Xavier/Espíritos Diversos
 
Francisco Rebouças

domingo, 21 de outubro de 2012

Escada de Luz


I

Aprendamos a tolerar-nos uns aos outros, sem atrito, sem mágoa e sem lamentações.

Reconheçamos que a possível falta de alguém, tanto quanto a enfermidade de companheiro determinado, poderiam ser nossas.

E não olvidemos que o nosso beneficiário de hoje poderá ser o nosso benfeitor de amanhã.

Quanto mais serviço apresentado, suprimento mais alto Quanto menos bondade, mais pessimismo.

Quanto mais amor, mais luz no caminho.

Emmanuel

Sofre o que te desagrade,
Tolera mágoas e crises;
O tédio na Humanidade
E a provação dos felizes.

Gil Amora

Se aceitaste o Evangelho por abençoado roteiro de aperfeiçoamento, não te esqueças da representação que nos cabe em toda parte.

Somos embaixadores de Jesus onde estivermos, se a luz d'Ele é o clarão que nos descortina o futuro.

Se a treva tenta envolvê-lo, faze a claridade do otimismo, com as bênçãos do amor que auxiliam em todos os instantes.

Emmanuel

Livro: Escada de Luz
Chico Xavier/Espíritos Diversos
 
Francisco Rebouças 

NADA É INÚTIL


Não aguardes aparente grandeza para ser útil.

Missão quer dizer incumbência.

E ninguém existe ao acaso.

Buscando entender os mandatos de trabalho que nos competem, estudemos, de leve, algumas lições de cousas da natureza.

A usina poderosa ilumina qualquer lugar, à longa distância, contudo, para isso, não age por si só.

Usa transformadores de um circuito a outro, alterando, em geral, a tensão da corrente.

Os transformadores requisitam fios de condução.

Os fios recorrem à tomada de força. Isso, porém, ainda não resolve.

Para que a luz se faça, é indispensável a presença da lâmpada, que se forma de componentes diversos.

O rio, de muito longe, fornece água limpa à atividade caseira,mas não se projeta, desordenado, a serviço das criaturas.

Cede os próprios recursos à rede de encanamento.

A rede pede tubos de formação variada.

Os tubos exigem a torneira de controle.

Isso, porém, não é tudo.

Para que o liquido se mostre purificado, solicita-se o concurso do filtro.

O avião transporta o homem, de um lado a outro da Terra, mas não é um gigante auto-suficiente.

A fim de elevar-se, precisa combustível.

O combustível solicita motores que o aproveitem.

Os motores reclamam os elementos de que se constituem.

Isso, porém, ainda não chega.

Para que a máquina voadora satisfaça aos próprios fins, é imprescindível se lhe construa adequado campo de pouso.

No Dicionário das Leis Divinas, as nossas tarefas têm o sinônimo de dever.

Atendamos à obrigação para a qual fomos chamados no clima do bem.

Não te digas inútil, nem te asseveres incompetente.

Para cumprir a missão que nos cabe, não são necessários um cargo diretivo, uma tribuna brilhante, um nome preclaro ou uma fortuna de milhões.

Basta estimemos a disciplina no lugar que nos é próprio, com o prazer de servir.

Emmanuel

Livro: Escultores de Almas
Chixo Xavier/Espíritos Diversas

Francisco Rebouças

sábado, 20 de outubro de 2012

ESPIRITISMO


André Luiz

É fé viva – Confiemos.

É esperança – Esperemos no Senhor.

É caridade – Exerçamo-la.

É trabalho – Aprendamos a servir.

É solidariedade – Unamo-nos.

É tolerância – Pratiquemos a fraternidade legítima.

É paz – Procuremos a concórdia.

É luz – Brilhemos, refletindo-a

É amor – Amemo-nos uns aos outros.

É caminho – Trilhemo-lo.

É verdade – Busquemo-la.

É vida – Vivamo-la com abundância.

Livro: “A VERDADE RESPONDE”
Chico Xavier/Emmanuel


Francisco Rebouças

Estudando o Espiritismo - L.E.

Caros amigos, a finalidade maior deste nosso Blog Espírita, é justamente, o constante e sério estudo e divulgação da doutrina espírita, por essa razão, estamos dando continuidade ao estudo do Livro dos Espíritos, para uma melhor compreensão de nossa doutrina. Nesta oportunidade focalizamos as questões de nºs 413 a 418. CAPÍTULO VIII - DA EMANCIPAÇÃO DA ALMA.
Estudem conosco!!!
Visitas espíritas entre pessoas vivas


413. Do princípio da emancipação da alma parece decorrer que temos duas existências simultâneas: a do corpo, que nos permite a vida de relação ostensivas; e a da alma, que nos proporciona a vida de relação oculta. É assim?

“No estado e emancipação, prima a vida da alma. Contudo, não há, verdadeiramente, duas existências. São antes duas fases de uma só existência, porquanto o homem não vive duplamente.”

414. Podem duas pessoas que se conhecem visitar-se durante o sono?

“Certo e muitos que julgam não se conhecerem costumam reunir-se e falar-se. Podes ter, sem que o suspeites, amigos em outro país. É tão habitual o fato de irdes encontrar-vos, durante o sono, com amigos e parentes, com os que conheceis e que vos podem ser úteis, que quase todas as noites fazeis essas visitas.”

415. Que utilidade podem elas ter, se as olvidamos?

“De ordinário, ao despertardes, guardais a intuição desse fato, do qual se originam certas idéias que vos vêm espontaneamente, sem que possais explicar como vos acudiram.

São idéias que adquiristes nessas confabulações.”

416. Pode o homem, pela sua vontade, provocar as visitas espíritas? Pode, por exemplo, dizer, quando está para dormir: Quero esta noite encontrar-me em Espírito com Fulano, quero falar-lhe para dizer isto?

“O que se dá é o seguinte: Adormecendo o homem, seu Espírito desperta e, muitas vezes, nada disposto se mostra a fazer o que o homem resolvera, porque a vida deste pouco interessa ao seu Espírito, uma vez desprendido da matéria. Isto com relação a homens já bastante elevados espiritualmente. Os outros passam de modo muito diverso a fase espiritual de sua existência terrena. Entregam-se às paixões que os escravizaram, ou se mantêm inativos. Pode, pois, suceder, tais sejam os motivos que a isso o induzem, que o Espírito vá visitar aqueles com quem deseja encontrar-se. Mas, não constitui razão, para que semelhante coisa se verifique, o simples fato de ele o querer quando desperto.”

417. Podem Espíritos encarnados reunir-se em certo número e formar assembléias?

“Sem dúvida alguma. Os laços, antigos ou recentes, da amizade costumam reunir desse modo diversos Espíritos, que se sentem felizes de estar juntos.”

Pelo termo antigos se devem entender os laços de amizade contraída em existências anteriores. Ao despertar, guardamos intuição das idéias que haurimos nesses colóquios, mas ficamos na ignorância da fonte donde promanaram.

418. Uma pessoa que julgasse morto um de seus amigos, sem que tal fosse a realidade, poderá encontrar-se com ele, em Espírito, e verificar que continuava vivo? E dado o fato, poderia, ao despertar, ter dele a intuição?

“Como Espírito, a pessoa que figuras pode ver o seu amigo e conhecer-lhe a sorte.

Se lhe não houver sido imposto, por prova, crer na morte desse amigo, poderá ter um pressentimento da sua existência, como poderá tê-lo de sua morte.”

Fonte: O Livro dos Espíritos - FEB. 76ª edição.

Francisco Rebouças

Brasil coração do mundo...

https://youtu.be/_a9tpJnGcbw

Homenagem a Chico Xavier

Haroldo Dias Dutra - As cartas de Paulo

Haroldo Dutra - Jesus o Médico da Almas

https://youtu.be/Uk7OUvyGCZU



Divaldo Franco

https://youtu.be/OVbstbRFs9M

Entrevista sobre Emmanuel, Joanna de Ângelis...

Reencarnação é uma realidade

Palestra O trabalho no Bem - Cristiane Parmiter

Palestra: As Leis Divinas e nós - Cristiane Parmiter

Palestra: Benevolência - Cristiane Parmiter

Palestra: Jesus e o Mundo - Cristiane Parmiter

Palestra: A Dinâmica do Perdão - Cristiane Parmiter

Palestra: Perante Jesus - Cristiane Parmiter

Palestra AVAREZA - Cristiane Parmiter

Palestra Obediência Construtiva - Cristiane Parmiter

Palestra Tribulações - Cristiane Parmiter

Palestra Conquistando a Fé - Cristiane Parmiter

Palestra Humildade e Jesus - Cristiane Parmiiter

Palestra Renúncia - Cristiane Parmiter

Rádios Brasil

Simplesmente Espetacular!!!

Professora Amanda Gurgel

Andrea Bocelli & Sarah Brightman - Time To Say Goodbye

De Kardec aos dias de hoje

Madre Teresa

As Mães de Chico Xavier

Reencarnação - Menino Piloto

http://www.youtube.com/embed/cQ2ZqUCKDow" frameborder="0" allowfullscreen>

Muitas Vidas

Espiritismo: família de Andrea Maltarolli mantém contato com a autora - Mais Você - GLOBO

Divaldo Franco

ESPIRITISMO - CHICO XAVIER - REPORTAGEM DO FANTASTICO - OS SEGREDOS DE CHICO

Entrevista com Divaldo Franco

Sobre Emmanuel, Joanna de Ângelis, e muito mais, confira. 1ª Parte 2ª Parte

Oração de Gratidão - Divaldo Franco

Chico Xavier

Chico Xavier no Fantástico

Chico Xavier (2010) trailer oficial

Página de Mensagens

Nesta página estarei lançando variadas páginas de conteúdo edificante para nosso aprendizado.

Francisco Rebouças.

1-ANTE A LIÇÃO

"Considera o que te digo, porque o Senhor te dará entendimento em tudo".- Paulo. II TIMÓTEO. 2:7.

Ante a exposição da verdade, não te esquives à meditação sobre as luzes que recebes.

Quem fita o céu, de relance, sem contemplá-lo, não enxerga as
estrelas; e quem ouve uma sinfonia, sem abrir-lhe a acústica da alma, não lhe percebe as notas divinas.

Debalde escutarás a palavra inspirada de pregadores ardentes, se não descerrares o coração para que o teu sentimento mergulhe na claridade bendita daquela.

Inúmeros seguidores do Evangelho se queixam da incapacidade de retenção dos ensinos da Boa Nova, afirmando-se ineptos à frente das novas revelações, e isto porque não dispensam maior trato à lição ouvida, demorando-se longo tempo na província da distração e da leviandade.

Quando a câmara permanece sombria, somos nós quem desata o ferrolho à janela para que o sol nos visite.

Dediquemos algum esforço à graça da lição e a lição nos responderá com as suas graças.

O apóstolo dos gentios é claro na observação. "Considera o que te digo, porque, então, o Senhor te dará entendimento em tudo."

Considerar significa examinar, atender, refletir e apreciar.

Estejamos, pois, convencidos de que, prestando atenção aos
apontamentos do Código da Vida Eterna, o Senhor, em retribuição à nossa boa-vontade, dar-nos-á entendimento em tudo.

Livro: Fonte Viva
Chico Xavier/Emmanuel

NO CAMPO FÍSICO

"Semeia-se corpo animal, ressuscitará corpo espiritual." - Paulo. (I CORÍNTIOS, 15:44.)

Ninguém menospreze a expressão animal da vida humana, a pretexto de preservar-se na santidade.

A imersão da mente nos fluidos terrestres é uma oportunidade de sublimação que o espírito operoso e desperto transforma em estruturação de valores eternos.

A sementeira comum é símbolo perfeito.

O gérmen lançado à cova escura sofre a ação dos detritos da terra, afronta a lama, o frio, a resistência do chão, mas em breve se converte em verdura e utilidade na folhagem, em perfume e cor nas flores e em alimento e riqueza nos frutos.

Compreendamos, pois, que a semente não estacionou. Rompeu todos os obstáculos e, sobretudo, obedeceu à influência da luz que a orientava para cima, na direção do Sol.

A cova do corpo é também preciosa para a lavoura espiritual, quando nos submetemos à lei que nos induz para o Alto.

Toda criatura provisoriamente algemada à matéria pode aproveitar o tempo na criação de espiritualidade divina.

O apóstolo, todavia, é muito claro quando emprega o termo "semeia-se". Quem nada planta, quem não trabalha na elevação da própria vida, coagula a atividade mental e rola no tempo à maneira do seixo que avança quase inalterável, a golpes inesperados da natureza.

Quem cultiva espinhos, naturalmente alcançará espinheiros.

Mas, o coração prevenido que semeia o bem e a luz, no solo de si mesmo, espere, feliz, a colheita da glória espiritual.

E N T R E I R M Ã O S
Olympia Belém (Espírito)[1]

Estes são tempos desafiadores para todos os que buscam um mundo melhor, onde reine o amor, onde pontifique a fraternidade, onde possam florir os mais formosos sentimentos nos corações.
Anelamos por dias em que a esperança, há tanto tempo acariciada, possa converter-se em colheita de progressos e de paz.
Sonhamos com esse alvorecer de uma nova era em que o Espiritismo, transformado em religião do povo, apresentando Jesus às multidões, descrucificado e vivo, possa modificar as almas, para que assumam seu pujante papel de filhas de Deus no seio do mundo.
Entrementes, não podemos supor que esses ansiados dias estejam tão próximos, quando verificamos que há, ainda, tanta confusão nos relacionamentos, tanta ignorância nos entendimentos, tanta indiferença e ansiedade nos indivíduos, como se vendavais, tufões, tormentas variadas teimassem em sacudir o íntimo das criaturas, fazendo-as infelizes.
A fim de que os ideais do Cristo Jesus alcancem a Terra, torna-se indispensável o esforço daqueles que, tendo ouvido o cântico doloroso do Calvário, disponham-se a converter suas vidas na madrugada luminosa do Tabor.
O mundo terreno, sob ameaças de guerras e sob os rufares da violência, em vários tons, tem urgência do Mestre de Nazaré, ainda que O ignore em sua marcha atordoada, eivada do materialismo que o fascina, que o domina e que o faz grandemente desfigurado, por faltar sentido positivo e digno no uso das coisas da própria matéria.
Na atualidade, porém, com as advertências da Doutrina dos Espíritos, com essa luculenta expressão da misericórdia de Deus para com Seus filhos terrenos, tudo se torna menos áspero, tudo se mostra mais coerente, oferecendo-nos a certeza de que, no planeta, tudo está de conformidade com a lei dos merecimentos, com as obras dos caminheiros, ora reencarnados, na estrada da suspirada libertação espiritual.
"A cada um segundo as suas obras" aparece como canto de justiça e esperança, na voz do Celeste Pastor.
Hoje, reunidos entre irmãos, unimo-nos aos Emissários destacados do movimento de disseminação da luz sobre as brumas terráqueas, e queremos conclamar os queridos companheiros, aqui congregados, a que não se permitam atormentar pelos trovões que se fazem ouvir sobre as cabeças humanas, ameaçadores, tampouco esfriar o bom ânimo, considerando que o Cristo vela sempre. Que não se deixem abater em razão de ainda não terem, porventura, alcançado as excelentes condições para o ministério espírita, certos de que o tempo é a magna oportunidade que nos concede o Senhor. Que ponham mãos à obra, confiantes e vibrantes, certos de que os verdadeiros amigos de Jesus caminham felizes, apesar das lutas e das lágrimas, típicas ocorrências das experiências, das expiações e das provas.
Marchemos devotados, oferecendo, na salva da nossa dedicação, o melhor que o Espiritismo nos ensina, o melhor do que nos apresenta para os que se perdem nas alamedas do medo, da desesperança e da ignorância a nossa volta.
Hoje, entre os amigos espíritas, encontramos maior ânimo para a superação dos nossos próprios limites, o que configurará, ao longo do tempo a superação dos limites do nosso honroso Movimento Espírita.
Sejamos pregadores ou médiuns, evangelizadores, escritores ou servidores da assistência social, não importa. Importa que nos engajemos, todos, nos labores do Codificador, plenificando-nos da grande honra de cooperar com os excelsos interesses do Insuperado Nazareno.
O tempo é hoje, queridos irmãos. O melhor é o agora, quando nos entrelaçamos para estudar, confraternizar e louvar a Jesus com os corações em clima festivo.
Certos de que o Espiritismo é roteiro de felicidade e bandeira de luz, que devemos içar bem alto sobre o dorso do planeta, abracemo-nos e cantemos, comovidos: Louvado seja Deus! Louvado seja Jesus!
Com extremado carinho e votos de crescente progres­so para todos, em suas lidas espiritistas, quero despedir-me sempre devotada e servidora pequenina.
Olympia Belém.

[1]
- Mensagem psicografada pelo médium J. Raul Teixeira no dia 03.09.95, no encerramento da X Confraternização Espírita do Estado do Rio de Janeiro.

O TEMPO

“Aquele que faz caso do dia, patrão Senhor o faz.” — Paulo. (ROMANOS, capítulo 14, versículo 6.)

A maioria dos homens não percebe ainda os valores infinitos do tempo.
Existem efetivamente os que abusam dessa concessão divina. Julgam que a riqueza dos benefícios lhes é devida por Deus.
Seria justo, entretanto, interrogá-los quanto ao motivo de semelhante presunção.
Constituindo a Criação Universal patrimônio comum, é razoável que todos gozem as possibilidades da vida; contudo, de modo geral, a criatura não medita na harmonia das circunstâncias que se ajustam na Terra, em favor de seu aperfeiçoamento espiritual.
É lógico que todo homem conte com o tempo, mas, se esse tempo estiver sem luz, sem equilíbrio, sem saúde, sem trabalho?
Não obstante a oportunidade da indagação, importa considerar que muito raros são aqueles que valorizam o dia, multiplicando-se em toda parte as fileiras dos que procuram aniquilá-lo de qualquer forma.
A velha expressão popular “matar o tempo” reflete a inconsciência vulgar, nesse sentido.
Nos mais obscuros recantos da Terra, há criaturas exterminando possibilidades sagradas. No entanto, um dia de paz, harmonia e iluminação, é muito importante para o concurso humano, na execução das leis divinas.
Os interesses imediatistas do mundo clamam que o “tempo é dinheiro”, para, em seguida, recomeçarem todas as obras incompletas na esteira das reencarnações... Os homens, por isso mesmo, fazem e desfazem, constroem e destroem, aprendem levianamente e recapitulam com dificuldade, na conquista da experiência.
Em quase todos os setores de evolução terrestre, vemos o abuso da oportunidade complicando os caminhos da vida; entretanto, desde muitos séculos, o apóstolo nos afirma que o tempo deve ser do Senhor.

Livro: Caminho Verdade e Vida.
Chico Xavier/Emmanuel.

NISTO CONHECEREMOS

"Nisto conhecemos o espírito da verdade e o espírito do erro." (I JOÃO, 4:6.)

Quando sabemos conservar a ligação com a Paz Divina, apesar de todas as perturbações humanas, perdoando quantas vezes forem necessárias ao companheiro que nos magoa; esquecendo o mal para construir o bem; amparando com sinceridade aos que nos aborrecem; cooperando espiritualmente, através da ação e da oração, a benefício dos que nos perseguem e caluniam; olvidando nossos desejos particulares para servirmos em favor de todos; guardando a fé no Supremo Poder como luz inapagável no coração; perseverando na bondade construtiva, embora mil golpes da maldade nos assediem; negando a nós mesmos para que a bênção divina resplandeça em torno de nossos passos; carregando nossas dificuldades como dádivas celestes; recebendo adversários por instrutores; bendizendo as lutas que nos aperfeiçoam a alma, à frente da Esfera Maior; convertendo a experiência terrena em celeiros de alegrias para a Eternidade; descortinando ensejos de servir em toda parte; compreendendo e auxiliando sempre, sem a preocupação de sermos entendidos e ajudados; amando os nossos semelhantes qual temos sido amados pelo Senhor, sem expectativa de recompensa; então, conheceremos o espírito da verdade em nós, iluminando-nos a estrada para a redenção divina.

DOUTRINAÇÕES

"Mas não vos alegreis porque se vos sujeitem os espíritos; alegrai-vos, antes, por estarem os vossos nomes escritos nos céus." — Jesus. (LUCAS, capítulo 10, versículo 20.)

Freqüentemente encontramos novos discípulos do Evangelho exultando de contentamento, porque os Espíritos perturbados se lhes sujeitam.

Narram, com alegria, os resultados de sessões empolgantes, nas quais doutrinaram, com êxito, entidades muita vez ignorantes e perversas.

Perdem-se muitos no emaranhado desses deslumbramentos e tocam a multiplicar os chamados "trabalhos práticos", sequiosos por orientar, em con-tactos mais diretos, os amigos inconscientes ou infelizes dos planos imediatos à esfera carnal.

Recomendou Jesus o remédio adequado a situações semelhantes, em que os aprendizes, quase sempre interessados em ensinar os outros, esquecem, pouco a pouco, de aprender em proveito próprio.

Que os doutrinadores sinceros se rejubilem, não por submeterem criaturas desencarnadas, em desespero, convictos de que em tais circunstâncias o bem é ministrado, não propriamente por eles, em sua feição humana, mas por
emissários de Jesus, caridosos e solícitos, que os utilizam à maneira de canais para a Misericórdia Divina; que esse regozijo nasça da oportunidade de servir ao bem, de consciência sintonizada com o Mestre Divino, entre as certezas
doces da fé, solidamente guardada no coração.

A palavra do Mestre aos companheiros é muito expressiva e pode beneficiar amplamente os discípulos inquietos de hoje.

Livro: Caminho Verdade e Vida.

Chico Xavier/Emmanuel.

FILHOS DA LUZ

FILHOS DA LUZ"Andai como filhos da luz." - Paulo.

(EFÉSIOS, 5:8.)Cada criatura dá sempre notícias da própria origem espiritual.

Os atos, palavras e pensamentos constituem informações vivas da zona mental de que procedemos.

Os filhos da inquietude costumam abafar quem os ouve, em mantos escuros de aflição.

Os rebentos da tristeza espalham o nevoeiro do desânimo.

Os cultivadores da irritação fulminam o espírito da gentileza com os raios da cólera.

Os portadores de interesses mesquinhos ensombram a estrada em que transitam, estabelecendo escuro clima nas mentes alheias.

Os corações endurecidos geram nuvens de desconfiança, por onde passam.

Os afeiçoados à calúnia e à maledicência distribuem venenosos quinhões de trevas com que se improvisam grandes males e grandes crimes.

Os cristãos, todavia, são filhos da luz.E a missão da luz é uniforme e insofismável.Beneficia a todos sem distinção.

Não formula exigências para dar.Afasta as sombras sem alarde.

Espalha alegria e revelação crescentes.Semeia renovadas esperanças.Esclarece, ensina, ampara e irradia-se.

Vinha de Luz

Chico Xavier/André Luiz


QUEM LÊ, ATENDA

"Quem lê, atenda." - Jesus. (MATEUS, 24:15.)

Assim como as criaturas, em geral, converteram as produções sagradas da Terra em objeto de perversão dos sentidos, movimento análogo se verifica no mundo, com referência aos frutos do pensamento.

Freqüentemente as mais santas leituras são tomadas à conta de tempero emotivo, destinado às sensações renovadas que condigam com o recreio pernicioso ou com a indiferença pelas obrigações mais justas.

Raríssimos são os leitores que buscam a realidade da vida.

O próprio Evangelho tem sido para os imprevidentes e levianos vasto campo de observações pouco dignas.

Quantos olhos passam por ele, apressados e inquietos, anotando deficiências da letra ou catalogando possíveis equívocos, a fim de espalharem sensacionalismo e perturbação? Alinham, com avidez, as contradições aparentes e tocam a malbaratar, com enorme desprezo pelo trabalho alheio, as plantas tenras e dadivosas da fé renovadora.

A recomendação de Jesus, no entanto, é infinitamente expressiva.

É razoável que a leitura do homem ignorante e animalizado represente conjunto de ignominiosas brincadeiras, mas o espírito de religiosidade precisa penetrar a leitura séria, com real atitude de elevação.

O problema do discípulo do Evangelho não é o de ler para alcançar novidades emotivas ou conhecer a Escritura para transformá-la em arena de esgrima intelectual, mas, o de ler para atender a Deus, cumprindo-lhe a Divina Vontade.

Livro; Vinha de Luz
Chico Xavier/Emmanuel