Trabalhemos todos, pela Unificação do movimento espírita!!

O Espiritismo é uma questão de fundo; prender-se à forma seria puerilidade indigna da grandeza do assunto. Daí vem que os centros que se acharem penetrados do verdadeiro espírito do Espiritismo deverão estender as mãos uns aos outros, fraternalmente, e unir-se para combater os inimigos comuns: a incredulidade e o fanatismo.”

“Dez homens unidos por um pensamento comum são mais fortes do que cem que não se entendam.”

Allan Kardec (Obras Póstumas – Constituição do Espiritismo – Item VI).



segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

A NECESSIDADE DA EDUCAÇÃO

No tempo em que não existia a locomoção fácil na Terra, um grande rei simpatizou com fogoso cavalo de cores claras, da criação de sua casa; mas, ao desejá-lo para os serviços do palácio, foi assim informado pelo chefe das cavalariças:

— Majestade, este animal é vitima de muitas tentações. Basta que se movimente, de leve, para assustar-se e ocasionar desastres. Uma simples folha seca na estrada é razão para inúmeros coices.

O rei ouviu, atencioso, e afirmou que remediaria a situação.

No dia seguinte, mandou atrelá-lo a enorme carroça de limpeza, onde o cavalo se viu tão preso que não pôde fazer outros movimentos, além dos necessários.

Depois de algumas semanas, o monarca determinou fizesse ele o duro serviço dos burros, transportando cargas pesadíssimas.

A princípio, o animal se rebelava, escouceando o ar e relinchando fortemente; entretanto, foi tantas vezes visitado pelos gritos e pelos chicotes dos peões e tantos fardos suportou que, ao fim de algum tempo, era um modelo de mansidão e brandura, sendo colocado no serviço real, com grande contentamento para o soberano.

Assim acontece conosco, na vida.

Destinados ao trabalho da Vontade de Deus, se vivemos entregues às tentações do mal, desobedientes e egoístas, determina o Senhor que sejamos confiados à luta e à provação, à dificuldade e ao sofrimento, os quais, pouco a pouco, nos ensinam a humildade e o respeito, a diligência e a doçura.

Depois de passarmos pelos variados processos de educação indispensável ao nosso burilamento, seremos então aproveitados, com êxito e segurança, nos serviços gerais da Bondade de Deus, junto de nossos irmãos.

Livro: Pai Nosso
Chico Xavier/Meimei
 
Francisco Rebouças

Estudo da doutrina espírita em São Luis/MA.

Caros amigos, neste ano de 2011, vanos incentivar em nossas instituições, o estudo sério e constante de nossa doutrina em todo o BRASIL?

Em São Luiz,  já tem data para início no , conforme o cartaz anexo.

Faça sua inscrição, participe, divulgue!

Clique no cartaz para vê-lo ampliado e tome nota dos detalhes.

Francisco Rebouças 

SEF - Palestras Espíritas

Caros amigos, estamos divulgando a grade de palestras da SEF - Sociedade Espírita Fraternidade, para o mês de fevereiro de 2011, conforme segue.

Participe, divulgue!

Clique no cartaz para vê-lo ampliado e tome nota dos detalhes.

Rua Passos da Pátria 38, São Domingos/Niterói - RJ. 


Francisco Rebouças

DEFENDA-NOS

Emmanuel

Ante as forças da sombra que, porventura, te ameacem o coração, acalma-te e espera...

Se a serpente da inveja te envenena a alegria, recorda que a criatura invejada, muita vez, carreia consigo dolorosas chagas de angústia sob o manto enganoso das aparências.

Se o dragão do ciúme te espreita os passos, não olvides que todos os nossos afetos pertencem a Deus, Nosso Pai, que no-los empresta, a fim de que, através do desenvolvimento e da renúncia, venhamos a adquirir o verdadeiro amor para a eternidade.

Se a gralha do orgulho te grita mentiras ao pensamento, impelindo-te à evidência indébita, entre aqueles que te rodeiam, não te esqueças de que o tempo tudo renovará, preservando-te unicamente os valores imarcescíveis do espírito.

Se o leão invisível da cólera te absorve a emotividade, obscurecendo-te o raciocínio, certifica-te de que um minuto de desespero pode arrojar-te a muitos séculos de criminalidade e loucura.

Se as larvas da preguiça te invadem a cabeça e te imobilizam as mãos, convence-te de que um dia de inércia no bem é ganho indiscutível para o mal q eu nos cerca e que responderemos, em todo tempo, na Contabilidade Celeste pelo descaso das horas perdidas.

A cada instante, a mudança nos espia a existência, através de mil modos.

Guardemo-nos no serviço incessante do amor puro e simples, compreendendo que tão-só construindo a felicidade para os outros é que alcançaremos a nossa felicidade. E, buscando acender a luz divina em nós mesmos é que nos retiraremos, em definitivo, do largo desfiladeiro da ilusão e do desencanto, da culpa e do resgate, do desequilíbrio e da morte.

Livro: "Passos da Vida" - EDIÇÃO IDE
Chico Xavier/Diversos Espíritos

Francisco Rebouças

Velhos hábitos

“... O corpo não dá cólera àquele que não a tem, como não dá os outros vícios; todas as virtudes e todos os vícios são inerentes ao Espírito; sem isso, onde estariam o mérito e a responsabilidade?...” (Capítulo 9, item 10.)

Em primeiro lugar, é necessário conceituar que vícios são dependências vigorosas e profundas de uma pessoa que se encontra sob o controle de outras ou de determinadas coisas.

Portanto, deve ser considerado como vício não apenas o consumo de tóxicos e de outros produtos de origem natural ou sintética. O conceito é mais amplo. Analisando-o em profundidade, podemos interpretá-lo como atitude mental que nos leva compulsoriamente à subjugação a pessoas e situações.

Muitos de nós aprendemos a ser dependentes desde cedo, dirigidos por adultos superprotetores que nos imprimiram “clichês psíquicos” de repressão, que se refletem até hoje como mensagens bloqueadoras dentro de nós e que não nos deixam desenvolver o “senso de autonomia” e de independência. Outros trazem enraizadas experiências em que lhes foi negada a possibilidade de exercer a capacidade de seleção de amigos e parceiros afetivos, em virtude da intervenção de adultos prepotentes. Essa nociva interferência torna-os mais tarde indivíduos de caráter oscilante, indecisos, assustados e inseguros. Outros ainda, por terem sofrido experiências conflitantes em outras encarnações, em contato com criaturas desequilibradas e em clima de inconstância e desarmonia, são predispostos a renascer hoje com maior identificação com a instabilidade emocional.

Dessa forma, entendemos que os fatores que propiciam os vícios e as compulsões ocorrem em ambientes familiares-sociais desarmônicos, desta ou de outras encarnações, onde deixamos as pressões, traumas, coações, desajustes e conflitos se enraizarem em nossa “zona mental” ou “perispiritual”, porqüanto os vícios não passam de efeitos externos de nossos conflitos internos.

Vale ressaltar que nossa sociedade, a rigor, é extremamente “machista”, razão pela qual muitas mulheres foram educadas para aceitar comportamentos dependentes como sendo “virtudes femininas”, o que as leva a viver dentro de “demarcações estreitas” do que elas devem ou podem fazer.

O vício do álcool, sexo, nicotina, jogos diversos ou drogas farmacológicas são formas amenizadoras que compensam, momentaneamente, áreas frágeis de nossa alma desestruturada.

Aliviam as carências, as ansiedades, os desajustes, as tensões psicológicas e reduzem os impulsos energéticos que produzem as insatisfações e o chamado “mal-estar interior”.

Pode parecer que as opções vício-dependência disfarcem ou abrandem a “pressão torturante”, porém o desconforto permanece imutável.

O álcool e a droga são sedativos ou analgésicos, mas por acarretar gravíssimas conseqüências, são denominados “vícios autodestrutivos”. A comida é uma dependência considerada, de início, “vicio neutro”, para, depois, transformar-se numa “opção de fuga” negativa e profundamente desorganizadora do nosso corpo físico-psíquico.

Há manias ou vícios comportamentais tão graves e sérios que nos levam a ser tratados e considerados como pessoas de difícil convivência, isto é, inconvenientes:

— Vício de falar descontroladamente, sem raciocinar, desconectando-nos do equilíbrio e do bom senso.

— Vício de mentir constantemente para nós mesmos e para os outros, por não querermos tomar contato com a realidade.

— Vício de nos lamentarmos sistematicamente, colocando-nos como vítima em face da vida, para continuarmos recebendo a atenção dos outros.

— Vício de nos acharmos sempre certos, para podermos suprir a enorme insegurança que existe em nós.

— Vício incontido de gastar desnecessariamente, sem utilidade, a fim de adiarmos decisões importantes em nossa vida.

— Vício de criticar e mal julgar as pessoas, para nos sentirmos maiores e melhores que elas.

— Vício de trabalhar descontroladamente, sem interrupção, para nos distrairmos interiormente, evitando desse modo os conflitos que não temos coragem de enfrentar.

Inquestionavelmente, as chamadas viciações resultam do medo de assumir o controle de nossa vida e, ao mesmo tempo, do medo de nos responsabilizarmos por nossos atos e atitudes, perniltindo que eles fiquem fora de nosso controle e de nossas escolhas.

Quaisquer que sejam, contudo, os motivos e a origem de nossos “velhos hábitos”, urge estabelecermos pontos fundamentais, a fim de que comecemos indagando “por que somos” dependentes emocionalmente e “qual é a forma” de nos relacionarmos com essa dependência.

Aqui estão alguns itens a ser também observados e que provavelmente nos ajudarão a ser mais independentes, além de capazes de satisfazer nossos desejos e vocações naturais. Ao mesmo tempo, nos permitirão estar junto a pessoas e situações sem tomar-nos parcial ou totalmente dependentes delas:

— Aguçar nossa capacidade de decidir, de optar e de escolher cada vez mais livre das opiniões alheias.

— Combater nossa tendência de ser “bonzinhos”, ou melhor, de desejar ser sempre agradáveis aos outros, mesmo pagando o preço de nos desagradar.

— Estimular nossa habilidade de dizer “não”, quantas vezes forem necessárias, desenvolvendo assim nosso “senso de autonomia”, a fim de não cair nos “modismos” ou “pressões grupais”.

— Estabelecer no ambiente familiar um clima de respeito e liberdade, eliminando relações de superdependência “simbióticas”, para que possamos ser nós mesmos e deixemos os outros ser eles mesmos.

— Criar padrões de comportamentos positivos, pois comportamentos são hábitos, e nossos hábitos determinam a facilidade de aceitarmos ou não as circunstâncias da vida.

— Conscientizar-nos de que somos seres humanos livres por natureza, mas também responsáveis por nossos atos e pensamentos, pois recebemos por herança natural o livre-arbítrio.

— Cultivar constantemente o autoconhecimento:

- reforçando nossa visão nos traços de nossa personalidade que já conhecemos;

- buscando nossos traços interiores, que ainda nos são desconhecidos;

- analisando as opiniões de outras pessoas que, ao contrário de nós, já conhecemos nosso perfil psicológico;

- aceitando plenamente nosso lado “inadequado”, sem jamais escondê-lo de nós mesmos e dos outros, tentando, porém, equilibrá-lo.

Meditemos, pois, sobre essas ponderações que, com certeza, nos ajudarão a libertar-nos dessas “necessidades constrangedoras”, cujas verdadeiras matrizes se encontram na intimidade de nós mesmos.

Livro: Renovando Atitudes
Francisco do Espírito Santo Neto/Hammed
 
Francisco Rebouças

UM CORAÇÃO AFÁVEL

A complexidade da vida moderna parece conspirar contra a tua paz interior e, maquinalmente conduzido pela multifária engrenagem, sentes verdadeira conjuração dos fatores que conseguem, por fim, sulcar a tua face com os sinais da intranqüilidade, da revolta, do azedume.

Não obstante o conforto que deriva das facilidades ao acesso de grande parte dos homens, experimentas sérias conjunturas afligentes que te molestam, solapando os alicerces da tua estrutura emocional.

Todavia, se te permitires ligeira análise das possibilidades que fluem ao teu alcance, modificarás as disposições negativas e te renovarás.

Enseja-te um coração afável.

Experimenta aplicar esses valores desconsiderados que são a palavra gentil, o gesto simpático, o sorriso delicado, a paciência generosa, e fortunas de verdadeira alegria espalharão moedas de bem-estar através de ti, envolvendo-te, também num halo de felicidade interior.

Francisco de Assis, embora enfermo e asceta, caminhando por sendas de cruas dificuldades, conseguia cantar as belezas da “irmã natureza”, dos “irmãos animais”, dos “irmãos pássaros”...

Helen Keller, conquanto limitada pela surdez, pela cegueira e pela mudez, pede exaltar a beleza das paisagens, a claridade das manhãs, a fragrância das flores, fazendo da existência um hino de louvor à vida...

Gandhi, apesar de dispor de vastos recursos para o triunfo mundano, abraçou a causa da “não violência” e deu-se integralmente aos aflitos e necessitados em constantes recitativos de amor à vida e abnegação pela vida.

Corações afáveis!

Quantas oportunidades desperdiças de semear júbilos fora e dentro de ti mesmo, porque insignificante problema toldou a luz do teu amanhecer, ou irritação por coisa de monta insignificante produziu um mal-estar na execução do teu programa? Lutaste para conservar a mágoa, disputando a tarefa de parecer e ser infeliz, esquecendo as fartas concessões que o teu coração, tornado afável, poderia conseguir!

Simplifica o teu roteiro de ação, dilata a visão do bem no panorama das tuas horas, e com o preço mínimo de um sorriso considera a coleta de júbilos que dele se deriva e que poderás colher.

Jesus, dilatando o seu coração afável, contou as mais belas hipérboles e hipérbatos, parábolas e poemas que o homem jamais escutou. Um grão de mostarda, uma moeda insignificante, algumas varas, uma pérola luminosa, peixes e redes, talentos e sementes receberam da sua afabilidade um toque especial de beleza que comoveram, a princípio, uma mulher atormentada por obsessão pertinaz, um príncipe petulante e douto, um cobrador de impostos rejeitado, jovens homens da terra e velhos marujos decididos, sensibilizando, depois, incontáveis corações para com eles inaugurar um reino diferente de amor, que até hoje é a mais fascinante História da Humanidade.

Começa, desse modo, desde agora, a experiência de manter um coração afável, disseminando bênçãos.

“Bem aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus”.

Mateus: capítulo 5º, versículo 8.

“A pureza do coração é inseparável da simplicidade e da humildade. Exclui toda idéia de egoísmo e de orgulho”.

Capítulo 8º — Item 3.


Livro: Florações Evangélicas
Divaldo Franco/Joanna de Ângelis

Francisco Rebouças

ESPERAR EM CRISTO

“Se esperamos em Cristo só nesta vida, somos os mais miseráveis de todos os homens.” — (1ª EPÍSTOLA AOS CORÍNTIOS, 15, versículo 19.)

O exame do versículo fornece ao estudioso explicações muito claras.

É natural confiar em Cristo e aguardar nEle, mas que dizer da angústia da alma atormentada no círculo de cuidados terrestres, esperando egoisticamente que Jesus lhe venha satisfazer os caprichos imediatos?

Seria razoável contar com o Senhor tão-só nas expressões passageiras da vida fragmentária?

É indispensável descobrir a grandeza do conceito de “vida”, sem confundi-lo com “uma vida”.

Existir não é viajar da zona de infância, com escalas pela juventude, madureza e velhice, até ao porto da morte; é participar da Criação pelo sentimento e pelo raciocínio, é ser alguém e alguma coisa no concerto do Universo.

Na condição de encarnados, raros assuntos confundem tanto como os da morte, interpretada erroneamente como sendo o fim daquilo que não pode desaparecer.

É imprescindível, portanto, esperar em Cristo com a noção real da eternidade. A filosofia do imediatísmo, na Terra, transforma os homens em crianças.

Não vos prendais à idade do corpo físico, às circunstâncias e condições transitórias. Indagai da própria consciência se permaneceis com Jesus. E aguardai o futuro, amando e realizando com o bem, convicto de que a esperança legítima não é repouso e, sim, confiança no trabalho incessante.

Livro: Caminho,Verdade e Vida
Chico Xavier/Emmanuel

Francisco Rebouças

domingo, 30 de janeiro de 2011

Lançamento de Livro

Caros amigos, O Livro: Os Evangelhos e o Espiritismo, o mais novo lançamento da dupla Divaldo Franco e Raul Teixeira, já está à venda na livrarias espíritas.

Apresentado pela conhecida Benfritora Joanna de Ângelis, e pelo querido Camilo, o mais novo lançamento de Divaldo Franco e Raul Teixeira é um rosário de bênçãos para a vida de todos nós seguidores da doutrina espírita.

Pretigie mais esta excelente obra espírita, adquirindo seu exemplar e divulgando em sua casa espírita, para seus familiares e contatos.

Francisco Rebouças

DERRAME raios de sol de alegria em torno de si


DERRAME raios de sol de alegria em torno de si.

Desta maneira, formará um círculo de pessoas que sentirão prazer em estar a seu lado.

Quando algum amigo seu estiver triste, sabe que encontrará alegria em você.

Derrame sua luz sobre todos os que o rodeiam, porque a alegria é obra divina.

Seja um raio de luz a iluminar a vida das criaturas que se acercam de você.

Livro: Minutos de Sabedoria
Carlos Torres Pastorino
 
Francisco Rebouças

PALAVRAS E PALAVRAS


“Jesus lho ensina, dizendo: Não te preocupes com o corpo, pensa antes no espírito; vai ensinar o reino de Deus; vai dizer aos homens que a Pátria deles não é a Terra, mas o Céu, porquanto somente lá transcorre a verdadeira vida.” O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO Capítulo 22º — Item 8.

Modulação inteligível é a palavra o veículo de compreensão entre os homens.

Entretanto há palavras que geram guerras hediondas e palavras portadoras da mensagem de paz, que amainam convulsões interiores e serenam corações em combates de extermínio.

Palavras que têm o poder de transformar o mundo alçando-o à condição de paraíso e palavras que têm a magia macabra de o precipitar em perigosos redutos do crime onde o homem recua aos primeiros estados da animalidade.

Expressões que arrancam sorrisos e vocábulos que promovem lágrimas.

Elocuções que conduzem multidões aos páramos da luz e termos que espezinham sentimentos superiores.

Na palavra está a força do pensamento exteriorizado. Por isso é a palavra perigoso instrumento em bocas viciadas manipuladas por espíritos atormentados.

No entanto, a palavra em si mesma é construção divina a serviço da vida inteligente sobre a Terra. Quantos a exteriorizam, expressam a condição de vida mental em que se demoram.

O criminoso fala “amor” quando desejaria dizer paixão pela posse.

O artista cita o “amor” quando gostaria de expressar a visão que o emociona.

O cristão recorda o “amor” quando pensa em renovar o mundo.

Em todos os casos “amor” é a mesma palavra em todas as bocas, variando, todavia, na vibração que a envolve.

Educa, então, o teu modo de pensar para expressares na palavra o teu real modo de ser.

“Eu não vim trazer a paz” disse Jesus.

Move guerra à má palavra, não a pronunciando, não lhe dando valor, vencendo-a em silêncio.

Não dês paz ao erro.

Com tuas palavras, inspiradas na Boa Nova, decepa a árvore da criminalidade onde esteja e, afeiçoado ao serviço, difunde a luz na crença, seguindo para Aquele que é “a luz do mundo”.

Enriquecido por esse tesouro, — a palavra que vibra, sonora, em teus lábios, — estende esperança em volta, donde te encontras.

Há dores e desesperos gritantes junto a ti, ansiedades e angústias inumeráveis.

Desencarcera dos lábios a boa palavra e “ensina o Reino de Deus”. Talvez não possas fazer muito pelos corpos enfermos, mas podes dizer-lhes “que a Pátria deles não é a Terra, mas o Céu, porqüanto somente lá transcorre a verdadeira vida”. Podes informar-lhes que estão em trânsito, devendo valorizar sofrimentos e desesperações como quem sabe identificar nos quartzos grosseiros as esmeraldas valiosas e escondidas, e nos cristais despedaçados as crisálidas de consciências em libertação.

Valoriza, dessa forma, tuas palavras, fazendo-as verter bênçãos, em nome de Deus, o Excelso Verbo.

Livro: Espírito e Vida
Divaldo Franco/Joanna de Ângelis

Francisco Rebouças

Estudando o Espiritismo - C.I.

OS ANJOS SEGUNDO O ESPIRITISMO

12. Que haja seres dotados de todas as qualidades atribuídas aos anjos, não restam dúvidas. A revelação espírita neste ponto confirma a crença de todos os povos, fazendo-nos conhecer ao mesmo tempo a origem e natureza de tais seres.

As almas ou Espíritos são criados simples e ignorantes, isto é, sem conhecimentos nem consciência do bem e do mal, porém, aptos para adquirir o que lhes falta. O trabalho é o meio de aquisição, e o fim — que é a perfeição — é para todos o mesmo. Conseguem-no mais ou menos prontamente em virtude do livre-arbítrio e na razão direta dos seus esforços; todos têm os mesmos degraus a franquear, o mesmo trabalho a concluir. Deus não aquinhoa melhor a uns do que a outros, porquanto é justo, e, visto serem todos seus filhos, não tem predileções. Ele lhes diz: Eis a lei que deve constituir a vossa norma de conduta; ela só pode levar-vos ao fim; tudo que lhe for conforme é o bem; tudo que lhe for contrário é o mal. Tendes inteira liberdade de observar ou infringir esta lei, e assim sereis os árbitros da vossa própria sorte. Conseguintemente, Deus não criou o mal; todas as suas leis são para o bem, e foi o homem que criou esse mal, divorciando-se dessas leis; se ele as observasse escrupulosamente, jamais se desviaria do bom caminho.
 
Fonte: O Céu e o Inferno.
Allan Kardec
 
Francisco Rebouças 

sábado, 29 de janeiro de 2011

Palavras de Josepha!

DEUS É NOSSO PAI, AMOROSO E JUSTO!

Jesus nosso Mestre e Guia, afirmou-nos que Deus é Pai nosso e que está no céu, isto é no infinito incomensurável, bem distante ainda de nossa acanhada compreensão, está em tudo e em todos, visto que tudo que existe é sua criação.

Como Pai amoroso, bom e justo; jamais abandona qualquer dos seus filhos à própria sorte. Assim sendo, nunca estaremos desamparados, pois, sua bondade infinita nos facultará sempre os devidos recursos de que necessitamos para nos aprimorar e vencer os obstáculos do caminho que estamos trilhando.

Concede-nos as ferramentas mais adequadas ao cultivo responsável em nosso campo íntimo das virtudes do Espírito Imortal que somos para que possamos preparar as melhores colheitas no caminho da nossa vitória sobre as imperfeições que carregamos.

Não precisamos nos preocupar, senão com nossas próprias construções, pois, são exatamente elas que nos garantirão sucesso ou decepções no porvir próximo ou distante.

Certo é que estamos sempre sob sua proteção e amparo, e que nossas atitudes nos definirão o auxílio que Deus nos concederá como remédio doce ou amargo que fizermos por merecer na restauração da saúde física e espiritual.

Dessa forma, viva de forma que só de alegrias sejam tuas venturas, despojando-te o quanto antes dos tóxicos venenosos da ira, das mágoas, do desânimo, do medo etc., não permitindo que eles te possam desequilibrar, tirando tua paz interna.

Conserva-te calmo, operoso e confiante em Deus e trabalha incessantemente pelo teu progresso individual e de todos à tua volta, este é o seguro caminho de tantos quantos se empenham na reforma íntima tão necessária na vida de um filho da Luz.

Escuta sempre que possível te for, a voz de Deus que tua consciência armazena, e terás força suficiente para superar tuas dificuldades e empecilhos da estrada que te levará ao encontro da felicidade e da pureza do espírito que és, filho da própria Perfeição.

Espírito: Josepha
Por: Francisco Rebouças.

O PROBLEMA DA TENTAÇÃO


O educador, em aula, tentava explicar aos meninos que o móvel das tentações reside em nós mesmos; contudo, como os aprendizes mostravam muita dificuldade para compreender, ele se fez acompanhar pelos alunos até ao grande pátio do colégio.

Ai chegando, mandou trazer uma bela espiga de milho e perguntou aos rapazes:

— Qual de vocês desejaria devorar esta espiga tal como está?

Os jovens sorriram, zombeteiramente, e um deles exclamou:

— Ora vejam!... quem se animaria a comer milho cru?

O professor então mandou vir à presença deles um dos cavalos que serviam à escola, instalou alguns obstáculos à frente do animal e colocou a espiga ao dispor dele, sobre pequena mesa.

O grande eqüino saltou, lépido, os impedimentos e avançou, guloso, para o bocado.

O professor benevolente e amigo esclareceu, então, bondosamente, ante os alunos surpreendidos:

— A tentação nos procura, segundo os sentimentos que trazemos no campo íntimo. Quando cedemos a alguma fascinação indigna, é que a nossa vontade permanece fraca, diante dos nossos desejos inferiores. As forças que nos tentam correspondem aos nossos próprios impulsos. Não podemos imaginar ou querer aquilo que desconhecemos. Por esse motivo, necessitamos vigiar o cérebro e o coração, a fim de selecionarmos as sugestões que nos visitam o pensamento.

E, terminando, afirmou:

— As situações boas ou más, fora de nós, são iguais aos propósitos bons ou maus que trazemos conosco.


Livro: Pai Nosso
Chico Xavier/Meimei

Francisco Rebouças

Compadece-te dos fracos



Compadece-te dos fracos.

Dá-lhes mão amiga em qualquer situação.

Além da fragilidade orgânica, são tímidos e dependentes, reconhecendo a deficiência de energias.

Ajuda-os com um sorriso afável de companheirismo, com uma promessa de silencioso apoio, mediante um gesto que lhes dê segurança.

Coloca-te no lugar deles, e faze, em seu favor, o que gostarias de receber, estando na sua situação.

Livro: Vida Feliz (LVIII)
Divaldo Franco/Joanna de Ângelis
 
Francisco Rebouças

CADA DIA

Emmanuel

Se te queixas do pouco que te garante a vida,
Pensa na criancinha que adormeceu com fome;
No amigo sem trabalho, vendo os filhos sem pão,
Na mulher esmolando para o filho doente,
Reflete nos que sofrem muito mais que nós mesmos.
E, meditando em ti, darás graças a Deus.

Livro: "Passos da Vida" - EDIÇÃO IDE
Chico Xavier/Espíritos Diversos
 

Francisco Rebouças

Palestras de Maurício Mancini - Região dos Lagos


PALESTRANTE, SEMINARISTA E ESCRITOR ESPÍRITA DA CIDADE DE SEROPÉDICA - RJ, do  CENTRO ESP. PAULO DE TARSO.
DIA CASA TEMA CIDADE

01/02 UNIÃO ESP. JOANNA DE ÂNGELIS CHAMAMENTOS DE JESUS ARARUAMA

02/02 CENTRO ESP. JOÃO EVANGELISTA OS LÍRIOS DO SENHOR BACAXÁ

03/02 SEARA ESPÍRITA CAMPO DA PAZ DESPERTAR DO ESPÍRITO ARARUAMA

04/02 GRUPO ESPÍRITA ALLAN KARDEC JESUS, PEDRO E NÓS ARARUAMA

05/02 CASA DE LUZ E ESPERANÇA O CENTURIÃO E O CIRE

Francisco Rebouças

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

FRUTOS

“Portanto, pelos seus frutos os conhecereis.” — Jesus. (MATEUS. Capítulo 7, versículo 20.)

O mundo atual, em suas elevadas características de inteligência, reclama frutos para examinar as sementes dos princípios.

O cristão, em razão disso, necessita aprender com a boa árvore que recebe os elementos da Providência Divina, através da seiva, e converte-os em utilidades para as criaturas.

Convém o esforço de auto-análise, a fim de identificarmos a qualidade das próprias ações.

Muitas palavras sonoras proporcionam simplesmente a impressão daquela figueira condenada.

É indispensável conhecermos os frutos de nossa vida, de modo a saber se beneficiam os nossos irmãos.

A vida terrestre representa oportunidade vastíssima, cheia de portas e horizontes para a eterna luz. Em seus círculos, pode o homem receber diariamente a seiva do Alto, transformando-a em frutos de natureza divina.

Indiscutivelmente, a atualidade reclama ensinos edificantes, mas nada compreenderá sem demonstrações práticas, mesmo porque, desde a antigüidade, considera a sabedoria que a realização mais difícil do homem, na esfera carnal, é viver e morrer fiel ao supremo bem.

Livro: Caminho, Verdade e Vida
Chico Xavier/Emmanuel
 
Francisco Rebouças 

PODE ACREDITAR



Falará você na bondade a todo instante, mas, se não for bom, isso será inútil para a sua felicidade.

Sua mão escreverá belas páginas, atendendo a inspiração superior; no entanto, se você não estampar a beleza delas em seu espírito, não passará de estafeta sem inteligência.

Lerá maravilhosos livros, com emoção e lágrimas; todavia, se não aplicar o que você leu, será tão-somente um péssimo registrador.

Cultivará convicções sinceras, em matéria de fé; entretanto, se essas convicções não servirem à sua renovação para o bem, sua mente estará resumida a um cabide de máximas religiosas.

Sua capacidade de orientar disciplinará muita gente, melhorando personalidades; contudo, se você não se disciplinar, a Lei o defrontará com o mesmo rigor com que ela se utiliza de você para aprimorar os outros.

Você conhecerá perfeitamente as lições para o caminho e passará, ante os olhos mortais do mundo, à galeria dos heróis e dos santos; mas, se não praticar os bons ensi¬namentos que conhece, perante as Leis Divinas recomeçará sempre o seu trabalho e cada vez mais dificilmente.

Você chamará a Jesus: Mestre e Senhor... se não quiser, porém, aprender a servir com Ele, suas palavras soarão sem qualquer sentido.

Livro: Agenda Cristã
Chico Xavier/André Luiz
 
Francisco Rebouças

Palavras de Josepha!

DEUS É NOSSO PAI, AMOROSO E JUSTO!

Jesus nosso Mestre e Guia, afirmou-nos que Deus é Pai nosso e que está no céu, isto é no infinito incomensurável, bem distante ainda de nossa acanhada compreensão, está em tudo e em todos, visto que tudo que existe é sua criação.

Como Pai amoroso, bom e justo; jamais abandona qualquer dos seus filhos à própria sorte. Assim sendo, nunca estaremos desamparados, pois, sua bondade infinita nos facultará sempre os devidos recursos de que necessitamos para nos aprimorar e vencer os obstáculos do caminho que estamos trilhando.

Concede-nos as ferramentas mais adequadas ao cultivo responsável em nosso campo íntimo das virtudes do Espírito Imortal que somos para que possamos preparar as melhores colheitas no caminho da nossa vitória sobre as imperfeições que carregamos.

Não precisamos nos preocupar, senão com nossas próprias construções, pois, são exatamente elas que nos garantirão sucesso ou decepções no porvir próximo ou distante.

Certo é que estamos sempre sob sua proteção e amparo, e que nossas atitudes nos definirão o auxílio que Deus nos concederá como remédio doce ou amargo que fizermos por merecer na restauração da saúde física e espiritual.

Dessa forma, viva de forma que só de alegrias sejam tuas venturas, despojando-te o quanto antes dos tóxicos venenosos da ira, das mágoas, do desânimo, do medo etc., não permitindo que eles te possam desequilibrar, tirando tua paz interna.

Conserva-te calmo, operoso e confiante em Deus e trabalha incessantemente pelo teu progresso individual e de todos à tua volta, este é o seguro caminho de tantos quantos se empenham na reforma íntima tão necessária na vida de um filho da Luz.

Escuta sempre que possível te for, a voz de Deus que tua consciência armazena, e terás força suficiente para superar tuas dificuldades e empecilhos da estrada que te levará ao encontro da felicidade e da pureza do espírito que és, filho da própria Perfeição.

Espírito: Josepha
Por: Francisco Rebouças.

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Mensagens recebidas!

Parabéns, grande trabalho de divulgação da nossa querida e sensata Doutrina. Estou ligado sempre nos seus e-mails. Continue...
Obrigado e um abraço.
Reinaldo Cavassoni

Amigo, Francisco!
Estou muito feliz em receber novamente as matérias de estudo. Como tenho aproveitado para estudo na nossa Casa Espírita, sou tarefeira da evangelização, e muitas vezes falta na memória algum tema, recorro ao blog do amigo e logo acho.
Deus não nos abandona nunca, quando aqui estamos dispostos a servir!
Um abraço fraterno.
Irene Brandão.

Francisco,
Obrigado pelo envio do endereço e parabéns pelos esforços de difusão doutrinária.
Convido o irmão a conhecer e passar adiante, se entender por útil, o meu blog: http://www.estudandokardec.blogspot.com/
Paz e bem,
Vinícius Lima Lousada


Francisco Rebouças

Capacitação para Atendimento Fraterno em Cabo Frio/RJ

Caros amigos, é com alegria que divulgamos o convite para o curso de Capacitação para Atendimento Fraterno que será realizado no Centro Espírita Trabalhadores de JESUS em Cabo Frio/RJ

DATA: 06/02/2011 - Domingo.

HORÁRIO: das 9:00 às 16:00h.

Com: Carmen Silveira

Clique no cartaz para vê-lo ampliado.
Compareça, divulgue!



Francisco Rebouças

Divaldo Franco em Atlanta - EUA

Imãos temos o prazer de informá-los que: Divaldo Pereira Franco, estará realizando uma palestra em: Atlanta dia 25 de Fevereiro as 8pm.

Haverá venda de livros e ele estará 1 hora antes do evento no local para autografá-los.

Toda renda sera revertida para Mansão do Caminho: http://www.mansaodocaminho.com.br/

Nao deixe dar sua contribuição para esse trabalho maravilho realizado por Divaldo.

Entrada Gratuita

Transtornos Depressivos e Transtornos Obsessivos

Hyatt Regency Hotel
2999 Windy Hill Rd
Marietta, GA 30067

COMUNIDADE ESPIRITA CRISTA DE ATLANTA - www.atlantaespirita.org
 
 
Francisco Rebouças

ESPINHEIROS

“Nem se vindimam uvas dos abrolhos.” — Jesus. (LUCAS, capítulo 6, versículo 44.)

O cristão é um combatente ativo.

Despertando no campo do Senhor, aturde-se-lhe a visão com a amplitude e complexidade do trabalho.

Dificuldades, tropeços, cipoais, ervas daninhas...

E o Evangelho, com propriedade de conceituação, elucida que não se pode vindimar nos espinheiros.

Entretanto, teria Jesus assumido a paternidade de semelhante afirmativa para que cruzemos os braços em falsa beatitude?

Se o terreno permanece absorvido pelos abrolhos, o discípulo recebeu inúmeras ferramentas do Mestre dos mestres.

Indispensável, pois, enfrentar o serviço.

O Cristo encarou, face a face, o sacrifício pela Humanidade inteira.

Será a existência de alguns espinheiros a causa de nossos obstáculos insuperáveis?

Não. Se hoje é impossível a vindima, ataquemos o chão duro. Lavremos o solo árido. Adubemos com suor e lágrimas.

Haverá sempre chuvas fecundantes do Céu ou generosos mananciais da Terra, abençoando-nos o esforço.

A Divina Providência reside em toda parte. Não olvidemos o imperativo do trabalho e, depois, em lugar dos abrolhos, colheremos o fruto suave e doce da videira.

Livro: Caminho, Verdade e Vida
Chico Xavier/Emmanuel
 
Francisco Rebouças

DEFENDA-SE

Não converta seus ouvidos num paiol de boatos.

A intriga é uma víbora que se aninhará em sua alma.

Não transforme seus olhos em óculos da maledicência.

As imagens que você corromper viverão corruptas na tela de sua mente.

Não faça de suas mãos lanças para lutar sem proveito.

Use-as na sementeira do bem.

Não menospreze suas faculdades criadoras, centralizando-as nos prazeres fáceis.

Você responderá pelo que fizer delas.

Não condene sua imaginação às excitações permanentes.

Suas criações inferiores atormentarão seu mundo íntimo.

Não conduza seus sentimentos à volúpia de sofrer.

Ensine-os a gozar o prazer de servir.

Não procure o caminho do paraíso, indicando aos outros a estrada para o inferno.

A senda para o Céu será construída dentro de você mesmo.

 
Livro: Agenda Cristã
Chico Xavier/André Luiz
 
Francisco Rebouças

Palavras de Josepha!


Seja alegre!
A quantidade de problemas com os quais ti deparas, vem te deixando amargurado e tens a impressão de que teus sonhos guardados no cofre de tuas esperanças são alguma coisa do passado que a dura realidade te fez esquecer.

Tantos projetos por ti elaborados caprichosamente parecem redundar em lamentáveis escombros.

És esquecido pelos que tu amas, na intimidade familiar és um “estranho em casa”, dificuldades se multiplicam de encontro aos teus objetivos mais nobres, e estás a ponto de desistir de tudo.

Mesmo assim, esforça-te por evitar o desânimo e cultivar a alegria.

Sorri ante a dadivosa oportunidade de ascender em espírito, quando tantos outros estão estacionados ou até decaem.

Rejubila-te com a honra da oportunidade de libertação das tuas dívidas, quando tantos outros se comprometem.

Vitórias e conquistas são de responsabilidade de cada um de nós no sentido de desenvolvermo-nos sem gravames dos insucessos de outrora.

Recorda a promessa de Jesus de voltar a encontrar-se contigo, dando-te a alegria que ninguém ti poderá tomar.

Josepha!
Por: Francisco Rebouças

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Ultrapassamos a marca de 31.000!

Queridos amigos, registramos mesmo com atraso, devido ao acontecido conosco, mais este feliz momento em que ultrapassamos a marca das  31.000 visitas ao noso Blog Espírita, registradas pelo contador de visitas intalado em 31.10.2009, pouco mais de um ano atrás.

Repetimos os agradecimentos de sempre, pela participação de todos vocês que nos brindam com a confiança e amizade.

Reafirmamos o compromisso de manter o nosso trabalho alicerçado pela codificação espírita sem achismos e modismos desnecessários e condenáveis sob todos os aspectos.

Solicitamos que continuem diáriamente nos ajudando a manter este trabalho que não existiria sem a participação de todos vocês em nosso Blog, com palavras de carinho e incentivo, além das variadas notícias e eventos que nos enviam.

Você é sem sombra de dúvidas o nosso maior patrimônio!

É uma grande honra tê-los ao nosso lado diariamente.

Que Jesus nosso Mestre e Guia nos mantenha unidos e operosos, sob sua divina inspiração, hoje e sempre!

Muita PAZ!

Francisco Rebouças

O Blog de volta misteriosamente!

A Luz Venceu!

Prezados amigos, grande foi a surpresa que agora acabo de constatar, o nosso blog espírita Francisco Rebouças Espiritista voltou a aceitar nosso acesso depois de 7 dias de insistentes tentativas.

Penso que ao perceberem nossa disposição de continuar o trabalho conforme já tínhamos decidido, através da criação do novo Blog, os possíveis adversários da LUZ, chegaram à conclusão que não iríamos entregar os pontos de jeito algum como eles supunham.

Assim, volto a enviar matérias pelos dois blogs, pois, nossa disposição de divulgar a doutrina espírita não pode ser impedida por quem quer que seja.

Recomeçaremos quantas vezes forem necessárias, com a maior alegria!.

Agradeço o apoio e o incentivo recebido e até alguns que reclamaram junto ao GOOGLE, em protesto pelo acontecido.

Sigamos firmes, Jesus está no Leme e nossa embarcação atracará em segurança e em paz!.

Um grande abraço, em todos.

Francisco Rebouças   

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

NA VIA PÚBLICA


Demonstrar, com exemplos, que o espírita é cristão em qualquer local.

A Vinha do Senhor é o mundo inteiro.

Colaborar na higiene das vias públicas, não atirando detritos nas calçadas e nas sarjetas.

As pessoas de bons costumes se revelam nos menores atos.

Consagrar os direitos alheios, usando cordialidade e brandura com todo transeunte, seja ele quem for.

O culto da caridade não exige circunstâncias especiais.

Cumprimentar com serenidade e alegria as pessoas que convivem conosco, inspirando-lhes confiança.

A saudação fraterna é cartão de paz.

Exteriorizar gentileza e compreensão para com todos, prestando de boamente informações aos que se interessem por elas, auxiliando as crianças, os enfermos e as pessoas fatigadas em meio ao trânsito público, nesse ou naquele mister.

Alguns instantes de solidariedade semeiam simpatia e júbilo para sempre.

Coibir-se de provocar alarido na multidão, através de gritos ou brincadeiras inconvenientes, mantendo silêncio e respeito, junto às residências particulares, e justa veneração diante dos hospitais e das escolas, dos templos e dos presídios.

A elegância moral é o selo vivo da educação.

Abolir o divertimento impiedoso com os mutilados, com os enfermos mentais, com os mendigos e com os animais que nos surjam à frente.

Os menos felizes são credores de maior compaixão.

Proteger, com desvelo, caminhos e jardins, monumentos e pisos, árvores e demais recursos de beleza e conforto, dos lugares onde estiver.

O logradouro público é salão de visita para toda a comunidade.

“Vede prudentemente como andais.” — Paulo. (EFÉSIOS, 5:15.)

Livro: Conduta Espírita
Chico Xavier/André Luiz
 
Francisco Rebouças

RECADO AS MÃES


Dirijo-me principalmente às mães, pois, cada vez aumenta mais o número de pais desesperados pela partida dos seus filhos queridos para o Além; mas, que estas palavras sirvam também para os filhos cujos pais foram chamados para o Alto; para as viúvas que tem a res-ponsabilidade de criar e educar os filhos que Deus lhes confiou, enfim, para todos os que a-ceitam estas linhas a titulo de apoio e solidariedade de irmã.

Companheiras de infortúnio, mães sofredoras que, como eu, tem o coração dilacerado pela saudade e o rosto marcado pela dor, reflitam comigo: se os nossos filhos foram chama-dos, algo mais sério existe nisso.

Essa explicação só a encontrei, e vocês só a encontrarão, na Doutrina do Amor, da Fé, da Caridade, do Amor ao Próximo: a Doutrina Espírita.

Não estamos sós; tendo fé, Deus está em nós, nos sustentando e nos fortalecendo em tudo o que tenhamos a fazer a suportar.

Mães! Olhem para trás: sempre há alguém por perto necessitando de uma palavra de encorajamento, porque talvez tenha uma prova a cumprir bem maior do que a nossa!

Deus, em sua infinita bondade, não dá a prova além das forças de quem a pede, mas somente a que possa ser suportada e cumprida.

Oh! Mães angustiadas, coragem, pelo amor de Deus! Vejam e meditem que a consola-ção maior, e mais animadora, depende de esforço próprio, destruindo as causas do mal e da tristeza, recorrendo a Jesus, às preces, à caridade sem limites.

De que adianta você, querida amiga e irmã amargurada, sofrer a saudade numa poltrona reclinada?

Levante-se e ajude sua companheira na dor, menos afortunada e menos esclarecida, porque ela também é Mãe, não importando a sua posição social; sua angustia é semelhante à de outra mãe qualquer.

Estendamos-lhe mãos fraternas e, unidas na Fé em Deus, vamos tentar amenizar a dor de uma terceira, pois, como diz meu querido filho Laurinho, em uma das suas mensagens, “Mãe é um mistério de Deus...”

Somos, então, todas iguais.

Vamos cerrar fileiras na caridade, no amor e na fé.

Se nossos filhos estão nos vendo e nos ouvindo, só terão a ganhar com isso.

Se não os temos perto de nós, fisicamente, que poderemos fazer a mais para beneficiá-los? Aceitar a vontade de Deus, com Fé e Amor ao Próximo.

Seja o nosso lema a máxima: “Fora da caridade não há salvação”, porque todos aqueles que conseguirem praticar a caridade acharão a recompensa do Senhor.

A caridade tem muitas formas: uma palavra de alento, para uma pessoa necessitada, também é um ato de caridade.

Sendo mãe de cinco jóias, e tendo neste momento como maravilhoso orientador espiri-tual meu filho Laurinho – que vocês já devem conhecer se leram meu primeiro livro –, gosta-ria de mostrar a todas, com muito carinho e respeito, adicionando alguns esclarecimentos possíveis, trechos de “cartas” recebidas de Laurinho, através de nosso grande e abnegado a-migo e médium Chico Xavier.

Livro: Gaveta de Esperança
Chico Xavier/Laurinho
 
Francisco Rebouças

BENS E MALES

Scheilla

Quase sempre, na Terra, muitos bens são caminhos a muitos males e muitos males são caminhos a muitos bens.

Por isso, muitas vezes, quem vive bem à frente dos preceitos humanos, pode estar mal ante as Leis Divinas.

A dor, sendo um mal, é sempre um bem, se sabemos bem sofrê-la, enquanto que o prazer, sendo um bem, é sempre um mal se mal sabemos fruí-lo.

Em razão disso, há muitas situações, nas quais o bem de hoje é o mal de amanhã, ao passo que o mal de agora é o bem que virá depois.

Muita gente persegue o bem, fugindo ao bem verdadeiro e encontra o mal com que não contava e muita gente se desespera, a fim de desvencilhar-se do mal que não consegue entender e acaba encontrando o bem por surpresa divina.

Há quem se ria no gozo dos bens do mundo para chorar nos males da Terra para colher os bens da Esfera Superior.

Não procures unicamente estar bem, porquanto no bem apenas nosso talvez se ache oculto o mal que flagela os outros por nossa causa e o mal que flagela os outros por nossa causa é mal vivo em nós mesmos, a roubar-nos o bem que furtamos do próximo..

Se desejas entesourar na estrada o em dos mensageiros do bem, atende, antes de tudo, ao bem dos semelhantes, sem cogitar do bem que se te faça posse exclusiva.

Recordemos o Cristo que, aparentemente escravo ao mal do mundo, era o Senhor do Bem, a dominar, soberano, acima das circunstâncias terrestres, e, tentando seguir-Lhe o passo, aceitemos com valor, no mal da própria cruz, o roteiro do bem para a Grande Vida.

Livro: “Passos da Vida”,.
Chico Xavier/Espíritos Diversos

 
Francisco Rebouças

Palestra espírita em Winterthur - Suíça


Caros amigos, recebemos da querida amiga Gorete Newton e estamos divulgando mais esta excelente palestra espírita que acontecerá no próximo dia 25/01/2011, em Winterthur na Suiça, conforme segue.

Título da Palestra: Sócrates e Platão precussores da idéia cristã e do espiritismo.

Clique no cartaz para vê-lo ampliado e tome nota dos detalhes do evento.

CEEAK - Centro de estudos espíritas Allan Kardec
Industriestrasse 8
8404 - Winterthur
Schweiz
Phone: + 41 52 232 28 88
Mobil: + 41 78 805 61 81
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------A paz legítima emerge do coração feliz e da mente que compreende, age e confia. (Joanna de Ângelis - Divaldo P. Franco)

Francisco Rebouças

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Palavras de Josepha!


Combate em ti o pessimismo!

O pessimismo é um grande empecilho no caminho de todo cristão que aspira seguir os passos do seu Mestre. 

Como espírita que és, não te permitas em hipótese alguma contaminar por esse mal devastador, que muitas dores e dissabores tem imposto aos incautos que se deixaram arrastar por seus sutis convites.

Sê vigilante e procura te manter alegre e confiante, espalhando à tua volta os bons fluidos do otimismo, contagiando todos que te cruzarem o caminho com tua palavra amiga e positiva, com teu procedimento seguro do cristão que tem fé.

 Não te esqueças de que o pessimista é evitado por onde passa, por espalhar os fluidos negativos da dúvida, do medo e do pessimismo, influenciando negativamente o ambiente do qual participa.

Procura ser sempre alguém portador das boas notícias, do bom ânimo, espalhando esperança, ajudando com tua maneira de ser, a elevar o astral dos teus irmãos muitas vezes em dificulfdades bem maiores que as tuas e sem esperanças na vida.

Jesus te envolva e te inspire na ação do bem, hoje e sempre!.

Josepha
Por: Francisco Rebouças

     

COMPANHEIROS PERIGOSOS

São envolventes, persuasivos, gentis.

Indiferentes à gravidade dos problemas que perturbam o próximo, fazem-se solidários quando a pessoa está equivocada, tomando-lhe o partido.

— “Não dê importância a quem o adverte” —‘conclamam, quando o outro está em compromisso negativo.

— “Seja superior” —, arengam aos ouvidos de quem foi colhido pela circunstância infeliz que engendrou.

- “Nada de pedir perdão” —, arrematam ao interlocutor perturbado, que se ampara na sua frivolidade.

— “Aproveite a vida. Somente se vive uma vez” — resmungam, conselheirais, como se dotados de toda a sapiência.

Outras vezes, apresentam-se como privilegiados, com um sorriso bailando nos lábios, concitando à tolerância, para com tudo, isto é: exatamente em referência às coisas que levam à abjeção moral.

Passam considerados como “boas pessoas”, dotados de “excelentes valores” porque conseguem ocultar, no cinismo doentio de que são vítimas, os distúrbios morais e mentais em que se debatem.

Sabes, sem que ninguém te aplauda ou objurgue, quando acertas ou erras.

A palavra estimulante é de significação valiosa, indispensável mesmo. As expressões encomiásticas, todavia, alardeando qualidades que não possuis, trazem o bafio da loucura e levam ao desequilíbrio. Nesse sentido, a crítica de qualquer natureza, quando procedente, mesmo ácida, sempre merece consideração.

Pessoas apontam-te os erros quando estás ausente, censurando-te, não obstante refugiam-se na tua presença, elogiando-te.

Companheiros atiram os teus erros, à tua face, em nome da lealdade, desanimando-te.

Agem erradamente. São perigosos, quão insensatos.

Reflexiona com calma em torno dos teus atos e ouve a consciência. Se persistires em dúvida quanto ao acerto desta ou daquela atitude, ora, consulta o Evangelho e ele te responderá irrefragavelmente com segurança, discrição gentil e nobre.

Se quiseres, entenderás a mensagem que dele dimana, compreendendo como deverás atuar de outra vez com retidão.

Nem todos possuem capacidade de discernimento para ajudar com acerto.

O consenso alheio é respeitável, mas não imprescindível.

Considera as opiniões, os arrazoados, os palpites dos teus amigos. Tem, porém, cuidado com aqueles que, embora aparentem amizade, são adversários perigosos disfarçados.

Por isso, em qualquer circunstância segue, consulta e ouve Jesus, que nunca erra, jamais abandona e ajuda sempre com amor.

 
Livro: Leis Morais da Vida
Divaldo Franco/Joanna de Ângelis
 
Francisco Rebouças

CONVITE À SEMENTEIRA

“A seara, na verdade, é grande, mas os trabalhadores são poucos.” (Lucas: capítulo 10º, versículo 2.)
Desdobra-se, imenso, o campo a semear... A generosa gleba aguarda arroteamento e preparação.

As sementes são a palavra do Senhor, férteis e nobres, em seu potencial libertador.

Há, no entanto, outras sementes que têm recebido a preferência dos homens.

Todos somos semeadores.

Exemplos geram lições, palavras propõem conceitos, pensamentos elaboram idéias.

Estamos sempre diante de professores, cercados por aprendizes.

A vida social, desse modo, é decorrência dos impositivos geradores dos hábitos que se destacam. Assim, em qualquer circunstância o homem semeia.

Infelizmente, na gleba da atualidade as sementes utilizadas têm-se apresentado deficientes, propiciando valores degenerados.

Por isso, há poder e inquietação, facilidades e neuroses. O desespero segue cavalgando a anarquia e as distonias emocionais avançam comandando grupos humanos.

Mergulha a mente na reflexão e fita a paisagem colorida dos homens. Mesmo ao sol vê-los-ás tristes e quando sorrindo, ei-los assinalados por esgares...

Não adies a oportunidade, convidado como te encontras para o ministério de reverdescer a terra e tornar-te semeador de bênçãos e de paz, em nome do Excelso Semeador.

Livro: Convites da Vida
Divaldo Franco/Joanna de ângelis
 
Francisco Rebouças

No passeio matinal


Dionísio, o moleiro, muito cedo partiu em companhia do filhinho, na direção de grande milharal.

A manhã se fizera linda.

Os montes próximos pareciam vestidos em gaze esvoaçante.

As folhas da erva, guardando, ainda, o orvalho noturno, assemelhavam-se a caprichoso tecido verde, enfeitado de pérolas. Flores vermelhas, aqui e ali, davam a ideia de jóias espalhadas no chão.

As árvores, muito grandes, à beira da estrada, despertavam, de leve, à passagem do vento.

O Sol aparecia, brilhante, revestindo a paisagem numa coroa resplandecente.

Reinaldo, o pequeno guiado pela mão paterna, seguia num deslumbramento. Não sabia o que mais admirar: se o lençol de neblina muito alva, se o horizonte inflamado de luz. Em dado momento, perguntou, feliz:

— Papai, de quem é todo este mundo?

— Tudo pertence ao Criador, meu filho —esclareceu o moleiro, satisfeito —; o Sol, o ar, as águas, as árvores e as flores, tudo, tudo, é obra dEle, nosso Pai e Senhor.

— Para que tudo isto? — continuou o petiz contente.

— A fim de recebermos esta escola divina, que é a Terra.

— Escola?

— Sim, filho — tornou o genitor paciente —, aqui devemos aprender, no trabalho, a amar-nos uns aos outros, aprimorando sentimentos, quanto devemos aperfeiçoar o solo que pisamos, transformando colinas, planícies e pedras em cidades, fazendas, estábulos, pomares, milharais e jardins.

Reinaldo não entendeu, de pronto, o que significava “aprimorar sentimentos”; contudo, sabia perfeitamente o que vinha a ser a remoção dum monte empedrado. Surpreso, voltou a indagar:

— Então, papai, somos obrigados a trabalhar tanto assim? Como será possível modificar este mundo tão grande?

O moleiro pensou alguns instantes e observou:

— Meu filho, já ouvi dizer que uma andorinha vagueava só, quando notou que um incêndio lavrava em seu campo predileto, O fogo consumia plantas e ninhos. Em vão, gritou por socorro. Reconhecendo que ninguém lhe escutava as súplicas, pôs-se rápida para o córrego não distante, mergulhando as pequenas asas na água fria e límpida; daí, voltava para a zona incendiada, sacudindo as asas molhadas sobre as chamas devoradoras, procurando apagá-las. Repetia a operação, já por muitas vezes, quando se aproximou um gavião preguiçoso, indagando-lhe com ironia: — “Você, em verdade, acredita combater um incêndio tão grande com algumas gotas dágua?“ A avezinha prestativa, porém, respondeu, calma: — “É provável que eu não possa fazer a obra toda; entretanto, sou imensamente feliz cumprindo o meu dever.

O moleiro fêz uma pausa e interrogou o filho:

— Não acredita você que podemos imitar semelhante exemplo? Se todos procedêssemos como a andorinha operosa e vigilante, em pouco tempo toda a Terra estaria transformada num paraíso.

O menino calou-se, entendendo a extensão do ensinamento e, no íntimo, contemplando a beleza do quadro matinal, desde as margens do caminho até a montanha distante, prometeu a si mesmo que procuraria cumprir no mundo todas as obrigações que lhe coubessem na obra sublime do Infinito Bem.

Livro: Alvorada Cristã
Chico Xavier/Neio Lúcio
 
Francisco Rebouças

Brasil coração do mundo...

https://youtu.be/_a9tpJnGcbw

Homenagem a Chico Xavier

Haroldo Dias Dutra - As cartas de Paulo

Haroldo Dutra - Jesus o Médico da Almas

https://youtu.be/Uk7OUvyGCZU



Divaldo Franco

https://youtu.be/OVbstbRFs9M

Entrevista sobre Emmanuel, Joanna de Ângelis...

Reencarnação é uma realidade

Palestra O trabalho no Bem - Cristiane Parmiter

Palestra: As Leis Divinas e nós - Cristiane Parmiter

Palestra: Benevolência - Cristiane Parmiter

Palestra: Jesus e o Mundo - Cristiane Parmiter

Palestra: A Dinâmica do Perdão - Cristiane Parmiter

Palestra: Perante Jesus - Cristiane Parmiter

Palestra AVAREZA - Cristiane Parmiter

Palestra Obediência Construtiva - Cristiane Parmiter

Palestra Tribulações - Cristiane Parmiter

Palestra Conquistando a Fé - Cristiane Parmiter

Palestra Humildade e Jesus - Cristiane Parmiiter

Palestra Renúncia - Cristiane Parmiter

Rádios Brasil

Simplesmente Espetacular!!!

Professora Amanda Gurgel

Andrea Bocelli & Sarah Brightman - Time To Say Goodbye

De Kardec aos dias de hoje

Madre Teresa

As Mães de Chico Xavier

Reencarnação - Menino Piloto

http://www.youtube.com/embed/cQ2ZqUCKDow" frameborder="0" allowfullscreen>

Muitas Vidas

Espiritismo: família de Andrea Maltarolli mantém contato com a autora - Mais Você - GLOBO

Divaldo Franco

ESPIRITISMO - CHICO XAVIER - REPORTAGEM DO FANTASTICO - OS SEGREDOS DE CHICO

Entrevista com Divaldo Franco

Sobre Emmanuel, Joanna de Ângelis, e muito mais, confira. 1ª Parte 2ª Parte

Oração de Gratidão - Divaldo Franco

Chico Xavier

Chico Xavier no Fantástico

Chico Xavier (2010) trailer oficial

Página de Mensagens

Nesta página estarei lançando variadas páginas de conteúdo edificante para nosso aprendizado.

Francisco Rebouças.

1-ANTE A LIÇÃO

"Considera o que te digo, porque o Senhor te dará entendimento em tudo".- Paulo. II TIMÓTEO. 2:7.

Ante a exposição da verdade, não te esquives à meditação sobre as luzes que recebes.

Quem fita o céu, de relance, sem contemplá-lo, não enxerga as
estrelas; e quem ouve uma sinfonia, sem abrir-lhe a acústica da alma, não lhe percebe as notas divinas.

Debalde escutarás a palavra inspirada de pregadores ardentes, se não descerrares o coração para que o teu sentimento mergulhe na claridade bendita daquela.

Inúmeros seguidores do Evangelho se queixam da incapacidade de retenção dos ensinos da Boa Nova, afirmando-se ineptos à frente das novas revelações, e isto porque não dispensam maior trato à lição ouvida, demorando-se longo tempo na província da distração e da leviandade.

Quando a câmara permanece sombria, somos nós quem desata o ferrolho à janela para que o sol nos visite.

Dediquemos algum esforço à graça da lição e a lição nos responderá com as suas graças.

O apóstolo dos gentios é claro na observação. "Considera o que te digo, porque, então, o Senhor te dará entendimento em tudo."

Considerar significa examinar, atender, refletir e apreciar.

Estejamos, pois, convencidos de que, prestando atenção aos
apontamentos do Código da Vida Eterna, o Senhor, em retribuição à nossa boa-vontade, dar-nos-á entendimento em tudo.

Livro: Fonte Viva
Chico Xavier/Emmanuel

NO CAMPO FÍSICO

"Semeia-se corpo animal, ressuscitará corpo espiritual." - Paulo. (I CORÍNTIOS, 15:44.)

Ninguém menospreze a expressão animal da vida humana, a pretexto de preservar-se na santidade.

A imersão da mente nos fluidos terrestres é uma oportunidade de sublimação que o espírito operoso e desperto transforma em estruturação de valores eternos.

A sementeira comum é símbolo perfeito.

O gérmen lançado à cova escura sofre a ação dos detritos da terra, afronta a lama, o frio, a resistência do chão, mas em breve se converte em verdura e utilidade na folhagem, em perfume e cor nas flores e em alimento e riqueza nos frutos.

Compreendamos, pois, que a semente não estacionou. Rompeu todos os obstáculos e, sobretudo, obedeceu à influência da luz que a orientava para cima, na direção do Sol.

A cova do corpo é também preciosa para a lavoura espiritual, quando nos submetemos à lei que nos induz para o Alto.

Toda criatura provisoriamente algemada à matéria pode aproveitar o tempo na criação de espiritualidade divina.

O apóstolo, todavia, é muito claro quando emprega o termo "semeia-se". Quem nada planta, quem não trabalha na elevação da própria vida, coagula a atividade mental e rola no tempo à maneira do seixo que avança quase inalterável, a golpes inesperados da natureza.

Quem cultiva espinhos, naturalmente alcançará espinheiros.

Mas, o coração prevenido que semeia o bem e a luz, no solo de si mesmo, espere, feliz, a colheita da glória espiritual.

E N T R E I R M Ã O S
Olympia Belém (Espírito)[1]

Estes são tempos desafiadores para todos os que buscam um mundo melhor, onde reine o amor, onde pontifique a fraternidade, onde possam florir os mais formosos sentimentos nos corações.
Anelamos por dias em que a esperança, há tanto tempo acariciada, possa converter-se em colheita de progressos e de paz.
Sonhamos com esse alvorecer de uma nova era em que o Espiritismo, transformado em religião do povo, apresentando Jesus às multidões, descrucificado e vivo, possa modificar as almas, para que assumam seu pujante papel de filhas de Deus no seio do mundo.
Entrementes, não podemos supor que esses ansiados dias estejam tão próximos, quando verificamos que há, ainda, tanta confusão nos relacionamentos, tanta ignorância nos entendimentos, tanta indiferença e ansiedade nos indivíduos, como se vendavais, tufões, tormentas variadas teimassem em sacudir o íntimo das criaturas, fazendo-as infelizes.
A fim de que os ideais do Cristo Jesus alcancem a Terra, torna-se indispensável o esforço daqueles que, tendo ouvido o cântico doloroso do Calvário, disponham-se a converter suas vidas na madrugada luminosa do Tabor.
O mundo terreno, sob ameaças de guerras e sob os rufares da violência, em vários tons, tem urgência do Mestre de Nazaré, ainda que O ignore em sua marcha atordoada, eivada do materialismo que o fascina, que o domina e que o faz grandemente desfigurado, por faltar sentido positivo e digno no uso das coisas da própria matéria.
Na atualidade, porém, com as advertências da Doutrina dos Espíritos, com essa luculenta expressão da misericórdia de Deus para com Seus filhos terrenos, tudo se torna menos áspero, tudo se mostra mais coerente, oferecendo-nos a certeza de que, no planeta, tudo está de conformidade com a lei dos merecimentos, com as obras dos caminheiros, ora reencarnados, na estrada da suspirada libertação espiritual.
"A cada um segundo as suas obras" aparece como canto de justiça e esperança, na voz do Celeste Pastor.
Hoje, reunidos entre irmãos, unimo-nos aos Emissários destacados do movimento de disseminação da luz sobre as brumas terráqueas, e queremos conclamar os queridos companheiros, aqui congregados, a que não se permitam atormentar pelos trovões que se fazem ouvir sobre as cabeças humanas, ameaçadores, tampouco esfriar o bom ânimo, considerando que o Cristo vela sempre. Que não se deixem abater em razão de ainda não terem, porventura, alcançado as excelentes condições para o ministério espírita, certos de que o tempo é a magna oportunidade que nos concede o Senhor. Que ponham mãos à obra, confiantes e vibrantes, certos de que os verdadeiros amigos de Jesus caminham felizes, apesar das lutas e das lágrimas, típicas ocorrências das experiências, das expiações e das provas.
Marchemos devotados, oferecendo, na salva da nossa dedicação, o melhor que o Espiritismo nos ensina, o melhor do que nos apresenta para os que se perdem nas alamedas do medo, da desesperança e da ignorância a nossa volta.
Hoje, entre os amigos espíritas, encontramos maior ânimo para a superação dos nossos próprios limites, o que configurará, ao longo do tempo a superação dos limites do nosso honroso Movimento Espírita.
Sejamos pregadores ou médiuns, evangelizadores, escritores ou servidores da assistência social, não importa. Importa que nos engajemos, todos, nos labores do Codificador, plenificando-nos da grande honra de cooperar com os excelsos interesses do Insuperado Nazareno.
O tempo é hoje, queridos irmãos. O melhor é o agora, quando nos entrelaçamos para estudar, confraternizar e louvar a Jesus com os corações em clima festivo.
Certos de que o Espiritismo é roteiro de felicidade e bandeira de luz, que devemos içar bem alto sobre o dorso do planeta, abracemo-nos e cantemos, comovidos: Louvado seja Deus! Louvado seja Jesus!
Com extremado carinho e votos de crescente progres­so para todos, em suas lidas espiritistas, quero despedir-me sempre devotada e servidora pequenina.
Olympia Belém.

[1]
- Mensagem psicografada pelo médium J. Raul Teixeira no dia 03.09.95, no encerramento da X Confraternização Espírita do Estado do Rio de Janeiro.

O TEMPO

“Aquele que faz caso do dia, patrão Senhor o faz.” — Paulo. (ROMANOS, capítulo 14, versículo 6.)

A maioria dos homens não percebe ainda os valores infinitos do tempo.
Existem efetivamente os que abusam dessa concessão divina. Julgam que a riqueza dos benefícios lhes é devida por Deus.
Seria justo, entretanto, interrogá-los quanto ao motivo de semelhante presunção.
Constituindo a Criação Universal patrimônio comum, é razoável que todos gozem as possibilidades da vida; contudo, de modo geral, a criatura não medita na harmonia das circunstâncias que se ajustam na Terra, em favor de seu aperfeiçoamento espiritual.
É lógico que todo homem conte com o tempo, mas, se esse tempo estiver sem luz, sem equilíbrio, sem saúde, sem trabalho?
Não obstante a oportunidade da indagação, importa considerar que muito raros são aqueles que valorizam o dia, multiplicando-se em toda parte as fileiras dos que procuram aniquilá-lo de qualquer forma.
A velha expressão popular “matar o tempo” reflete a inconsciência vulgar, nesse sentido.
Nos mais obscuros recantos da Terra, há criaturas exterminando possibilidades sagradas. No entanto, um dia de paz, harmonia e iluminação, é muito importante para o concurso humano, na execução das leis divinas.
Os interesses imediatistas do mundo clamam que o “tempo é dinheiro”, para, em seguida, recomeçarem todas as obras incompletas na esteira das reencarnações... Os homens, por isso mesmo, fazem e desfazem, constroem e destroem, aprendem levianamente e recapitulam com dificuldade, na conquista da experiência.
Em quase todos os setores de evolução terrestre, vemos o abuso da oportunidade complicando os caminhos da vida; entretanto, desde muitos séculos, o apóstolo nos afirma que o tempo deve ser do Senhor.

Livro: Caminho Verdade e Vida.
Chico Xavier/Emmanuel.

NISTO CONHECEREMOS

"Nisto conhecemos o espírito da verdade e o espírito do erro." (I JOÃO, 4:6.)

Quando sabemos conservar a ligação com a Paz Divina, apesar de todas as perturbações humanas, perdoando quantas vezes forem necessárias ao companheiro que nos magoa; esquecendo o mal para construir o bem; amparando com sinceridade aos que nos aborrecem; cooperando espiritualmente, através da ação e da oração, a benefício dos que nos perseguem e caluniam; olvidando nossos desejos particulares para servirmos em favor de todos; guardando a fé no Supremo Poder como luz inapagável no coração; perseverando na bondade construtiva, embora mil golpes da maldade nos assediem; negando a nós mesmos para que a bênção divina resplandeça em torno de nossos passos; carregando nossas dificuldades como dádivas celestes; recebendo adversários por instrutores; bendizendo as lutas que nos aperfeiçoam a alma, à frente da Esfera Maior; convertendo a experiência terrena em celeiros de alegrias para a Eternidade; descortinando ensejos de servir em toda parte; compreendendo e auxiliando sempre, sem a preocupação de sermos entendidos e ajudados; amando os nossos semelhantes qual temos sido amados pelo Senhor, sem expectativa de recompensa; então, conheceremos o espírito da verdade em nós, iluminando-nos a estrada para a redenção divina.

DOUTRINAÇÕES

"Mas não vos alegreis porque se vos sujeitem os espíritos; alegrai-vos, antes, por estarem os vossos nomes escritos nos céus." — Jesus. (LUCAS, capítulo 10, versículo 20.)

Freqüentemente encontramos novos discípulos do Evangelho exultando de contentamento, porque os Espíritos perturbados se lhes sujeitam.

Narram, com alegria, os resultados de sessões empolgantes, nas quais doutrinaram, com êxito, entidades muita vez ignorantes e perversas.

Perdem-se muitos no emaranhado desses deslumbramentos e tocam a multiplicar os chamados "trabalhos práticos", sequiosos por orientar, em con-tactos mais diretos, os amigos inconscientes ou infelizes dos planos imediatos à esfera carnal.

Recomendou Jesus o remédio adequado a situações semelhantes, em que os aprendizes, quase sempre interessados em ensinar os outros, esquecem, pouco a pouco, de aprender em proveito próprio.

Que os doutrinadores sinceros se rejubilem, não por submeterem criaturas desencarnadas, em desespero, convictos de que em tais circunstâncias o bem é ministrado, não propriamente por eles, em sua feição humana, mas por
emissários de Jesus, caridosos e solícitos, que os utilizam à maneira de canais para a Misericórdia Divina; que esse regozijo nasça da oportunidade de servir ao bem, de consciência sintonizada com o Mestre Divino, entre as certezas
doces da fé, solidamente guardada no coração.

A palavra do Mestre aos companheiros é muito expressiva e pode beneficiar amplamente os discípulos inquietos de hoje.

Livro: Caminho Verdade e Vida.

Chico Xavier/Emmanuel.

FILHOS DA LUZ

FILHOS DA LUZ"Andai como filhos da luz." - Paulo.

(EFÉSIOS, 5:8.)Cada criatura dá sempre notícias da própria origem espiritual.

Os atos, palavras e pensamentos constituem informações vivas da zona mental de que procedemos.

Os filhos da inquietude costumam abafar quem os ouve, em mantos escuros de aflição.

Os rebentos da tristeza espalham o nevoeiro do desânimo.

Os cultivadores da irritação fulminam o espírito da gentileza com os raios da cólera.

Os portadores de interesses mesquinhos ensombram a estrada em que transitam, estabelecendo escuro clima nas mentes alheias.

Os corações endurecidos geram nuvens de desconfiança, por onde passam.

Os afeiçoados à calúnia e à maledicência distribuem venenosos quinhões de trevas com que se improvisam grandes males e grandes crimes.

Os cristãos, todavia, são filhos da luz.E a missão da luz é uniforme e insofismável.Beneficia a todos sem distinção.

Não formula exigências para dar.Afasta as sombras sem alarde.

Espalha alegria e revelação crescentes.Semeia renovadas esperanças.Esclarece, ensina, ampara e irradia-se.

Vinha de Luz

Chico Xavier/André Luiz


QUEM LÊ, ATENDA

"Quem lê, atenda." - Jesus. (MATEUS, 24:15.)

Assim como as criaturas, em geral, converteram as produções sagradas da Terra em objeto de perversão dos sentidos, movimento análogo se verifica no mundo, com referência aos frutos do pensamento.

Freqüentemente as mais santas leituras são tomadas à conta de tempero emotivo, destinado às sensações renovadas que condigam com o recreio pernicioso ou com a indiferença pelas obrigações mais justas.

Raríssimos são os leitores que buscam a realidade da vida.

O próprio Evangelho tem sido para os imprevidentes e levianos vasto campo de observações pouco dignas.

Quantos olhos passam por ele, apressados e inquietos, anotando deficiências da letra ou catalogando possíveis equívocos, a fim de espalharem sensacionalismo e perturbação? Alinham, com avidez, as contradições aparentes e tocam a malbaratar, com enorme desprezo pelo trabalho alheio, as plantas tenras e dadivosas da fé renovadora.

A recomendação de Jesus, no entanto, é infinitamente expressiva.

É razoável que a leitura do homem ignorante e animalizado represente conjunto de ignominiosas brincadeiras, mas o espírito de religiosidade precisa penetrar a leitura séria, com real atitude de elevação.

O problema do discípulo do Evangelho não é o de ler para alcançar novidades emotivas ou conhecer a Escritura para transformá-la em arena de esgrima intelectual, mas, o de ler para atender a Deus, cumprindo-lhe a Divina Vontade.

Livro; Vinha de Luz
Chico Xavier/Emmanuel