Trabalhemos todos, pela Unificação do movimento espírita!!

O Espiritismo é uma questão de fundo; prender-se à forma seria puerilidade indigna da grandeza do assunto. Daí vem que os centros que se acharem penetrados do verdadeiro espírito do Espiritismo deverão estender as mãos uns aos outros, fraternalmente, e unir-se para combater os inimigos comuns: a incredulidade e o fanatismo.”

“Dez homens unidos por um pensamento comum são mais fortes do que cem que não se entendam.”
Allan Kardec (Obras Póstumas – Constituição do Espiritismo – Item VI).



sábado, 31 de outubro de 2009

Estudando o Espiritismo

Não julgueis, para não serdes julgados. Atire a primeira pedra aquele que estiver sem pecado.
Não julgueis, a fim de não serdes julgados; — porquanto sereis julgados conforme houverdes julgado os outros; empregar-se-á convosco a mesma medida de que voz tenhais servido para com os outros. (S. MATEUS, cap. VII, vv. 1 e 2.)
Então, os escribas e os fariseus lhe trouxeram uma mulher que fora surpreendida em adultério e, pondo-a de pé no meio do povo, — disseram a Jesus: “Mestre, esta mulher acaba de ser surpreendida em adultério; — ora, Moisés, pela lei, ordena que se lapidem as adúlteras. Qual sobre isso a tua opinião?” — Diziam isto para o tentarem e terem de que o acusar. Jesus, porém, abaixando-se, entrou a escrever na terra com o dedo. — Como continuassem a interrogá-lo, ele se levantou e disse: “Aquele dentre vós que estiver sem pecado, atire a primeira pedra.” — Em seguida, abaixando-se de novo, continuou a escrever no chão. — Quanto aos que o interrogavam, esses, ouvindo-o falar daquele modo, se retiraram, um após outro, afastando-se primeiro os velhos. Ficou, pois, Jesus a sós com a mulher, colocada no meio da praça.
Então, levantando-se, perguntou-lhe Jesus: “Mulher, onde estão os que te acusaram? Ninguém te condenou?” — Ela respondeu: “Não, Senhor.” Disse-lhe Jesus: “Também eu não te condenarei. Vai-te e de futuro não tornes a pecar.” (S. JOÃO, cap. VIII, vv. 3 a 11.)
“Atire-lhe a primeira pedra aquele que estiver isento de pecado”, disse Jesus. Essa sentença faz da indulgência um dever para nós outros, porque ninguém há que não necessite, para si próprio, de indulgência. Ela nos ensina que não devemos julgar com mais severidade os outros, do que nos julgamos a nós mesmos, nem condenar em outrem aquilo de que nos absolvemos. Antes de profligarmos a alguém uma falta, vejamos se a mesma censura não nos pode ser feita.
O reproche lançado à conduta de outrem pode obedecer a dois móveis: reprimir o mal, ou desacreditar a pessoa cujos atos se criticam. Não tem escusa nunca este último propósito, porquanto, no caso, então, só há maledicência e maldade. O primeiro pode ser louvável e constitui mesmo, em certas ocasiões, um dever, porque um bem deverá daí resultar, e porque, a não ser assim, jamais, na sociedade, se reprimiria o mal. Não cumpre, aliás, ao homem auxiliar o progresso do seu semelhante? Importa, pois, não se tome em sentido absoluto este princípio: “Não julgueis se não quiserdes ser julgado”, porquanto a letra mata e o espírito vivifica.
Não é possível que Jesus haja proibido se profligue o mal, uma vez que ele próprio nos deu o exemplo, tendo-o feito, até, em termos enérgicos. O que quis significar é que a autoridade para censurar está na razão direta da autoridade moral daquele que censura. Tornar-se alguém culpado daquilo que condena noutrem é abdicar dessa autoridade, é privar-se do direito de repressão. A consciência íntima, ao demais, nega respeito e submissão voluntária àquele que, investido de um poder qualquer, viola as leis e os princípios de cuja aplicação lhe cabe o encargo. Aos olhos de Deus, uma única autoridade legítima existe: a que se apóia no exemplo que dá do bem. É o que, igualmente, ressalta das palavras de Jesus.

Fonte: O Evangelho Segundo o Espiritismo, Cap. X, itens 11 a 13.
Francisco Rebouças
LANÇAMENTO E TARDE DE AUTÓGRAFOS NO RIO DE JANEIRO/RJ.
A Cruzada Espírita Paulo de Tarso, mantenedora do Lar Maria de Nazaré, tem o prazer de convidar a todos para o lançamento e tarde de autógrafos, de livros, que promoverá conforme segue:

Data: 15/11/2009.

Local: Rua Idumé, nº 82 - Brás de Pina/Rio de Janeiro.

Prestigie, divulgue.

Francisco Rebouças

A Tecnologia e sua utilização

É evidente que a tecnologia dos dias da atualidade, nos confere inúmeras oportunidades de evidenciar nossas disposições de servir ao bem ou ao mal, segundo nossas tendências e segundo nosso livre arbítrio. São variados os recursos colocados ao nosso dispor pela tecnologia, onde pela internet podemos receber e enviar as novidades a todas as partes do mundo, em tempo real.
Convém, porém, que tenhamos muito cuidado e que a utilizemos com muita cautela no envio de nossas notícias, para os irmãos que em qualquer parte do nosso planeta irá ter contato com essa mensagem por nós veiculada.
É conveniente que nos pautemos nos princípios cristãos, e que nossa palavra seja sempre recheada de mensagens portadoras de simplicidade, humilde, otimismo, meiguice e fraternidade, na intenção positiva de levar bom ânimo a quem dela tomar conhecimento, por mais triste e incrédulo que esteja o nosso irmão em vista das incontáveis notícias de acontecimentos deploráveis e condenáveis que infestam a mídia diariamente através dos diversos meios de comunicação.
Se, nada de positivo temos para dizer, é hora de calar, pois, o silêncio nessas circunstâncias é o maior e melhor benefício que podemos ofertar no momento de turbulência, em que sentimos que nossa palavra não terá efeito positivo em vista da dor e da revolta reinantes no ambiente em que nos encontramos.
Nessa hora, o silêncio que faremos não representará nosso pouco caso com os acontecimentos que infelicitam os vários envolvidos, mais que isso, significará nosso respeito pela dor do nosso próximo e a oportunidade de buscarmos o contato com os Imortais da Vida Maior, e, em prece, nascida no imo do nosso SER, realizar o maior bem que se pode realizar em momento tão delicado que é o pedido de socorro à Espiritualidade Amiga.

Como nos alerta Madre Tereza de Calcutá, “não basta apenas fazer o bem, é preciso ser bom”, e ser bom é não acender fósforo em barril de pólvora, procurando o equilíbrio de nossas ações em cada acontecimento em que tomarmos parte, procurando fazer bom uso dos recursos que Deus permitiu nos chegasse ao conhecimento e através da tecnologia espalhar a paz e a concórdia em volta de nossos passos, ajudando na implantação do evangelho de Jesus nos corações em desespero estendendo mão amiga no restabelecimento da paz, da alegria e da harmonia entre as criaturas.

Que Jesus nos sustente em sua paz, hoje e sempre!
Francisco Rebouças

Acada um segundo suas obras!

Cada um de nós é responsável por seus atos.

Por que vai desanimar, pelo que os outros fizeram a você?

Que tem você que ver com isso?

Siga à frente, ainda que o mundo inteiro esteja contra você.

Você há de vencer, mesmo que fique sozinho.

Continue sem desânimo, porque você é o único responsável por seus atos.

Livro: Minutos de Sabedoria
Carlos Torres Pastorino


Francisco Rebouças

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Cine Debate

Caros amigos, mais um evento será realizado em nossa cidade, para o qual estamos convocando a comunidade espírita de nossa cidade, patra que prestigiem comparecedo ao 3º cine debate que terá como tema o filme: "Passageiros".
O encontro aconterecrá no próximo dia 13/11/2009, às 19:00h.
Endereço: Rua Coronel Gomes Machado, 140/ 5º andar - Centro - Niterói/RJ.
Entrada: 1k de gênero não perecível para a Creche Cominitária do Instituto Dr. March.
Francisco Rebouças

Lindos Casos de Chico Xavier

5 - A HORTA EDUCATIVA


Quando Dona Cidália reuniu os filhos menores de Dona Maria João de Deus, observou que eles precisavam do grupo escolar.

O Sr. Cândido Xavier, pai da numerosa família, foi consultado.

Entretanto, a situação era difícil.

1918, a época a que nos referimos, marcara a passagem da gripe espanhola.

Tudo era crise, embaraço.

E o salário, no fim-de-mês, dava escassamente para o necessário.

Não havia dinheiro para cadernos, lápis e livros.

A madrasta, alma generosa e amiga, chamou o enteado e lembrou:

— Chico, vocês precisam ir à escola. E como não há recurso para isso, vamos plantar uma horta. Adubaremos a terra, plantarei os legumes e você fará a venda na rua... Com o resultado, espero que tudo se arranje.

— A senhora pode contar comigo, — prometeu o menino.

A horta foi plantada.

Em algumas semanas, Chico já podia sair à rua com o cesto de verduras.

— Olhem a couve, a alface! Almeirão e repolho!...

E o povo comprava.

Cada molho de couve ou cada repolho valia um tostão.

Dona Cidália guardava o produto financeiro num cofre.

Quando abriram o cofre, Dona Cidália, feliz falou para o enteado:

— Você está vendo o valor do serviço? Agora vocês já podem freqüentar as aulas do grupo.
E foi assim que, em janeiro de 1919, Chico Xavier começou o A-B-C.

Livro: Lindos Casos de Chico Xavier
Ramiro Gama


Francisco Rebouças

Mensagens espirituais

COMPROMISSO AFETIVO


O dever íntimo do homem fica entregue ao seu livre arbítrio. O aguilhão da consciência, guardião da probidade interior, o adverte e sustenta; mas, muitas vezes se mostra impotente diante dos sofismas da paixão. Fielmente observado, o dever do coração eleva o homem; porém, como determiná-lo com exatidão? Onde começa ele? O dever principia sempre, para cada um de vós, do ponto em que ameaçais a felicidade ou a tranqüilidade do vosso próximo; acaba no limite que não desejais ninguém transponha com relação a vossa. Do item 7, no Cap. XVII, de "O Evangelho Segundo o Espiritismo" A guerra efetivamente flagela a Humanidade, semeando terror e morticínio, entre as nações; entretanto, a afeição erradamente orientada, através do compromisso escarnecido, cobre o mundo de vítimas. Quem estude os conflitos do sexo, na atualidade da Terra, admitindo a civilização em decadência, tão-só examinando as absurdidades que se praticam em nome do amor, ainda não entendeu que os problemas do equilíbrio emotivo são, até agora, de todos os tempos, na vida planetária. As Leis do Universo esperar-nos-ão pelos milênios afora, mas terminarão por se inscreverem, a caracteres de luz, em nossas próprias consciências. E essas Leis determinam amemos os outros qual nos amamos.

Para que não sejamos mutilados psíquicos, urge não mutilar o próximo. Em matéria de afetividade, no curso dos séculos, vezes inúmeras disparamos na direção do narcisismo e, estirados na volúpia do prazer estéril, espezinhamos sentimentos alheios, impelindo criaturas estimáveis e nobres a processos de angústia e criminalidade, depois de prendê-las a nós mesmos com o vínculo de promessas brilhantes, das quais nos descartamos em movimentação imponderada. Toda vez que determinada pessoa convide outra à comunhão sexual ou aceita de alguém um apelo neste sentido, em bases de afinidade e confiança, estabelece-se entre ambas um circuito de forças, pelo qual a dupla se alimenta psiquicamente de energias espirituais, em regime de reciprocidade.

Quando um dos parceiros foge ao compromisso assumido, sem razão justa, lesa o outro na sustentação do equilíbrio emotivo, seja qual for o campo de circunstâncias em que esse compromisso venha a ser efetuado. É dada a ruptura no sistema de permuta das cargas magnéticas de manutenção, de alma para alma, o parceiro prejudicado, se não dispõe de conhecimentos superiores na auto-defensiva, entra em pânico, sem que se lhe possa prever o descontrole que, muitas vezes, raia na delinqüência. Tais resultados da imprudência e da invigilância repercutem no agressor, que partilhará das conseqüências desencadeadas por ele próprio, debitando-se-lhe ao caminho a sementeira partilhada de conflitos e frustrações que carreará para o futuro. Sabemos que a Justiça Humana comina punições para os atos de pilhagem na esfera das realidades objetivas, considerando a respeitabilidade dos interesses alheios; no entanto, os legisladores terrestres perceberão igualmente, um dia, que a Justiça Divina alcança também os contraventores da Lei do Amor e determina se lhes instale nas consciências os reflexos do saque afetivo que perpetram contra os outros. Daí procede a clara certeza de que não escaparemos das equações infelizes dos compromissos de ordem sentimental,
injustamente menosprezados, que resgataremos em tempo hábil, parcela a parcela, pela contabilidade dos princípios de causa e efeito. Reencarnados que estaremos sempre, nesse sentido, até exonerar o próprio espírito das mutilações e conflitos hauridos no clima da irreflexão, aprenderemos no corpo de nossas próprias manifestações ou no ambiente da vivência pessoal, através da penalogia sem cárcere aparente, que nunca lesaremos a outrem sem lesar a nós.
Livro: Vida e Sexo
Chico Xavier/Emmanuel
Francisco Rebouças

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Palavras de Josepha!

Ajuda dos amigos

Nossos verdadeiros amigos procuram nos ajudar de todas as maneiras possíveis, mas, não podem realizar por nós o que nos está destinado fazer como obra de nossa responsabilidade individual, e, que nos foi planejado com sabedoria e equilíbrio pelos emissários Divinos, que nos ofertam em nome de Deus, como sublimes oportunidades de aperfeiçoamento e progresso.

As orientações que recebemos de nossos amigos e familiares, muito poderão nos ser úteis na construção da nossa felicidade, mas, não nos será permitido seguir tudo o que eles nos dizem, pois, cabe a nós próprios separar o que nos parece ser mais favorável aos nossos objetivos como legítimos responsáveis por nossas tarefas em família e na sociedade, como membros ativos que somos de ambas.

Ninguém tem a solução preparada para os nossos problemas, cada qual possui em si mesmo as suas próprias soluções, que não está fora, e sim, no interior de cada criatura.

Precisamos meditar sobre cada situação que nos acontece, para ouvir a voz interna de nossa consciência que é a voz de Deus em cada filho seu, e que não nos deixa errar quando sabemos ouvi-la com redobrado cuidado, chamando-nos a atenção para a melhor escolha para o asunto que nos causa preocupação, deixando-nos o inteiro direito de escolher este ou aquele caminho.

Cada qual de nós, terá que prestar contas de suas próprias construções, e ninguém pode ser responsabilizado por nossos atos, porque, por mais que nos tenha influenciado, ainda assim, a escolha final foi nossa.

Devemos assim, proceder desde já com equilíbrio e inteligência o processo de ouvir dos outros, o que eles acham melhor para nós e nossas vidas, mas, não esqueçamos de que a responsabilidade da ação boa ou má que realizarmos será creditada ou debitada em nossa conta individual, perante o tribunal de justiça de nossa própria consciência.

Josepha
Por Francisco Rebouças

Dependência química


O Centro Espírita Luz e Verdade em Campo Grande estará realizando um Seminário sobre Dependência químicas tendo como Tema: Dependências: o Mal do século - ALCOOLISMO e DROGAS.
31/10 - O dependente psicológico - Maria Genésia (NELD)
07/11 - O lado espiritual da dependência - Jânio Darkson (CEIL)
14/11 - A dependência sob a ótica médica - Edyr Alves (CEAL)

O seminário será dividido em dois módulos por sábado: um para exposição do tema e outro para esclarecimentos e perguntas.

Local: Centro E. Luz e Verdade
Horários: 17h às 19h
Miores informações, pelo tel. 2415-7928 ou pelo e-mail: div.celv@yahoo.com.br

Este endereço de e-mail está protegido contra Spam Bots. Você precisa ter o Java Script habilitado para vê-lo.

(não é necessário inscrição).


Francisco Rebouças

Estudando o Espiritismo

TEMPLO ESPÍRITA

À medida que se nos aclara o entendimento, nas realizações de caráter mediúnico, percebemos que as lides da desobsessão pedem o ambiente do templo espírita para se efetivarem com segurança.

Para compreender isso, recordemos que, se muitos doentes conseguem recuperar a saúde no clima doméstico, muitos outros reclamam o hospital.

Se no lar dispomos de agentes empíricos a benefício dos enfermos, numa casa de saúde encontramos toda uma coleção de instrumentos selecionados para a assistência pronta.

No templo espírita, os instrutores desencarnados conseguem localizar recursos avançados do plano espiritual para o socorro a obsidiados e obsessores, razão por que, tanto quanto nos seja possível, é aí, entre as paredes respeitáveis da nossa escola de fé viva, que nos cabe situar o ministério da desobsessão. Razoável, ainda, observar que os servidores de semelhante realização não podem assumir, sem prejuízo, compromissos para outras atividades medianímicas, antes ou depois do trabalho em que se comprometem a benefício dos sofredores desencarnados.
Livro: Desobsessão
Chico Xavier/Waldo Vieira
Espírito: André Luiz
Francisco Rebouças

Mensagens espirituais

ENTRE CÔNJUGES

Prossiga amando e respeitando os pais, depois da formação da própria casa, compreendendo, porém, que isso traz novas responsabilidades para o exercício das quais é imperioso cultivar independência, mas, a pretexto de liberdade, não relegar os pais ao abandono.

Não deprecie os ideais e preocupações do outro.

Selecione as relações.
Respeite as amizades do companheiro ou da companheira.

É preciso reconhecer a diversidade dos gostos e vocações daquele ou daquela que se toma para compartilhar-nos a vida.

Antes de observar os possíveis erros ou defeitos do outro, vale mais procurar-lhe as qualidades e dotes superiores para estimulá-los ao desenvolvimento justo.

Jamais desprezar a importância das relações sexuais com o respeito à fidelidade nos compromissos assumidos.

Não sacrifique a paz do lar com discussões e conflitos, a pretexto de honorificar essa ou aquela causa da Humanidade, porque a dignidade de qualquer causa da umanidade começa no reduto doméstico.

Não deixe de estudar e aprimorar-se constantemente, sob a desculpa de haver deixado a condição de solteiro ou de solteira.

Sempre necessário compreender que a comunhão afetiva no lar deve recomeçar, todos os dias, a fim de consolidar-se em clima de harmonia e segurança.
Livro: Sinal Verde
Chico Xavier/André Luiz
Francisco Rebouças



quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Resenha Espírita On Line

Caros amigos, segue para conhecimento de todos vocês as notícias e novidades das obras e atividades de Divaldo Franco e Raul Teixeira, em A Resenha Espírita on line, que é um trabalho excelente desenvolvido pelo confrade Maurício Silva do Paraná, que contém informações da Casa do Caminho e do Remanso Fraterno.
Vale a pena conferir os novos números: 7 e 8.
Francisco Rebouças

Estudando a mediunidade

Caros amigos, precisamos fazer uma séria reflexão para observar com honestidade se não estamos inclusos nas diversas categorias de médiuns imperfeitos, conform segue.
Médiuns imperfeitos

Médiuns obsidiados: os que não podem desembaraçar-se de Espíritos importunos e enganadores, mas não se iludem.
Médiuns fascinados: os que são iludidos por Espíritos enganadores e se iludem sobre a natureza das comunicações que recebem.
Médiuns subjugados: os que sofrem uma dominação moral e, muitas vezes, material da parte de maus Espíritos.
Médiuns levianos: os que não tomam a sério suas faculdades e delas só se servem por divertimento, ou para futilidades.
Médiuns indiferentes: os que nenhum proveito moral tiram das instruções que obtêm e em nada modificam o proceder e os hábitos.
Médiuns presunçosos: os que têm a pretensão de se acharem em relação somente com Espíritos superiores. Crêem-se infalíveis e consideram inferior e errôneo tudo o que deles não provenha.
Médiuns orgulhosos: os que se envaidecem das comunicações que lhes são dadas; julgam que nada mais têm que aprender no Espiritismo e não tomam para si as lições que recebem freqüentemente dos Espíritos. Não se contentam com as faculdades que possuem, querem tê-las todas.
Médiuns suscetíveis: variedade dos médiuns orgulhosos, suscetibilizam-se com as críticas de que sejam objeto suas comunicações; zangam-se com a menor contradição e, se mostram o que obtêm, é para que seja admirado e não para que se lhes dê um parecer. Geralmente, tomam aversão às pessoas que os não aplaudem sem restrições e fogem das reuniões onde não possam impor-se e dominar.

"Deixai que se vão pavonear algures e procurar ouvidos mais complacentes, ou que se isolem; nada perdem as reuniões que da presença deles ficam privadas." - ERASTO.

Médiuns mercenários: os que exploram suas faculdades.
Médiuns ambiciosos: os que, embora não mercadejem com as faculdades que possuem, esperam tirar delas quaisquer vantagens.
Médiuns de má-fé: os que, possuindo faculdades reais, simulam as de que carecem, para se darem importância. Não se podem designar pelo nome de médium as pessoas que, nenhuma faculdade mediúnica possuindo, só produzem certos efeitos por meio da charlatanaria.
Médiuns egoístas: os que somente no seu interesse pessoal se servem de suas faculdades e guardam para si as comunicações que recebem.
Médiuns invejosos: os que se mostram despeitados com o maior apreço dispensado a outros médiuns, que lhes são superiores.
Todas estas más qualidades têm necessariamente seu oposto no bem.

Fonte: O Livro dos Médiuns Cap. XVI item 196.

Francisco Rebouças

Desanimar nunca!

Não aceite maus conselhos!

Não se deixe sugestionar por palavras de desânimo!

Sempre existe uma saída para qualquer problema, por mais complexo e difícil que nos pareça.

A Força Divina que rege os universos está dentro de nós.

Ligue-se ao Pensamento Universal de Bondade e Amor, e vencerá todos os obstáculos.

Livro: Minutos de Sabedoria
Carlos Torres Pastorino

Francisco Rebouças

Espiritismo na Suiça

Caros amigos, é com alegria que anunciamos mais um grande evento em terras Suíças, mais precisamente no CEEAK, da querida amiga Gorete Newton, trata-se da palestra que será proferida pelo Dr. César Geremia sobre o tema KARMA na visão espírita.

Dados sobre o palestrante: Dr. César Geremia é médico e possui mestrado em Endocrinologia Pediátrica pela Unviersidade Federal do Rio Grande do Sul, é tambem professor universitário e médico da Secretaria Municipal de Saúde de Porto Alegre e endocrinologista pediátrico do Hospital Nossa Senhora da Conceição,m atuando no Instituto da Criança com Diabetes- ICB.

Data: 10/11/2009, terça-feira;

Horário: de 19:00 às 21:00h;

Local: CEEAK – Industriestrasse 8 – 8404 – Winterthur/Suiça.



Francisco Rebouças

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Estudando o Espiritismo

O Poder da fé

Cumpre não confundir a fé com a presunção. A verdadeira fé se conjuga à humildade; aquele que a possui deposita mais confiança em Deus do que em si próprio, por saber que, simples instrumento da vontade divina, nada pode sem Deus. Por essa razão é que os bons Espíritos lhe vêm em auxílio. A presunção é menos fé do que orgulho, e o orgulho é sempre castigado, cedo ou tarde, pela decepção e pelos malogros que lhe são infligidos.
Fonte: O Evangelho Segundo o espiritismo, Cap. XIX - A FÉ TRANSPORTA MONTANHAS, Item 4.
Francisco Rebouças

Espiritismo

Casimiro Cunha

Espiritismo é uma luz
Gloriosa, divina e forte,
Que clareia toda a vida
E ilumina além da morte.

É uma fonte generosa
De compreensão compassiva,
Derramando em toda parte
O conforto d'Água viva.

É templo da caridade
Em que a Virtude oficia.
E onde a bênção da Bondade
É flor de eterna alegria.

É árvore verde e farta
Nos caminhos da esperança,
Toda aberta em flor e fruto
De verdade e bonança.

É a claridade bendita
Do bem que aniquila o mal,
O chamamento sublime
Da vida Espiritual.

Se buscas o espiritismo,
Norteia-te em sua luz:
Espiritismo é uma escola,
E o Mestre Amado é Jesus.

Livro: Parnaso de Além-Túmulo
Chico Xavier



Francisco Rebouças

15 anos de atividades no bem!

Caros amigos, o Grupo Espírita Eurípedes Barsanulfo, localizado à Rua Edgard Carlos Pereira, 697, Santa Tereza Juiz de Fora , MG - CEP 36020-200, está comemorando seus 15 anos de fundação, com uma enorme folha de serviços prestados à comunidade.
Está previsto uma série de palestras ao longo do mês conforme segue:

N O V E M B R O

P A L E S T R A S

01- DOMINGO
EDUARDO MALUF ÁS 10h00 GEEB.
03- TERÇA-FEIRA
JOSÉ PASSINI ÁS 20h00 GARCIA.
08- DOMINGO
TRINDADE NASCIMENTO ÁS 10h00 JOANNA DE ANGELIS.
10- TERÇA-FEIRA
ARMANDO FALCONI ÁS 20h00 FEAK.
15- DOMINGO
OLIMPIA DOS SANTOS ÁS 10h00 VALENÇA.
17- TERÇA FEIRA
ALCIONE PEIXOTO ÁS 20h00 CAMPOS- RJ.
22- DOMINGO
LAERCIO ROCHA ÁS 10h00 NOSSO LAR.
24- TERÇA FEIRA
ROGÉRIA DOS SANTOS ÁS 20h00 FÉ E CARIDADE.
29- DOMINGO
ALCIONE LOPES ÁS 10h00 AMOR AO PRÓXIMO.
Parabéns a todos, que Jesus os guarde em sua paz hoje e sempre.
Francisco Rebouças.

Mansagens Espirituais

2 - ORAÇÃO DO APRENDIZ

Senhor !
Em tudo quanto eu te peça, conquanto agradeça a infinita bondade com que me atendes.

Não consideres o que eu te rogue, mas aquilo de que eu mais necessite.

E quando me concederes aquilo de que eu mais precise, ensina-me a usar a tua concessão, não só em meu proveito, mas em benefício dos outros, a fim de que eu seja feliz com a tua dádiva, sem prejudicar a ninguém.

Espírito: ANDRÉ LUIZ
Médium: Francisco Cândido Xavier
Livro: "Aulas da Vida" - EDIÇÃO IDEAL
Francisco Rebouças

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Teresópolis/RJ

Caros amigos, a bela cidade serrana de Teresópolis estará realizando sua 32ª SEMANA ESPÍRITA, e para tanto, está convidando todo o movimento espírita para comparecer ao evento, que terá como Tema Central: “Diferentes Aspectos do Processo Saúde-Doença”.

Períodoeríodo: 9 a 15 de novembro de 2009.

De segunda-feira a Sábado as 20 horas.

Domingos as 10 horas

Local: Salão Nobre da Prefeitura Municipal de Teresópolis.

Compareça, Divulgue!

Francisco Rebouças

Congresso em Londres

Caros amigos, nos dias 7 e 8 de Novembro de 2009, será realizado em Londres o 2º Congresso Britanico de Medicina e Espiritualidade.
Com a presença de vários nomes consagrados da medicina em todo o mundo.
Prestigie, comparecendo e divulgando!
Francisco Rebouças

A Responsabilidade dos pais na evangelização espírita infantil

“Jesus, porém, chamando-as para si, disse: Deixai vir a mim as crianças e não as impeçais, porque delas é o reino de Deus” - Lucas, Cap. 18: v 16.

É, de fundamental importância, que nós pais espíritas, nos conscientizemos de que a evangelização infantil não pode ser negligenciada por nenhum de nós, sob pena de sermos responsabilizados quando da nossa volta ao plano espiritual, pelo desvirtuamento desses seus pequeninos e queridos filhos, que o Pai Criador confiou seus destinos sob nossa responsabilidade.

Sabemos que, pais de outras filosofias religiosas, como por exemplo, os irmãos católicos, fazem absoluta questão de terem seus filhos batizados na igreja que pertençam, que façam a primeira comunhão, que confessem, que tomem a hóstia sagrada etc. etc, e por essa razão desde cedo já os encaminham para as aulas de catecismo em que aprenderão a filosofia praticada por seus pais; da mesma forma, os pais consagrados à filosofia protestante, os chamados “evangélicos”, não se descuidam da freqüência assídua dos seus filhos aos templos religiosos de que fazem parte, zelando desde cedo pela orientação religiosa dos seus pequeninos, para que se tornem futuros defensores e divulgadores da filosofia que praticam, e assim por diante.

Enquanto isso, os pais espíritas, inexplicavelmente, adotam um pensamento que particularmente não aceitamos, pois, costumam dizer, que assim como se tornaram espíritas, em sua grande maioria depois de adultos, também deixarão que seus filhos escolham suas opções religiosas depois de crescidos; do que discordamos inteiramente. Constatamos com muita freqüência e tristeza que até mesmo muitos dos amigos que se dizem espíritas e que levam seus filhos para serem evangelizados nas casas espíritas que freqüentam, não sabem dizer se este é ou não o melhor caminho para elas, (as crianças), demonstrando por essa simples dúvida, que na realidade ainda não são verdadeiramente espíritas.

Muitos deles, ainda não se desvincularam das diretrizes seguidas por seus familiares, e por se verem pressionados, e até desprezados por parentes e amigos que professam religiões diferentes da sua, vivem num eterno conflito interior, e por essa razão, muitos dos filhos de pais espíritas são levados por familiares, parentes e amigos para outras casas religiosas, entrando dessa forma em conflito com o que os pais espíritas dizem em relação à religião que não é transmitida dessa forma às crianças nas interpretações que recebem para os mesmos ensinamentos do Mestre de Nazaré, nas instituições para onde são levadas, de forma dogmática e absolutamente ultrapassada, em confronto com a filosofia espírita de seus pais.

Outros ainda, não os levam a lugar algum, e se dirigem às casas espíritas sem a companhia dos seus filhos que ficam em casa, brincando com os amigos, jogando videogame, assistindo os “imperdíveis” capítulos das novelas da televisão, que os encharcam de futilidades e de pornografias inadequadas para suas idades onde aprendem todo o tipo de baixarias, desde traições, até palavras de baixo calão, onde se especializam em ser desde muito cedo, maldosos, desrespeitosos, e a tomarem conhecimento e conviverem com os vícios morais da nossa sociedade, alastrando ainda mais os devaneios da sexualidade que recebe apelo de todos os meios possíveis, nos temas abordados pelas respectivas novelas e pelos comerciais exibidos em horário nobre.

Quando perguntados pelos companheiros, sobre o paradeiro de suas crianças, respondem simplesmente, ficaram em casa, perguntei se queriam vir, mas, não quiseram, então, não forcei, quando desejarem vir, eu os trarei.., agindo assim, equivocada e irresponsavelmente, deixam uma decisão tão importante como essa, sobre os ombros de quem ainda não tem capacidade para saber o que lhe será mais útil e necessário na vida; satisfazendo a vontade dos filhos, quando são os pais, que devem decidir o que é melhor para eles até que adquiriram maturidade e responsabilidade para o fazerem por si mesmos.

Na vida religiosa de nossos filhos, devemos agir da mesma maneira que fazemos quando o matriculamos no colégio para que aprendam a ler e escrever, quando o levamos para vacinar contra doenças da idade infantil, quando o conduzimos para fazer esta ou aquela intervenção cirúrgica para a recuperação da sua saúde e de seu equilíbrio físico e psicológico etc., a esses pais que não conduzem seus filhos aos conhecimentos da moral cristã ensinada pela doutrina espírita, perguntamos: Se seu filho pequeno decidir deixar de ir à escola, você simplesmente concordará com ele; se não quiser tomar o remédio que lhe devolverá a plena saúde de seu organismo, você aceitará e acatará seu desejo; ora, então só na hora de ir ao templo espírita é que sua vontade deve ser respeitada?

Se, nas outras oportunidades aqui citadas, você não concorda com ele, porque ele precisa estar apto a enfrentar as dificuldades da vida, preparado para conquistar uma melhor situação econômica e financeira que lhe possa proporcionar uma vida de tranqüilidade no futuro, e, se você já tem suficiente conhecimento da reencarnação, e sabe que ele não será diferente de ninguém, pois, também não ficará para a semente, por que não lhe propiciar a necessária preparação não só para a vida passageira do plano material, e sim para toda sua vida, quer quando estiver no plano material quer no plano espiritual, que sabemos ser a destinação de todos nós, ainda presos aos compromissos com a Soberana Lei que nos reservará ainda outras inúmeras idas e vindas até nos acharmos inteiramente quites para com a Lei Divina, em paz com nossa própria consciência?

Em o Livro dos Espíritos, os mensageiros Divinos nos esclareceram sobre a importância de utilizarmos de forma correta o precioso período da infância para proporcionar aos nossos filhos a adequada orientação para que lhe sirva de norte a ser seguido, e não temos o direito de negligenciar tão elevada missão confiada aos Pais pela Soberana Sabedoria do Universo, conforme segue:

382. Durante a infância sofre o Espírito encarnado, em conseqüência do constrangimento que a imperfeição dos órgãos lhe impõe?

“Não. Esse estado corresponde a uma necessidade, está na ordem da Natureza e de acordo com as vistas da Providência. É um período de repouso do Espírito.”

383. Qual, para este, a utilidade de passar pelo estado de infância?

Encarnado, com o objetivo de se aperfeiçoar, o Espírito, durante esse período, é mais acessível às impressões que recebe, capazes de lhe auxiliarem o adiantamento, para o que devem contribuir os incumbidos de educá-lo.”

582. Pode-se considerar como missão a paternidade?

“É, sem contestação possível, uma verdadeira missão. É ao mesmo tempo grandíssimo dever e que envolve, mais do que o pensa o homem, a sua responsabilidade quanto ao futuro. Deus colocou o filho sob a tutela dos pais, a fim de que estes o dirijam pela senda do bem, e lhes facilitou a tarefa dando àquele uma organização débil e delicada, que o torna propício a todas as impressões. Muitos há, no entanto, que mais cuidam de aprumar as árvores do seu jardim e de fazê-las dar bons frutos em abundância, do que de formar o caráter de seu filho. Se este vier a sucumbir por culpa deles, suportarão os desgostos resultantes dessa queda e partilharão dos sofrimentos do filho na vida futura, por não terem feito o que lhes estava ao alcance para que ele avançasse na estrada do bem.

583. São responsáveis os pais pelo transviamento de um filho que envereda pelo caminho do mal, apesar dos cuidados que lhe dispensaram?

“Não; porém, quanto piores forem as propensões do filho, tanto mais pesada é a tarefa e tanto maior o mérito dos pais, se conseguirem desviá-lo do mau caminho.”

a) Se um filho se torna homem de bem, não obstante a negligência ou os maus exemplos de seus pais, tiram estes daí algum proveito?

“Deus é justo.”

Portanto, queridos irmãos e amigos ESPÍRITAS, é hora de tomar da enxada e arar o campo que nos está confiado, enfrentando a incompreensão dos parentes, familiares, e amigos que por ora, não estão ainda suficientemente capacitados a entender a mensagem espírita, e façamos nossa parte, colocando à disposição desses seres tão especiais que Deus nosso Pai nos emprestou por infinita bondade, o conteúdo Cristão ofertado pela mensagem Espírita, para que desde cedo estejam em contato com os ensinamentos ministrados pelos Espíritos Superiores, sobre as coisas da vida espiritual, e para que também nós, nos capacitemos a maiores e melhores desafios no constante crescimento que precisamos realizar, na busca de nossa redenção perante as Sábias e Imutáveis Leis Universais que regem os nossos destinos concedendo a cada um segunda as suas obras.

Bibliografia:
Evangelho de Lucas, Cap. 18: v 16.
Kardec, Allan – O Livro dos Espíritos, FEB, 77 edição;
Grifos nossos.

Francisco Rebouças

Biografia

Clóvis Tavares

Clóvis Tavares, nasceu em Campos dos Goytacazes, em 20 de janeiro de 1915, dia de São Sebastião, no distrito de São Sebastião. Daí seu nome de batismo ser Sebastião Clóvis Tavares, embora sempre tenha sido tratado, em casa e em todos os ambientes, simplesmente por "Clóvis".

Desde a mais remota infância, demonstrou pendores religiosos. Era comum, nas plagas de São Sebastião, ver seus irmãos jogando bola ou brincando de cabra cega e ele lendo ou rezando em seu oratório particular.

Afeiçoou-se ao padre da Igreja de São Sebastião, chamado Émille Dés Touches, francês de nascimento, de família nobre e abastada. Ele teria abandonado a sua herança para dedicar-se à vida religiosa, tendo decidido vir para o Brasil seguindo uma inspiração ou determinação do Alto. Foi o seu professor de Francês e seu primeiro orientador espiritual. Do padre Émille Dés Touches, o público espírita conhece Petição de Servo1, eivada de beleza e sabedoria espiritual.

Na adolescência, estudando no célebre Liceu de Humanidades de Campos, integrou um grupo de jovens idealistas que decidiram mudar o Mundo. Inscreveram-se no Partido Comunista do Brasil e viveram um sonho de liberdade.

Dois desses jovens eram Nina Arueira e Clóvis Tavares, que enamoraram-se e tornaram-se noivos. Os dois viviam intensamente a vida partidária, sendo líderes de greves operárias e movimentos estudantis. Inesperadamente, Nina é acometida de uma febre tifóide e Clóvis passa a fazer plantão ao seu lado, passando noites acordado, em vigilância, mas sem oração.

Por um destes mistérios da vida, ela conheceu, já doente, um homem chamado Virgílio de Paula, que a recebeu em sua casa para prestar-lhe tratamento. Era um profundo conhecedor de Teosofia e Espiritismo. Ela interessa-se inicialmente pela Teosofia. Lê "Do Recinto Interno", de Annie Bésant e decide, já no leito, renunciar à política partidária. Conta a Clóvis a sua decisão.

Este, que também estava a discordar da direção partidária quanto a rumos decididos que feriam a sua ética, passou a escutar de Nina as lições que ela ouvia do Vovô Virgílio.Virgílio de Paula, por sua vez, aos poucos introduziu um pouco de Evangelho em suas conversações com Nina. Ela maravilhou-se com a visão de um Jesus Cristo amigo dos pobres e dos sofredores. Um Jesus Cristo amigo da Justiça e da Caridade e entregou-se, alma inteira, ao Evangelho, explicado pela racionalidade Espírita. Foram apenas alguns meses, mas ela desencarnou considerando-se espírita.

Após o seu desenlace é que Clóvis começou a ler os livros que ela lera no seu estágio derradeiro. E como ocorreu com Nina, ele também apaixonou-se pela cosmovisão espiritista. Quando leu pela primeira vez os versos de Olavo Bilac, Cruz e Souza, Fagundes Varella, Augusto dos Anjos, Castro Alves, João de Deus, Auta de Souza...então declarou-se espírita. E com o mesmo afinco que se dedicara há apenas alguns meses à política partidária, passa a militar ativamente no meio espírita.Começa a freqüentar o Grupo Espírita João Batista, dirigido pelo Sr. Virgílio de Paula e outros companheiros da primeira hora do Espiritismo em Campos.

Em pouco tempo, Clóvis passa a realizar palestras doutrinárias que a muitos atraíram por sua fluência evangélica e pelo ardor de seu verbo.
Paralelamente a essas atividades, fundou uma escola de Doutrina Espírita para crianças, na casa da mãe de sua antiga noiva, a D. Didi Arueira. Passaram a chamar essa casa de "Escola Infantil Jesus Cristo".

Mais uma vez, o inesperado ocorre. Os freqüentadores do Grupo Espírita João Batista, somados aos pais das crianças da Escola Infantil, afluíram em número crescente para escutar suas palestras na casa de D. Didi.

Decide então a diretoria do Grupo Espírita João Batista auto-dissolver-se e passar a integrar os quadros da nascente Escola Jesus Cristo, já sem o qualificativo de "Infantil".

Repetiu-se em escala institucional o mesmo que acontecera entre João Batista e Jesus Cristo. "É necessário que eu diminua para que Ele cresça", e o Grupo precursor João Batista dissolveu-se e seus seguidores, assim como os seguidores de João, passaram a seguir a Escola Jesus Cristo. Iniciou-se uma Era nova para o Espiritismo local, até então conhecido apenas pelas sessões mediúnicas. Com Clóvis, alvorece, em 1935, o Espiritismo da cultura e da prática da caridade. Clóvis sempre priorizou na Escola Jesus Cristo o serviço de amor ao próximo e o estudo doutrinário. A mediunidade ocupava, como até hoje, papel auxiliar. Sempre ensinou ele aos que buscavam ajuda, que, em primeiro lugar, deviam espiritualizar-se pelo estudo e pelo trabalho, para depois libertar-se das possíveis influenciações.

Na Escola Jesus Cristo, fundou Clóvis dois orfanatos: um de meninas, dirigido inicialmente pela filha do Virgílio de Paula, a D. Inaiá de Paula, e outro para meninos, dirigido por ele mesmo e por seu companheiro de ideais, Medeiros Correia Júnior, que mais tarde se tornaria Juiz de Direito em Cachoeiro do Itapemerim-ES. Fundou ainda um Culto de Assistência, onde um grupo de irmãos visitava duas favelas de Campos, para distribuição de gêneros e para a realização de um culto de Evangelho no lar dos assistidos.

Fundou ainda a Sopa dos Domingos com a ajuda dos irmãos portugueses Inocêncio Noronha, Bonifácio de Carvalho, D. Candinha e D. Mariquinhas. Portugueses que sempre estiveram presentes na história da Escola Jesus Cristo.

Surge ainda, por seu ideário, o Curso Elzinha França, para orientação espiritual às crianças. A escolha do nome Elzinha França deveu-se ao fato de que a Mocidade Espírita de Campos, da qual fazia parte a jovem Hilda Mussa, com quem se casaria mais tarde, e sua amiga Zenith Pessanha, visitava as famílias pobres da Escola Jesus Cristo na buscado sofrimento a fim de mitigá-lo. Numa dessas peregrinações, na favela, encontram desvalida menina recém-nascida, abandonada. Como não havia, na época, nenhum órgão oficial de amparo à criança e nem de longe pensava-se no Estatuto da Criança e do Adolescente, decidiram trazer a menina para a Casa da Criança. Apesar de Clóvis ter providenciado todos os cuidados médicos, a menor desencarnou em pouco tempo.

Todavia, em uma de suas habituais viagens a Pedro Leopoldo para encontrar-se com Chico Xavier, obteve do médium a informação de que o visitava um espírito de muita luz, chamado Elzinha França. Clóvis Tavares, a princípio pasmo, contou ao médium quem era a menina, que Chico identificou como sendo uma professora que estava integrando a equipe espiritual de serviço na Escola Jesus Cristo e que trabalharia na educação dos menores.

Fundou o Clube da Fraternidade, espaço artístico e lúdico, para a realização de jogos infantis, teatros e coros musicais nos domingos à tarde, numa época em que não havia televisão.Passou a visitar semanalmente os presos, recordando o ensino de Paulo aos hebreus: \"Lembraivos dos encarcerados, como se vós mesmos estivésseis presos com eles. E dos maltratados, como se habitásseis no mesmo corpo com eles". (Hb, 13:3).Uma vez por ano, pregava o Evangelho Consolador no cemitério, no dia 2 de novembro, iniciando uma prática consoladora e esclarecedora na nossa terra.

Uma outra particularidade da Escola Jesus Cristo foi abrigar em suas dependências, na década de 60, uma escola de educação formal: o Instituto Allan Kardec.

Paralelamente a essa atividade espírita, Clóvis Tavares lecionava História em duas escolas e Direito Internacional Público na Faculdade de Direito de Campos. Foi autor de livros espíritas, renunciando, todavia, aos direitos autorias, pois aprendeu com Chico Xavier a doá-los às Editoras que se dedicavam à difusão doutrinária. Escreveu: Sementeira Cristã 2, Vida de Allan Kardec para a Infância, Meu Livrinho de Orações, Os Dez Mandamentos e Histórias que Jesus Contou, para o público infantil e Vida de Pietro Ubaldi3, Trinta Anos com Chico Xavier, Amor e Sabedoria de Emmanuel, Tempo e Amor, De Jesus para os que Sofrem, Mediunidade dos Santos4, para o público em geral.

Tornou-se amigo íntimo de Chico Xavier, com quem conviveu por 50 anos, o que é relatado nos referidos livros do parágrafo anterior. Freqüentava com assiduidade as reuniões do Grupo Meimei, em Pedro Leopoldo. Visitou também Belo Horizonte várias vezes, onde travou contato com Arnaldo Rocha, Joaquim Alves, Cícero Pereira e tantos outros que dignificaram o Espiritismo nas Minas Gerais e no Brasil.

Na década de 50, passou a se corresponder com o sábio italiano Pietro Ubaldi, a quem promoveu duas vindas ao Brasil, a última das quais, definitiva. Traduziu do italiano os seguintes livros do referido autor: As Noúres, Ascese Mística, Grandes Mensagens e Fragmentos de Pensamento e Paixão.5

Clóvis Tavares veio a casar-se somente após 20 anos da desencarnação de Nina, e a jovem Hilda, que o ajudava na pesquisa sobre a vida dos santos católicos, passou a ser também a sua fiel colaboradora nos trabalhos da Escola Jesus Cristo. Ela fundou um coro infantil, uma livraria, escreveu e dirigiu dezenas de peças teatrais adaptadas de contos clássicos da literatura universal, como O Pequeno Príncipe, de Exupéry; O Menino do Dedo Verde, de Maurice Druon; O Pássaro Azul, de Mäeterlink; Fernão Capelo Gaivota., de Richard Bach e O Meu Cristo Partido, de Ramón Cué.

De seu casamento com Hilda, nasceram cinco filhos: Carlos Vítor, que desencarnou aos 17 anos, após uma vida de sofrimentos para ele e para os pais – o que está relatado no livro: A Morte é Simples Mudança6 –, Margarida, Flávio, Luís Alberto e Celso Vicente.

Seu filho Flávio Mussa Tavares, em depoimento que embasa este escorço biográfico, registra: "Desencarnou Papai em 1984, no dia 13 de abril. Exatamente uma semana antes, nascia o meu primeiro filho e seu primeiro neto, o Pedro. Foi a semana de maior conteúdo emocional de minha vida. No dia 6 de abril, às 18 horas , eu me tornava pai. Pedro nasceu na Santa Casa de Campos, em parto realizado por minha prima Neusa, obstetra, que o entregou nas minhas mãos tão logo seccionou o cordão umbilical, para que eu providenciasse os primeiros cuidados.

Sete dias após, no mesmo hospital e na mesma hora, meu Pai é internado, e na cama onde fez a radiografia abdominal, segurando as minhas mãos, ele desencarnou. Em uma semana nasceu meu filho e desencarnou meu Pai, no mesmo lugar, na mesma hora, ambos nas minhas mãos... Em apenas sete dias vivenciei intensamente a experiência de ser um ajudador de dois espíritos que atravessavam o Portal da Vida no sentido inverso: um se recorporificando na Terra...outro se despedindo deste mundo e reentrando na dimensão do Espírito.

"Espero este ano publicar Saudade é o Metro do Amor , que é uma apresentação das seis comunicações mediúnicas do meu Pai, obtidas através do seu querido amigo Chico Xavier, com quem ele mantinha uma relação de amizade que não pode ser medida pelos padrões humanos. Papai nos dera, antes de desencarnar, uma senha.

Somente se comunicaria, mediunicamente, através de Chico . Nós mantivemos nossa fidelidade à sua senha e ao nosso querido Chico e reconhecemos nas seis cartas a integridade de sua personalidade, pois têm as marcas indeléveis de sua racionalidade e de sua emotividade. Estas cartas nos fazem reconstruir psiquicamente seu retrato!

"A Escola Jesus Cristo, em nossa Campos, vive intensamente a sua proposta de Espiritismo à luz do Evangelho de Jesus, reconhecendo que a Luz é sempre do Cristo e é por ele que a Doutrina Consoladora existe, para esclarecê-lo, para divulgá-lo, para plenificá-lo entre os homens, de uma forma racional e razoável, capaz de converter-nos psiquicamente em seres mais dignos de nossa existência no Planeta."

1- Inserta nos livros Trinta Anos com Chico Xavier, Clóvis Tavares, IDE, Araras-SP e Escultores da Alma, Francisco Cândido Xavier - Espíritos Diversos.

2 - Edição esgotada. Federação Espírita Brasileira, Rio de Janeiro, 1942

3 - Editados pela Livraria Allan Kardec Editora, LAKE, São Paulo.

4- Editados pelo Instituto de Difusão Espírita, IDE, Araras-SP.

5- Editados pelo Instituto Pietro Ubaldi, Campos-RJ6 - A Morte Simples Mudança. F.C.Xavier e Carlos Vtor M. Tavares, USE - Madras Espírita. São Paulo.2005.

Fonte: "O Espírita Mineiro" - 291
Autor: Flávio Mussa Tavares



Francisco Rebouças

domingo, 25 de outubro de 2009

Evento espírita em Natal / RN

13ª. SEMANA ESPÍRITA DE PONTA NEGRA, NATAL, RN


O Centro Espírita Irmãos do Caminho realiza entre os próximos dias 26 e 31 de outubro a 13ª Semana Espírita de Ponta Negra, em comemoração aos 27 anos de atividades da instituição.
Na programação do evento, que traz “O sentido da vida” como tema central, estão os momentos culturais, com apresentações da arte espírita sempre às 19h30, e palestras, às 20h, ministradas pelos convidados Maria Angélica (DF), Sandra Borba (RN), Rosemere Kiss (PE), e Frederico Menezes (PE).

A entrada para o evento é gratuita.
O Centro Espírita Irmãos do Caminho.
Localização: Rua Praia de Muriú, 9150, em Ponta Negra.
Mais informações pelo telefone (84) 3236-3489.
Divulguem, compareça!
Francisco Rebouças

Mansagens Espirituais

NO RECINTO DOMÉSTICO


Bondade no campo doméstico é a caridade começando de casa.

Nunca fale aos gritos, abusando da intimidade com os entes queridos.

Utilize os pertences caseiros sem barulho, poupando o lar a desequilíbrio e perturbação.

Aprenda a servir-se, tanto quanto possível, de modo a não agravar as preocupações da família.

Colabore na solução do problema que surja, sem alterar-se na queixa.

A sós ou em grupo, tome a sua refeição sem alarme.

Converse edificando a harmonia.

É sempre possível achar a porta do entendimento mútuo, quando nos dispomos a ceder, de nós mesmos, em pequeninas demonstrações de renúncia a pontos de vista.

Quantas vezes um problema aparentemente insolúvel pede tão somente uma palavra
calmante para ser resolvido?
Abstenha-se de comentar assuntos escandalosos ou inconvenientes.

Em matéria de doenças, fale o estritamente necessário.

Procure algum detalhe caseiro para louvar o trabalho e o carinho daqueles que lhe compartilham a existência.

Não se aproveite da conversação para entretecer apontamentos de crítica ou censura seja a quem seja.

Se você tem pressa de sair, atenda ao seu regime de urgência com serenidade e respeito, sem estragar a tranqüilidade dos outros.
Livro: Sinal verde
Chico Xavier/André Luiz
Francisco Rebouças

Pense positivo!

Modifique seu modo de pensar, para que sua saúde se firme e estabeleça.

Pare de queixar-se de doenças!

A doença é aumentada pela nossa emissão mental negativa.

Expulse a enfermidade, confiando em sua cura!

Você pode curar-se!

Você está melhorando cada dia mais, sob todos os pontos de vista.


Livro: Minutos de Sabedoria
Carlos Torres Pastorino


Francisco Rebouças

sábado, 24 de outubro de 2009

Divaldo Franco

Caros amigos, o Tribubo Espírita DIVALDO PEREIRA FRANCO, estará realizando palestra em São José do Rio Preto.

Local Será o Hospital DR. ADOLFO BEZERRA DE MENEZES.

Endereço: Rua Oswaldo Aranha, 268, Jardim Esplanada - S. José do Rio Preto/SP.

Data: 28 de outubro.

Horário: 20:00h.


Francisco Rebouças.

Grupo Espírita Paz Amor e Renovação

Prezados amigos, amanhã, dia 25/10/2009, o GEPAR - Grupo Espírita Paz Amor e Renovação, estará realizando o almoço comemorativo dos seus 18 anos de bons serviços prestados à comunidade do Cafubá e adjacências, onde se localiza.
O Local do evento será o aprazivel salão de festas solarium, localizado no Largo da Batalha, logo no inicio da estrada velha de Itaipu (estrada de curvas), nº 157 - em frente ao colégio Leopoldo Fróes.
Horário: 12:00h

Além da oportunidade de confraternização, o GEPAR necessita muito da colaboração de todos para continuar o importante trabalho sócio educativo que desenvolve junto à comunidade carente daquela localidade.

Prestigie, comparecendo e divulgando!
Francisco Rebouças.

Prossiga confiante!

Embora sozinho, continue a caminhada!

Se todos o abandonarem, prossiga sua jornada.

Se as trevas crescerem em seu redor, mais uma razão para que você mantenha acesa a pequenina chama de sua Fé.

Não deixe que a luz se apague, para que você mesmo não fique em trevas.

Ilumine, com sua Luz, as trevas que o circundam.
Livro: Minutos de Sabedoria
Carlos Torres Pastorino
Francisco Rebouças.

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Evento em Lavras - MG

Caros amigos, a Aliança Municipal Espírita de Lavras, estará realizando a 3ª Mostra de Arte Espírita, sob o título O Bem e o Belo.

Data: 7 de novembro de 2009 - Sábado.

Horário: às 18h.

Local do Evento: Centro Espírita Augusto Silva

Endereço: Rua Misseno de Pádua 390 Lavras MG

Realização: AME Lavras - Aliança Municipal Espírita de Lavras.

Prestigie comparenendo, divulgue!


Francisco Rebouças

Estudando o evangelho

Bem-aventurados os aflitos. Justiça das aflições


Bem-aventurados os que choram, pois que serão consolados. — Bem-aventurados os famintos e os sequiosos de justiça, pois que serão saciados. — Bem-aventurados os que sofrem perseguição pela justiça, pois que é deles o reino dos céus. (S. MATEUS, cap. V, vv. 5, 6 e 10.)
Bem-aventurados vós que sois pobres, porque vosso é o reino dos céus. — Bem-aventurados vós, que agora tendes fome, porque sereis saciados. — Ditosos sois, vós que agora chorais, porque rireis. (S. LUCAS, cap. VI, vv. 20 e 21.)
Mas, ai de vós, ricos que tendes no mundo a vossa consolação. — Ai de vós que estais saciados, porque tereis fome. Ai de vós que agora rides, porque sereis constrangidos a gemer e a chorar. (S. LUCAS, cap. VI, vv. 24 e 25.)
Somente na vida futura podem efetivar-se as compensações que Jesus promete aos aflitos da Terra. Sem a certeza do futuro, estas máximas seriam um contra-senso; mais ainda: seriam um engodo. Mesmo com essa certeza, dificilmente se compreende a conveniência de sofrer para ser feliz. É, dizem, para se ter maior mérito. Mas, então, pergunta-se: por que sofrem uns mais do que outros? Por que nascem uns na miséria e outros na opulência, sem coisa alguma haverem feito que justifique essas posições? Por que uns nada conseguem, ao passo que a outros tudo parece sorrir? Todavia, o que ainda menos se compreende é que os bens e os males sejam tão desigualmente repartidos entre o vício e a virtude; e que os homens virtuosos sofram, ao lado dos maus que prosperam. A fé no futuro pode consolar e infundir paciência, mas não explica essas anomalias, que parecem desmentir a justiça de Deus. Entretanto, desde que admita a existência de Deus, ninguém o pode conceber sem o infinito das perfeições. Ele necessariamente tem todo o poder, toda a justiça, toda a bondade, sem o que não seria Deus. Se é soberanamente bom e justo, não pode agir caprichosamente, nem com parcialidade. Logo, as vicissitudes da vida derivam de uma causa e, pois que Deus é justo, justa há de ser essa causa. Isso o de que cada um deve bem compenetrar-se. Por meio dos ensinos de Jesus, Deus pôs os homens na direção dessa causa, e hoje, julgando-os suficientemente maduros para compreendê-la, lhes revela completamente a aludida causa, por meio do Espiritismo, isto é, pela palavra dos Espíritos.

Fonte: O Evangelho Segundo o Espiritismo, Cap. V, itens 1 a 3.
Francisco Rebouças

Mensagens espirituais

Toque de Amor

Deixa que a fé em Deus te ilumine a visão para que te reconheças no lugar de servir.

Indubitavelmente, perceberás a série dos desafios que te rodeiam: o lar talvez difícil, entes amados na desvinculação violenta, incompreensões à mostra, ocorrências que se vestem de lágrimas... Entretanto, não te convertas em tuba da aflição.

Tumulto adia em nós a conexão necessária com a Providência Divina.

Ama e auxilia sem alterar-te.

A rosa acabará florescendo no espinheiral.

As estrelas surgirão varando as trevas.

Deus está agindo.

Na construção da felicidade, onde a provação apareça não te lamentes nem reclames.

Dá o teu toque de amor e Deus fará o resto.

MEIMEI

(Página recebida pelo médium Francisco Cândido Xavier, em reunião do Grupo Espírita da Prece, na noite de 05/Janeiro/1976 em Uberaba-MG).
Francisco Rebouças

Francisco Rebouças

A religião como ferramenta de paz e progresso espiritual

Enquanto muitas outras correntes religiosas apregoam em altos brados que fora das suas concepções religiosas não há possibilidade de quem quer que seja, alcançar a “salvação”, a doutrina espírita, alicerçada nos postulados da codificação trazida a lume pelos prepostos do Cristo, tomando por base a justiça e o amor do Criador por todos nós indistintamente, vem nos esclarecer, que há sim possibilidade para qualquer Ser, cristão ou não, lograr a bênção da pureza e da perfeição espiritual que é exatamente a felicidade a que aspiramos alcançar um dia, e que os emissários celestes nos afirmam estarmos todos destinados.

Quando ouvimos alguém afirmar que: “fora da Igreja não há salvação”, devemos analisar com cuidado esse tipo de conceito, pois, ele fatalmente nos levará a conclusão de que se apóia sobre falsos pilares de uma fé desenvolvida sobre dogmas particulares e não, sobre a fé fundamentada no conceito de um Deus de amor e bondade que Jesus Cristo veio nos ensinar que antes de tudo é nosso Pai e criador.

Esse conceito equivocado desses irmãos, não leva em conta a imortalidade da alma, que é comum a todas as religiões, e, fundamenta-se num conceito exclusivo e absoluto, que ao invés de unir os filhos do mesmo Pai, separa-os, em vez de induzi-los ao amor e à fraternidade mútua, incentiva discussões, e discórdias, produzindo animosidades e intolerâncias, chegando até mesmo ao extremo das ofensas e perseguições de uma corrente religiosa para com a outra como se fossem inimigos mortais, não levando em consideração em muitos casos sequer os laços da consangüinidade, pois, até mesmo em família travam sérios e condenáveis duelos em nome do Mestre que nos afirmou que seus discípulos seriam conhecidos por muito se amarem.

Esquecem eles, que a Lei de Deus é de amor e visa o entendimento e a fraternidade entre seus filhos, e toda ou qualquer corrente religiosa que não seguir tais preceitos alegando este ou aquele motivo, não pode ser levada a sério como ensinamento a ser seguido por quem se decida por vivenciar os nobres ensinamentos do Mestre de todos nós.

A Doutrina Espírita nos esclarece de forma clara e simples, e sem qualquer tipo de exclusivismo para seus adeptos, que conforme Jesus nos afirmou “A cada um segundo as suas obras”, deixando absolutamente a nosso critério estar ou não disposto a segui-lo, praticando os seus ensinamentos no dia a dia de nossas vidas.

E, para isso, nos estabeleceu seu lema que nos conclama ao trabalho em prol do nosso próximo incentivando-nos ao convívio fraterno com o nosso semelhante esclarecendo-nos que diante de Deus somos irmãos estabelecendo por isso mesmo, as sólidas bases da igualdade, alertando para a liberdade de consciência deixando a cada um a responsabilidade sobre seus atos; aquele que bem entender esse conceito precisa, o quanto antes, estender as mãos aos seus irmãos em humanidade oferecendo ajuda a tantos quantos necessitarem.

Com o dogma fora da Igreja não há salvação, os seguidores de várias correntes religiosas se desentendem, pois, se proclamam donos da verdade, e não aceitam que uma outra Igreja que não a sua, seja portadora de conceitos verdadeiros como os seus, começando por essa razão os desentendimentos que causam as intolerâncias religiosas gerando atritos, desrespeitos e perseguições que culminam com as guerras religiosas, onde se fere, humilha e mata, em nome de Deus. Esse dogma das igrejas exclusivistas, são, por isso mesmo, essencialmente contrários aos ensinamentos do Cristo e dos conceitos contidos nos evangelhos, que eles afirmam seguir.

A máxima apregoada pelo espiritismo, “fora da caridade não há salvação”, está ao nosso ver, bem mais de acordo com o que o nosso Modelo e Guia nos veio ensinar, admitindo que não só na filosofia que seguimos se consegue encontrar a salvação de nossas almas, e sim, em qualquer outra crença que observe a Lei de Deus que é a verdadeira lei de amor resumida por Jesus em: “Amar a Deus sobre todas as coisas, e ao próximo como a si mesmo”.

Bibliografia:
Kardec, Allan. O Evangelho Segundo o Espiritismo, FEB, 112ª edição. Cap. XV.

Francisco Rebouças





Exemplo a ser seguido!

Caros amigos, trago essa história verídica para que possamos seguí-la, e incentivar esse procedimento em nossa sociedade e particularmente ensinar as nossas crianças a serem acima de tudo obdientes e honestas!.

Um gari de Divinópolis (MG) deu exemplo de honestidade. Ao tentar sacar R$ 2 no caixa eletrônico, ele recebeu mais de R$ 5 mil. E logo pensou em devolver o dinheiro.

Carlos Corgozinho leva uma rotina sem muitas alterações. Há um ano e meio, trabalha como funcionário da prefeitura.

No domingo (18), ele ficou surpreso ao ver a quantia que saiu do caixa eletrônico. O servidor chegou a levar as notas para casa, mas disse que ficou preocupado e assustado. "Eu nunca vi uma quantia tão grande. Dá vontade de gastar, mas não pode, não é meu", disse.

Ele pediu ajuda ao patrão. O supervisor Hebert Lourenço disse que eles tentaram devolver o dinheiro na segunda-feira (19). “O banco alegou que não tinha dado falta do dinheiro e a câmera flagrou nada”, contou Lourenço.

Mesmo assim, o gari não gastou nada. Na quinta-feira (22), recebeu uma ligação do banco e levou o dinheiro de volta. Ninguém do banco gravou entrevista.

*(Com informações do Megaminas.com e do Bom Dia Minas)

Francisco Rebouças

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Homenagem a Allan Kardec

CONVITE
Prezados amigos de ideal espírita, acontecerá na Camara Municipal de Niterói, a Seção Solene em homenagem ao Codificador do Espiritismo, o fiel seguidor do Mestre de Nazaré, Allan Kardec.

Este ano estará sendo também comemorado os 60 anos do Pacto Áureo (e suas consequências no Estado do Rio) marco importante no processo de unificação de nosso movimento.

Dentro do gradativo processo de reconhecimento da municipalidade de pessoas e instituições espíritas que desenvolvem trabalhos sócio-educativos de relevo em nossa cidade, também estará homenageado, o Grupo Espírita Messe de Amor - GEMA na pessoa de sua presidente Sra. Telma Regina Leal Pereira e o Sr. Edvaldo Roberto de Oliveira Assessor da CAPEMI - Instituição de Ação Social mantenedora do Lar Fabiano de Cristo.

Data: dia 23-10-09, sexta feira;

Horário: 18:00 h;

O evento será transmitido pela http://www.tvcei.com/ canal 2.

Vamos prestigiar mas esse evento espírita, comparecendo e divulgando para todos os nossos contatos.

Francisco Rebouças.

Espiritismo na Suiça

Caros amigos, o CEEAK - Centro de Estudos Espíritas Allan Kardec, presidido pela competente amiga Gorete Newton, estará promovendo mais um excelente evento espírita em terras Suiças, para o qual convida a todos.
O encontro com o conferencista espírita, físico, doutor em educação e professor:
RAUL TEIXEIRA

O Evento será realizado no salão de palestras do CEEAK, localizado na Industriestrasse 8, 8404 - Winterthur.

Data e horário: segunda-feira, dia 30 de novembro de 2009, às 19 horas.


O encontro terá como finalidade um diálogo fraternal sobre diversos temas relacio nados ao espiritismo e à vida.

Parabenizamos a todos, pelos esforços que empreendem em
prol da divulgação da mensagem espírita, rogando a Deus os abencôe
em todos os dias de
suas vidas.

Francisco Rebouças

Evangélico enaltece trabalho espírita!

Caros amigos, vejam o interessante depoimento de um irmão de uma das Igrejas Reformadas, sobre o atendimento que recebeu na Seara Espírita. Que nos sirva de exemplo, para continuarmos a trabalhar pela implantação do Evangelho de Jesus nos corações dos homens, da forma como Ele mesmo nos ensinou no "Consolador Prometido".

(Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo).
O Espiritismo nos ensina que: "Fora da Caridade não há salvação"

INTERESSANTE DEPOIMENTO QUE REPASSO PRA REFLEXÃO DE TODOS.

**Minha mãe foi à um congresso da igreja a qual ela congrega. Na viagem junto com os irmãos, ela caiu e quebrou o pé onde foi tomada todas as providencias necessárias pelos líderes. Quando a minha mãe voltou para casa é que começou o problema, pois ela já está com oitenta anos de idade e precisou de uma cadeira de rodas tanto para o banho, como uma cadeira de rodas para se locomover. Procurei ajuda entre os da família, junto a instituições do governo e junto aos irmãos tanto da igreja que ela congrega quanto da igreja que eu congrego sem êxito nenhum. Diante dos sofrimentos da minha mãe fui informado que uma instituição *"CAMINHOS PARA JESUS "* que é ESPÍRITA tem um sistema bem organizado de empréstimo das cadeiras que eu precisava de graça. Então procurei o órgão responsável onde fui muito bem atendido e sai dali com as cadeiras a pronto entrega. Estou estarrecido e me perguntando:

Que cristianismo reformista é este ???????? Que só pensa em ganhar, ganhar, ganhar, e ganhar. Que cristianismo reformista é este que não está preparado para acolher os próprios membros ????? Não temos um asilo preparado para crentes, não temos um orfanato preparados para crentes, não temos uma escola para crentes e quando precisamos de um lugar especializado em socorrer drogados é uma verdadeira luta para acharmos. QUE REFORMA CRISTÃ É ESTA ??????

Onde está o lucro milionário ???? Na construção de templos ??????? Eu estou falando é do geral, o que está fazendo os cristãos líderes honestos deste pais em prol dos cristãos ????? A salvação eterna ??????? é caro salvar uma alma ?????? Todo o dinheiro arrecadado das igrejas evangélicas é para que ?????? Minha fé não está abalada, mas estou indignado com um sistema que era para ser uma potencia econômica em prol dos cristãos e entretanto é uma vergonha em organização e justiça. O que está fazendo as convenções, onde estão os líderes cristãos e o que eles estão defendendo. *Como posso pregar amor e justiça e salvação para aquelas pessoas espíritas ali do CAMINHOS PARA JESUS ??????????*

Sou grato a eles pelo acolhimento a minha mãe".

"Não me assusta o grito dos violentos. O que me preocupa é o silêncio dos bons"
Reverendo Martin Luther King Jr.
Francisco Rebouças

Mensagens de sabedoria!

Fala do que seja útil
Em toda parte, a palavra é índice de nossa posição evolutiva. Indispensável aprimorá-la, iluminá-la e enobrecê-la.

Desprezar as sagradas possibilidades do verbo, quando a mensagem de Jesus já esteja brilhando em torno de nós, constitui ruinoso relaxamento de nossa vida, diante de Deus e da própria consciência.

Cada frase do discípulo do Evangelho deve ter lugar digno e adequado.

Falatório é desperdício. E quando assim não seja não passa de escura corrente de venenos psíquicos, ameaçando espíritos valorosos e comunidades inteiras.

Livro: Vinha de Luz – Cap. 73
Espírito : Emmanuel
Médium: Chico Xavier
Francisco Rebouças

Sublimes ensinamentos!

Escuta!

Se algum propósito de vingança te penetra o espírito, nas ocasiões escuras da Terra, comparece com ele à presença do Senhor, através da oração e Jesus te ensinará a praticar, em teu próprio benefício, a silenciosa e celeste resposta do amor.

Livro: Doutrina e Aplicação
Chico Xavier / Emmanuel.
Francisco Rebouças

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Mensagens espirituais

1 - O QUE MAIS SOFREMOS

O que mais sofremos no mundo –

Não é a dificuldade. É o desânimo em superá-la.

Não é a provação. É o desespero diante do sofrimento.

Não é a doença. É o pavor de recebê-la.

Não é o parente infeliz. É a mágoa de tê-lo na equipe familiar.

Não é o fracasso. É a teimosia de não reconhecer os próprios erros.

Não é a ingratidão. É a incapacidade de amar sem egoísmo.

Não é a própria pequenez. É a revolta contra a superioridade dos outros.

Não é a injúria. É o orgulho ferido.

Não é a tentação. É a volúpia de experimentar-lhe os alvitres.

Não é a velhice do corpo. É a paixão pelas aparências.

Como é fácil de perceber, na solução de qualquer problema, o pior problema é a carga de aflições que criamos, desenvolvemos e sustentamos contra nós.

Espírito: ALBINO TEIXEIRA
Médium: Francisco Cândido Xavier
Livro: "Passos da Vida" - EDIÇÃO IDE

Francisco Rebouças

A Preguiça

Tida como doença da alma, a preguiça tem como sócio majoritário o desânimo


O dicionário, da língua portuguesa, define o termo preguiça como sendo: aversão ao trabalho; morosidade; negligência; pachorra; moleza; indolência; vadiagem. Portanto, preguiçoso, é todo o indivíduo portador de qualquer desses “predicados”; e a doutrina espírita nos assevera que a preguiça causa sérias implicações na vida do individuo preguiçoso, alertando para o fato de que, é ela, um dos maiores empecilhos ao progresso moral e espiritual do indivíduo, e, por conseguinte, um grande entrave ao desenvolvimento geral da sociedade, em todos os campos da atividade humana.

A preguiça, é uma doença da alma, e tem como sócio majoritário, o desânimo, por conseguinte, provoca, com sua ação maléfica ao espírito que se deixa impregnar por seus efeitos paralisantes, sérios transtornos para o desenvolvimento de uma vida digna e saudável, acarretando em seu portador sérios e pesados desequilíbrios que o arremessarão de encontro a prejuízos de incalculável monta.

Os efeitos provocados pela preguiça no indivíduo, iniciam-se de forma bem sutil e quase imperceptível, na forma de um pequeno desânimo, que se não for logo detectado e combatido, se estabelecerá com grande rapidez nas engrenagens psíquicas do indivíduo, justamente quando ele mantendo as mãos desocupadas, e a cabeça despreocupada de pensamentos positivos que a responsabilidade do trabalho exige, para a sua consecução, entrega-se a ociosidade que fatalmente o levará de encontro a invigilância e o colocará na faixa vibratória dos inimigos da Luz, que logo estarão lhe fazendo companhia, sugerindo pensamentos de baixo teor de moralidade e dignidade, arrastando-o ao encontro de idealizações inferiores e enfermiças sem proveito algum para a sua necessidade de crescimento espiritual, trazendo à tona as sombras da cegueira espiritual de que é portador, envolvendo-o sem que se dê conta em desequilíbrio, mergulhando num mar de enfermidades, moléstias e tormentos.

Desse infeliz consórcio, dentre em pouco, estará o indivíduo envolto em sérios problemas obsessivos, em que os representantes das trevas lhe causarão muitos dissabores e sofrimentos de difícil solução; pois, a ociosidade, é tóxico poderoso que polui a vida moral-espiritual do incauto que lhe concede abrigo.

Na literatura espírita, encontramos sábios e importantes alertas dos benfeitores espirituais, para que nos mantenhamos em guarda, “vigiando e orando” como nos ensinou o Mestre de Nazaré, para não cairmos em tentação, conforme segue:

Dissertação moral ditada por São Luís à senhorita Hermance Dufaux (5 de maio de 1858).
l
Um homem saiu de madrugada e foi para a praça pública para ajustar trabalhadores. Ora, ele viu dois homens do povo que estavam sentados de braços cruzados. Foi a um deles e o abordou dizendo: "Que fazes tu aqui?" e este tendo respondido: "Não tenho trabalho", aquele que procurava trabalhadores lhe disse: "Tome tua enxada, e vá para o meu campo, sobre a vertente da colina, onde sopra o vento sul; cortarás a urze e revólveres o solo até que a noite chegue; a tarefa é rude, mas terás um bom salário." E o homem do povo carregou a enxada sobre os ombros, agradecendo-lho em seu coração.
O outro trabalhador, tendo ouvido isso, se ergueu do seu lugar e se aproximou dizendo: "Senhor, deixai-me também ir trabalhar em vosso campo;" e o senhor tendo dito a ambos para segui-lo, caminhou adiante para lhes mostrar o caminho. Depois, quando chegaram à beira da colina, dividiu a obra em duas partes e se foi dali.
Depois que partiu, o último dos trabalhadores que havia contratado, primeiramente pôs fogo nas urzes do lote que lhe coube em partilha, e trabalhou a terra com o ferro de sua enxada. O suor jorrou do seu rosto sob o ardor do sol. O outro o imitou primeiro murmurando, mas se cansou cedo do seu trabalho, e cravando sua enxada sob o sol, sentou-se perto, olhando seu companheiro trabalhar.
Ora, o senhor do campo veio perto da noite, e examinou a obra realizada, e tendo chamado a ele o obreiro diligente, cumprimentou-o dizendo: "Trabalhaste bem; eis teu salário," e lhe deu uma peça de prata, despedindo-o. O outro trabalhador se aproximou também e reclamou o preço de sua jornada; mas o senhor lhe disse: "Mau trabalhador, meu pão não acalmará tua fome, porque deixaste inculta a parte de meu campo que te havia confiado;" não é justo que aquele que nada fez seja recompensado como aquele que trabalhou bem; e o mandou embora sem nada lhe dar.

II

Eu vos digo, a força não foi dada ao homem, e a inteligência ao seu espírito, para que consuma seus dias na ociosidade, mas para que seja útil aos seus semelhantes. Ora, aquele cujas mãos sejam desocupadas e o espírito ocioso será punido, e deverá recomeçar sua tarefa.

Eu vos digo, em verdade, sua vida será lançada de lado como uma coisa que não foi boa em nada, quando seu tempo se tiver cumprido; compreendei isto por uma comparação. Qual dentre vós, se há em vosso pomar uma árvore que não produz bons frutos, não dirá ao seu Servidor: Cortai essa árvore e lançai-a ao fogo, porque seus ramos são estéreis. Ora, do mesmo modo que essa árvore será cortada por sua esterilidade, a vida do preguiçoso será posta de lado porque terá sido estéril em boas obras. ¹

Os Espíritos Superiores, nos afirmam que o trabalho é uma Lei Natural, a que todos estamos submetidos, consoante os esclarecimentos contidos nas respostas esclarecedoras que prestaram às questões formuladas pelo codificador da doutrina espírita, nas questões seguintes:
Necessidade do trabalho

647. A necessidade do trabalho é lei da Natureza?
“O trabalho é lei da Natureza, por isso mesmo que constitui uma necessidade, e a civilização obriga o homem a trabalhar mais, porque lhe aumenta as necessidades e os gozos.”

675. Por trabalho só se devem entender as ocupações materiais?
“Não; o Espírito trabalha, assim como o corpo. Toda ocupação útil é trabalho.”

676. Por que o trabalho se impõe ao homem?
“Por ser uma conseqüência da sua natureza corpórea. É expiação e, ao mesmo tempo, meio de aperfeiçoamento da sua inteligência. Sem o trabalho, o homem permaneceria sempre na infância, quanto à inteligência. Por isso é que seu alimento, sua segurança e seu bem-estar dependem do seu trabalho e da sua atividade. Ao extremamente fraco de corpo outorgou Deus a inteligência, em compensação. Mas é sempre um trabalho.”

678. Em os mundos mais aperfeiçoados, os homens se acham submetidos à mesma necessidade de trabalhar?
“A natureza do trabalho está em relação com a natureza das necessidades. Quanto menos materiais são estas, menos material é o trabalho. Mas, não deduzais daí que o homem se conserve inativo e inútil. A ociosidade seria um suplício, em vez de ser um benefício.”

679. Achar-se-á isento da lei do trabalho o homem que possua bens suficientes para lhe assegurarem a existência?
“Do trabalho material, talvez; não, porém, da obrigação de tornar-se útil, conforme aos meios de que disponha, nem de aperfeiçoar a sua inteligência ou a dos outros, o que também é trabalho. Aquele a quem Deus facultou a posse de bens suficientes a lhe garantirem a existência não está, é certo, constrangido a alimentar-se com o suor do seu rosto, mas tanto maior lhe é a obrigação de ser útil aos seus semelhantes, quanto mais ocasiões de praticar o bem lhe proporciona o adiantamento que lhe foi feito.”

680. Não há homens que se encontram impossibilitados de trabalhar no que quer que seja e cuja existência é, portanto, inútil?
“Deus é justo e, pois, só condena aquele que voluntariamente tornou inútil a sua existência, porquanto esse vive a expensas do trabalho dos outros. Ele quer que cada um seja útil, de acordo com as suas faculdades.” (643) ²

Diante dos cristalinos ensinamentos, contidos nas obras da esclarecedora doutrina espírita, precisamos de toda atenção para que não nos tornemos por nossa vez, vítimas desse dragão devastador que é a preguiça, causadora de muitos tormentos e decepções a um número incalculável de criaturas que lhes caíram nas malhas.

Só através do trabalho constante e disciplinado, na busca do nosso crescimento como Seres em processo de autoburilamento, enfrentando corajosamente os obstáculos que a vida nos impõe, utilizando da bênção do trabalho, é que conseguiremos atravessar com eficiência esse atual estágio evolutivo em que nos achamos, na construção de um futuro brilhante e proveitoso na busca da felicidade relativa que tanto almejamos e, que só depende de nós conseguí-la.

O trabalho é por isso mesmo o único meio pelo qual poderemos conquistar nossos objetivos de elevação como Seres imortais que somos, em direção ao encontro com o Pai criador que nos aguarda com os necessários benefícios que serão ofertados a tantos quantos fizerem o inevitável esforço por merecer.

Portanto, reage com vigor e determinação às tentativas de alojamento da preguiça nos tecidos sutis de teu equipamento psíquico, e assume nova postura diante da vida, que te oferece diariamente inúmeras oportunidades de crescimento e desenvolvimento a teu próprio benefício, e procura entender que ninguém está no mundo por acaso, e sim com finalidades e objetivos adredemente estabelecidos, que deve atender, para seu aperfeiçoamento, e espelha-te no exemplo que te dá o Sol, que todos os dias aquece e ilumina teus caminhos, e prossegue trabalhando na construção do teu destino final que é a perfeição e a felicidade.

Fontes:
1- Revista Espírita, junho de 1858
2- O Livro dos espíritos – FEB, 76º edição.
Grifos nossos.
Francisco Rebouças

Brasil coração do mundo...

https://youtu.be/_a9tpJnGcbw

Homenagem a Chico Xavier

Haroldo Dias Dutra - As cartas de Paulo

Haroldo Dutra - Jesus o Médico da Almas

https://youtu.be/Uk7OUvyGCZU



Divaldo Franco

https://youtu.be/OVbstbRFs9M

Entrevista sobre Emmanuel, Joanna de Ângelis...

Reencarnação é uma realidade

Palestra O trabalho no Bem - Cristiane Parmiter

Palestra: As Leis Divinas e nós - Cristiane Parmiter

Palestra: Benevolência - Cristiane Parmiter

Palestra: Jesus e o Mundo - Cristiane Parmiter

Palestra: A Dinâmica do Perdão - Cristiane Parmiter

Palestra: Perante Jesus - Cristiane Parmiter

Palestra AVAREZA - Cristiane Parmiter

Palestra Obediência Construtiva - Cristiane Parmiter

Palestra Tribulações - Cristiane Parmiter

Palestra Conquistando a Fé - Cristiane Parmiter

Palestra Humildade e Jesus - Cristiane Parmiiter

Palestra Renúncia - Cristiane Parmiter

Rádios Brasil

Simplesmente Espetacular!!!

Professora Amanda Gurgel

Andrea Bocelli & Sarah Brightman - Time To Say Goodbye

De Kardec aos dias de hoje

Madre Teresa

As Mães de Chico Xavier

Reencarnação - Menino Piloto

http://www.youtube.com/embed/cQ2ZqUCKDow" frameborder="0" allowfullscreen>

Muitas Vidas

Espiritismo: família de Andrea Maltarolli mantém contato com a autora - Mais Você - GLOBO

Divaldo Franco

ESPIRITISMO - CHICO XAVIER - REPORTAGEM DO FANTASTICO - OS SEGREDOS DE CHICO

Entrevista com Divaldo Franco

Sobre Emmanuel, Joanna de Ângelis, e muito mais, confira. 1ª Parte 2ª Parte

Oração de Gratidão - Divaldo Franco

Chico Xavier

Chico Xavier no Fantástico

Chico Xavier (2010) trailer oficial

Página de Mensagens

Nesta página estarei lançando variadas páginas de conteúdo edificante para nosso aprendizado.

Francisco Rebouças.

1-ANTE A LIÇÃO

"Considera o que te digo, porque o Senhor te dará entendimento em tudo".- Paulo. II TIMÓTEO. 2:7.

Ante a exposição da verdade, não te esquives à meditação sobre as luzes que recebes.

Quem fita o céu, de relance, sem contemplá-lo, não enxerga as
estrelas; e quem ouve uma sinfonia, sem abrir-lhe a acústica da alma, não lhe percebe as notas divinas.

Debalde escutarás a palavra inspirada de pregadores ardentes, se não descerrares o coração para que o teu sentimento mergulhe na claridade bendita daquela.

Inúmeros seguidores do Evangelho se queixam da incapacidade de retenção dos ensinos da Boa Nova, afirmando-se ineptos à frente das novas revelações, e isto porque não dispensam maior trato à lição ouvida, demorando-se longo tempo na província da distração e da leviandade.

Quando a câmara permanece sombria, somos nós quem desata o ferrolho à janela para que o sol nos visite.

Dediquemos algum esforço à graça da lição e a lição nos responderá com as suas graças.

O apóstolo dos gentios é claro na observação. "Considera o que te digo, porque, então, o Senhor te dará entendimento em tudo."

Considerar significa examinar, atender, refletir e apreciar.

Estejamos, pois, convencidos de que, prestando atenção aos
apontamentos do Código da Vida Eterna, o Senhor, em retribuição à nossa boa-vontade, dar-nos-á entendimento em tudo.

Livro: Fonte Viva
Chico Xavier/Emmanuel

NO CAMPO FÍSICO

"Semeia-se corpo animal, ressuscitará corpo espiritual." - Paulo. (I CORÍNTIOS, 15:44.)

Ninguém menospreze a expressão animal da vida humana, a pretexto de preservar-se na santidade.

A imersão da mente nos fluidos terrestres é uma oportunidade de sublimação que o espírito operoso e desperto transforma em estruturação de valores eternos.

A sementeira comum é símbolo perfeito.

O gérmen lançado à cova escura sofre a ação dos detritos da terra, afronta a lama, o frio, a resistência do chão, mas em breve se converte em verdura e utilidade na folhagem, em perfume e cor nas flores e em alimento e riqueza nos frutos.

Compreendamos, pois, que a semente não estacionou. Rompeu todos os obstáculos e, sobretudo, obedeceu à influência da luz que a orientava para cima, na direção do Sol.

A cova do corpo é também preciosa para a lavoura espiritual, quando nos submetemos à lei que nos induz para o Alto.

Toda criatura provisoriamente algemada à matéria pode aproveitar o tempo na criação de espiritualidade divina.

O apóstolo, todavia, é muito claro quando emprega o termo "semeia-se". Quem nada planta, quem não trabalha na elevação da própria vida, coagula a atividade mental e rola no tempo à maneira do seixo que avança quase inalterável, a golpes inesperados da natureza.

Quem cultiva espinhos, naturalmente alcançará espinheiros.

Mas, o coração prevenido que semeia o bem e a luz, no solo de si mesmo, espere, feliz, a colheita da glória espiritual.

E N T R E I R M Ã O S
Olympia Belém (Espírito)[1]

Estes são tempos desafiadores para todos os que buscam um mundo melhor, onde reine o amor, onde pontifique a fraternidade, onde possam florir os mais formosos sentimentos nos corações.
Anelamos por dias em que a esperança, há tanto tempo acariciada, possa converter-se em colheita de progressos e de paz.
Sonhamos com esse alvorecer de uma nova era em que o Espiritismo, transformado em religião do povo, apresentando Jesus às multidões, descrucificado e vivo, possa modificar as almas, para que assumam seu pujante papel de filhas de Deus no seio do mundo.
Entrementes, não podemos supor que esses ansiados dias estejam tão próximos, quando verificamos que há, ainda, tanta confusão nos relacionamentos, tanta ignorância nos entendimentos, tanta indiferença e ansiedade nos indivíduos, como se vendavais, tufões, tormentas variadas teimassem em sacudir o íntimo das criaturas, fazendo-as infelizes.
A fim de que os ideais do Cristo Jesus alcancem a Terra, torna-se indispensável o esforço daqueles que, tendo ouvido o cântico doloroso do Calvário, disponham-se a converter suas vidas na madrugada luminosa do Tabor.
O mundo terreno, sob ameaças de guerras e sob os rufares da violência, em vários tons, tem urgência do Mestre de Nazaré, ainda que O ignore em sua marcha atordoada, eivada do materialismo que o fascina, que o domina e que o faz grandemente desfigurado, por faltar sentido positivo e digno no uso das coisas da própria matéria.
Na atualidade, porém, com as advertências da Doutrina dos Espíritos, com essa luculenta expressão da misericórdia de Deus para com Seus filhos terrenos, tudo se torna menos áspero, tudo se mostra mais coerente, oferecendo-nos a certeza de que, no planeta, tudo está de conformidade com a lei dos merecimentos, com as obras dos caminheiros, ora reencarnados, na estrada da suspirada libertação espiritual.
"A cada um segundo as suas obras" aparece como canto de justiça e esperança, na voz do Celeste Pastor.
Hoje, reunidos entre irmãos, unimo-nos aos Emissários destacados do movimento de disseminação da luz sobre as brumas terráqueas, e queremos conclamar os queridos companheiros, aqui congregados, a que não se permitam atormentar pelos trovões que se fazem ouvir sobre as cabeças humanas, ameaçadores, tampouco esfriar o bom ânimo, considerando que o Cristo vela sempre. Que não se deixem abater em razão de ainda não terem, porventura, alcançado as excelentes condições para o ministério espírita, certos de que o tempo é a magna oportunidade que nos concede o Senhor. Que ponham mãos à obra, confiantes e vibrantes, certos de que os verdadeiros amigos de Jesus caminham felizes, apesar das lutas e das lágrimas, típicas ocorrências das experiências, das expiações e das provas.
Marchemos devotados, oferecendo, na salva da nossa dedicação, o melhor que o Espiritismo nos ensina, o melhor do que nos apresenta para os que se perdem nas alamedas do medo, da desesperança e da ignorância a nossa volta.
Hoje, entre os amigos espíritas, encontramos maior ânimo para a superação dos nossos próprios limites, o que configurará, ao longo do tempo a superação dos limites do nosso honroso Movimento Espírita.
Sejamos pregadores ou médiuns, evangelizadores, escritores ou servidores da assistência social, não importa. Importa que nos engajemos, todos, nos labores do Codificador, plenificando-nos da grande honra de cooperar com os excelsos interesses do Insuperado Nazareno.
O tempo é hoje, queridos irmãos. O melhor é o agora, quando nos entrelaçamos para estudar, confraternizar e louvar a Jesus com os corações em clima festivo.
Certos de que o Espiritismo é roteiro de felicidade e bandeira de luz, que devemos içar bem alto sobre o dorso do planeta, abracemo-nos e cantemos, comovidos: Louvado seja Deus! Louvado seja Jesus!
Com extremado carinho e votos de crescente progres­so para todos, em suas lidas espiritistas, quero despedir-me sempre devotada e servidora pequenina.
Olympia Belém.

[1]
- Mensagem psicografada pelo médium J. Raul Teixeira no dia 03.09.95, no encerramento da X Confraternização Espírita do Estado do Rio de Janeiro.

O TEMPO

“Aquele que faz caso do dia, patrão Senhor o faz.” — Paulo. (ROMANOS, capítulo 14, versículo 6.)

A maioria dos homens não percebe ainda os valores infinitos do tempo.
Existem efetivamente os que abusam dessa concessão divina. Julgam que a riqueza dos benefícios lhes é devida por Deus.
Seria justo, entretanto, interrogá-los quanto ao motivo de semelhante presunção.
Constituindo a Criação Universal patrimônio comum, é razoável que todos gozem as possibilidades da vida; contudo, de modo geral, a criatura não medita na harmonia das circunstâncias que se ajustam na Terra, em favor de seu aperfeiçoamento espiritual.
É lógico que todo homem conte com o tempo, mas, se esse tempo estiver sem luz, sem equilíbrio, sem saúde, sem trabalho?
Não obstante a oportunidade da indagação, importa considerar que muito raros são aqueles que valorizam o dia, multiplicando-se em toda parte as fileiras dos que procuram aniquilá-lo de qualquer forma.
A velha expressão popular “matar o tempo” reflete a inconsciência vulgar, nesse sentido.
Nos mais obscuros recantos da Terra, há criaturas exterminando possibilidades sagradas. No entanto, um dia de paz, harmonia e iluminação, é muito importante para o concurso humano, na execução das leis divinas.
Os interesses imediatistas do mundo clamam que o “tempo é dinheiro”, para, em seguida, recomeçarem todas as obras incompletas na esteira das reencarnações... Os homens, por isso mesmo, fazem e desfazem, constroem e destroem, aprendem levianamente e recapitulam com dificuldade, na conquista da experiência.
Em quase todos os setores de evolução terrestre, vemos o abuso da oportunidade complicando os caminhos da vida; entretanto, desde muitos séculos, o apóstolo nos afirma que o tempo deve ser do Senhor.

Livro: Caminho Verdade e Vida.
Chico Xavier/Emmanuel.

NISTO CONHECEREMOS

"Nisto conhecemos o espírito da verdade e o espírito do erro." (I JOÃO, 4:6.)

Quando sabemos conservar a ligação com a Paz Divina, apesar de todas as perturbações humanas, perdoando quantas vezes forem necessárias ao companheiro que nos magoa; esquecendo o mal para construir o bem; amparando com sinceridade aos que nos aborrecem; cooperando espiritualmente, através da ação e da oração, a benefício dos que nos perseguem e caluniam; olvidando nossos desejos particulares para servirmos em favor de todos; guardando a fé no Supremo Poder como luz inapagável no coração; perseverando na bondade construtiva, embora mil golpes da maldade nos assediem; negando a nós mesmos para que a bênção divina resplandeça em torno de nossos passos; carregando nossas dificuldades como dádivas celestes; recebendo adversários por instrutores; bendizendo as lutas que nos aperfeiçoam a alma, à frente da Esfera Maior; convertendo a experiência terrena em celeiros de alegrias para a Eternidade; descortinando ensejos de servir em toda parte; compreendendo e auxiliando sempre, sem a preocupação de sermos entendidos e ajudados; amando os nossos semelhantes qual temos sido amados pelo Senhor, sem expectativa de recompensa; então, conheceremos o espírito da verdade em nós, iluminando-nos a estrada para a redenção divina.

DOUTRINAÇÕES

"Mas não vos alegreis porque se vos sujeitem os espíritos; alegrai-vos, antes, por estarem os vossos nomes escritos nos céus." — Jesus. (LUCAS, capítulo 10, versículo 20.)

Freqüentemente encontramos novos discípulos do Evangelho exultando de contentamento, porque os Espíritos perturbados se lhes sujeitam.

Narram, com alegria, os resultados de sessões empolgantes, nas quais doutrinaram, com êxito, entidades muita vez ignorantes e perversas.

Perdem-se muitos no emaranhado desses deslumbramentos e tocam a multiplicar os chamados "trabalhos práticos", sequiosos por orientar, em con-tactos mais diretos, os amigos inconscientes ou infelizes dos planos imediatos à esfera carnal.

Recomendou Jesus o remédio adequado a situações semelhantes, em que os aprendizes, quase sempre interessados em ensinar os outros, esquecem, pouco a pouco, de aprender em proveito próprio.

Que os doutrinadores sinceros se rejubilem, não por submeterem criaturas desencarnadas, em desespero, convictos de que em tais circunstâncias o bem é ministrado, não propriamente por eles, em sua feição humana, mas por
emissários de Jesus, caridosos e solícitos, que os utilizam à maneira de canais para a Misericórdia Divina; que esse regozijo nasça da oportunidade de servir ao bem, de consciência sintonizada com o Mestre Divino, entre as certezas
doces da fé, solidamente guardada no coração.

A palavra do Mestre aos companheiros é muito expressiva e pode beneficiar amplamente os discípulos inquietos de hoje.

Livro: Caminho Verdade e Vida.

Chico Xavier/Emmanuel.

FILHOS DA LUZ

FILHOS DA LUZ"Andai como filhos da luz." - Paulo.

(EFÉSIOS, 5:8.)Cada criatura dá sempre notícias da própria origem espiritual.

Os atos, palavras e pensamentos constituem informações vivas da zona mental de que procedemos.

Os filhos da inquietude costumam abafar quem os ouve, em mantos escuros de aflição.

Os rebentos da tristeza espalham o nevoeiro do desânimo.

Os cultivadores da irritação fulminam o espírito da gentileza com os raios da cólera.

Os portadores de interesses mesquinhos ensombram a estrada em que transitam, estabelecendo escuro clima nas mentes alheias.

Os corações endurecidos geram nuvens de desconfiança, por onde passam.

Os afeiçoados à calúnia e à maledicência distribuem venenosos quinhões de trevas com que se improvisam grandes males e grandes crimes.

Os cristãos, todavia, são filhos da luz.E a missão da luz é uniforme e insofismável.Beneficia a todos sem distinção.

Não formula exigências para dar.Afasta as sombras sem alarde.

Espalha alegria e revelação crescentes.Semeia renovadas esperanças.Esclarece, ensina, ampara e irradia-se.

Vinha de Luz

Chico Xavier/André Luiz


QUEM LÊ, ATENDA

"Quem lê, atenda." - Jesus. (MATEUS, 24:15.)

Assim como as criaturas, em geral, converteram as produções sagradas da Terra em objeto de perversão dos sentidos, movimento análogo se verifica no mundo, com referência aos frutos do pensamento.

Freqüentemente as mais santas leituras são tomadas à conta de tempero emotivo, destinado às sensações renovadas que condigam com o recreio pernicioso ou com a indiferença pelas obrigações mais justas.

Raríssimos são os leitores que buscam a realidade da vida.

O próprio Evangelho tem sido para os imprevidentes e levianos vasto campo de observações pouco dignas.

Quantos olhos passam por ele, apressados e inquietos, anotando deficiências da letra ou catalogando possíveis equívocos, a fim de espalharem sensacionalismo e perturbação? Alinham, com avidez, as contradições aparentes e tocam a malbaratar, com enorme desprezo pelo trabalho alheio, as plantas tenras e dadivosas da fé renovadora.

A recomendação de Jesus, no entanto, é infinitamente expressiva.

É razoável que a leitura do homem ignorante e animalizado represente conjunto de ignominiosas brincadeiras, mas o espírito de religiosidade precisa penetrar a leitura séria, com real atitude de elevação.

O problema do discípulo do Evangelho não é o de ler para alcançar novidades emotivas ou conhecer a Escritura para transformá-la em arena de esgrima intelectual, mas, o de ler para atender a Deus, cumprindo-lhe a Divina Vontade.

Livro; Vinha de Luz
Chico Xavier/Emmanuel