Trabalhemos todos, pela Unificação do movimento espírita!!

O Espiritismo é uma questão de fundo; prender-se à forma seria puerilidade indigna da grandeza do assunto. Daí vem que os centros que se acharem penetrados do verdadeiro espírito do Espiritismo deverão estender as mãos uns aos outros, fraternalmente, e unir-se para combater os inimigos comuns: a incredulidade e o fanatismo.”

“Dez homens unidos por um pensamento comum são mais fortes do que cem que não se entendam.”

Allan Kardec (Obras Póstumas – Constituição do Espiritismo – Item VI).



quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Nossas poesias!

Chogou o Ano Novo!

Ano novo, vida nova!
Diz o ditado popular,
Mas, logo após entrar o ano
Nada é feito para mudar.

A rotina continua,
Voltam as velha lamentações,
Nada é feito diferente,
Novas brigas entre irmãos.

Chegou dois mil e dez,
Esperando melhorias...
Na vida de relação,
Dos membros das famílias.

Que o ano que se inicia,
Seja um ano realmente diferente,
Dos anteriores tão iguais...
Com a paz em cada mente.

Ensejando trabalho, saúde e otimismo,
Na sociedade em mudança...
Em busca do necessário entendimento,
Com muita fé, compreensão e segurança.


Francisco Rebouças

Programa Transição


Caros Amigos, no próximo domingo 03/01/2010, o Programa Transição terá como convidado, o Tribuno espírita Divaldo Pereira Franco, com o Tema “O Ano Novo ”.
O Programa Transição será apresentado por André Luiz Ruiz, pela REDE TV na Capital e Grande São Paulo, domingo às 15:15 horas.
Visite nosso site e fique atualizado: www.programatransicao.tv.br
Cobertura das emissoras da Rede TV.
Estados: São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Ceará, Bahia e Pernambuco.
Todas as Parabólicas, TV a Cabo e SKY.
Outras localidades com horário diferenciado:
Santos: 10:30 horas
Campinas: 10:30 horas
Grande Goiânia: 13:30 horas
Para os amigos do Grande ABC (SP) o Programa Transição será apresentado também aos Domingos às 10:30hs, pela ECO TV Canal 96 da Vivax e Canal 9 da NET.
Programa Transição
A Visão Espírita para um Novo Tempo
http://www.programatransicao.tv.br/

Francisco Rebouças

Ensinamentos oportunos

"Pessimismo é enfermidade que engendra processo de psicose grave por antecipação de um mal que, talvez, não ocorrerá.

A cada instante as circunstâncias geram circunstâncias outras, fatores atuais compõem fatores futuros, dependendo da direção que lhes imponhas.

Não te canses, desse modo, exageradamente sob o peso da nostalgia ou te entorpeças asfixiado pelos tóxicos das frustrações que todos experimentam...

Entrega-te a Deus e deixa-te conduzir tranqüilamente.

Otimismo é estímulo para o trabalho, vigor para a luta, saúde para a doença das paisagens espirituais e luz para as densas trevas que se demoram em vitória momentânea.

Nas duas traves da Cruz, quando tudo pareceria perdido, o Justo, em excelente lição de otimismo, descerrou os painéis da Vida Verdadeira, morrendo para ressurgir em gloriosa madrugada de Imortalidade, que até hoje é o canto sublime e a rota segura, plena de alegrias para todos nós".
Livro: Convites da Vida
Divaldo Pereira Franco/Joanna de Ângelis
Francisco Rebouças

Lindos Casos de Chico Xavier

12 - A SURRA DE BÍBLIA


Lutando no tratamento das irmãs obsidiadas, José e Chico Xavier gastaram alguns meses até que surgisse a cura completa.

No princípio, porém, da tarefa assistencial houve uma noite em que José foi obrigado a viajar em serviço da sua profissão de seleiro.

Mudara-se para Pedro Leopoldo um homem bom e rústico, de nome Manuel, que o povo dizia muito experimentado em doutrinar espíritos das trevas.

O irmão do Chico não hesitou e resolveu visitá-lo, pedindo cooperação.

Necessitava ausentar-se, mas o socorro às doentes não deveria ser interrompido.

“Seu” Manuel aceitou o convite e, na hora aprazada, compareceu ao “Centro Espírita Luiz Gonzaga”, com uma Bíblia antiga sob o braço direito.

A sessão começou eficiente e pacífica.

Como de outras vezes, depois das preces e instruções de abertura, o Chico seria o médium para a doutrinação dos obsessores.

Um dos espíritos amigos incorporou-se, por intermédio dele, fornecendo a precisa orientação e disse ao “seu” Manuel entre outras coisas:

— Meu amigo, quando o perseguidor infeliz apossar-se do médium, aplique o Evangelho com veemência.

— Pois não, — respondeu o diretor muito calmo, — a vossa ordem será obedecida.

E quando a primeira das entidades perturbadas assenhoreou o aparelho mediúnico, exigindo assistência evangelizante, “seu” Manuel tomou a Bíblia de grande formato e bateu, com ela, muitas vezes, sobre o crânio do Chico, exclamando, irritadiço:

— Tome Evangelho! tome Evangelho!...

O obsessor, sob a influência de benfeitores espirituais da casa, afastou-se, de imediato, e a sessão foi encerrada.

Mas o Chico sofreu intensa torção no pescoço e esteve seis dias de cama para curar o torcicolo doloroso.

E, ainda hoje, ele afirma satisfeito que será talvez das poucas pessoas do mundo que terão tomado “uma surra de Bíblia”...

Livro: Lindos Casos sde Chico Xavier
Ramiro Gama
 
Francisco Rebouças

Respeite a opção religiosa dos outros!

ACATE com respeito todas as religiões.

Cada homem tem o direito de escolher o caminho que prefere.

Respeite a liberdade de crenças dos outros; tanto quanto aprecia que respeitem a sua.

Não discuta nem procure tirar ninguém do caminho em que se acha, a não ser que seja procurado para isso.

Respeite, para ser respeitado.

Livro: Minutos de Sabedoria
Carlos Torres Pastorina

Francisco Rebouças

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Lindas Poesias!

CARTA DE ANO BOM

Entre um ano que se vai
E outro que se inicia,
Há sempre nova esperança,
Promessas de Novo Dia...


Considera, meu amigo,
Nesse pequeno intervalo,
Todo o tempo que perdeste
Sem saber aproveitá-lo.

Se o ano que se passou
Foi de amargura sombria,
Nosso Pai Nunca está pobre
Do pão de luz da alegria.


Pensa que o céu não esquece
A mais ínfima criatura,
E espera resignado
O teu quinhão de ventura.


Considera, sobretudo
Que precisas, doravante,
Encher de luz todo o tempo
Da bênção de cada instante.


Sê na oficina do mundo
O mais perfeito aprendiz,
Pois somente no trabalho
Teu ano será feliz.


Não esperes recompensas
Dos bens da vida terrestre,
Mas, volve toda a esperança
A paz do Divino Mestre.


Nas lutas, nunca te esqueça
Deste conceito profundo:
O reino da luz de Cristo
Não reside neste mundo.


Não olhes faltas alheias,
Não julgues o teu irmão,
Vive apenas no trabalho
De tua renovação.


Quem se esforça de verdade
Sabe a prática do bem,
Conhece os próprios deveres
Sem censurar a ninguém.


Ano Novo!... Pede ao Céu
Que te proteja o trabalho,
Que te conceda na fé
O mais sublime agasalho.


Ano Bom!... Deus te abençoe
No esforço que te conduz
Das sombras tristes da Terra
Para as bênçãos de Jesus.

Do livro: Cartas do Evangelho - LAKE

Chico Xavier/Casimiro Cunha 


Francisco Rebouças

Evento espírita

37º Miep - Movimento de Integração do Espírita Paraibano
Com o tema "Chico Xavier, 100 Anos-Luz", o tradicional evento espírita campinense está programado de 13 a 16 de fevereiro de 2010. Todas as atividades serão desenvolvidas no Centro de Convenções Divaldo Pereira Franco.
Entre os palestrantes especialmente convidados garantiram presença Frederico Menezes (PE), Geraldo Lemos Neto (MG), Suely Caldas Schubert (MG), Sandra Borba (RN),  Sverino Celestino (PB), Ismael Ramos das Neves (RN), Joedla Rodrigues e coordenando o espaço adolescente teremos Cláudia Batista. (CG)

Local do Evento
Local: Centro de Convenções Espírita Divaldo Pereira Franco
Rua João Pequeno, 181 - Catolé.
Campina Grande - PB 1.Vindo do centro da cidade ou do Parque da Criança, no sentido Catolé, contorne a rotatória do Canal do Prado que dá acesso ao Shopping Luíza Motta. Após a Pastyanne´s Panificadora, entre à direita e siga em frente na Rua João Pequeno, até o terceiro quarteirão (ver mapa no link da fonte - Fluxo 1).

2.Vindo da rodoviária, pegue o ônibus 245 (inter-área), desça no Shopping Luíza Motta. Na rua ao lado da Pastyanne´s, Rua João Pequeno siga em frente até o terceiro quarteirão (ver mapa no link da fonte - Fluxo 2).

3.Vindo da rodoviária, dirija-se ao Shopping Luíza Motta, seguindo pela rua João Quirino. No cruzamento com a avenida Vigário Calixto, (semáforo), siga em frente até a próxima esquina, entre à direita na Rua Tomaz S. de Souza e entre no segundo cruzamento à esquerda na rua João Pequeno (ver mapa link da fonte - Fluxo 2).

Forma de Colaboração

Inscrição:

até 30/12/09 = R$ 40,00

a partir 01/01/10 = R$ 50,00

Alojamento*:

até 30/12/09 = R$ 100,00

A partir 01/01/10 = R$ 120,00.A colaboração poderá ser efetuada em dinheiro, em cheque nominal a Associação Municipal de Espiritismo, em depósito ou transferência bancária no Banco do Brasil, agência 1591-1 Conta Poupança nº 2058-3, operação 01, ou na Caixa Econômica Federal, agência 0041 conta nº 028-5, operação 022. Será necessário preencher e enviar a ficha de inscrição juntamente com cópia do comprovante para a secretaria do evento pelos Correios ou por e-mail, destacando o banco, data, hora e o número do depósito.

A inscrição só será efetivada com o preenchimento total da ficha de inscrição e comprovação da colaboração. O recibo de depósito não pode conter rasuras. Caso as letras e algarismos estejam ilegíveis, a em contato, por telefone ou e-mail, com a efetivação se dará após a confirmação dos dados.

* O MIEP disponibilizará 70 vagas para hospedagem em alojamento (beliches), com refeições inclusas. Serão aceitos jovens com idade acima de 12 anos acompanhados por um responsável. As vagas serão preenchidas de acordo com a ordem de inscrição. Os participantes de outras cidades, que necessitarem desse serviço, deverão entrar antecipadamente secretaria do evento.
Por: AME-CG
 
Maiores informações:  http://www.miep.com.br/
 
Francisco Rebouças

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

A Criança é o futuro da Humanidade

VEJA, na criança, o futuro da humanidade.

Mantenha-se, por isso, solidário com os trabalhos que visem a beneficiá-las.

Lembre-se de que cada criança poderia ser um filho querido de seu coração.

Colabore na recuperação das crianças desajustadas, sobretudo mediante seu exemplo "dignificante e nobre.

Em todos os setores, a criança é sempre o futuro, e por isso precisa ser atentamente ajudada em suas necessidades.

Livro: minutos de Sabedoria
Carlos Torres Pastorino

Francisco Rebouças


segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Estudando o espiritismo - A Gênese

Todas as religiões são acordes quanto ao princípio da existência da alma, sem, contudo, o demonstrarem. Não o são, porém, nem quanto a sua origem, nem com relação ao seu passado e ao seu futuro, nem, principalmente, e isso é o essencial, quanto às condições de que depende a sua sorte vindoura.

Em sua maioria, elas apresentam, do futuro da alma, e o impõem à crença de seus adeptos, um quadro que somente a fé cega pode aceitar, visto que não suporta exame sério. Ligado aos seus dogmas, às idéias que nos tempos primitivos se faziam do mundo material e do mecanismo do Universo, o destino que elas atribuem à alma não se concilia com o estado atual dos conhecimentos. Não podendo, pois, senão perder com o exame e a discussão, as religiões acham mais simples proscrever uma e outro.

Dessas divergências no tocante ao futuro do homem nasceram a dúvida e a incredulidade. Entretanto, a incredulidade dá lugar a um penoso vácuo. O homem encara com ansiedade o desconhecido em que tem fatalmente de penetrar. Gela-o a idéia do nada. Diz-lhe a consciência que alguma coisa lhe esta reservada para além do presente. Que será? Sua razão, com o desenvolvimento que alcançou, já lhe não permite admitir as histórias com que o acalentaram na infância, nem aceitar como realidade a alegoria. Qual o sentido dessa alegoria? A Ciência lhe rasgou um canto do véu; não lhe revelou, porém, o que mais lhe importa saber. Ele interroga em vão, nada lhe responde ela de maneira peremptória e apropriada a lhe acalmar as apreensões. Por toda parte depara com a afirmação a se chocar com a negação, sem que de um lado ou de outro se apresentem provas positivas. Daí a incerteza e a incerteza sobre o que concerne à vida futura faz que o homem se atire, tomado de uma espécie de frenesi, para as coisas da vida material.

Esse o inevitável efeito das épocas de transição: rui o edifício do passado, sem que ainda o do futuro se ache construído. O homem se assemelha ao adolescente que, já não tendo a crença ingênua dos seus primeiros anos, ainda não possui os conhecimentos próprios da maturidade. Apenas sente vagas aspirações, que não sabe definir.
 
Fonte: A Gênese - Cap.IV, itens 13 e 14.
 
Francisco Rebouças

domingo, 27 de dezembro de 2009

Não sabem como convém saber


Desde a época, do seu aparecimento no mundo, o Espiritismo enfrenta grandes dificuldades para se expandir, em virtude de seus opositores usarem de métodos escusos para difundi-lo de forma covarde e propositadamente desvirtuada de sua realidade, incutindo no ignorante a falsa idéia de feitiçaria, magia negra etc., com que têm até os dias de hoje influenciado, incontáveis criaturas, que ainda não despertaram para uma análise raciocinada de tudo o que lhes é passado por quem também nada sabe a respeito deste assunto.

Desconhecem, que o Espiritismo tem por objetivo o estudo de um dos elementos constitutivos do Universo, e que por isso mesmo toca forçosamente na maior parte das ciências; só podia portanto, vir depois da elaboração delas; nasceu pela força mesmo das coisas, pela impossibilidade de tudo se explicar com o auxílio apenas das leis da matéria.

Por isso mesmo, nada poderia sem a permissão do Pai criador da vida, que a tudo preside, e que permitiu sua chegada ao mundo, no momento mais oportuno; com a finalidade de tirar o véu que cobria de mistério os fatos que eram tidos até então como sobrenaturais, maravilhosos, místicos etc., dando-lhes uma explicação racional, perfeitamente compreensível, que só não aceita aquele que tem acima de qualquer fundamento lógico o pré-conceito intocável, a presunção de possuir o conhecimento de toda a verdade, não admitindo sequer analisar sob outra ótica, fazendo-se cego perante a realidade comprovada até mesmo em laboratórios por cientistas de outras correntes religiosas que tiveram que se renderem às evidências.

Allan Kardec, o magistral codificador dessa doutrina de fé raciocinada, concede excelente oportunidade para todos aqueles que sinceramente quiserem uma explicação sobre os equívocos da comparação do Espiritismo com outras práticas que ele mesmo condena e que por isso mesmo não poderia usá-las, no texto que segue; extraído do Capítulo I da Gênese, CARÁTER DA REVELAÇÃO ESPÍRITA, item 19. ¹

“Acusam-no de parentesco com a magia e a feitiçaria; porém, esquecem que a Astronomia tem por irmã mais velha a Astrologia judiciária, ainda não muito distante de nós; que a Química é filha da Alquimia, com a qual nenhum homem sensato ousaria hoje ocupar-se. Ninguém nega, entretanto, que na Astrologia e na Alquimia estivesse o gérmen das verdades de que saíram as ciências atuais. Apesar das suas ridículas fórmulas, a Alquimia encaminhou a descoberta dos corpos simples e da lei das afinidades. A Astrologia se apoiava na posição e no movimento dos astros, que ela estudara; mas, na ignorância das verdadeiras leis que regem o mecanismo do Universo, os astros eram, para o vulgo, seres misteriosos, aos quais a superstição atribuía uma influência moral e um sentido revelador. Quando Galileu, Newton e Kepler tornaram conhecidas essas leis, quando o telescópio rasgou o véu e mergulhou nas profundezas do espaço um olhar que algumas criaturas acharam indiscreto, os planetas apareceram como simples mundos semelhantes ao nosso e todo o castelo do maravilhoso desmoronou.

O mesmo se dá com o Espiritismo, relativamente à magia e à feitiçaria, que se apoiavam também na manifestação dos Espíritos, como a Astrologia no movimento dos astros; mas, ignorantes das leis que regem o mundo espiritual, misturavam, com essas relações, práticas e crenças ridículas, com as quais o moderno Espiritismo, fruto da experiência e da observação, acabou. Certamente, a distância que separa o Espiritismo da magia e da feitiçaria é maior do que a que existe entre a Astronomia e a Astrologia, a Química e a Alquimia. Confundi-las é provar que de nenhuma se sabe patavina”.

Nós espíritas, não temos a pretensão de nos auto-proclamar os donos da verdade, mas temos absoluta certeza de que o mundo espiritual é uma realidade incontestável, que podemos nos comunicar com os que nos precederam na viagem de volta à nossa verdadeira pátria, que os que deixaram o corpo de carne estão vivos na vida espiritual, que voltarão a este planeta para continuarem sua depuração através de uma série de existências sucessivas, e que só através da bênção da reencarnação pode o espírito imortal se reajustar com a justiça divina; e que as práticas de que utilizamos, são o constante estudo das obras espíritas que nos ensinam a proceder com bom-senso no desenvolvimento das virtudes do nosso espírito imortal no trabalho da caridade em prol do bem, visando a nossa reforma íntima, e contribuindo positivamente no crescimento moral de toda a humanidade.

1) Capítulo I da Gênese, CARÁTER DA REVELAÇÃO ESPÍRITA, item 19

Francisco Rebouças.

sábado, 26 de dezembro de 2009

O Espírito "Camilo"

CAMILO
Guia Espiritual de Raul Teixeira

O meu "Amigo de Luz" mostrou-se a mim, afinal, numa noite de março de 1974, enquanto se iniciavam nossos serviços práticos de mediunidade.

"Envolveu-me num indescritível fluido de paz. Penetrou-me com um olhar tão profundo que tinha a impressão de que sondava-me as mais íntimas disposições.

Vestia-se como franciscano dos tempos mais distantes do franciscanismo e toda a sua presença era um "extravasar" de harmonia.

-‘Meu filho, Jesus, cujo nome vem sendo proferido por nós ao longo da eras e, ao mesmo tempo, por nós incompreendido, deverá ser a nossa Estrela Maior, a nossa Inspiração Maior, o nosso Aconchego Maior. Se lograrmos dar conta desse compromisso, iniciado há tantos séculos, sem o necessário êxito, sorveremos a ventura no cálix da vitória, milenarmente suspirada. O tempo urge, filho, e não o teremos demasiado... Esqueça-se a si mesmo; recorde-se, porém, dos velhos deveres junto ao Irmão Seráfico de Assis e que nada nos detenha. Vamos, meu filho, pois o Divino Amigo tem-nos sob seu olhar de misericórdia, e teremos bem pouco tempo...'

Invadido por intensíssima emoção, diante daqueles olhos que brilhavam e ditavam-me esperanças, e diante do que ele acabava de escrever, sem assinar, perguntei-lhe, pelo pensamento:

-"Como o senhor se chama?"

E ele retomou o papel e grafou: "Camilo".

E tudo se desvaneceu diante da minha pobre percepção.

Desde aquela noite até agora, Camilo tem sido um verdadeiro amigo. Pacientíssimo e lúcido, culto e lógico, coerente e paternal, abrindo-me sempre a visão para maneiras novas de encarar velhos quadros e acontecimentos da vida diária, na condição de bondoso professor que não humilha o aluno incapaz, mas vai conduzido-o aos mais claros raciocínios, valorizando seus pequenos avanços, propiciando-lhe possibilidades de sempre caminhar mais para a frente.

Explicou-me, oportunamente, que nossas vinculações estão muito distanciadas no tempo, antes dos tempos cristãos, mas que nosso envolvimento mais profundo deu-se nos tempos das arenas romanas e que, no século XII, com os labores do Iluminado de Assis, na Úmbria, assumimos compromissos graves que, por minha vez, não consegui cumprir.

Camilo é o criptônimo que ele adotou para apresentar-se. Diz sempre que é de pouca importância o nome, quando, na condição de viajor da evolução, já deteve tantos nomes, títulos e nacionalidades, no longo caminho para Deus.

Estando na Terra, ainda nos começos deste século (XX), participando dos movimentos progressistas da cultura européia, costuma se mostrar à visão também com vestes seculares, indicando essa época, numa expressão fisionômica de um homem atilado, tranqüilo e nobre, grisalho, na madureza dos cinqüenta e poucos anos.

Comove-se ante os que sofrem sem o necessário entendimento das razões do padecer e mostra-se piedoso e compreensivo par com os ignorantes das coisas do Espírito, com esses incapazes de vôos mais altos do pensamento.

Tendo ele vivido intensamente nos caldeamentos reencarnatórios, ora nos campos da propagação cristã, ora nas esferas das diversas ciências, ora nos templos do pensamento filosófico, tudo isso mesclado às lides do homem comum, em comunidades rurais do velho mundo, tem-me oferecido ensejo de meditar sobre os diversos enfoques de cada problema humano, levando-me a retirar formidáveis elementos para o meu aprendizado e para a minha ação, nas rotas das minha própria vida.

J.Raul Teixeira
Niterói, julho de 1991.

Fonte: Livro Correnteza de Luz
José Raul Teixeira, editora. Fráter, 2ª edição.

Francisco Rebouças

Leis Morais da Vida

AMAR A DEUS


Amor é vida.
Sem o amor de Deus que tudo vitaliza, a Criação volveria ao caos do princípio.
Antes, portanto, do amor não havia Criação, porque Deus é Amor.
Sem o amor ao próximo não se pode amar a Deus.
Nesse particular o Evangelho é todo um hino ao Criador, mediante o eloqüente testemunho de amor ao próximo, apresentado por Jesus.
Em todos os Seus passos o amor se exterioriza numa canção de feitos, renovando, ajudando e levantando os Espíritos.
Não podendo o homem romper a caixa escura do egoísmo, saindo de si na direção da criatura, sua irmã, dificilmente compreenderá o impositivo do amor transcendente em relação à Divindade.
Quando escasseiam os recursos da elevação interior pelo pensamento vinculado ao Supremo Construtor do Cosmo, devem abundar os esforços no labor da fraternidade em direção às demais criaturas, do que decorre, inevitavelmente, a vinculação amorosa com Deus. Porqüanto ninguém pode pensar no próximo sem proceder a uma imperiosa necessidade de fazer interrogações que levam à Causa Central.
O homem constitui, indubitavelmente, um enigma que só à luz meridiana da reencarnação — técnica do amor e da Justiça Divina — pode ser entendido.
Na vida, sob qualquer expressão, está manifesto o amor.
Mediante o amor animam-se as forças atuantes e produtivas da Natureza, no mineral, no vegetal, no animal, no homem e no anjo.
Dilata, desse modo, as tuas expressões íntimas, dirigindo-as para o bem e não te preocupes com o mentiroso triunfo do mal aparente.
Exalça a vida e não te detenhas na morte.
Glorifica o dever e não te reportes à anarquia.
Fala corretamente e retificarás os conceitos infelizes.
Se te impressionam as transitórias experiências do primitivismo e da barbárie que ainda repontam na Terra, focaliza a beleza e superarás as sombras e inquietações...
A maneira mais agradável de adorar a Deus é elevar o pensamento a Ele, através do culto ao bem e do amor ao próximo.
Desce à dor e ergue o combalido à saúde íntima; mergulha no paul e levanta ao planalto os que ali encontres; curva-te para socorrer, no entanto, ascende no rumo de Deus pelo pensamento ligado ao Seu amor e vencerás os óbices.
Se desejas, todavia, compreender melhor a necessidade de amar a Deus, acompanha o desabrochar de uma rosa, devolvendo perfume à vida, o que extrai do solo em húmus e adubo... Fita uma criança, detém-te num ancião...
Ama, portanto, pelo caminho quanto possas, plantas, animais, homens, e te descobrirás, por fim, superiormente amando a Deus.
 
Livro: Leis Morais da Vida
Divaldo Franco/Joanna de Ângelis
 
Francisco Rebouças

Mensagens espirituais

MEDICAÇÃO PREVENTIVA

Pense muito, antes da discussão. O discutidor, por vezes, não passa de estouvado.
Use a coragem, sem abuso. O corajoso, em muitas ocasiões, é simples imprudente.
Observe os seus métodos de cultivar a verdade. Muitas pessoas que se presumem verdadeiras, são veículos de perturbação e desânimo.
Proceda com inteligência em todas as situações. Não se esqueça, porém, de que muitos homens inteligentes são meros velhacos.
Seja forte na luta de cada dia. Não olvide, contudo, que muitos companheiros valentes são suicidas inconscientes.
Estime a eficiência. No entanto, a pretexto de rapidez, não adote a precipitação.
Não enfrente perigos, sem recursos para anulá-los. O que consignamos por desassombro, muita vez é loucura.
Guarde valor em suas atitudes. Recorde, entretanto, que o valor não consiste em vencer, de qualquer modo, mas em conquistar o adversário no trabalho pacífico.
Tenha bom ânimo, mas seja comedido em seus empreendimentos. Da audácia ao crime, a distância é de poucos passos.
Atenda à afabilidade e à doçura em seu caminho. Não perca, porém, o seu tempo em conversas inúteis.

Livro: Agenda Cristã
Chico Xavier/André Luiz

Francisco Rebouças

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Palavras de Josepha!

Pedido de Natal!


Querido irmão, no Natal que vives hoje, peça a Jesus o aniversariante amigo que está te ouvindo agora, que te possa fortalecer o ânimo para que tu possas enfrentar teus embates futuros, com confiança e determinação por saber que tua vitória sobre os teus problemas da atualidade e de teus desafios futuros, é questão de tempo, pois, a fortaleza de teus propósitos sublimes, receberá DELE, as excelsas vibrações que emanam do seu benevolente coração de Espírito Puro, acudindo-te com os recursos de força e coragem que te farão sentir forte para superar as adversidades do teu caminho na presente trajetória evolutiva à caminho da felicidade que a todos aguarda nos mundos venturosos.

Não te deixes iludir pelos apelos falsos da riqueza material, e toma todo o cuidado possível, pois, a estrada do bem está cheia de atrações chamativas que podem facilmente te levar a tropeços, que te podem causar enormes dificuldades para que te restabeleças novamente.

Segue firme e resoluto em teu objetivo de iniciar tua reforma íntima, e não dê ouvidos às tentações que a inveja, o ciúme, a intriga, e outros tantos inimigos do teu progresso espiritual, que são tão comuns na vida daquele que se decide a seguir o Mestre de Nazaré está sujeito a encontrar em sua trajetória de Espírito Imortal, num mundo de provas e expiações como a Terra.

Caminha de cabeça erguida, com a consciência tranqüila do cristão que tem a certeza do dever retamente cumprido, na certeza absoluta de que Jesus está no leme da vida dos discípulos sinceros, que vencerão todos os obstáculos da caminhada, e sentirão como Paulo de Tarso, que é o Mestre quem vive em seu mundo íntimo, alegrando seus dias, com o sorriso que espalham em sua volta com as atitudes de fraternidade e caridade em prol do seu irmão de caminhada.

Sê, cristão espírita verdadeiramente e não teme os possíveis reveses do caminho, pois, a vitória no final do embate, te fará sentir que valeu à pena todas a tribulações que vivenciaste, e que te possibilitaram aprendizagem valiosa, e uma experiência capaz de te elevar a condição de co-criador equilibrado e útil na construção da paz e da felicidade que reinará nos corações de todos na terra regenerada do porvir.

Feliz, Natal e um ano novo de muita paz!
Josepha
Francisco Rebouças.



quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

CANÇÃO DO NATAL

O Francisco Rebouças - Espiritista deseja a todos um Feliz Natal e um próspero Ano Novo!

CANÇÃO DO NATAL

Mestre Amado, agradecemos,
Em Teu Natal de alegria,
A paz que nos anuncia
A vida superior. . .

Por nossa esperança em festa,
Pelo pão, pelo agasalho,
Pelo suor do trabalho,
Louvado sejas, Senhor! . . .

Envoltos na luz da prece,
Louvamos-te os dons supremos,
Nas flores que te trazemos,
Cantando de gratidão!. . .

Felizes e reverentes,
Rogamos-te, Doce Amigo,
A bênção de estar contigo
No templo do coração

Chico Xavier/Casimiro Cunha

Francisco Rebouças

Lindas Poesias!

A JESUS


Senhor, protege os corações cansados,
Que se vão sem conforto e sem guarida,
No aguaceiro de lágrimas da vida,
Indiferentes ou desesperados.

Ascendem para os céus todos os brados
Da alma humana tristonha e dolorida!
Balsamiza de amor toda ferida
Que punge o coração dos degredados;

Degradados na Terra tenebrosa,
Terra da sombra estranha e dolorosa,
Recamada de prantos e de espinhos!

Ampara, meu Jesus, quem vai chorando,
Entre dores e acúleos, soluçando,
Na miséria de todos os caminhos...

Livro: Auta de Souza
IDE – Instituto de Difusão Espírita, 9ª edição.
Auta de Souza/Chico Xavier

Francisco Rebouças

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

FELIZ NATAL

Feliz Natal
Caros amigos, meu muito obrigado a todos por tudo!
Francisco Rebouças

Tirando dúvidas sobre mediunidade

Caros amigos, estamos dando continuidade ao estudo sobre mediunidade enfocando as questões do Livro: DIRETRIZES DE SEGURANÇA. Questões 55 a 60.
 
Estude conosco!
TERCEIRA PARTE - DESENVOLVIMENTO MEDIÚNICO
 
55 - No desenvolvimento da faculdade em médiuns principiantes, há alguma utilidade em se lhes aplicar passes para facilitar, por exemplo, a psicofonia?

Divaldo - Este exercício é, às vezes, positivo, porque o médium estando com os centros psíquicos ainda não disciplinados durante a hora da concentração, entra em conflito, por não saber distinguir as sensações e emoções suas, daquelas que ele registra e que pertencem ao espírito desencarnado Experimenta taquicardia, há o resfriamento corporal colapso periférico, a ansiedade que são típicos da presença dos espíritos que padecem, mas que, muitas vezes são da própria expectativa. No caso da aplicação do passe objetivando ajudar, aumenta no médium a carga vibratória e isso facilita-lhe o fenômeno. Mas, por outro lado, não deve ser habitual, para não lhe criar condicionamentos. Por isto, deve-se aplicar passes só esporadicamente.

56 - Em trabalhos de desenvolvimento mediúnico com médiuns principiantes, haverá necessidade de mais de uma comunicação ou uma seria suficiente?

Divaldo - Para exercitar a mediunidade, o que importa não é o número de comunicações, mas a qualidade delas. O médium deve esperar sentir-se dominado pela vontade do hóspede, que o vai controlando, a fim de que consiga registrar, em plenitude, a mensagem. Este processo demora uns cinco minutos, antes do ato de falar, e perdura por uns dez a quinze minutos, depois do silêncio, quando as energias vão retornando ao estado primitivo e reequilibrando o psiquismo do médium. No caso de desenvolvimento de um médium principiante num grupo expressivo no máximo duas comunicações de sofredores.

QUARTA PARTE - COMUNICAÇÕES

57 - Quantas comunicações um mesmo médium pode receber durante a sessão mediúnica de atendimento a espíritos sofredores?

Divaldo - Um médium seguro, num trabalho bem organizado, deve receber de duas a três comunicações, quando muito, para que dê oportunidade a• outros companheiros de tarefas, e para que não tenha um desgaste exagerado.

Tenho tido o hábito de observar, em médiuns seguros, conhecidos nossos, que eles incorporam, em média, três entidades sofredoras ou perturbadoras e o mentor espiritual; raramente ocorrem cinco manifestações pelo mesmo instrumento, principalmente num grupo.

58 - Há necessidade, após uma comunicação de um espírito infeliz, sofredor, de imediata incorporação do espírito mentor ou guia, para que haja a limpeza psíquica do médium?

Divaldo - Absolutamente, não há.

59 - Por que é que, comumente, não vemos comunicações de pretos-velhos ou de caboclos, nas sessões mediúnicas espíritas? Isso se deve a algum tipo de procedimento?

Raul - A expressão da pergunta está bem a calhar. Realmente, a maioria dos participantes não vê os espíritos que se comunicam, mas eles se comunicam.

O Espiritismo não tem compromisso de destacar essa ou aquela entidade, em particular. Se as sessões mediúnicas espíritas são abertas para o atendimento de todos os tipos de espíritos, por que não viriam os que ainda se apresentam como pretos-velhos ou novos, brancos, amarelos, vermelhos, índios, ou caboclos, e esquimós?

O que ocorre é que tais espíritos devem ajustar-se às disciplinas sugeridas pelo Espiritismo e só não as atendem quando seus médiuns, igualmente, não as aceitam.

Muitos espíritos que se mostram no Além como antigos escravos africanos, ou como indígenas, falam normalmente, sem trejeitos, embora as formas externas dos perispíritos possam manter as características que eles desejam ou as quais não lograram desfazer.

Talvez muitos esperassem que esses desencarnados se expressassem de forma confusa, misturando a língua portuguesa com outros sons, expressando-se num dialeto impenetrável, carecendo de intérpretes especiais, que, na maior parte das vezes, fazem de conta que estão entendendo tal mescla. Se o espírito fala em nagô, que seja nagô de verdade. Se se apresenta falando guarani, que seja o verdadeiro guarani. Entretanto, não sendo o idioma exato do seu passado reencarnatório, por que não falar o médium em português, pois que capta o pensamento da entidade e reveste-o com palavras?

Não há, portanto, preconceito nas sessões espíritas. Entretanto, procura-se manter o respeito às entidades, à mediunidade e à Doutrina Espírita, buscando a coerência com a verdade que já identificamos.

60 - Qual a interferência dos reflexos condicionados na manifestação mediúnica?

Raul - Carregando múltiplas experiências de um passado remoto ou próximo, é natural que num momento de exacerbação da mente, quando temos o inconsciente mais à tona, coisas e fatos nele repousantes tendam a se apresentar.

Os nossos reflexos incondicionados, cuja região de localização é a área do subcórtice, abaixo da parte cinzenta, quando são acionados pela interferência da mediunidade, que atua sobre o Sistema nervoso central, deixam-nos a facilidade de reexperimentar uma série de situações psíquicas Condicionadas nos dias passados em outras reencarnações. É na educação mediúnica na educação doutrinária espírita, que vamos nos apercebendo de como somos, do modo como agimos e daquilo que é necessário ao desempenho feliz da mediunidade. Começaremos por dar menos vazão aos aspectos do reflexo negativo do passado, dos que Possam empanar a expressão mediúnica; e, aos reflexos Positivos, Porque fazem parte do conjunto de experiências nobres, deixaremos que se intensifiquem em nossa vida, porque o nosso aprendizado atual é feito por sobre registros de passagens próximas ou distantes, permitindo que as conquistas se incorporem ao nosso patrimônio espiritual.

Com a prática da auto-análise, do autoconhecimento, evitaremos que se insurja a apavorante sombra da desproporcional interferência anímica que nada mais é do que o exacerbamento de certos reflexos que permitem a eclosão da própria personalidade ou de personalidades vividas no passado.

Valorizemos, então, a influência dos reflexos passados em nossa atuação mediúnica, quando os mesmos forem positivos e expressivos, capazes de nos conduzir para o enobrecimento espiritual.

Livro: Diretrizes de Segurança
Divaldo Pereira Franco/Raul Teixeira.

Francisco Rebouças

Mensagens espirituais

EXORTADOS A BATALHAR


"Amados, procurando eu escrever-vos com toda a diligência acerca da salvação comum, tive por necessidade dirigir-vos esta carta, exortando-vos a batalhar pela fé que urna vez foi dada aos santos." - (JUDAS, 3.)

O Cristianismo é campo imenso de vida espiritual, a que o trabalhador é chamado para a sublime renovação.
O sedento encontra nele as fontes da "água viva", o faminto, os celeiros do "eterno pão". Os cegos de entendimento nele recebem a visão do caminho; os leprosos da alma, o alívio e a cura.
Todos os viajores da vida, porém, são felicitados pelos recursos indispensáveis à jornada terrestre, com a finalidade de se erguerem, de fato, nAquele que é a Luz dos Séculos. Desde então, restaurados em suas energias espirituais, são exortados a batalhar na grande causa do bem.
Ninguém se engane, pois, na oficina generosa e ativa da fé.
No serviço cristão, lembre-se cada aprendiz de que não foi chamado a repousar, mas à peleja árdua, em que a demonstração do esforço individual é imperativo divino.
Jesus iniciou, no círculo das inteligências encarnadas, o maior movimento de libertação do espírito humano, no primeiro dia da Manjedoura.
Não se equivoquem, pois, os que buscam o Mestre dos mestres... Receberão, certamente, a esperada iluminação, o consolo edificante e o ensinamento eficaz, mas penetrarão a linha de batalha, em que lhes constitui obrigação o combate permanente pela vitória do amor e da verdade, na Terra, através de ásperos testemunhos, porque todos nós, encarnados e desencarnados, oscilantes ainda entre a animalidade e a espiritualidade, entre o vale do homem e a culminância do Cristo, estamos constrangidos a batalhar até o definitivo triunfo sobre nós mesmos pela posse da Vida Imortal.
 
Livro: vinha de Luz
Chico Xavier/Emmanuel
 
Francisco Rebouças

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Desencarnação

Caros amigos, recebemos a notícia e pessoalmente confirmamos da desencarnação dessa nobre alma que muito fez pela felicidade de seus irmãos em humanidade.

22/12/2009
ADEUS A DONA APARECIDA
DO HOSPITAL DO FOGO SELVAGEM

Desencarnou hoje, 22 de dezembro, por volta de 9h, aos 95 anos, Dona Aparecida Conceição Ferreira, conhecida como dona Cida do Lar da Caridade - Hospital do Fogo Selvagem, antigo Hospital do Pênfigo. Dona Cida há mais de 50 anos cuidava dos doentes e também das crianças, estas sem a doença, com toda dedicação.

Quando era enfermeira em um Hospital de Uberaba, prestes a fechar, ela levou todos para sua casa. Ao chegar a família se assustou! O marido não aceitava, nem os filhos, daí disseram à ela: ” Ou nós ou eles” e dona Cida disse: "Vocês já estão todos grandes e criados, eles não tem ninguém, eu fico com eles”. Foram embora de casa... mas, depois voltaram, compreenderam a tarefa e passaram a ajudá-la.

Um espírito abnegado, sem dúvida. Disse-lhe Chico Xavier que ela estava tentando resgatar seus débitos porém sem sucesso, mas desta vez conseguiu reencarnando negra, pobre e cheia de filhos doentes para cuidar. Os insultos, preconceitos, descasos foram inúmeros. Também, em suas conversas, dizia que Chico Xavier havia lhe contado que ela viveu no tempo da fogueira, da inquisição, e aquelas pessoas também. Ela perguntou à ele: “Chico, o que eu era?” Ele respondeu: “Você, minha irmã, era a mandante”.

Não recordo de tantos outros trabalhadores da Seara do Cristo com este desprendimento. Com certeza existem, pois o trabalho não precisa ser com alarde, Jesus espera de nós apenas o trabalho de amor ao próximo. Naturalmente um se projeta mais que outro. Podemos citar, logo ali perto de Uberaba, Irmão Tadeu, da Casa do Caminho, em Araxá-MG. Tadeu, em visita recente a RBN, disse que foi visitá-la. As pessoas sempre diziam: “Tadeu, Dona Aparecida fala que o senhor é um brancão orgulhoso que nunca foi lá na casa dela”.

Após a desencarnação de Chico Xavier as doações diminuíram porque as caravanas aproveitavam a visita ao Grupo da Prece e passavam por lá deixando alimentos, produtos de higiene e limpeza. As doações em dinheiro serviam para pagamento de funcionários, contas de água, energia elétrica e telefone. Agora é preciso usar também a mesma verba para comprar alimentos, o que gera um gasto maior para a instituição.

Tantas histórias ela contava aos que visitavam o Hospital, alegrias, desapontamentos, dores do passado como o dia que foi presa em São Paulo, acusada de pedir dinheiro para si, que Uberaba já a ajudava. Ela sempre disse, que “não fosse o povo de São Paulo e outras cidades também, mas principalmente o povo de São Paulo, não teria chegado onde chegou”.

Esta era Dona Cida... que retorna à Grande Pátria amparada pelos mais abnegados irmãos espirituais.

Logo pela manhã o médium Divaldo Pereira Franco disse: "Recebida com júbilos por verdadeira multidão capitaneada pelo apóstolo Chico Xavier, mais uma estrela retorna ao zimbório espiritual para iluminar a noite das almas errantes e sofredoras na Terra."

O velório será realizado no Lar da Caridade - Hospital do Fogo Selvagem. Mais informações: (34) 3318-2900.

Que possamos enviar nossas vibrações de amor a nossa querida irmã que seguirá sua jornada, agora na espiritualidade.

Que Deus receba de volata ao seu verdadeiro lar essa sua pérola preciosa, que enriqueceu nossas vidas com seu exemplo de caridade e fraternidade e amor por seus irmãos, doando suas horas em incessante trabalho em prol do necessitado.  O mundo perde mais uma de suas "Boas Samaritanas"   

Esteja em paz DONA APARECIDA, e receba embora atrasado, o nosso sincero MUITO OBRIGADO POR TUDO!

Francisco Rebouças

E-mail - SPAM

Caros amigos, muitos de nós enviamos e-mails para muitos amigos que temos em todo o mundo, e vários desses nossos contatos, nos comunicam que não têm recebido nossas notícias há muito tempo e ficamos intrigados sem saber o que está acontecendo, mas, o Alamar Régis, nos deu a razão pela qual esses amigos nossos não estão recebendo nossas notícias, é que muitos provedores incluem de forma arbitrária, e irresponsável nosso IP, na lista negra de e-mails SPAM, que é um sistema de restrição internacional, apenas por possuirmos um grande número de contatos.

Assim, cabe uma reação de nossa parte, exigindo a retirada do nosso IP dessa famigerada lista, pois, somos pessoas de bem, responsáveis, respeitadores das leis, observadores da ética e do bom senso, e, é dessa forma que exigimos ser tratados. 
Seguem abaixo as instruções do Alamar Régis.
Para você saber qual é o seu IP, vá no site.


Vai aparecer, em vermelho, o seu número IP, como essa imagem que está ao lado esquerdo. Copie ele com CONTROL C e depois entre em outro site:

Onde está escrito Query IP, cole o seu IP lá, com o CONTROL V e em seguida tecle em QUERY.

Se aparecer a mensagem:

Your IP is listed in one or more blackhole lists. IP 000.00.00.00 (bd3e565c.virtua.com.br) returned the following results:

É porque o seu IP também está cadastrado lá e você deve exigir a retirada, acionando o seu provedor.

Se não retirarem, metam PROCON e Juizado de Pequenas Causas neles, para que aprendam a respeitar o direito que temos de nos comunicar pela internet.

Vamos buscar nossos direitos, vamos nos unir contra esse abuso, essa indecêncial!!!!!!
 
Francisco Rebouças

Saber ouvir é uma virtude

Caros amigos, esta mensagem precisa ser bem entendida e observada para que também nós não nos deixemos levar por um falso julgamento.

Que procuremos desenviolver a virtude de saber ouvir.


UM DOS GRANDES PROBLEMAS DO SER HUMANO: FALAR DEMAIS E NÃO SABER OUVIR...


Francisco Rebouças

Ensinamentos oportunos

Por que as pessoas gritam?

"Um dia, um pensador indiano fez a seguinte pergunta a seus discípulos:

Por que as pessoas gritam quando estão aborrecidas?
Gritamos porque perdemos a calma, disse um deles.
Mas, por que gritar quando a outra pessoa está ao seu lado? , questionou novamente o pensador.
Bem, gritamos porque desejamos que a outra pessoa nos ouvisse, retrucou outro discípulo.

E o mestre volta a perguntar:
Então não é possível falar-lhe em voz baixa?

Várias outras respostas surgiram, mas nenhuma convenceu o pensador.

Então ele esclareceu:

Vocês sabem por que se grita com uma pessoa quando se está aborrecido?
O fato é que, quando duas pessoas estão aborrecidas, seus corações se afastam muito. Para cobrir esta distância precisam gritar para poderem escutar-se mutuamente. Quanto mais aborrecidas estiverem, mais forte terão que gritar para ouvir um ao outro, através da grande distância. Por outro lado, o que sucede quando duas pessoas estão enamoradas? Elas não gritam. Falam suavemente.

E por quê?
Porque seus corações estão muito perto. A distância entre elas é pequena. Às vezes estão tão próximos seus corações, que nem falam, somente sussurram. E quando o amor é mais intenso, não necessitam sequer sussurrar, apenas se olham, e basta. Seus corações se entendem. É isso que acontece quando duas pessoas que se amam estão próximas.

Por fim, o pensador conclui, dizendo:

Quando vocês discutirem, não deixem que seus corações se afastem, não digam palavras que os distanciem mais, pois chegará um dia em que a distância será tanta que não mais encontrarão o caminho de volta."

Mahatma Gandhi

Francisco Rebouças

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

A escola das almas

Congregados, em torno do Cristo, os domésticos de Simão ouviram a voz suave e persuasiva do Mestre, comentando os sagrados textos.
Quando a palavra divina terminou a formosa preleção, a sogra de Pedro indagou, inquieta:
— Senhor, afinal de contas, que vem a ser a nossa vida no lar?
Contemplou-a Ele, significativamente, demonstrando a expectativa de mais amplos esclarecimentos, e a matrona acrescentou:
— Iniciamos a tarefa entre flores para encontrarmos depois pesada colheita de espinhos.
No começo é a promessa de paz e compreensão; entretanto, logo após, surgem pedras e dissabores...
Reparando que a senhora galiléia se sensibilizara até às lágrimas, deu-se pressa Jesus em responder:
— O lar é a escola das almas, o templo onde a sabedoria divina nos habilita, pouco a pouco, ao grande entendimento da Humanidade.
E, sorrindo, perguntou:
— Que fazes inicialmente às lentilha, antes de servi-las à refeição?
A interpelada respondeu, titubeante:
— Naturalmente, Senhor, cabe-me levá-las ao fogo para que se façam suficientemente cozidas. Depois, devo temperá-las, tornando-as agradáveis ao sabor.
— Pretenderias, também, porventura, servir pão cru à mesa?
— De modo algum — tornou a velha humilde —; antes de entregá-lo ao consumo caseiro, compete-me guardá-lo ao calor do forno. Sem essa medida...
O Divino Amigo então considerou:
— Há também um banquete festivo, na vida celestial, onde nossos sentimentos devem servir à glória do Pai. O lar, na maioria das vezes, é o cadinho santo ou o forno preparador. O que nos parece aflição ou sofrimento dentro dele é recurso espiritual. O coração acordado para a Vontade do Senhor retira as mais luminosas bênçãos de suas lutas renovadoras, porque, somente aí, de encontro uns com os outros, examinando aspirações e tendências que não são nossas, observando defeitos alheios e suportando-os, aprendemos a desfazer as próprias imperfeições.
Nunca notou a rapidez da existência de um homem? A vida carnal é idêntica à flor da erva. Pela manhã emite perfume, à noite, desaparece... O lar é um curso ligeiro para a fraternidade que desfrutaremos na vida eterna. Sofrimentos e conflitos naturais, em seu círculo, são lições.
A sogra de Simão escutou, atenciosa, e ponderou:
— Senhor, há criaturas, porém, que lutam e sofrem; no entanto, jamais aprendem.
O Cristo pousou na interlocutora os olhos muito lúcidos e tornou a indagar:
— Que fazes das lentilhas endurecidas que não cedem à ação do fogo?
— Ah! sem dúvida, atiro-as ao monturo, porque feririam a boca do comensal descuidado e confiante.
— Ocorre o mesmo — terminou o Mestre — com a alma rebelde às sugestões edificantes do lar. A luta comum mantém a fervura benéfica; todavia, quando chega a morte, a grande selecionadora do alimento espiritual para os celeiros de Nosso Pai, os corações que não cederam ao calor santificante, mantendo-se na mesma dureza, dentro da qual foram conduzidos ao forno bendito da carne, serão lançados fora, a fim de permanecerem, por tempo indeterminado, na condição de adubo, entre os detritos da Natureza.
 
Livro: Jesus no Lar
Chico Xavier/Neio Lúcio
 
Francisco Rebouças

Lindos Casos de Chico Xavier

11 - O ENTUSIASMO APAGADO

Em fins de 1927, o “Centro Espírita Luiz Gonzaga”, então sediado na residência de José Cândido Xavier, que se fêz Presidente da instituição, estava bem freqüentado.
Muita gente.
Muitos candidatos ao serviço da mediunidade.
Muitas promessas.
José era irmão do Chico e na residência dele realizavam-se as sessões públicas nas noites de segundas e sextas-feiras.
Em cada reunião, ouviam-se exclamações como esta:
— Quero ser médium psicógrafo!...
— Quero desenvolver-me na incorporação!...
— Precisamos trabalhar muito...
— Não será interessante fundar um abrigo ou um hospital?
O entusiasmo era grande quando, em outubro do mesmo ano, chegou a Pedro Leopoldo, Dona Rita Silva, sofredora mãe com quatro filhas obsidiadas.
Vinham ela e o irmão Saul, tio das doentes, da região de Pirapora, zona do Rio São Francisco, no norte mineiro.
As moças, em plena alienação mental, inspiravam compaixão. Tinham crises de loucura completa. Mordiam-se umas às outras. Gritavam blasfêmias.
Uma delas chegara acorrentada, tal a violência da perturbação de que era vítima.
O Espírito de Dona Maria João de Deus explicou pela mão do Chico:
— Meus amigos, temos desejado o trabalho e o trabalho nos foi enviado por Jesus. Nossas irmãs doentes devem ser amparadas aqui no Centro. A fraternidade é a luz do Espiritismo.
Procuremos servir com Jesus.
Isso aconteceu numa noite de segunda-feira.
Quando chegou a reunião da sexta, José e Chico Xavier estavam em companhia das obsidiadas sem mais ninguém.

Livro: lindos Casos de Chico Xavier
Ramiro Gama
 
 
Francisco Rebouças

domingo, 20 de dezembro de 2009

Lindas Poesias!

Ave Maria


Ave Maria! Senhora
Do Amor que ampara e redime,
Ai do mundo se não fora
A vossa missão sublime!

Cheia de graça e bondade,
É por vós que conhecemos
A eterna revelação
Da vida em seus dons supremos.

O Senhor sempre é convosco,
Mensageira da ternura,
Providência dos que choram
Nas sombras da desventura.

Bendita sois vós, Rainha!
Estrela da Humanidade,
Rosa mística da fé,
Lírio puro da humildade!


Entre as mulheres sois vós
A Mãe das mães desvalidas,
Nossa porta de esperança,
E Anjo de nossas vidas!


Bendito o fruto imortal
Da vossa missão de luz,
Desde a paz da Manjedoura,
As dores, além da Cruz.


Assim seja para sempre,
Oh! Divina Soberana,
Refúgio dos que padecem
Nas dores da luta humana.

Ave Maria! Senhora
Do Amor que ampara e redime,
Ai do mundo se não fora
A vossa missão sublime!

AMARAL ORNELLAS

Livro: Parnaso de Lém-Túmulo
Chico Xavier/Diversos Espíritos

Francisco Rebouças

Argumentos materialistas

Aprendemos com a doutrina espírita, que o espiritismo é sem dúvida o maior antagonista do materialismo, adquirindo por isso mesmo a antipatia de quantos se deleitam nas teorias do materialismo; que, se colocam então, como adversários ferrenhos da filosofia espírita; é bem verdade, que muito poucos seguidores da doutrina materialista se atrevem a confessar o que são, nos deixando transparecer nitidamente a idéia de que eles não estão tão bem seguros nas suas convicções.

Apegam-se, com unhas e dentes, a defender suas teorias materialistas com o manto da razão e da ciência, e, o que é estranho, os mais descrentes até mesmo falam em nome da religião, que também não conhecem e não compreendem, como o Espiritismo, e não admitem nada que a ciência humana não possa comprovar; não levando em conta, que a ciência humana, apenas engatinha para solucionar os diversos enigmas com que se defronta diariamente, não encontrando explicações convincentes para inúmeros fatos exclusivamente de domínio das leis da matéria, como as descobertas das vacinas contra inúmeras doenças que afligem a humanidade, os preventivos tão sonhados contra a invasão dos insetos nas lavouras etc, etc...

Nas explicações que encontramos tão bem elaboradas pela doutrina espírita, vemos que eles “buscam concentrar seu ponto de ataque no maravilhoso e no sobrenatural, que não admitem. De acordo com eles, o Espiritismo, estando fundado no maravilhoso, não passa de uma suposição ridícula. Eles não pensam que ao condenar, sem restrição, o processo do maravilhoso e do sobrenatural, condenam a religião. De fato, a religião está fundada na revelação e nos milagres; portanto, o que é a revelação senão comunicações extra-humanas? Todos os autores sagrados, desde Moisés, falaram desses gêneros de comunicações. O que são os milagres senão fatos maravilhosos e sobrenaturais por excelência, uma vez que são, no sentido litúrgico, uma anulação das leis da natureza? Portanto, ao rejeitar o maravilhoso e o sobrenatural, rejeitam as próprias bases de toda religião. Mas não é sob esse ponto de vista que devemos encarar a questão.

O Espiritismo não tem de examinar se existem ou não milagres. Se Deus pôde, em certos casos, alterar as leis eternas que regem o universo, o Espiritismo deixa, em relação a isso, toda a liberdade de crença. Diz e prova que os fenômenos em que se apóia nada têm de sobrenatural, a não ser na aparência. Esses fenômenos não parecem naturais aos olhos de certas pessoas, porque estão fora do comum e diferentes dos fatos conhecidos. Mas não são mais sobrenaturais do que todos os fenômenos dos quais a ciência nos dá hoje a solução e que pareciam maravilhosos antes, em uma outra época. Todos os fenômenos espíritas, sem exceção, são conseqüência de leis gerais. Revelam-nos um dos poderes da natureza, poder desconhecido, ou melhor, incompreendido até aqui, mas que a observação demonstra estar na ordem das coisas. O Espiritismo se fundamenta menos no maravilhoso e no sobrenatural do que a própria religião; aqueles que o atacam sob esse aspecto é porque não o conhecem, e ainda que fossem os homens mais sábios, nós lhes diríamos: se a ciência, que vos ensinou tanta coisa, não ensinou que o domínio da natureza é infinito, sois apenas meio sábios”.

A doutrina espírita é a primeira a combater o maravilhoso, o sobrenatural, nos asseverando que, o que muitos assim denominam, não passa de algo desconhecido pela ciência dos homens, e que assim que for descoberto o princípio que rege o tal fenômeno, ele deixará de pertencer ao rol das coisas inexplicáveis para ter uma explicação lógica, como os diversos “milagres” operados por Jesus, que nada mais fez que exercer o seu conhecimento sobre os fenômenos que se lhe apresentaram e resolvê-los com a simplicidade de quem sabe; nós espíritas, não deixamos de dar o devido valor ás coisas da matéria, mas não ficamos apenas nisso, pois que o espiritismo não aceita todos os fatos como sendo maravilhosos ou sobrenaturais, longe disso, demonstra a impossibilidade de grande número deles e o ridículo de certas crenças, que constituem a superstição propriamente dita.

Julgar o espiritismo pelos fatos que ele não admite é dar prova de ignorância sobre seus conceitos, é por isso que, no Livro dos Médiuns Cap. II, item 14, nº 8, O Codificador nos instrui para que não levemos em conta os argumentos de quem quer que combata a doutrina que professamos, sem apresentar as convincentes justificativas para seus argumentos conforme lá está descrito:

“O espiritismo não pode por isso considerar como crítico sério, senão aquele que o tudo tenha visto, estudado e aprofundado, com a paciência e perseverança, de um observador consciencioso; que do assunto saiba tanto quanto qualquer adepto instruído; que haja por conseguinte, haurido seus conhecimentos algures, que não nos romances da ciência; aquele a quem não se possa opor fato algum, que lhe seja desconhecido, nenhum argumento de que já não tenha cogitado e cuja refutação faça, não por mera negação, mas por meio de outros argumentos mais peremptórios; aquele, finalmente, que possa indicar, para os fatos averiguados, causa mais lógica do que a que lhes aponta o Espiritismo. Tal crítico ainda está por aparecer”. ¹

Fonte: Livro dos Médiuns, FEB – 26ª edição.

Francisco Rebouças.

Reencontro no Natal

A Senhora M. C., funcionária dos Correios de grande metrópole atendia à seleção da correspondência recolhida pela manhã, prelibando a festa marcada para a noite. A véspera do Natal lhe surgia excitante. Encontro alegre de amigos.

Separada do marido, depois de dois anos, promovia o desquite. Com ele, deixara o filho único e os ideais mais lindos de mulher. Escolhera uma profissão, vencendo as dificuldades por si mesma.

Agia com as mãos e pensava: "Hoje, renovarei o caminho. Um sonho diferente. Afinal, estou livre e posso aceitar obrigações para com outro homem. Partirei, de hoje em diante, para a formação de novo lar. Já disse tudo a ele e ele me compreendeu. É um rapaz desquitado, sofrido, quanto eu mesma."

Enquanto isso, os dedos tateavam cartas e jornais. Quase mecanicamente, revisava nomes, carimbos, anotações. Escolhia material, aqui e ali.

Em dado momento, um papel dobrado, sem envelope, lhe caiu aos pés. Apanhou-o. Uma folha simples com um endereço em letras desajeitadas: "Para Jesus - No Céu."

A funcionária examinou o pequeno e estranho documento e, porque estivesse claramente aberto, mergulhou-se na leitura, de modo a inteirar-se de como devia agir e devorou o conteúdo, palavra por palavra:

"Querido Jesus.

Soube que o senhor é quem distribui presentes para todos no Natal. Muita gente acredita no Papai Noel, mas tia Belinda me disse que Papai Noel é o senhor mesmo.

Vou colocar esta carta na caixa do correio, pedindo uma cousa. Vou explicar.

Não queria que o senhor me desse brinquedos, nem mesmo o automóvel que vi na loja. Queria que o senhor me trouxesse minha mãe.

O senhor sabe que ela nos deixou porque sofria demais. De noite, quando meu pai chegava da rua, fechava a porta com força e xingava muito, porque havia tomado bebidas fortes. Dava pontapés nas cadeiras e depois avançava para ela querendo bater e, às vezes, até batia.

Mamãe chorava, abraçada comigo, mas uma noite, ela saiu e não voltou mais. Fiquei muito triste e papai também. Ele é bom para mim, mas quando bebe diz que eu não presto, que vai me levar para um asilo ou para o hospital.

Estou doente, querido Jesus, mas estou na escola. Quando é de noite, sinto frio e tenho muita tosse, Tia Belinda e Dona Silvana cuidam de mim, mas não é a mesma cousa que minha mãe.

O senhor poderá encontrar mamãe e trazê-la. Se o senhor falar com ela que estou doente, sem dormir de noite e tomando remédios, sei que ela virá.

Querido Jesus, não precisa mandar brinquedos nem bombons como no ano passado. Traga mamãe para mim..

A senhora M. C. leu a assinatura engasgada de emoção. Chegara-lhe às mãos a missiva do filhinho de oito anos.

Recompunha o rosto, lavado em pranto, quando foi chamada ao telefone. Atendendo, disse apenas ao interlocutor que conversava no outro lado do fio:

- Agradeço, mas sinto muito. Não me espera mais. Tenho novos compromissos.

E, à noite, a senhora M. C. demandou o antigo lar. Recebida alegremente pelas duas senhoras que lhe chefiavam agora a casa, passou na sala de visitas pelo esposo que, embora embriagado, a cumprimentou, surpreendido.

Rapidamente, alcançou o quarto do filhinho, com a ansiedade de quem reencontra um tesouro perdido e o pequeno, ao vê-la, ergueu-se do leito, exclamando, feliz:

- Ah! Mamãe!... Mamãe!... Então Jesus recebeu minha carta e trouxe a senhora?!...

E ela somente respondeu, com o peito rebentando em lágrimas de ventura:

- Ah! meu filho!... meu filho!...

Os Dois Maiores Amores - GEEM
Chico Xavier/Irmão X

Francisco Rebouças

Brasil coração do mundo...

https://youtu.be/_a9tpJnGcbw

Homenagem a Chico Xavier

Haroldo Dias Dutra - As cartas de Paulo

Haroldo Dutra - Jesus o Médico da Almas

https://youtu.be/Uk7OUvyGCZU



Divaldo Franco

https://youtu.be/OVbstbRFs9M

Entrevista sobre Emmanuel, Joanna de Ângelis...

Reencarnação é uma realidade

Palestra O trabalho no Bem - Cristiane Parmiter

Palestra: As Leis Divinas e nós - Cristiane Parmiter

Palestra: Benevolência - Cristiane Parmiter

Palestra: Jesus e o Mundo - Cristiane Parmiter

Palestra: A Dinâmica do Perdão - Cristiane Parmiter

Palestra: Perante Jesus - Cristiane Parmiter

Palestra AVAREZA - Cristiane Parmiter

Palestra Obediência Construtiva - Cristiane Parmiter

Palestra Tribulações - Cristiane Parmiter

Palestra Conquistando a Fé - Cristiane Parmiter

Palestra Humildade e Jesus - Cristiane Parmiiter

Palestra Renúncia - Cristiane Parmiter

Rádios Brasil

Simplesmente Espetacular!!!

Professora Amanda Gurgel

Andrea Bocelli & Sarah Brightman - Time To Say Goodbye

De Kardec aos dias de hoje

Madre Teresa

As Mães de Chico Xavier

Reencarnação - Menino Piloto

http://www.youtube.com/embed/cQ2ZqUCKDow" frameborder="0" allowfullscreen>

Muitas Vidas

Espiritismo: família de Andrea Maltarolli mantém contato com a autora - Mais Você - GLOBO

Divaldo Franco

ESPIRITISMO - CHICO XAVIER - REPORTAGEM DO FANTASTICO - OS SEGREDOS DE CHICO

Entrevista com Divaldo Franco

Sobre Emmanuel, Joanna de Ângelis, e muito mais, confira. 1ª Parte 2ª Parte

Oração de Gratidão - Divaldo Franco

Chico Xavier

Chico Xavier no Fantástico

Chico Xavier (2010) trailer oficial

Página de Mensagens

Nesta página estarei lançando variadas páginas de conteúdo edificante para nosso aprendizado.

Francisco Rebouças.

1-ANTE A LIÇÃO

"Considera o que te digo, porque o Senhor te dará entendimento em tudo".- Paulo. II TIMÓTEO. 2:7.

Ante a exposição da verdade, não te esquives à meditação sobre as luzes que recebes.

Quem fita o céu, de relance, sem contemplá-lo, não enxerga as
estrelas; e quem ouve uma sinfonia, sem abrir-lhe a acústica da alma, não lhe percebe as notas divinas.

Debalde escutarás a palavra inspirada de pregadores ardentes, se não descerrares o coração para que o teu sentimento mergulhe na claridade bendita daquela.

Inúmeros seguidores do Evangelho se queixam da incapacidade de retenção dos ensinos da Boa Nova, afirmando-se ineptos à frente das novas revelações, e isto porque não dispensam maior trato à lição ouvida, demorando-se longo tempo na província da distração e da leviandade.

Quando a câmara permanece sombria, somos nós quem desata o ferrolho à janela para que o sol nos visite.

Dediquemos algum esforço à graça da lição e a lição nos responderá com as suas graças.

O apóstolo dos gentios é claro na observação. "Considera o que te digo, porque, então, o Senhor te dará entendimento em tudo."

Considerar significa examinar, atender, refletir e apreciar.

Estejamos, pois, convencidos de que, prestando atenção aos
apontamentos do Código da Vida Eterna, o Senhor, em retribuição à nossa boa-vontade, dar-nos-á entendimento em tudo.

Livro: Fonte Viva
Chico Xavier/Emmanuel

NO CAMPO FÍSICO

"Semeia-se corpo animal, ressuscitará corpo espiritual." - Paulo. (I CORÍNTIOS, 15:44.)

Ninguém menospreze a expressão animal da vida humana, a pretexto de preservar-se na santidade.

A imersão da mente nos fluidos terrestres é uma oportunidade de sublimação que o espírito operoso e desperto transforma em estruturação de valores eternos.

A sementeira comum é símbolo perfeito.

O gérmen lançado à cova escura sofre a ação dos detritos da terra, afronta a lama, o frio, a resistência do chão, mas em breve se converte em verdura e utilidade na folhagem, em perfume e cor nas flores e em alimento e riqueza nos frutos.

Compreendamos, pois, que a semente não estacionou. Rompeu todos os obstáculos e, sobretudo, obedeceu à influência da luz que a orientava para cima, na direção do Sol.

A cova do corpo é também preciosa para a lavoura espiritual, quando nos submetemos à lei que nos induz para o Alto.

Toda criatura provisoriamente algemada à matéria pode aproveitar o tempo na criação de espiritualidade divina.

O apóstolo, todavia, é muito claro quando emprega o termo "semeia-se". Quem nada planta, quem não trabalha na elevação da própria vida, coagula a atividade mental e rola no tempo à maneira do seixo que avança quase inalterável, a golpes inesperados da natureza.

Quem cultiva espinhos, naturalmente alcançará espinheiros.

Mas, o coração prevenido que semeia o bem e a luz, no solo de si mesmo, espere, feliz, a colheita da glória espiritual.

E N T R E I R M Ã O S
Olympia Belém (Espírito)[1]

Estes são tempos desafiadores para todos os que buscam um mundo melhor, onde reine o amor, onde pontifique a fraternidade, onde possam florir os mais formosos sentimentos nos corações.
Anelamos por dias em que a esperança, há tanto tempo acariciada, possa converter-se em colheita de progressos e de paz.
Sonhamos com esse alvorecer de uma nova era em que o Espiritismo, transformado em religião do povo, apresentando Jesus às multidões, descrucificado e vivo, possa modificar as almas, para que assumam seu pujante papel de filhas de Deus no seio do mundo.
Entrementes, não podemos supor que esses ansiados dias estejam tão próximos, quando verificamos que há, ainda, tanta confusão nos relacionamentos, tanta ignorância nos entendimentos, tanta indiferença e ansiedade nos indivíduos, como se vendavais, tufões, tormentas variadas teimassem em sacudir o íntimo das criaturas, fazendo-as infelizes.
A fim de que os ideais do Cristo Jesus alcancem a Terra, torna-se indispensável o esforço daqueles que, tendo ouvido o cântico doloroso do Calvário, disponham-se a converter suas vidas na madrugada luminosa do Tabor.
O mundo terreno, sob ameaças de guerras e sob os rufares da violência, em vários tons, tem urgência do Mestre de Nazaré, ainda que O ignore em sua marcha atordoada, eivada do materialismo que o fascina, que o domina e que o faz grandemente desfigurado, por faltar sentido positivo e digno no uso das coisas da própria matéria.
Na atualidade, porém, com as advertências da Doutrina dos Espíritos, com essa luculenta expressão da misericórdia de Deus para com Seus filhos terrenos, tudo se torna menos áspero, tudo se mostra mais coerente, oferecendo-nos a certeza de que, no planeta, tudo está de conformidade com a lei dos merecimentos, com as obras dos caminheiros, ora reencarnados, na estrada da suspirada libertação espiritual.
"A cada um segundo as suas obras" aparece como canto de justiça e esperança, na voz do Celeste Pastor.
Hoje, reunidos entre irmãos, unimo-nos aos Emissários destacados do movimento de disseminação da luz sobre as brumas terráqueas, e queremos conclamar os queridos companheiros, aqui congregados, a que não se permitam atormentar pelos trovões que se fazem ouvir sobre as cabeças humanas, ameaçadores, tampouco esfriar o bom ânimo, considerando que o Cristo vela sempre. Que não se deixem abater em razão de ainda não terem, porventura, alcançado as excelentes condições para o ministério espírita, certos de que o tempo é a magna oportunidade que nos concede o Senhor. Que ponham mãos à obra, confiantes e vibrantes, certos de que os verdadeiros amigos de Jesus caminham felizes, apesar das lutas e das lágrimas, típicas ocorrências das experiências, das expiações e das provas.
Marchemos devotados, oferecendo, na salva da nossa dedicação, o melhor que o Espiritismo nos ensina, o melhor do que nos apresenta para os que se perdem nas alamedas do medo, da desesperança e da ignorância a nossa volta.
Hoje, entre os amigos espíritas, encontramos maior ânimo para a superação dos nossos próprios limites, o que configurará, ao longo do tempo a superação dos limites do nosso honroso Movimento Espírita.
Sejamos pregadores ou médiuns, evangelizadores, escritores ou servidores da assistência social, não importa. Importa que nos engajemos, todos, nos labores do Codificador, plenificando-nos da grande honra de cooperar com os excelsos interesses do Insuperado Nazareno.
O tempo é hoje, queridos irmãos. O melhor é o agora, quando nos entrelaçamos para estudar, confraternizar e louvar a Jesus com os corações em clima festivo.
Certos de que o Espiritismo é roteiro de felicidade e bandeira de luz, que devemos içar bem alto sobre o dorso do planeta, abracemo-nos e cantemos, comovidos: Louvado seja Deus! Louvado seja Jesus!
Com extremado carinho e votos de crescente progres­so para todos, em suas lidas espiritistas, quero despedir-me sempre devotada e servidora pequenina.
Olympia Belém.

[1]
- Mensagem psicografada pelo médium J. Raul Teixeira no dia 03.09.95, no encerramento da X Confraternização Espírita do Estado do Rio de Janeiro.

O TEMPO

“Aquele que faz caso do dia, patrão Senhor o faz.” — Paulo. (ROMANOS, capítulo 14, versículo 6.)

A maioria dos homens não percebe ainda os valores infinitos do tempo.
Existem efetivamente os que abusam dessa concessão divina. Julgam que a riqueza dos benefícios lhes é devida por Deus.
Seria justo, entretanto, interrogá-los quanto ao motivo de semelhante presunção.
Constituindo a Criação Universal patrimônio comum, é razoável que todos gozem as possibilidades da vida; contudo, de modo geral, a criatura não medita na harmonia das circunstâncias que se ajustam na Terra, em favor de seu aperfeiçoamento espiritual.
É lógico que todo homem conte com o tempo, mas, se esse tempo estiver sem luz, sem equilíbrio, sem saúde, sem trabalho?
Não obstante a oportunidade da indagação, importa considerar que muito raros são aqueles que valorizam o dia, multiplicando-se em toda parte as fileiras dos que procuram aniquilá-lo de qualquer forma.
A velha expressão popular “matar o tempo” reflete a inconsciência vulgar, nesse sentido.
Nos mais obscuros recantos da Terra, há criaturas exterminando possibilidades sagradas. No entanto, um dia de paz, harmonia e iluminação, é muito importante para o concurso humano, na execução das leis divinas.
Os interesses imediatistas do mundo clamam que o “tempo é dinheiro”, para, em seguida, recomeçarem todas as obras incompletas na esteira das reencarnações... Os homens, por isso mesmo, fazem e desfazem, constroem e destroem, aprendem levianamente e recapitulam com dificuldade, na conquista da experiência.
Em quase todos os setores de evolução terrestre, vemos o abuso da oportunidade complicando os caminhos da vida; entretanto, desde muitos séculos, o apóstolo nos afirma que o tempo deve ser do Senhor.

Livro: Caminho Verdade e Vida.
Chico Xavier/Emmanuel.

NISTO CONHECEREMOS

"Nisto conhecemos o espírito da verdade e o espírito do erro." (I JOÃO, 4:6.)

Quando sabemos conservar a ligação com a Paz Divina, apesar de todas as perturbações humanas, perdoando quantas vezes forem necessárias ao companheiro que nos magoa; esquecendo o mal para construir o bem; amparando com sinceridade aos que nos aborrecem; cooperando espiritualmente, através da ação e da oração, a benefício dos que nos perseguem e caluniam; olvidando nossos desejos particulares para servirmos em favor de todos; guardando a fé no Supremo Poder como luz inapagável no coração; perseverando na bondade construtiva, embora mil golpes da maldade nos assediem; negando a nós mesmos para que a bênção divina resplandeça em torno de nossos passos; carregando nossas dificuldades como dádivas celestes; recebendo adversários por instrutores; bendizendo as lutas que nos aperfeiçoam a alma, à frente da Esfera Maior; convertendo a experiência terrena em celeiros de alegrias para a Eternidade; descortinando ensejos de servir em toda parte; compreendendo e auxiliando sempre, sem a preocupação de sermos entendidos e ajudados; amando os nossos semelhantes qual temos sido amados pelo Senhor, sem expectativa de recompensa; então, conheceremos o espírito da verdade em nós, iluminando-nos a estrada para a redenção divina.

DOUTRINAÇÕES

"Mas não vos alegreis porque se vos sujeitem os espíritos; alegrai-vos, antes, por estarem os vossos nomes escritos nos céus." — Jesus. (LUCAS, capítulo 10, versículo 20.)

Freqüentemente encontramos novos discípulos do Evangelho exultando de contentamento, porque os Espíritos perturbados se lhes sujeitam.

Narram, com alegria, os resultados de sessões empolgantes, nas quais doutrinaram, com êxito, entidades muita vez ignorantes e perversas.

Perdem-se muitos no emaranhado desses deslumbramentos e tocam a multiplicar os chamados "trabalhos práticos", sequiosos por orientar, em con-tactos mais diretos, os amigos inconscientes ou infelizes dos planos imediatos à esfera carnal.

Recomendou Jesus o remédio adequado a situações semelhantes, em que os aprendizes, quase sempre interessados em ensinar os outros, esquecem, pouco a pouco, de aprender em proveito próprio.

Que os doutrinadores sinceros se rejubilem, não por submeterem criaturas desencarnadas, em desespero, convictos de que em tais circunstâncias o bem é ministrado, não propriamente por eles, em sua feição humana, mas por
emissários de Jesus, caridosos e solícitos, que os utilizam à maneira de canais para a Misericórdia Divina; que esse regozijo nasça da oportunidade de servir ao bem, de consciência sintonizada com o Mestre Divino, entre as certezas
doces da fé, solidamente guardada no coração.

A palavra do Mestre aos companheiros é muito expressiva e pode beneficiar amplamente os discípulos inquietos de hoje.

Livro: Caminho Verdade e Vida.

Chico Xavier/Emmanuel.

FILHOS DA LUZ

FILHOS DA LUZ"Andai como filhos da luz." - Paulo.

(EFÉSIOS, 5:8.)Cada criatura dá sempre notícias da própria origem espiritual.

Os atos, palavras e pensamentos constituem informações vivas da zona mental de que procedemos.

Os filhos da inquietude costumam abafar quem os ouve, em mantos escuros de aflição.

Os rebentos da tristeza espalham o nevoeiro do desânimo.

Os cultivadores da irritação fulminam o espírito da gentileza com os raios da cólera.

Os portadores de interesses mesquinhos ensombram a estrada em que transitam, estabelecendo escuro clima nas mentes alheias.

Os corações endurecidos geram nuvens de desconfiança, por onde passam.

Os afeiçoados à calúnia e à maledicência distribuem venenosos quinhões de trevas com que se improvisam grandes males e grandes crimes.

Os cristãos, todavia, são filhos da luz.E a missão da luz é uniforme e insofismável.Beneficia a todos sem distinção.

Não formula exigências para dar.Afasta as sombras sem alarde.

Espalha alegria e revelação crescentes.Semeia renovadas esperanças.Esclarece, ensina, ampara e irradia-se.

Vinha de Luz

Chico Xavier/André Luiz


QUEM LÊ, ATENDA

"Quem lê, atenda." - Jesus. (MATEUS, 24:15.)

Assim como as criaturas, em geral, converteram as produções sagradas da Terra em objeto de perversão dos sentidos, movimento análogo se verifica no mundo, com referência aos frutos do pensamento.

Freqüentemente as mais santas leituras são tomadas à conta de tempero emotivo, destinado às sensações renovadas que condigam com o recreio pernicioso ou com a indiferença pelas obrigações mais justas.

Raríssimos são os leitores que buscam a realidade da vida.

O próprio Evangelho tem sido para os imprevidentes e levianos vasto campo de observações pouco dignas.

Quantos olhos passam por ele, apressados e inquietos, anotando deficiências da letra ou catalogando possíveis equívocos, a fim de espalharem sensacionalismo e perturbação? Alinham, com avidez, as contradições aparentes e tocam a malbaratar, com enorme desprezo pelo trabalho alheio, as plantas tenras e dadivosas da fé renovadora.

A recomendação de Jesus, no entanto, é infinitamente expressiva.

É razoável que a leitura do homem ignorante e animalizado represente conjunto de ignominiosas brincadeiras, mas o espírito de religiosidade precisa penetrar a leitura séria, com real atitude de elevação.

O problema do discípulo do Evangelho não é o de ler para alcançar novidades emotivas ou conhecer a Escritura para transformá-la em arena de esgrima intelectual, mas, o de ler para atender a Deus, cumprindo-lhe a Divina Vontade.

Livro; Vinha de Luz
Chico Xavier/Emmanuel